28 fevereiro 2011

NEGRUME

Que fazer da escuridão
involuntária, esta mancha
presa ao corpo?
As janelas,
traidoras, vão mostrando
o que deviam esconder.
E o mundo desaperta-se
ao mínimo discuido.
Basta perguntarmos
as horas ou pedirmos
ao balcão, um copo
de água fresca.

JOSÉ MÁRIO SILVA

25 fevereiro 2011

Não temos um Muammar Khadafi, mas…

.
Preste muita atenção!

Se não pagar a água dentro do prazo, no dia seguinte já terá de pagar o triplo.

«É uma forma violentíssima de obrigar as pessoas a pagar», disse à Lusa o jurista Tiago Guerreiro, especialista em Direito Fiscal, para quem «em termos fiscais, não faz sentido nenhum».

Isto faz pensar que não temos cá o ditador Muammar Khadafi, mas a diferença parece ser pequena, apenas a de não ser logo aplicada a morte por armas de guerra usadas por mercenários.

23 fevereiro 2011

PADRINHOS, E AGORA?


EU, APESAR DE SER ESTÚPIDO, SEMPRE DUVIDEI DOS MEUS PADRINHOS LÁ DO OCIDENTE. ATÉ ME COROARAM, VEJAM BEM! E AGORA, PADRINHOS? - FODERAM-ME BEM!!!

21 fevereiro 2011

Os europeus correm contra o muro


Entrevista de um professor chinês de economia, sobre a Europa, o Prof. Kuing Yamang, que viveu em França:



1. A sociedade europeia está em vias de se auto-destruir. O seu modelo social é muito exigente em meios financeiros. Mas, ao mesmo tempo, os europeus não querem trabalhar. Só três coisas lhes interessam: lazer/entretenimento, ecologia e futebol na TV! Vivem, portanto, bem acima dos seus meios, porque é preciso pagar estes sonhos de miúdos... 

2. Os seus industriais deslocalizam-se porque não estão disponíveis para suportar o custo de trabalho na Europa, os seus impostos e taxas para financiar a sua assistência generalizada.

3. Portanto endividam-se, vivem a crédito. Mas os seus filhos não poderão pagar 'a conta'.

4. Os europeus destruíram, assim, a sua qualidade de vida empobrecendo. Votam orçamentos sempre deficitários. Estão asfixiados pela dívida e não poderão honrá-la.

5. Mas, para além de se endividar, têm outro vício: os seus governos 'sangram' os contribuintes. A Europa detém o recorde mundial da pressão fiscal. É um verdadeiro 'inferno fiscal' para aqueles que criam riqueza.

6. Não compreenderam que não se produz riqueza dividindo e partilhando mas sim trabalhando. Porque quanto mais se reparte esta riqueza limitada menos há para cada um. Aqueles que produzem e criam empregos são punidos por impostos e taxas e aqueles que não trabalham são encorajados por ajudas. É uma inversão de valores.

7. Portanto o seu sistema é perverso e vai implodir por esgotamento e sufocação. A deslocalização da sua capacidade produtiva provoca o abaixamento do seu nível de vida e o aumento do... da China!



8. Dentro de uma ou duas gerações 'nós' (os chineses) iremos ultrapassá-los. Eles tornar-se-ão os nossos pobres. Dar-lhes-emos sacas de arroz...

9. Existe um outro cancro na Europa: existem funcionários a mais, um emprego em cada cinco. Estes funcionários são sedentos de dinheiro público, são de uma grande ineficácia, querem trabalhar o menos possível e apesar das inúmeras vantagens e direitos sociais, estão muitas vezes em greve. Mas os decisores acham que vale mais um funcionário ineficaz do que um
desempregado...

10. Vão (os europeus) direitos a um muro e a alta velocidade... 


Imagem da Net

17 fevereiro 2011

O essencial deve ter prioridade


Sendo a «promessa» de moção de censura uma artimanha táctica com interesse meramente partidário ou não, parece estar a absorver demasiadas atenções e espaço na Comunicação Social, em prejuízo dos reais interesses nacionais que, de tal forma, ficam esquecidos e com as soluções adiadas. Não está a dar-se prioridade ao essencial em relação ao secundário, ao nacional em relação ao partidário. 

Num momento da vida nacional em que todas as energias do país deviam ser orientadas para os grandes problemas que afligem a população, para a procura de medidas eficazes para aliviar o sofrimento dos contribuintes, para o aumento das exportações, etc, em vez disso, está cada um a puxar para seu lado, cada partido olhando para o seu próprio umbigo. 

Os artigos seguintes (basta fazer clic no título para os abrir), se bem analisados, mostram que o sentido de Estado e o sentido de responsabilidade, não são apanágio corrente de governantes e opositores e que os partidos não estão a dignificar-se perante os cidadãos com mais consciência do bem comum.


Imagem da Net

CARTA ABERTA AOS MAMOES DE PORTUGAL

CARTA ABERTA AO SR. JORGE SAMPAIO


CARO EX-PRESIDENTE SR JORGE SAMPAIO

Nutro por si uma especial consideração, desde que recebeu a esmolinha de 90ooo euros ( noventa mil euros ) em 2004 do Rei de Espanha

Olha lá Sr Sampaio, já gastaste os 90000 euros ?????????

Pode ser que possa contribuir com este dinheiro para os pobrezinhos de Portugal !!!!

Não deves precisar dos 90000 euros, afinal de contas tens 3 chorudas reformas, pagas pelos cabrões e otários dos contribuintes portugueses, a saber ;
  • uma reforma como deputado da assembléia da republica das bananas portuguesa

  • uma reforma como Ex-Presidente da Câmara de Lisboa
  • uma reforma como Ex-Presidente da República das Bananas Portuguesa

  • há, e não poderiamos nos esquecer da Subvenção Vitalícia que que todos os ex-presidentes recebem, no valor de 150000 euros ( cento e cinquenta mil euros anuais vitálicios )

  • não podemos tambem nos esquecer do carro topo de gama ( BMW ou AUDI ), com motorista pago pelos cabrões dos contribuintes, com todas as despesas pagas ( gasoleo / revisões / e troca de carro a cada tres anos )

  • há, tambem já me ia esquecendo do escritório alugado em Portugal, em local a sua escolha, totalmente mobilado + secretária, e todas as despesas pagas ( agua / eletricidade / condominio / aluguer / ordenado da secretária / telefone / net / telemovel / gas / etc , etc , etc )

  • é claro que tambem temos o custo de um polícia 24 hs / 24 hs, para proteger tão ilustre cidadão ( Vossa Excelência )

Digame lá Sr Presidente, tua filha ainda é adjunta do ministro ?


Quanto ganha tua filha por mês ? 15000 euros / mês ??? Ela tambem podia ajudar os pobrezinhos, era só doar o dinheiro que ganhou no BCP, vá lá !!!!!!!!!!

E teu filinho de 23 aninhos ??? Já Administrador da Portugal Telecom heim, deve ser muito inteligente !!!!!!!!!!!!!!

Quantos milhões de euros ganha por ano ????? Este teu menino poderia ajudar mais os pobrezinhos de Portugal

Bem, como se vê, tua familia foi abençoada com o toque de Deus ( amém )

Após estas tortas e mal traçadas linhas, ficava bem doares os 90000 euros da esmolinha espanhola aos pobrezinhos de Portugal

Do teu eterno admirador ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

RAMIRO LOPES ANDRADE

============================================

CARTA ABERTA AO SR MIRA AMARAL


CARO SR MIRAL AMARAL

COMO TODOS SABEMOS, O SR TRABALHOU MUITO EM SUA VIDA PRODUTIVA

SABEMOS QUE FOI MINISTRO E TEM UMA REFORMA

SABEMOS QUE FOI DEPUTADO E TEM UMA REFORMA

SABEMOS QUE " TRABALHOU " NA CGD COMO ADMINISTRADOR, ( UM TRABALHO MUITO ESTRESSANTE ) E SE REFORMOU COM 18000/ MES, DEPOIS DE UM ANO E NOVE MES DE ESTAFANTE LABOR

VENHO PROPOR QUE DOE AOS POBREZINHOS DE PORTUGAL OS 1,4 MILHÕES DE EUROS QUE ACUMULOU NESTES SEIS ANOS DE REFORMA DA CGD ( UM MILHÃO E QUATROCENTOS MIL EUROS )

NÃO LHE É PEDIR MUITO, NÃO ????

DE PASSAGEM PODES PEDIR ALGUM DINHEIRO Á CELESTE CARDONA DA CGD, E AO FERNADO GOMES DA GALP

DECERTEZA, SOMENTE COM VOCES TRES, SE ARRANJARIA ALGUNS MILHÕES DE EUROS DE TÃO ESTAFANTE E DESGASTANTE TRABALHO QUE TANTO LABORAM

VÁ LÁ, NÃO É PEDIR MUITO, É PARA OS POBREZINHOS DE PORTUGAL ,,,,,,,,,,,,

BEM, COMO VAMOS ALEGREMENTE EM DIRECÇÃO AO ABISMO, PELO MENOS QUE SEJA UMA FESTA DE GRANDES EXPLOSÕES, COMO OS FOGOS DE ARTIFÍCIO DA MADEIRA

PORTUGAL COM GENTALHA DESTA, VAI CONTINUAR NA MERDA, AMEM

UM ABRAÇO A TODOS

RAMIRO LOPES ANDRADE

POR MIM, NÃO DEIXAREI DE AVIVAR A MEMÓRIA DOS ESQUECIDOS !...


Caríssimos, foi-me enviado por e-mail e pedido pelo leitor e amigo Jardel que aqui divulgasse, como já é do conhecimento geral, este é um dos objectivos do "A Voz do Povo", dar voz a todos que queiram exprimir a sua opinião.
No fim do texto, um vídeo está a correr a internet, blogues, sites, facebook's e hi5's. Rui Unas e Claúdia Semedo cantam imitando o videoclip de Rihanna no tema Only Girl (In the World) numa sátira a José Sócrates e à situação decadente do país. Vale a pena ver o vídeo


Um dos Motivos porque o Governo se tornou fiador de 20 mil milhões de euros de transacções intra bancárias......???

Os de hoje, vão estar como gestores de Banca amanhã, pois os de ontem, já estão por lá hoje.

Correcto???? Se pensa que não, vejamos:



EIS A LISTA :

Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa


Agora - Presidente do BCP Angola


-------------------------------------------------------------
José de Oliveira e Costa: (O TAL QUE ESTEVE NA GAIOLA)


Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais


Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)



--------------------------------------------------------------------------------



Rui Machete: (AGORA NINGUÉM O OUVE)



Antes - Ministro dos Assuntos Sociais


Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; (o banco falido, é só gamanço)


Presidente do Conselho Executivo da FLAD



------------------------------------------------------------------------------



Armando Vara: (AQUELE A QUEM O SUCATEIRO DAVA CAIXAS DE ROBALOS)



Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro


Agora - Vice-Presidente do BCP (demissionário a seu pedido, antes que levasse um chuto no rabo)



----------------------------------------------------------------------------------------------



Paulo Teixeira Pinto: (o tal que antes de trabalhar já estava reformado)



Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros


Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de 'trabalho', saiu com 10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000EUR x 15 meses por ano até morrer...)

-----------------------------------------------------------------------------------



António Vitorino:



Antes -Ministro da Presidência e da Defesa


Agora -Vice-Presidente da PT Internacional;


Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas 'patacas' como comentador RTP)



----------------------------------------------------------------------------



Celeste Cardona: (a tal que só aceitava o lugar na Biblioteca do Porto se tivesse carro e motorista às ordens - mas o vencimento era muito curto)



Antes - Ministra da Justiça


Agora - Vogal do CA da CGD (QUE MARAVILHA - ORDENADO PRINCIPESCO - O ZÉ PAGA)

------------------------------------------------------------------------------



José Silveira Godinho:



Antes - Secretário de Estado das Finanças


Agora - Administrador do BES (VIVA O LUXO)

--------------------------------------------------------------------------------



João de Deus Pinheiro: (aquele que agora nem se vê)



Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros


Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português (O TAL QUE DEU O BERRO).



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Elias da Costa:



Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação -


Agora - Vogal do CA do BES (POIS CLARO, AGORA É BANQUEIRO)



--------------------------------------------------------------------------------------------------



Ferreira do Amaral: (O ESPERTALHÃO, QUE PREPAROU O TERRENO)


Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte)


Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato (POIS CLARO, À TRIPA FORRA).



------------------------------------------------------------------------------------



etc., etc., etc...


O que é isto ?

Cunha ?

Gamanço ?
É Portugal no seu esplendor .
...e depois até querem que se declarem as prendas de casamento e o seu valor.
Já é tempo de parar esta canalha nojenta!

Não te cales, DENUNCIA!
Passa este e-mail, fá-lo circular por Portugal.
(Eu faço a minha parte. Por mim, estas sanguessugas já as tinha posto a trabalhar na estiva...)


12 fevereiro 2011

Neoliberalismo o caminho para a pobreza


Assistimos no mundo a grandes transformações ao nível político, social, económico/financeiro, ambiental, demográfico e tecnológico.

No entanto, o factor que efectivamente gera mexidas em todos os outros, é sem dúvida a aplicação de políticas neoliberais. O Neoliberalismo, é entendido actualmente como um produto do liberalismo económico clássico. O termo foi criado pelo sociólogo e economista Alemão Alexander Rüstow. É no campo social que se notam as maiores contestações populares, devido à redução da protecção social a cargo do estado, da redução de salários na função pública e à elevada carga fiscal aplicada aos trabalhadores.

 Segundo o Prof. Michael Hudson  (...) "o problema à escala da Europa na verdade está centrado na capital da União Europeia, Bruxelas. A neoliberal Comissão Europeia (CE) começou a delinear uma guerra contra o trabalho,a proposta de transformação de regras sociais, numa campanha anti-trabalho sem precedentes, superior à da década de 1930 – ainda mais extrema do que os planos de austeridade impostos pelo FMI e o Banco Mundial ao Terceiro Mundo em tempos passados."(...)

(...)"A Comissão Europeia está a utilizar a crise hipotecária da banca – e a proibição de os bancos centrais cobrirem o défice orçamental dos governos – como uma oportunidade para multar governos e levá-los mesmo à bancarrota se não concordarem em baixar salários do sector público, esta medida visa por arrastamento chegar também ao sector privado. Os governos são instruídos para contrairem empréstimos a juros junto aos bancos, ao invés de captarem receita tributando-os. E se os governos não conseguirem dinheiro para pagar os juros, terão de encerrar os seus programas sociais, e se por este motivo contrair a economia – e, portanto, baixarem as receitas fiscais do governo, mais medidas de corte nas despesas sociais devem de ser tomadas. na crença de que isto "deixará mais excedente" disponível para pagar em serviço de dívida. Os governos devem tributar o trabalho – não as finanças, seguros ou imobiliário, impor novos impostos sobre o emprego e as vendas enquanto reduz pensões públicas e gastos públicos. A Europa está a ser transformada numa república de bananas."(...)

          (...)" Isto exige ditadura e o Banco Central Europeu (BCE) assumiu este poder [próprio] de um governo eleito. Ele é "independente" de controle político – celebrado como a "marca da democracia" pela nova oligarquia financeira de hoje. Mas como explicavam os diálogos de Platão" - Séc. V a.C, ( ver Górgias - diálogo ), "o que é a Oligarquia senão o cenário político que se segue à democracia. Agora podemos esperar que a nova elite do poder se torne hereditária – pela abolição de impostos sobre o património, para começar – e se transforme numa aristocracia absoluta. "Juntem-se ao combate contra o trabalho, ou nós os destruiremos", está a Comissão Europeia ( CE ) a dizer aos governos. Isto é suicídio económico, mas a UE está a impor a sua exigência de que os governos da Euro-zona mantenham os seus défices orçamentais abaixo dos 3% do PIB – e a sua dívida total abaixo dos 60% do PIB. Não devem arrecadar impostos sobre a riqueza, mas apenas sobre o trabalho e o que ele compra (via impostos sobre o consumo). Mas ao mesmo tempo eles devem cortar salários e pensões, cortar na despesa pública e no emprego, e contrair a economia."(...)

Os membros não eleitos do Banco Central Europeu (BCE, independente da política democrática, mas não do controle por parte dos seus bancos comerciais membros) usurparam o poder de planeamento de governos eleitos. Obrigado para com o seu eleitorado, o sector financeiro, o BCE teve pouca dificuldade em convencer a comissão da UE a apoiar a nova captura oligárquica do poder. Ameaça multar estados da euro-área em até 0,1% do PIB por falhas na obediência às suas recomendações neoliberais – ostensivamente para "corrigir" desequilíbrios. Mas a realidade, naturalmente, é que toda "cura" neoliberal apenas torna as coisas piores.(...)

Ao invés de encarar o aumento de níveis salariais e padrões de vida como uma pré-condição para produtividade do trabalho mais alta, a comissão da UE "monitorará" custos do trabalho com a presunção de que salários em ascensão prejudicam a competitividade ao invés de elevá-la. O vasto espectro deste lixo da teoria económica neoliberal está a ser trazido à luz. Se os membros do euro não podem desvalorizar as suas divisas, então devem combater o trabalho – mas não tributar o imobiliário, a banca ou outros sectores controlados pelos grandes grupos económicos, não regular monopólios e não proporcionar serviços públicos que possam ser privatizados a custos muito mais altos. Não se considera que a privatização prejudica a competitividade – apenas o aumento de salários, sem quaisquer considerações quanto à produtividade.(...)"

A Revolução Neoliberal procura alcançar na Europa o que foi alcançado nos Estados Unidos a partir de 1979, quando os salários reais pararam de subir. O objectivo é duplicar a fatia de riqueza relativa desfrutada pelos 1% mais ricos. Isto envolve reduzir a população à pobreza, romper o poder sindical e destruir o mercado interno como condição prévia para atribuir a culpa de tudo isto ao "Sr. Mercado", presumivelmente forças inexoráveis por trás da política, puramente "objectivo" ao invés de uma captura do poder político.(...)
(...)há um caminho muito mais fácil para cortar o custo do trabalho pela metade do que reduzir os salários. Simplesmente mudar o fardo fiscal para fora do trabalho e para dentro do imobiliário e dos monopólios (especialmente a infraestrutura privatizada). Isto deixará menos excedente económico para ser capitalizado em empréstimos bancários, reduzindo consequentemente o preço da habitação (o principal factor no custo de vida do trabalho), bem como o preço de serviços públicos (fazendo com que os proprietários tomem os seus retornos como um retorno sobre capitais próprios ao invés de incorporar encargos de juros dentro do seu custo de fazer negócio). A dedutibilidade fiscal do juro seria revogada – não há nada de intrinsecamente "ditado pelo mercado" neste subsídio fiscal por dívida alavancada."(...)


REFERÊNCIAS:

Prof.Hudson, Michael (30 de Setembro de 2010). The Neoliberal Experiment and Europe's anti-Austerity Strikes
Página visitada em 20 de Janeiro de 2011


Prof. Hudson, Michael; Prof. Sommers, Jeffrey ( 18 de Janeiro de 2011 ).The Spectre Haunting Europe:Debt Defaults, Austerity, and Death of the " Social Europe "Model. Página visitada em 20 de Janeiro de 2011

11 fevereiro 2011

VAMOS VENDER OS AÇORES E A MADEIRA PARA PAGAR A DÍVIDA EXTERNA PORTUGUESA

JUROS DA DÍVIDA EXTERNA ESTIVERAM NOS 7,6% HOJE


SE NÃO FOSSE A INTERVENÇÃO SALVADORA DO BANCO CENTRAL EUROPEU A COMPRAR DÍVIDA PORTUGUESA, TERIAMOS HOJE O JURO Á 7,6% , MAS O MESMO FECHOU A 7,3% AO ANO -

MAS ASSIM MESMO, ESTÁ A CHEGAR O MOMENTO DO ESTOURO FINAL !!!!!!!

DESDE 1995 QUE TEM SIDO UM REGABOFE TOTAL DE DESVAIRIO, COM O DESPESIMO DE NOSSOS TÃO SUADOS IMPOSTOS, VAMOS VER ;

  • EXPO 1998 ( CUSTO APROXIMADO 6000 MIL MILHÕES DE EUROS )

  • PORTO 2001 ( SOMENTE A CASA DA MUSICA CUSTOU 100 MILHÕES DE EUROS )

  • EURO 2004 DE FUTEBOL ( 4000 MIL MILHÕES DE EUROS ) COM DEZ ESTÁDIOS DE FUTEBOL CONSTRUÍDOS, E SEIS DELES ESTÃO AS MOSCAS

  • CRIAÇÃO DE FUNDAÇÕES PÚBLICAS E EMPRESAS MUNICIPAIS, QUE ESTÃO FORA DO CONTROLO DO TRIBUNAL DE CONTAS

  • DOAÇÃO DE MILHÕES DE EUROS DE NOSSOS IMPOSTOS Á PAÍSES CORRUPTOS AFRICANOS

CHEGOU AGORA O MOMENTO DE PAGAR TODOS ESTES DESPESIMOS ,,,,,,,,,,,,,,

AGUENTEM PORTUGUESES !!!!!!!!!!!!!!!!

PAGUEM E NÃO MIEM,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

VENDAMOS O ALBERTO JOÃO JARDIM PARA PAGARMOS OS JUROS, DE CERTEZA QUE ELE NÃO NOS FARÁ FALTA, MAIS TODOS OS OUTROS QUE ESTÃO A MAMAR NAS TETAS INESGOTÁVEIS DE NOSSOS IMPOSTOS,

VENDAM OS AÇORES E A MADEIRA AOS BANCOS ESTRANGEIROS PARA FAZEREM OFFSHORES, E PAGAR A DÍVIDA EXTERNA DE PORTUGAL,

UM BOM NEGÓCIO PARA O XEU XÓCRATES E SUA ESCUMALHA MONTE DE ESTERCO DOS POLÍTICOS CÁ DO SÍTIO,

UM ABRAÇO A TODOS OS CONTRIBUINTES ESCRAVOS DOS POLÍTICOS

RAMIRO LOPES ANDRADE

06 fevereiro 2011

Deputados clarividentes ou não?

No dia 4, no Parlamento, «PS e PSD chumbaram um voto de solidariedade apresentado pelo BE» para com a luta pela democracia do Egipto, que contou ainda com a abstenção do CDS e quatro deputados socialistas.


Apenas o BE e o PCP votaram a favor em nome da liberdade e da democracia.

O caso não teria tanto significado se não tivesse surgido a notícia de que os chefes de Estado e de Governo da UE, reunidos no mesmo dia em Bruxelas, em que participaram governantes portugueses «condenaram veementemente» a violência que se tem verificado no Egipto, sublinhando que o processo de transição deve começar imediatamente. O Conselho considerou que «qualquer tentativa de restringir a livre circulação das informações é inaceitável, nomeadamente a agressão e as intimidações dirigidas a jornalistas».

Não é fácil descortinar os motivos que levaram os deputados a hesitarem e acabarem por votar de tal forma. Quais teriam sido os receios? Pelos vistos votaram em sentido contrário ao da União Europeia e do mundo ocidental. Ao mesmo tempo eram publicadas as notícias «Chefe da diplomacia europeia apela ao diálogo com oposição egípcia» e «EUA e Egipto discutem partida imediata de Hosni Mubarak».

Em nome de quem e de que estratégia estariam os deputados a decidir? Será que estavam convictos de que esse era o desejo dos eleitores que representam? Mas será que os deputados se interessam pelo interesse dos portugueses que os elegeram? Ou será que pensam apenas na minoria poderosa e não na generalidade dos 10 milhões de concidadãos?

Devemos pensar nestas atitudes dos nossos mandatários, antes da grande manifestação anunciada pelo «Facebook» para Março em Lisboa.

Imagem da Net

04 fevereiro 2011

A minha cruz

Olá Conceição,

isto está complicado, eu já tinha tentado noutros lados e pouco consegui, a mentalidade dos Portugueses é aquela descrita no artigo de Clara Ferreira Alves.

Houve um comentário muito bom de uma pessoa mas depois comentam outros artigos e este não lhes diz nada, se calhar é demasiado sério para eles!

Na minha procura por informação, encontrei este artigo de um jornalista, novamente Clara Ferreira Alves.

«[...] Nunca foi tão visível o empobrecimento intelectual do jornalismo e da política. O jornalismo tem de fazer as perguntas que ninguém faz e obter as respostas a que o
público tem direito
. Chegaram à profissão carregamentos de jovens sem preparação, mão de obra barata que exerce a profissão com a leviandade e a ignorância dos maus alunos. Existem colunistas e comentadores de cueiros, ligados a partidos e presumindo de independentes, existem estagiários a cobrir acontecimentos históricos, existem editores que não editam, existem prioridades invertidas. Existem trepadores sociais e velhos do Restelo. [...]»

Este fim de semana vi um artigo cujo titulo era "Estratégias de manipulação", e diz o seguinte entre outras coisas:

A estratégia da diversão
Elemento primordial do controle social, a estratégia da diversão consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mutações decididas pelas elites políticas e económicas, graças a um dilúvio contínuo de distracções e informações insignificantes. A estratégia da diversão é igualmente indispensável para impedir o público de se interessar pelos conhecimentos essenciais, nos domínios da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética.

Dirigir-se ao público como se fossem crianças
A maior parte das publicidades destinadas ao grande público utilizam um discurso, argumentos, personagens e um tom particularmente infantilizadores, muitas vezes
próximos do debilitante, como se o espectador fosse uma criança pequena ou um débil mental. “Se se dirige a uma pessoa como ela tivesse 12 anos de idade, então, devido à sugestibilidade, ela terá, com uma certa probabilidade, uma resposta ou uma reacção tão destituída de sentido crítico como aquela de uma pessoa de 12 anos“. (“Armas silenciosas para guerras tranquilas”, do mesmo autor).

Manter o público na ignorância e no disparate
Actuar de modo a que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para o seu controle e a sua escravidão. “A qualidade da educação dada às classes inferiores deve ser da espécie mais pobre, de tal modo que o fosso da ignorância que isola as classes inferiores das classes superiores seja e permaneça incompreensível pelas classes inferiores“.

Este país é pior do que uma republica das bananas e impera a lei da selva. As pessoas são tão "cegas" que não percebem que são usadas e que um dia isto pode-lhes também acontecer.


Obrigado, um abraço,

Arsénio Almeida

03 fevereiro 2011

Hoje apetece-me rir





Hoje apetece-me rir,


da merda deste País, da ditadura reciclável


que nos impõem descaradamente


das mãos nojentas que nos metem nos bolsos


dos colarinhos brancos sujos até às entranhas


dos Pinochets disfarçados de bons samaritanos


das taxas irreais que nos cobram absurdamente



Hoje apetece-me rir,


dos rendimentos milionários dos burocratas


das pensões vitalícias dos corruptos


dos falsos tridentes, das mãos gordas


que nos tratam como dejectos



À foda-se,


hoje apetece-me rir,


do discurso do Sócrates


ao som do Cavaquinho


que nos pedem sacrifícios


em prol de um País pobrezinho



Hoje apetece-me rir,


da minha grande estupidez,


porque onde caga um português cagam logo


dois ou três.





Conceição Bernardino

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas