02 março 2012

Dois grandes inimigos da sociedade

A evolução da humanidade, nem sempre foi imune a perigos de má utilização de evoluções que, se bem aproveitadas, com critério ético e precavido, seriam fonte de comodidade e bom viver.

Há, hoje, consciência de que o dinheiro e o petróleo constituem a causa de grandes males que tornam as pessoas infelizes sob diversos aspectos.

O dinheiro foi criado para facilitar as trocas de produtos e a remuneração de serviços prestados. Isso era de grande utilidade. Mas a má formação das pessoas veio transformá-lo em ferramenta da ambição, ostentação, competição, especulação, inveja, corrupção tráfico de influência, marketing agressivo incitando ao consumismo, perda da noção do essencial e das futilidades, etc, etc

O petróleo, aliado à ambição e outros vícios referidos em relação ao dinheiro, veio desenvolver a industrialização, primeiro como coisa útil, mas depois como competição e ambição de riqueza, etc. Diariamente são consumidos milhões de toneladas deste hidrocarboneto, na forma dos seus múltiplos derivados, praticamente todo transformado em monóxido de carbono, poluindo o ar, a terra e o mar, com destruição do ambiente e da vida que nele se processa. Doenças variadas e a mudança do clima devem-se em grande parte ao consumo dos derivados do petróleo. E a ele se devem muitas guerras que têm destruído vidas humanas, património arqueológico e de utilidade corrente e espécies naturais.

Não é fácil prescindir do dinheiro e da mola que faz girar a roda da indústria em geral, mas deve começar a meditar-se na melhor forma de utilizar as ferramentas de que dispomos, sem lesar a Natureza e a vida humana, nos aspectos de vida física e de comportamentos éticos.

Neste mês dedicado à Natureza, com o equinócio da Primavera a marcar o momento do rejuvenescimento da vida animal e vegetal no Planeta, será bom meditar sobre este tema.

Imagem de arquivo

6 comentários:

Diogo disse...

O único problema é que são dois monopólios privados: O Dinheiro e o Petróleo.

Quanto ao dinheiro, bastava que houvesse entidades não privadas que colocassem à disposição das economias a quantidade necessária de dinheiro para que estas disparassem.

Quanto ao petróleo, que não é de origem fóssil e cujo principal resultado não é um gás poluente – o dióxido de carbono não polui, é essencial à vida e não contribui para o aquecimento global.

A. João Soares disse...

Caro Diogo,

Agradeço as suas palavras e, principalmente o facto de ter notado o lapso, pois realmente queria referir-me ao monóxido de carbono e não ao dióxido. Mas, afinal, quando ia corrigir, verifiquei que não houve lapso. O lapso foi seu por ter lido algo que não está lá !!!

E quanto ao dinheiro, gostei de ver no seu blogue os subsídios que estão a ser preparados ou simplesmente prometidos pelo ministro Álvaro!!!

Abraço
João

Belisa disse...

Olá

Elementos essenciais para serem bem utilizados...

Beijinhos e estrelas doces...

A. João Soares disse...

Amiga Belisa,

Realmente, o dinheiro e o petróleo são hoje elementos indispensáveis. Por isso merecem mais atenção por parte de todos os utilizadores, para serem usados com sobriedade, parcimónia, para não serem desperdiçados. As crianças na escola, logo de tenra idade deviam saber respeitar o dinheiro, aprendendo a usá-lo de forma comedida, estabelecendo prioridades, por forma a não criarem problemas.
Como qualquer ferramenta quando utilizado com sensatez e regras, pode originar prazer e felicidade, mas se não for bem gasto pode trazer a ruína, e, por vezes o suicídio.
Sabendo usar o dinheiro é ele que nos serve e ficamos com liberdade de viver. Mas se deixamos que ele nos escravize, perdemos a liberdade e seremos seus escravos.
Sugiro que veja os posts

Dinheiro não é o essencial
Dinheiro não dá felicidade
Mark Boyle: Há um ano sem dinheiro

Realmente, hoje não é fácil, em poucos dias aprendermos a viver sem dinheiro ou sem os produtos derivados do petróleo, como sem o telemóvel ou sem os computadores.
Mas há que começar a ensinar às pessoas a deixarem de ser tão escravas de ferramentas que apenas devem ser úteis para nos servir. O objectivo da vida não deve ser o dinheiro mas a nossa felicidade que será tanto maior quanto mais simples for a nossa vida.
Em vez de se endeusar o dinheiro deve procurar-se ter
Simplicidade na vida

Beijos
João

Luís Coelho disse...

A sociedade foi crescendo e criando as suas próprias dependências.
O dinheiro cega as pessoas ávidas de poder e de posição social.
O petróleo cria dinheiro apenas para esses amantes do poder e entre eles vão repartindo o bolo.

...mas o dinheiro não compra a saúde, a felicidade, o sono, o sorriso nem o tempo...

A. João Soares disse...

Caro Luís Coelho,

O dinheiro constitui uma droga que alimenta o consumismo e o marketing, por sua vez, incitadores à ostentação e aos símbolos de riqueza, mesmo que à custa de endividamentos (vá de férias e pague depois) que acabam em roturas, de crédito malparado.
As crianças deviam ser educadas desde pequenas para saber usar o dinheiro de forma correcta e controlada.
Por seu lado o petróleo além de ser uma fontes de especulação e enriquecimento de grandes magnatas, polui seriamente a Natureza e com alterações de clima, ameaça destruir o Planeta. Muito do consumismo deve-se ao poder da industrialização apoiada nos derivados do petróleo.

Parece que o título do post não tem contestação séria. Não exclui que haja outros grandes inimigos da humanidade.

Abraço
João

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas