27 maio 2011

Voto em branco tem significado político

Transcrição do blog O Povo, por ser oportuno e muito esclarecedor:

Abstenção: não
Público 2011-05-27 Luís Campos e Cunha, professor universitário

A abstenção não faz qualquer pressão para os partidos se abrirem e reformarem, nem incentiva novas alternativas de voto.

Não votar, abstendo-se, ou votar branco (ou nulo) são atitudes radicalmente diferentes. São idênticas do ponto de vista legal, mas politicamente muito diferentes. E estas eleições são as eleições mais importantes desde as eleições para a Assembleia Constituinte em 1975. Portanto, cuidado.

Em eleições, a abstenção tem pouco significado político. Tem aumentado como sabemos, donde se conclui uma vaga insatisfação com o sistema político-partidário que nos rege. Como tem um significado ambíguo, os partidos pouco se incomodam com o aumento da abstenção e apenas choram cínicas lágrimas de crocodilo. É tudo e é pouco.

De facto, mais uma pessoa a abster-se pode ser muita coisa: o sujeito morreu, mudou de residência, o eleitor está com uma amigdalite, está descrente na política, foi à praia, ou ainda os cadernos eleitorais estão desactualizados. Pode ainda ser um sujeito que não acredita na democracia ou, simplesmente, nesta democracia. Nunca saberemos.

Politicamente a abstenção não tem, de facto, muito significado, por muito elevada que seja. Além disso, para qualquer partido perder um voto para a abstenção é meia vitória: menos um que não vai votar no partido concorrente e menos um sujeito com quem se preocuparem. Ou seja, a abstenção não faz qualquer pressão para os partidos se abrirem e reformarem, nem incentiva a que apareçam novas alternativas de voto, ou seja, novos partidos. Por isso, abster-se é pouco inteligente.

A democracia e a liberdade assentam nos partidos. A democracia não se esgota nos partidos, mas estes são os pilares do sistema. E todos temos a sensação que algo vai muito mal nos partidos existentes (uns mais do que outros, naturalmente). Falta credibilidade à classe política e partidária e falta interesse por parte dos mais jovens em participarem politicamente nos partidos existentes. Portanto, a renovação da classe política não se faz, e quando se faz é muitas vezes para pior. O fenómeno não é exclusivo de Portugal, mas é particularmente agudo no nosso caso.

As instituições, como as universidades, os hospitais públicos ou os partidos políticos (e contrariamente às empresas em concorrência) não se auto-reformam. No caso dos partidos, é necessário que haja pressão da opinião pública de forma clara e, eventualmente, organizada para os partidos mudarem e para aparecerem mais alternativas. Como?

Como vimos a abstenção não coloca essa pressão nos partidos. Em certo sentido até reduz; é menos um cidadão a chatear. Mas o voto nulo/branco é bem diferente. Quem vota nulo não morreu, não foi à praia, não mudou de residência, não se borrifou , gosta da democracia e exerceu o seu direito e o seu dever de cidadania. Pelo contrário, não tendo morrido, não foi à praia para ir votar branco. Votando branco/nulo foi dizer, de forma muito clara, que gostaria de ter votado num partido, mas que nenhum satisfaz as suas exigências mínimas para lhe dar a confiança de governar. Por isso, votar branco/nulo é, politicamente, tanto ou mais significativo que votar num partido. É votar contra todos os que se apresentam a votos. É portanto muito diferente da abstenção, como fica claro.

Como cidadãos o nosso dever é, antes de mais, votar. Segundo, devemos procurar conscientemente votar num partido. Se, em terceiro lugar, nenhum partido satisfaz, devemos votar branco/nulo.

Os brancos e nulos têm vindo a aumentar, mas continuam a ser um pequeno resto a que não se dá importância. Mas imagine-se que os votos brancos e nulos passam a 10% dos votos expressos! Isto, legalmente, não teria impacto, mas politicamente seria uma pedrada no charco pantanoso em que o país se vem atolando. Nenhum partido ignoraria que 10% dos votantes estão desejosos de conseguir votar nalgum partido digno de os representar. Podem ser os partidos actuais, para o que se teriam de renovar, ou um hipotético novo partido, o que obrigaria os actuais a renovar-se. O resultado de 10% de votos brancos seria o mesmo: um valente susto na classe partidária instalada, num poder a que só os actuais têm acesso.

Para que não fique a ideia de que defendo o voto branco ou nulo em substituição de uma escolha partidária, faço notar que esta eleição é um verdadeiro referendo a Sócrates, que nos levou à bancarrota e à mendicidade internacional. Como Carlos Fiolhais defendeu, a democracia também serve para afastar os que não servem: e Sócrates não serviu nem vai servir. "Se a escolha em Portugal fosse, por hipótese, entre o actual primeiro-ministro e o Rato Mickey, eu não hesitaria em votar no boneco da Disney." Defendo o voto branco ou nulo como alternativa ética e política à abstenção.

Assim, ou votamos branco-nulo, ou votamos num dos partidos actuais: essa é a escolha. Abster-se é um erro grave e sinal de fraca inteligência. É a última esperança de um cidadão consciente. Mais tarde reivindicaremos que o voto branco tenha representação parlamentar com uma cadeira vazia. E nessa altura veremos a abstenção a baixar e muito. Também porque a partir daí os partidos actuais seriam diferentes e para melhor.
Professor universitário

Imagem do Google

25 maio 2011

José Socrates – meu herói !!!!!!!!!!!!!!!!

.

Meu Primeiro-Ministro José Sócrates, venho reapresentar uma sugestão que fiz em tempos à vossa excelência, mas agora com algumas alterações sugeridas por Barack Obama.

Li que a América se prepara para colocar compulsivamente, por decreto do Congresso Americano, um chip RFID em cada:




  • carro

  • camião

  • autocarro

  • motas

  • carrinhos de bebe

  • carro de rolamentos

  • carroça de burro

  • carros dos bombeiros

  • e/ ou qualquer outro veículo que tenha rodas, e ande em estradas

Nosso Barack Obama vai cobrar ao quilómetro de cada americano, desde que saem da garagem até ao trabalho, ou viajando de férias, ou a ir tomar uns copos.


Tudo controlado via satélites Gps, com a cobrança indo automaticamente as contas bancárias.


Um sonho de tecnologia, de fazer inveja a qualquer Scut e/ou Via Verde.


Para Portugal, minha sugestão é que faças quase igual, mas um pouco mais, com dupla tributação. Eu explico …………………


Coloque o tal chip RFID por GPS, para cobrar nas:





  • estradas Municipais e Nacionais


  • nas IP´s


  • nas IC´s

Mas a grande diferença é quando estas viaturas entrarem nas Auto Estradas, cobre também a Via Verde + Scut´s, assim terá uma receita a dobrar ( dupla tributação ).


Sugiro uma taxa rodoviária de 10 euros/ Km.


O Zé Povinho nem vai dar conta !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Lhes dê muito futebol, mais as missas em directo de Fátima, que a plebe vai adorar ………….


Se tiveres algum pequeno problema, manda o Papa Bento VI vir a Portugal umas três vezes seguidas, que a malta te perdoa fácil.


No entanto, para reforçar a cobrança de impostos, te recomendo que ponhas mais um Chip RFID no rabo de cada Homem / Mulher / Criança / e Maricas ( os maricas vão adorar !!!!!!!!!!! ).


Quando os portugueses andarem nas ruas, também pagarão pela utilização da via pública, sendo facturados ao quilómetro, quanto mais andar, mais o estado recebe.


Verás que vamos pagar nossa dívida externa em menos de dez ânus.


Devias cobrar um euro/ km, é só fazer contas, 10 milhões de contribuintes a andar 5 km por dia, 365 dias por ano, dá 1825 euros/ano/contribuinte.


Com as isenções para os boy´s, mais os amigos do peito da banca, devíamos arredondar a coisa para 2000 euros/ ano.



Em 10 ânus nossa Dívida Externa estava paga !!!!!!!!!!!!!!!!


Somente com esta " Taxa Andarilho " eram amealhados em 10 ânus uns 200 mil milhões de euros, tavamos safos Zé Socrates !!!!!!



Isto sem falarmos na tripla tributação ( chip via satélite das estradas municipais, nacionais, IP´s, IC´s + auto estradas + o chip no rabo dos portugueses ) era um must


Meu estimado José Sócrates, tu ( permita-me esta intimidade ) és o melhor primeiro-ministro que alguma vez já tivemos nestes 37 ânus de democracia !!!!!!


Tu meu querido, devias ficar a governar Portugal por mais 20 ânus, no mínimo !!!!


O Zé Povinho ia ser eternamente agradecido.


Mais ……………….….. devias:




  • construir mais 25 estádios de futebol pelo país afora


  • fazer outra expo com o Cardoso e Cunha, mas desta vez na ilha da Madeira


  • fazer um TGV para ligar todos os estádios de futebol


  • comprar mais 50 submarinos para podermos invadir Madri, e conquistarmos Espanha definitivamente


  • criar mais 200 fundações públicas para albergar vitaliciamente, todos os teus " BOY´S e FRIENDS " + os 50 motoristas que tens em exclusividade


  • construir mais 5 aeroportos, maiores que Barajas em Madrid

Meu querido, não sei mais o que escrever, tu és o maior !!!!!!!!!!!!!!!!


És o meu campeão !!!!!!!!!!!!!


Dava minha vida por ti, meu querido José Sócrates.


Desejo sinceramente que ganhes as eleições de 5 de Junho 2011, com maioria absoluta.


Nós Portugueses, merecemos ser governados por ti mais 20 ânus.



Saudações cordiais.


Do teu eterno admirador.



Ramiro Lopes Andrade



Observação: Nós portugueses temos aquilo que bem merecemos, por sermos carneiros ……” meeeeeeeee “…………. É bem feito o que vamos passar.


Há males que vem para bem, pode ser que agora aprendamos alguma coisa além de ver futebol, e ir as missas !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



22 maio 2011

De bradar aos céus! Golpada na Economia Portuguesa.

Estimados amigos e leitores deste espaço, como de outras vezes, publico na integra o e-mail enviado pelo nosso leitor e amigo Leão Pelado, para que se divulgue mais uma das muitas golpadas, que esta classe política desfere nas já paupérrimas finanças de Portugal, com a benção de todos os políticos no activo ( aqueles que têm capacidade de voto ) PS; PSD e CDS! Afinal as restrições e as leis laborais aplicam-se só para o povo!




                                  Mais uma golpada - Jorge Viegas Vasconcelos despediu-se da ERSE



É uma golpada com muita classe, e os golpeados somos nós....

Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve.

Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem maiores. Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregadora, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer benefícios.

Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês - ou seja, 2.400 contos - durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.


Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo:

«Mas  você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?».

E eu respondo:

«Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade  própria!».

E você volta a questionar-me: «Então, porque fica o homem a receber os tais 2.400contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».

Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já
respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos».

Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE forem mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.

Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.

Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, e abusivo desavergonhado abocanhar do erário público. Mas voltemos à nossa história.

O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 mil euros seriam mais de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia, sem incluir os subsídios de férias e Natal e ajudas de custo.

Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE? A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético.

E pergunta você, que não é burro: «Mas para fazer cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?». Parece que não.

A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço.

Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores. Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE?

Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento (...), aguentará tão pesada canga? E tão descarado gozo? Politicas à parte estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo manifestarmos a nossa total indignação.

Os partidos são actualmente associações de criminosos organizadas em oligarquias mafiosas.

Ou a recusa em votar nessa gente, ou sairmos para a rua o tempo que for preciso para desmantelar essa partidocracia que nos afoga, que nos amarra e que nos desgraça.

A constituição é a fonte da corrupção que impede a participação do povo na governação e lhe proíbe o controlo dos corruptos. Sem eles serem obrigados a controlo e a prestarem contas ao povo nada mudará. Não tenhamos ilusões, não vão matar a galinha dos ovos de ouro.

 

Voto em branco e
Todos para a rua contra a corrupção

(em Espanha já começaram e nem estão tão mal com os carneiros portugueses)

Manifesto

Revolução no Facebook

JÁ AGORA FAÇAM LÁ O FAVORZINHO DE REENVIAR PARA A V/ LISTA DE AMIGOS, COM A FOTO DO (...), PARA QUE FIQUE BEM CONHECIDO!
Votar neles é aprovar as suas acções e querer perpetuar o que se conhece. Daí, quem o fizer não pode ter direito a qualquer queixa ou reclamação.

17 maio 2011

Conversão da TV analógica para a Digital!

        Serve de alerta para todos, em especial para nós portugueses, que estamos a iniciar também o processo de conversão da televisão analógica para a digital!
        O programa de conversão de televisão analógica para satélite nos EUA está a levantar enorme polémica. Houve quem desmontasse a BOX e descobrisse um microfone e uma câmara de vídeo junto à frente translúcida preta de PVC da box. Depois dos computadores, dos telemóveis, câmaras de vídeo por todo o lado, agora o Big Brother dentro das nossas próprias casas. Escondido numa Box de TV digital, vem o controlo total da CIA, no seio das familias!

10 maio 2011

PORTUGAL – Anatomia de um país corrupto



.



Caros portugueses, a corrupção está em todos os níveis da sociedade.


São as obras públicas que ultrapassam os orçamentos 50 a 100%.


São as administrações de empresas públicas com gestão ruinosa, como:



· Empresas Municipais


· Fundações Públicas do estado


· Caminhos-de-ferro


· Aguas


· Saneamento


· Estradas



Os gastos absurdos das Forças Armadas, com mais Generais e Capitães do que a média de qualquer outro país da União Europeia.



São os grupos financeiros ( Bancos Privados ) que pagam de impostos anuais ( IRC ) no máximo entre 6 e 8%, enquanto qualquer cidadão paga em IRS 24%. As empresas privadas pagam 27% de IRC, no mínimo.



É a classe política desmoralizada, corrupta, incompetente, agarrada aos tachos públicos como “ lapas de pedra “ com reformas duplas e triplas acumuladas.



É uma afronta á qualquer cidadão honesto deste país, que sustenta esta corja com nossos impostos estorcivos.


É a Maçonaria entranhada em todos os níveis do Poder ( estado / empresas públicas / forças armadas ), corrompendo e destruindo Portugal.



É a iletracia de um povo, que apenas se mobiliza pela porcaria do futebol, ou por ir à Fátima, ou por cantar o fado, ou a ver novelas imbecis que passam na televisão.



Esta iletracia é incentivada pelas elites portuguesa e maçonaria.



“ UM POVO IGNORANTE É MAIS FACILMENTE MANIPULADO “



Espero, sinceramente, que os estados europeus, chumbem o empréstimo de 78 mil milhões de euros, para salvar a banca e o corrupto estado português.



Talvez quando o Titanic ( Portugal ) estiver a ir ao fundo, tenhamos a sorte de todas as ratazanas se afoguem de vez, e talvez …… talvez os poucos sobreviventes do naufrágio, aprendam de uma vez por todas, que os “ ladrões “ e “ saloios “ de Portugal foram os responsáveis que levaram o país à ruína.



Aos jovens entre 25 e 35 anos, que emigrem com muita urgência, e não olhem para trás.



Deixem o país entregue aos bichos e “ bichas “.



Verão que qualquer outro país europeu os irá receber bem, e os tratar com respeito e consideração, do que Portugal os trata neste momento.



Portugal é um país corrupto e sem esperança !!!!


Nas próximas eleições, abstenção em massa, mostrem o seu desagrado e desprezo por esta classe de ratazanas politicas.



Um abraço a todos.



Ramiro Lopes Andrade


Portugal afunda-se com a cumplicidade de PS; PSD e CDS

 Caríssimos é triste assistir à degradação da nossa economia, mais triste aínda verificar, que devido à cegueira dos políticos que nos governam e nos têm governado, o país está a ser conduzido para um pantanal do qual dificilmente sairá! Lamento mais aínda, que pessoas com formação académica em economia, sinceramente, não sei o que andaram a aprender nas Universidades, compactuam com claros améns às linhas traçadas pelos supostos, salvadores de Portugal, a famigerada Troika.
              A política preconizada e a receita, vem directamente dos compêndios da teoria neoliberal ( passe a expressão), ou seja da política económica de influência da Escola de Chicago preconizada por George Stigler e Milton Friedman, defensores de uma economia não intervencionada pelo Estado, abominam qualquer regulamentação da economia em favor do "laissez-faire". Já os Romanos, mandavam estudar os filhos oriundos das classes dominantes dos povos conquistados, estudarem em Roma, para que ficassem Romanizados e aceitassem de bom grado a colonização e o domínio dos Romanos. Com os nossos "politiqueiros" acontece o mesmo, estão americanizados e vesgos, com capacidade para só verem para um lado, de uma constrangedora incapacidade para irem mais além, que o objectivo do seu próprio umbigo!
             Através da manipulação da opinião publica, divulgada nos media, e por comentadores de circunstância e tendenciosos, este memorando, que nos dita e impõem as regras e medidas que devemos implementar e seguir, não é mais que o seguimento dos objectivos da classe capitalista que controla os grupos económicos e financeiros. Este programa levar-nos-á a uma situação muito pior do que a que nos encontramos, num estudo publicado pelo próprio FMI em Outubro de 2010, podemos ler o seguinte:

"Em dois anos, uma consolidação fiscal equivalente a 1% do PIB tende a reduzir o PIB em aproximadamente 0,5%, aumenta o desemprego em 0,3%, e reduz a procura interna (consumo e investimento) em aproximadamente 1%".

 E se for feita em situação adversa, como acontece em Portugal, a quebra no PIB será de 1% por cada 1% de redução no défice. E em Portugal pretende-se reduzir o défice orçamental, em 6 pontos percentuais (de 9,1% para 3% do PIB). Se o modelo do FMI estiver certo a quebra no PIB atingirá 6% (e não os 4% previstos pelo FMI, e o desemprego subirá 3 pontos percentuais passando, entre 2010 e 2013, o desemprego oficial de 11,1% para 13,6% (750 mil) e o efectivo atingirá, em 2013, 16,3%, ou seja, 900 mil. Portanto, todos estes sacrifícios terão sido inúteis.
           Estas medidas, não são mais que, a forma como Portugal, irá afundar e retroceder décadas, a economia estrangulada, originará um aumento da pobreza, a penalização dos cidadãos de menores recursos, e a definitiva hipoteca da nossa soberania, a interesses privados e políticos.
            Resta-me, deixar aqui bem explícito que a troika nacional, composta pelo Partido Socialista; Partido Social Democrata e Centro Democrático Social, representados por Sócrates, Passos Coelho e Paulo Portas é a responsável, pela actual situação de Portugal e pela  que virá de miséria e pobreza por tempo aínda indeterminado. Portugal está na miséria!




08 maio 2011

Facetas do poliedro nacional


A vida nacional está confusa, constituindo um poliedro irregular com múltiplas faces todas diferentes, eivadas de interesses próprios de cada facção, embora entre elas haja pontos comuns.

Vale a pena ver as seguintes notícias que referem afirmações de pessoas notáveis na vida nacional, por pensarem e saberem emitir as suas opiniões, sobre as diversas situações nacionais:

BE e PSD excluem coligação com PS de Sócrates:
- Garcia Pereira: Plano da "troika" é "declaração de guerra"

No entanto, apesar destas opiniões de pessoas que pensam, surgem, ocasionalmente, os anónimos ao serviço de alguém como o caso dos Comentários de anónimo Leandro-Bernardo. Vale a pena ler até ao último comentário deste «senhor» para ver até onde chega o amor ao «querido líder».

Como estamos em vésperas de eleições, há que estar com atenção aos pequenos sinais e reflectir sobre o contributo lógico, racional e patriótico, a dar no acto de votar.

Imagem do JN

04 maio 2011

Canções (só)ciais à moda da casa II – Ò Zé aperta o cinto


(Poema inspirado na canção do Maria Clara “Ò Zé aperta o laço”)

O Zé andava esfarrapado

Remendado, quase nu
Quanto mais atassalhado

Mais se lhe via o cu.

Viu a troika a chegar
Com tesouras afiadas
E o povo a gritar
lá vem as alfinetadas.

Ó Zé aperta o cinto

Ó Zé aperta-o bem
Ó Zé aperta o cinto
Ó Zé aperta-o bem.

Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem
Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem.

Com um cinto tão apertado
e os gases retidos na fonte
deu-lhe um ataque modelado

E Pec’s moles ao monte.

Combinou-se o orçamento
era duro, austero e medonho
E até nesse detrimento

Ele ouviu cantar em povo.

Ó Zé aperta o cinto
Ó Zé aperta-o bem
Ó Zé aperta o cinto

Ó Zé aperta-o bem.

Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem
Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem.

Não existe dois sem três,
Os buracos que o Zé fez
Guarda o cinto, esfomeado
que comprou a um chinês.

Mas o pobre do Josézito

Sempre foi trabalhador

A câmara fez-lhe um manguito

E despediu o varredor.

Ó Zé aperta o cinto

Ó Zé aperta-o bem
Ó Zé aperta o cinto
Ó Zé aperta-o bem.

Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem
Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem.

Conceição Bernardino

03 maio 2011

Crónica de um país na bancarrota - Portugal

.



Quando comecei este blogue ( Setembro 2007 ), pregava aos quatro ventos, que Portugal tinha uma dívida externa bruta de 350 mil milhões de euros, e que esta via de endividamento era impossível de se manter indefinidamente.


Muitos comentaram que eu era um alarmista, que estava mal informado, e que não sabia nada de nada.


Parece que afinal “ A REALIDADE NOS ALCANÇOU FINALMENTE “.


Desde o 25 de Abril de 1974, Portugal financiou e “ doou” milhões de euros á países corruptos africanos, em negócios ruinosos para Portugal.


Enterraram-se milhões de euros em Timor, e ainda continuamos a faze-lo…………….


Mandamos tropas para o Afeganistão, a mamarem em nossos impostos.


Para quê ?????


Temos uma equipa de intervenção da GNR em Timor, que nos custa milhões de euros anualmente.


Para quê ?????


Temos soldados na Bósnia, mais uns milhões de euros !!!!!!


Para quê ?????


A sim ……….. para defender a democracia, já ia esquecendo !!!!!!!!!!!!!


Não me façam rir !!!!!!!!!!!!!!


Isto sem falar de Portugal, que dava para escrever um livro com a quantidade de casos corrupção tipo:



· Sucateiros com varas e socretinas


· Lixos da Cova da Beira


· Bragaparques


· 37 milhões de euros em comissões dos dois submarinos


· 500 milhões de euros nos 40 aviões de guerra F-16


· No caso Freeport


· Na renegociação da exploração das pontes ( Vasco da Gama e 25 de Abril ) com prejuízo do estado, e roubo descarado a favor da Luso Ponte, com o beneplácito de Ferreira do Amaral ex-ministro, e agora administrador da Lusoponte ( coincidência …… )


· Nos 400 milhões de euros dos blindados Pandur para o exército


· Nos 5 aviões de patrulha P-3 Orion, mais 500 milhões de euros


· Nas reformas opcenas dos políticos ( Mira Amaral 18000 euros por mês, Cavaco Silva 140000 euros anuais, Ramalho Eanes, Jorge Sampaio, Mário Soares, etc, etc, etc ………..……)


· Nas empresas PPP ( Parcerias Publicas Privadas ), em que os prejuízos pagam os desgraçados dos contribuintes portugueses, e os lucros ficam para as empresas privadas


· Na Fundação da cidade de Guimarães, onde se gastará 8 milhões de euros em salários de três administradores em três anos, para organizarem a cidade da cultura europeia de 2012


· No descalabro das autarquias, onde se compram fotocopiadoras por cem mil euros


· Etc, etc, etc, etc, etc ………………………………………………….



Poderia aqui escrever um livro, com centenas de páginas, sobre o que de mal se faz com o dinheiro dos Contribuintes Portugueses.


Mas com estes poucos exemplos, são mais do que suficientes para demonstrar o quão doente está nossa Sociedade Portuguesa.



Os valores morais dos que deveriam dar o exemplo ( governantes e políticos ) são medíocres, o que transmitem a sociedade pelo exemplo, é o mais preocupante ……………………


Transmitem aos jovens, que não vale a pena se esforçar, trabalhar arduamente com honestidade, pois não compensa o esforço.


Estamos pagar bem caro esta opção ………………….



Temos elites que se julgam superiores a tudo e a todos, se esquecem que fazem parte do conjunto.


Esta dita elite, que não passa de merceeiros rascas, só existem enquanto houver uma sociedade adormecida.


Quando houver revoltas a sério, serão estas ditas elites a sofrer na carne !!!!



Quanto a tudo isto, eu não posso mudar Portugal, mas posso tomar uma atitude individual, não votar nas eleições de 5 de Junho 2011.



Os políticos portugueses são incapazes, vendidos e submissos com o sistema económico vigente.


Temos a Maçonaria entranhada em todos os sectores da sociedade.


Esta entidade secreta trabalha arduamente para nos subjugar, com uma agenda muito própria, com apoio incondicional dos Bilderbergs.



Temos a “ Opus Dei “, e todas as outras entidades religiosas Cristãs e Evangélicas, que fazem sistematicamente lavagem cerebral as pessoas, que se deixam levar pelos seus “ medos espirituais interiores “.


Usam o medo do fim da existência ( a morte ), para dominar e incutir temor e submissão, a quase totalidade da humanidade, para poder impedir as pessoas de pensar por si mesmas, e evoluírem.



O sistema em Portugal está podre, e irá cair, mais cedo ou mais tarde, e iremos viver a Ditadura da Democracia em que nos dizem que vivemos em democracia, mas qualquer um que discorde, será taxado de “ terrorista “, e será pura e simplesmente excluído da sociedade.



O futuro que se avizinha em Portugal é tenebroso, quando falo com as pessoas ao meu redor, espanta-me a ignorância da maioria delas.


Ignoram para onde caminham, parecem ovelhas em que basta terem cães pastores para guia-las. Não pensam, não avaliam, não filtram as informações que lhes chegam. Vejo esta atitude inclusive em pessoas instruídas.



Mas será que sou eu o errado ??????


Mas será que sou eu o pessimista ?????



Uma vez, no filme Matrix, vi uma cena em que um actor diz “ A ignorância é felicidade !!!!! “.



Em Portugal, deve ser esta a verdade das coisas …………….



Pondero seriamente não ver mais os noticiários dos canais de informação oficiais ( RTP / TVI / SIC ).


Vou aguardar os acontecimentos até ao dia 6 de Junho 2011.


Estou tão farto dos políticos portugueses ……………………


E vocês ?? O que acham de Portugal ?????



Um abraço a todos.



Ramiro Lopes Andrade


Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas