31 dezembro 2010

Receita de Ano Novo


Estimados amigos e visitantes de A Voz do Povo, a todos desejo UM FELIZ ANO 2011


Dedico a todos vós, este poema de Carlos Drummond de Andrade, a mensagem que nos transmite é sem dúvida uma lição de onde podemos extrair a ilação da sabedoria que norteia e emana deste grande poeta.

FELIZ ANO NOVO

 
RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo

cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,

Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido

(mal vivido ou talvez sem sentido)

para você ganhar um ano

não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,

mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,

novo

até no coração das coisas menos percebidas

(a começar pelo seu interior)

novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,

mas com ele se come, se passeia,

se ama, se compreende, se trabalha,

você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,

não precisa expedir nem receber mensagens

(planta recebe mensagens?

passa telegramas?).

Não precisa fazer lista de boas intenções

para arquivá-las na gaveta.

Não precisa chorar de arrependido

pelas besteiras consumadas

nem parvamente acreditar

que por decreto da esperança

a partir de janeiro as coisas mudem

e seja tudo claridade, recompensa,

justiça entre os homens e as nações,

liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,

direitos respeitados, começando

pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo

que mereça este nome,

você, meu caro, tem de merecê-lo,

tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,

mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo

cochila e espera desde sempre.
Texto extraído do "Jornal do Brasil", Dezembro/1997.

28 dezembro 2010

PORTUGAL IRÁ SAIR DA ZONA EURO ATÉ AO FINAL DO MES DE FEVEREIRO 2011

.
Bom dia a todos.

Após analise cuidada de todas as informações que tenho obtido de diversas fontes, para mim torna-se óbvio que a Portugal não resta outra solução, istó é, sair do euro.

Portugal tem uma dívida externa bruta de 450 mil milhões de euros, e uma dívida líquida de 154 mil milhões de euros.

Os depósitos em euros nos bancos Portugueses ascendem á mais de 200 mil milhões de euros.´

É uma tentação para este governo sair do euro !!!!!!!!!!!!!!!!

Vou traçar o seguinte cenário;

  • suponhamos que em janeiro de 2011 o governo de Portugal não consegue mais finaciamento na banca internacional para as dívidas que vão vencer já em janeiro e fevereiro de 2011.
  • suponhamos que o BCE já não vai financiar mais os governos incumpridores da zona euro ( portugal / grecia / etc ........... )
  • QUAL A ALTERNATIVA VIAVEL QUE VAI RESTAR A PORTUGAL ????

Em minha opinião, só restará o sequestro de todos os depósitos em euros nas contas bancárias, sua recolha ao Banco de Portugal, arranjando assim, da noite para o dia 200 mil milhões de euros compulsivamente de todos os contribuintes portugueses, e imprimindo ESCUDOS NOVOS.

Com estes 200 mil milhões de euros, o governo liquidaria a dívida imediata, e continuariam os mesmos de sempre com os AEROPORTOS / TGV / PONTES /E MAMAS DE SEMPRE.

É claro que com esta medida extrema, o valor desta nova moeda será zero para se comprar euros, e os maiores prejudicados serão os contribuintes, que nada poderão fazer a não ser se calarem e amuarem.

Alternativas para não serem pegos com as calças nas mãos, bem, existem muitas, por exemplo comprarem ouro em barras de 100 g e as guardarem em local seguro que não os bancos.

Colocarem o dinheiro fora de Portugal, ou fazer da velha forma ( colocar debaixo do colchão ).

Como a recessão em Portugal será brutal em 2011 e anos seguintes, não restará outra alternativa que não a emigração em massa dos jovens deste país, o que agravará em muito a situação catastrófica em que já estamos.

Mas há males que vem para bem .............. pode ser que haja alguma revolta a sério, cortar cabeças de vez em quando faz bem aos países !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fica aqui a minha previsão para 2011, corram para os bancos o mais rápidamente possivel.

Um bom ano novo 2011, se puderem.

RAMIRO LOPES ANDRADE

26 dezembro 2010

Vídeo | Momentos...

Vale a pena perder 2 minutinhos a ver estes filme... vai ver que não se arrependerá. Uma Excelente época festiva, para todos vós, e um 2011, cheio de saúde.

Carlos Rocha
@Beezz

25 dezembro 2010

TAMBEM EU QUERO GANHAR 140% DE LUCRO NO BPN - CAVACO SILVA

.

CARO ANIBAL CAVACO SILVA

CADA VEZ MAIS, ME TORNO NUM GRANDE ADMIRADOR DE TI.

É QUE ENTÃO COMPRASTE AÇÕES DO BPN A 1 EURO A UNIDADE, E PASSADOS UNS MESES O ENTÃO PRESIDENTE DO BPN ( OLIVEIRA E COSTA - O TAL QUE É ACUSADO DE ROUBAR 5100 MIL MILHÕES DE EUROS ) TE COMPROU AS MESMAS AÇÕES Á 2,4 EUROS A UNIDADE.

GRANDE NEGÓCIO ANIBAL, É SOU UM LUCRO DE 140%.

QUANDO EU FOR GRANDE, QUERO SER COMO O CAVAQUINHO SILVA, UM GRANDE CHICO ESPERTO PORTUGUES.

QUANTOS MILHARES DE EUROS GANHASTE ???? 200.000 EUROS??? 300.000 EUROS ???

TUDO PERFEITAMENTE DENTRO DA LEGALIDADE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

SABE O QUE ISTO SE CHAMA CAVACO ??? FALTA DE ESCRUPULOS !!!!!!!!

FALTA DE HONESTIDADE !!!!!!!!!

TU, NEM NASCENDO CINQUENTA VEZES, SERÁS ALGUM DIA UM SER HONESTO, PONTO FINAL.

MAS FIQUE TRANQUILO, O ZÉ POVINHO TE VAI ELEGER OUTRA VEZ.

ELES, A PLEBE, É IGNORANTE.

PASSE O NATAL COM TEUS AMIGOS DO PEITO ;

- O DIAS LOUREIRO QUE DEVE ESTAR A SE RIR DE TODOS OS PORTUGUESES EM SÃO TOMÉ E PRINCEPE

- O OLIVEIRA E COSTA DO BPN UM GRANDE AMIGO TEU

- O CARDOSO E CUNHA, AQUELE DA EXPO 98 QUE MAMOU FORTE E FEIO NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO, BELA CASA QUE ELE TEM

- O FERNANDO NOGUEIRA OUTRO COM UMA BELA CASA

- A CELESTE CARDONA , AQUELA DOS 17000 EUROS POR MES NA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS

- O MIRA AMARAL , AQUELE QUE TEM UMA REFORMA DE 18000 EUROS POR MES, POR TER TRABALHADO NA CGD COMO ADMINISTRADOR POR 18 MESES

- E MUITOS OUTROS MAIS...................

PORQUE NÃO DÁS UMA DE TUAS TRES CHORUDAS REFORMAS PARA OS POBREZINHOS CAVAQUINHO ??????????????

LHE DESEJO QUE PASSES UM PÉSSIMO NATAL, E VEJA LÁ SE PEGAS UM CANCRO NO RABO, PARA IR MORRER COM MUITO SOFRIMENTO, É O MEU MAIOR E MAIS SINCERO DESEJO NESTE NATAL DE 2010.


MORRA E VÁ PARA OS QUINTOS DOS INFERNOS, TU E TODOS OS POLITICOS DE PORTUGAL, UM BANDO DE OPORTUNISTAS E SANGUESSUGAS DE TODOS OS PORTUGUESES.

AOS RESTANTES PORTUGUESES CONTRIBUINTES, UM FELIZ NATAL E PRÓSPERO 2011, SE PUDEREM.

RAMIRO LOPES ANDRADE

23 dezembro 2010

Passado significa mais do que promessas


Em confronto com Fernando Nobre, o candidato Manuel Alegre, não gostou que fosse referido o passado, porque segundo ele, o que interessa são as promessas para o futuro. Mas «palavras leva-as o vento» e as promessas não são mais do que palavras, principalmente se o passado do seu autor não lhes der credibilidade.


O candidato, na sua cultura poética, certamente, não ignora o ditado popular «cesteiro que faz um cesto faz um cento». Assim, na decisão do voto, há que fazer a avaliação dos candidatos e essa, como qualquer avaliação, recai sempre sobre o passado.

Mas, dadas as referências que circulam por e-mails, Alegre deve estar, realmente, interessado em que não seja recordado o seu passado. Pois… cesteiro que faz um cesto…

Imagem do Google

20 dezembro 2010

Chuvas intensas e urbanismo


Depois dos estragos provocados no Funchal pelas chuvas e enxurradas de Fevereiro último, os funchalenses apanharam novo susto, felizmente menos grave porque Chuvas intensas de madrugada provocaram inundações na baixa da cidade. Convém que se passe a olhar para perigos deste género que estão a repetir-se em vários locais. A urbanização deve contar com os leitos de cheia, sempre que se trate de encosta propícia à formação de enxurradas. À água deve ser dado o direito de passar sem nada que a impeça ou demore, pois se assim não for, ela causará estragos.

Por altura das enxurradas de Fevereiro foram aqui publicados os seguintes posts, que se aplicam a todas as localidades, conforme as respectivas circunstâncias:


Imagem do PÚBLICO

Transportes também vão subir de preço





É mais um sinal que deve suscitar as maiores preocupações da parte de cerca de 90% da população e levá-la a meditar sobre a situação em que foi colocado o País.

Neste dito «Estado social», a «austeridade», consequência de má gestão pública durante anos, constitui um roubo multifacetado ao bolso vazio dos pobres, que se vêm lesados ou mesmo privados de benefícios sociais, de salários e, por outro lado, vêm as suas despesas acrescidas para serem mantidos os lucros de empresas de serviços públicos, desde bancos a transportes, e as benesses dos seus administradores, consultores, accionistas, etc. Isto não dá boa imagem a tal estilo de «Estado social» de que os governantes se gabam e em que o fosso entre os mais ricos e os mais pobres, em vez de ser reduzido, se torna maia largo e mais profundo. 

Mas os defensores do sistema não convém se esquecerem de que, quando a justificada ira do povo atingir um grau insustentável, não há muralhas nem fossos que o impeçam de conquistar a fortaleza e aniquilar o inimigo público. Pelo caminho que as decisões superiores estão a tomar, esse momento está cada vez mais próximo. Tenham cuidado. Pensem antes de decidir. Pensem mais nas pessoas do que nos euros dos ricaços.  Libertem-se um pouco das grandes pressões dos detentores do poder do dinheiro que os dominam puxando os cordelinhos, e pensem nos 90% de cidadãos, eleitores, clientes, consumidores e nas condições em que está a viver a maioria da população que tão desprezada e sacrificada tem sido. 



Não esqueçam que o voto de cada pobre vale tanto como o de cada rico.

Imagem da Net

15 dezembro 2010

Lançamento do Livro "Ave Sem Asas", da Poetisa Ana Martins

          No passado Sábado dia 11 de Dezembro, tivemos mais um lançamento de um livro, desta feita é o primeiro da minha cunhada Ana Martins do blogue " Ave Sem Asas ", cujo título é o mesmo que o do blogue, esperemos que outros livros se lhe sigam, pois a Ana é de facto uma excelente poetisa.
          O evento foi um sucesso, pelo que também gostaria de aqui deixar o registo de parabéns para o meu cunhado Mário, que sem dúvida muito contribuiu para que a Ana realizasse este sonho de publicar a sua poesia em livro. Sabemos que a força e o apoio, dos amigos e familiares é e foi muito importante, perafraseando a poetisa  e escritora Mª José Areal, "muitas vezes falta-nos a coragem, para dar o primeiro passo", neste caso o Mário tudo fez para materializar este sonho, que deixou de o ser. Parabéns também para o marido extremoso e dedicado pela excelente organização do evento.
         O lançamento do livro “Ave Sem Asas”, teve lugar na Biblioteca Municipal de Fafe,  e contou com a presença do Dr. Artur Coimbra, Presidente do Núcleo de Artes e Letras de Fafe, também poeta e escritor, do Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Fafe, José Mário Silva, e da Drª Mª José Areal, também poetisa e escritora. Foram feitas algumas declamações de poemas, pelo André Martins, Fátima Simões, Sandra Sobral, Victor Simões e Fernanda (Ná). Nos presentes encontramos também alguns bloggers amigos, Canduxa, Lisa, Álvaro e Lili Laranjo para além dos já antes referidos. Para ilustar este post, deixo-vos um clip com as fotos do também amigo e blogger José Ferreira e Victor Simões.

12 dezembro 2010

ANIBAL CAVACO SILVA, CALA A TUA BOCA SEU HIPÓCRITA

.
DEVIAS TE CALAR SEU HIPÓCRITA !!!!!!!!!!!!!!!!!!

É QUE ENTÃO TENS VERGONHA DE EXISTIREM PORTUGUESES POBRES ????

POR QUE NÃO DÁS UMA DE TUAS TRES CHORUDAS REFORMAS PARA OS POBREZINHOS ?????

HIPÓCRITA !!!!!!!!!!!!!!!!!

QUANDO ERAS PRIMEIRO MINISTRO, ESTOURASTE MILHÕES E MILHÕES DE CONTOS DOS FUNDOS EUROPEUS, PARA FECHAR FÁBRICAS, PARA ABATER NAVIOS DE PESCA, PARA DESTRUIR O TECIDO INDUSTRIAL DE PORTUGAL, PARA DARES CURSOS DE FORMAÇÃO QUE CUSTAVAM 61000 CONTOS POR FORMANDO ( JÁ TE ESQUECESTE ?? EU NÃO !!!! ).

QUALQUER DIA, NÃO MUITO DISTANTE, QUANDO ALGUM PORTUGUES QUISER LIMPAR O RABO COM PAPEL HIGIÊNICO, DEVERÃO FAZER COM PAPEL CHINES, POIS NEM ISSO FAREMOS EM PORTUGAL ...............

CALA-TE SEU HIPÓCRITA INCOMPETENTE !!!!
CALA-TE PARA NÃO OFENDER A NÓS PORTUGUESES, CONTRIBUINTES ESCRAVOS DESTA ESCÓRIA QUE SÃO TODOS OS POLITICOS PORTUGUESES.

CALA-TE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

EU SINTO VERGONHA DE SER PORTUGUES, EM UM PAÍS A SÉRIO, ESTES " SENHORES " JÁ TERIAM SIDO CORRIDOS A PONTAPÉS E TIROS, MAS COMO PORTUGAL É UM PAÍS DO FAZ DE CONTA, COM MUITO:

  • FUTEBOL
  • FADO
  • FÁTIMA
  • NOVELAS DO TIPO ( MORANGOS COM MERDA )

ACORDEM PORTUGUESES, ACORDEM ENQUANTO É TEMPO !!!!!!!!!!!!

UM ABRAÇO A TODOS AQUI DA ARGÉLIA.

RAMIRO LOPES ANDRADE

11 dezembro 2010

Vergonha ou Obscenidade?

Chama-se "Agora é que conta", passa na TVI" e é apresentado por Fátima Lopes. O programa começa com dezenas de pessoas a agitar uns papéis. Os papéis são contas por pagar. Reparações em casa, prestações do carro, contas da electricidade ou de telefone. A maioria dos concorrentes parece  ter, por o que diz, muito pouca folga financeira.

E a simpática Fátima, sempre pronta a ajudar em troca de umas figuras mais ou menos patéticas para o País poder acompanhar, presta-se a pagar duzentos ou trezentos euros de dívida. "Nos tempos que correm", como diz a apresentadora - e "os tempos que correm" quer sempre dizer crise -, a coisa sabe bem. No entretenimento televisivo, o grotesco é quase sempre transvestido de boas intenções.

Os concorrentes prestam-se a dar comida à boca a familiares enquanto a cadeira onde estão sentados agita, rebolam no chão dentro de espumas enormes ou tentam apanhar bolas de ping-pong no ar. Apesar da indigência absoluta do programa, nada disto é novo. O que é realmente novo são as contas por pagar transformadas num concurso "divertido".

Ao ver aquela triste imagem e a forma como as televisões conseguem transformar a tristeza em entretenimento, não consigo deixar de sentir que esta é a "beleza" do Capitalismo:
Tudo se vende, até as pequenas desgraças quotidianas de quem não consegue comprar o que se vende.

Houve um tempo em que gente corajosa se juntava para lutar por uma vida melhor e combater quem os queria na miséria. E ainda há muitos que não desistiram. Mas a televisão conseguiu de uma forma extraordinariamente eficaz o que os séculos de repressão nem sonharam:
Pôr a maioria a entreter-se com a sua própria desgraça. E o canal ainda ganha uns cobres com isso.
Diz-se que esta caixa mudou o Mundo.
Sim: consegue pôr tudo a render. Até as consequências da maior crise em muitas décadas.

Entretanto a apresentadora recebe 40.000€ por mês. Foi este o valor da transferência da SIC para a TVI. Uma proposta irrecusável segundo palavras da própria.

A pobre da Fátima Lopes só ganha 1290 euros por dia!!!.
Brincando com miséria dos outros, pobre povo português, sem alternativas, mas miseravelmente felizes.

Este artigo de Daniel Oliveira é sobre aquilo que nunca vi na TVI, mas que se visse reagiria, também, com indignação. É algo de escabroso que se houvesse um pouco de decência já não estaria a ser transmitido. Usar os desgraçados é um abuso intolerável, é brincar com as pessoas e a sua miséria.
PAGAR AS DÍVIDAS e fazer disso um espectáculo é obsceno.
A TVI torna-se, assim, uma obscenidade !...

10 dezembro 2010

Lei sobre o depósito de valores em clínicas privadas, antes do Internamento.

Para ler e divulgar!

O Hospital da Luz exigiu 2000€ a uma pessoa para ser internada de urgência!


SAÚDE: Lei Sobre o Depósito de Valores nas Clínicas Privadas, Antes do Internamento.
Foi publicada no DIÁRIO DA REPÚBLICA em 09/01/02, a Lei nº 3359 de 07/01/02, que dispõe:
  • Art.1° - Fica proibida a exigência de depósito de qualquer natureza, para possibilitar internamento de doentes em situação de urgência e emergência, em hospitais da rede privada.
  • Art 2° - Comprovada a exigência do depósito, o hospital será obrigado a devolver em dobro o valor depositado, ao responsável pelo internamento.
  • Art 3° - Ficam os hospitais da rede privada obrigados a dar possibilidade de acesso aos utentes e a afixarem em local visível a presente lei.
  • Art 4° - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Uma lei como esta, que deveria ser divulgada, está praticamente escondida da população!
E isso vem desde 2002. Estamos em 2010...!!!

09 dezembro 2010

Lula defende o Wikileaks

«Se ele divulgou o que leu, não deve ser condenado. Se ele leu, alguém escreveu e é esse que deve ser condenado».


«Assange não deve ser acusado»


Sobre a divulgação de documentos secretos pelo Wikileaks foi aqui publicado o post «WikiLeaks e os claviculários do segredo» em que era transcrita uma carta ao directos do Público publicada em 16 de Janeiro de 2004 e onde se responsabiliza pela fuga de informações classificadas o funcionário que tem por responsabilidade garantir a sua segurança. Se ele, que tem tal dever de garantir o segredo, comete a infracção de divulgar tal matéria, não pode esperar que a pessoa alheia ao serviço e que teve acesso a tal matéria a transmita a terceiros. Perante certas pessoas, esse texto seria uma heresia, e por isso é gratificante o artigo que se transcreve e que refere as posições de dois altos funcionários da ONU:


 Público. 09.12.2010

Frank La Rue discorda da responsabilização do meio de divulgação.

O representante das Nações Unidas para a liberdade de expressão, Frank La Rue, considera que os Estados Unidos não devem poder apresentar uma acusação contra o responsável do WikiLeaks, Julian Assange, e defende que será um mau exemplo para a liberdade de expressão se isso acontecer.

Se há responsabilidades pela fuga de informação, ela não é do meio que a publicar.

“Tendo em conta o que foi divulgado no WikiLeaks, julgo não haver responsabilidade criminal por ter sido este site o meio de divulgação”, disse Frank La Rue numa entrevista à Australian Broadcasting Corporation. “Esse é um dos debates acerca da Internet e até agora considera-se, em geral, que não há responsabilidade criminal por transferir informação”, defendeu.

Frank La Rue está actualmente a trabalhar num novo relatório sobre liberdade de expressão e Internet e considera que “se há responsabilidades pela fuga de informação, ela é exclusivamente do autor da fuga e não do meio que a publica. É assim que a transparência funciona e que a corrupção tem sido confrontada, em muitos casos”.< Também a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navy Pillay, manifestou a sua preocupação em relação às denúncias de pressão sobre empresas privadas para deixar de prestar serviços financeiros ou de alojamento na Internet à WikiLeaks como forma de a impedir de divulgar mais documentos secretos.< Navy Pillay sublinhou a necessidade de se proteger o direito de partilhar livremente informação e adiantou que “se a WikiLeaks cometeu alguma ilegalidade, isso deve ser tratado judicialmente e não através de pressões e intimidações promovidas por terceiros”.

NOTA: Numa altura em que o mundo está convicto de que é imperioso combater o tráfico de droga, e que se fala do WikiLeaks é de chamar a atenção para o artigo «WikiLeaks implica altas figuras de Moçambique no tráfico de droga», em que são indicados nomes de homens públicos do mais elevado grau de responsabilidade no País.


Imagem da Net

08 dezembro 2010

XÉ SOCRATES SE PREPARA PARA AUMENTAR AS TARIFAS DE ELETRICIDADE DAS EMPRESAS EM 15 %

.
CAROS COMPATRIOTAS PORTUGUESES.
É VERDADE !!!!!!!! VAMOS TER EM 2011 UM AUMENTO DE 15% NAS TARIFAS DE ELETRICIDADE DAS EMPRESAS.

ADVINHEM QUEM VAI PAGAR ESTA FACTURA ????????

É ISSO MESMO QUE PENSOU, SOMOS NÓS OS CABRÕES DOS CONTRIBUINTES PORTUGUESES !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

COMO NÓS " OS CABRÕES ESCRAVOS PAGADORES DE IMPOSTOS " TEMOS AS TETAS INESGOTÁVEIS, PARA DAR MUITO LEITE A ESTES CABRÕES QUE DESGOVERNAM NOSSAS VIDAS, ELES VÃO CONTINUAR FRESQUINHOS A APERTAR O PARAFUSO ATÉ SANGRAR, E ESTARMOS TODOS MORTOS.

ELES SABEM BEM DE QUE MASSA SÃO FEITOS OS PORTUGUESES.
  • DE-LHES MUITO FUTEBOL EM DIRECTO NA RTP
  • DE-LHES MUITA RELIGIÃO, E MISSAS EM DIRECTO DE FÁTIMA
  • DE-LHES PROGRAMAS IMBECIS DE DISTRAÇÃO COM MUITO FADO
  • DE-LHES NOVELAS DO TIPO " MORANGOS COM MERDA "

É QUE O ZÉ POVINHO VAI CONTINUAR DROGADO, ALÉM DISSO, SEI DE FONTE SEGURA, QUE NUNCA A CONCENTRAÇÃO DE FLUOR NA AGUA FOI TÃO GRANDE. O FLUOR TORNA O ZÉ POVINHO DOCIL E MAIS FACILMENTE MANOBRAVEL.

HÁ, JÁ ME IA ESQUECENDO, COMO JÁ SOMOS ENRRABADOS TODOS OS DIAS PELOS POLITICOS PORTUGUESES ( TODOS SEM EXCEPÇÃO ), DEVIAM OS DIGNÍSSIMOS DEPUTADOS + O XÉ SOCRATES, PROPOR UMA LEI PARA TORNAR OBRIGATÓRIO TODOS OS HOMENS PORTUGUESES DAREM O RABO TRES VEZES POR SEMANA, ASSIM DESTA FORMA, FICARIAMOS IGUAIS AOS MUITOS QUE ESTÃO NO GOVERNO E ASSEMBLEIA DOS XUXISTAS DA REPÚBLICA PORTUGUESA.

A SEGUIR O EXTRACTO DO DIÁRIO DE NOTICIAS DE 07/12/2011

BOM DIA, AQUI DA ARGÉLIA.

RAMIRO LOPES ANDRADE

_________________________________________________________

http://dn.sapo.pt/bolsa/interior.aspx?content_id=1729095&postref_id=1581704&postreply_id=1582216

Revista de Impresa

Aumentos de 15% na electricidade para as empresas

O "Jornal de Negócios" publica hoje uma entrevista com Luís Reis, presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), que revela que a associação recebeu informações da Secretaria de Estado da Energia de que o aumento do preço da electricidade para as empresas pode chegar aos 15%.

Luís Reis diz ao "Jornal de Negócios" que "se prepara um movimento ao nível de energia que tem tudo menos de transparente" para 2011, e que envolve "movimentos por parte do Governo e da entidade reguladora do sector" para aumentar algumas tarifas (de acesso e transportes, refere) que acabarão por encarecer o preço da electricidade para as empresas de distribuição em 15%.

O objectivo será não aumentar os preços para os consumidores, mas Luís Reis explica ao "Jornal de Negócios" que "não há forma" de absorver os aumentos sem aumentar os preços para os particulares.

Na entrevista, o presidente da APED pronuncia-se ainda sobre a possibilidade de o FMI entrar em Portugal, os combustíveis de baixo custo e a distribuição de medicamentos.

05 dezembro 2010

Valores para uma boa Liderança


Segundo o artigo abaixo transcrito, uma escala de valores do género das virtudes militares é imprescindível para o êxito de uma boa liderança, em qualquer organização de qualquer dimensão. Recordo que os conceitos aqui expressos no post «pensar antes de decidir» foram retirados de literatura militar relativa ao «estudo da situação» que mais não é do que a preparação da decisão que deve ser tomada a cada momento sobre cada problema. Quando diz que «em situações de grande crise um líder deve ser "militar"», não quer dizer que seja um general, mas um gestor com mão firme chefiando a equipa segundo as exigências que refere e explica no texto. Compare-se o texto com as realidades nacionais, de leis mal feitas que logo são criticadas, alteradas, adicionadas de excepções e/ou anuladas e substituídas por outras também carentes da devida preparação. Veja-se o funcionamento da equipa em repetidas contradições entre o chefe e os membros da equipa e entre estes.


Eis o artigo:

Económico. 05/12/10. Por;Maria Teixeira Alves

António Horta Osório partilhou com uma plateia de gestores os factores críticos de sucesso de uma boa liderança.


"O mundo é global e está em constante e acelerada mudança. É fundamental prever a direcção dessa mudança: onde estamos e para onde o mercado vai, para onde se dirigem as grandes tendências macro antes do mercado lá chegar. As empresas que lá chegam primeiro conseguem vencer as batalhas". É desta forma que António Horta Osório começou a sua intervenção no debate subordinado ao tema 'Os novos desafios da liderança e gestão de talento', na terceira edição da conferência CEO Experience, organizada pelo Diário Económico e pela Accenture.


O indigitado presidente executivo do britânico Lloyds Banking Group, partilhou com uma plateia de gestores a sua visão de uma boa liderança, que requer "uma equipa em que o todo é maior que a soma das partes", uma inspiração da psicologia da Gestalt. Como é que isso se faz? Através de cinco tipos de valores: o exemplo dos gestores; a capacidade, ou seja não ter receio de atrair os melhores (em detrimento da escolha de ‘yes men'), frisa. "Compete ao líder ter um foco constante no desenvolvimento das pessoas. Apostar na cultura da exigência, e do mérito e na excelência. Potenciar ao máximo as potencialidades de cada um e reconhecer os êxitos das pessoas. Numa equipa bem gerida é fácil fazer acreditar que o ‘impossible is nothing'", enumerou Horta Osório.

Defensor do trabalho em equipa, Horta Osório destaca a importância do carácter, dos valores e da comunicação para fomentar a competência da equipa."É fundamental escolher as melhores pessoas para os melhores lugares", disse o banqueiro, aproveitando para elogiar estratégia e a equipa do Santander Totta, de onde veio.


"Fomentar o debate e a qualidade da decisão para depois as implementar de forma irreversível e sem segundos pensamentos", é o que deve ser um líder, diz Horta Osório.

Em situações de grande crise um líder deve ser "militar", ou seja, ter mão firme nas exigências e pôr a equipa a participar na gestão da crise, aconselhou. Nessas alturas, "as equipas mais do que esperar o que a empresa pode fazer por elas, devem reunir-se em torno do líder".

Ao contrário, em momentos positivos "o líder deve apagar-se mais e ser a equipa a sugerir os projectos e a realizar projectos em que esta acredite", acrescentou.

António Horta Osório aconselhou ainda as empresas a definirem a direcção correcta para avançar e ter as pessoas conscientes de para onde a empresa vai. "Isto é crucial para que a empresa possa crescer mais depressa e sustentadamente na direcção certa em relação aos concorrentes". E conclui que um factor crítico de sucesso de um líder é ter uma boa capacidade de comunicação porque "não há uma segunda oportunidade de criar uma boa primeira impressão".


Imagem da Net

04 dezembro 2010

WikiLeaks e os claviculários do segredo


Por ser oportuno transcrevo com ligeiras adaptações uma carta por mim enviada ao directos do PÚBLICO que foi publicada em 16 de Janeiro de 2004


Os claviculários do segredo

Há um velho adágio que diz que o segredo é a alma do negócio. Mas ele é também importante em muitos sectores da vida dos povos. Há o segredo profissional, bancário, de justiça, de estado, militar, etc. E em todos estes sectores há os claviculários do segredo, indivíduos credenciados, após juramento (nalguns organismos oficiais), para manusearem informação, documentos e objectos protegidos pelo segredo. Os militares, por exemplo, têm normas rígidas para tratar as matérias com classificação de segurança, não apenas no seu arquivo, como o seu registo e a sua destruição quando desnecessárias. Qualquer rascunho ou esboço é destruído (antigamente por incineração, hoje no «franjinhas»).

Quando ouço falar nas quebras de segredo, recordo a história do assessor do rei X da Prússia, abordado pelo conde de Y que lhe fez uma pergunta indiscreta. Respondeu-lhe que não lhe podia dizer porque era segredo. O conde retrucou: «eu sei guardar segredo», ao que o assessor respondeu: «eu também sei».

O assessor estava certo. Se o indivíduo credenciado para lidar com informação classificada, prevarica fazendo uma confidência a um amigo, não pode esperar que este, que nem é credenciado, não transmita esses dados a outras pessoas. O responsável pela guarda do segredo não pode violá-lo, não pode permitir a fuga. As normas de segurança que o norteiam não permitem dúvidas ou hesitações, são inflexíveis e exigem rigor.

E não se venha agora apontar as flechas contra os jornalistas ou bloguistas. Não se pode açoitar o miúdo da história que gritou «o rei vai nu». Quem age mal é quem lhes faculta o conhecimento de documentos e dados confidenciais. A nossa democracia, embora ainda pouco perfeita, deve muito aos Órgãos da Comunicação Social (CS), pois tem sido estes que despoletaram situações irregulares que originaram os principais processos judiciais dos últimos anos, e que têm conseguido a resolução de problemas graves que apoquentam as populações, os quais sem a sua intervenção continuariam por accionar. Falhas de serviços públicos, de autarquias ou de grandes empresas têm sido objecto de notícias na CS, e posterior resolução.

Procure-se aqueles que, tendo a seu cargo a guarda das matérias classificadas, não foram suficientemente zelosos, e não se acuse repentinamente a CS, não se lhe coloque uma mordaça. Todos (e cada um) estamos sujeitos a críticas. Em Marrocos, apesar do seu regime autoritário, o Rei amnistiou o jornalista Ali Lmrabet, activo crítico do regime. Sem críticas, sem o papel esclarecedor e informativo da CS a democracia estiola e pode dar lugar a autocracias ou ditaduras, com prejuízo para os direitos dos cidadãos que estão mais distantes das regalias do Poder. Há que evitar a ressurreição do «Portugal Amordaçado».

Imagem da Net

02 dezembro 2010

O «mercado» não é um bicho-papão


Ouve-se argumentos que nos dão o «mercado» como um terrível ogre que come criancinhas, uma ferramenta muito usada na propaganda tal como o medo do FMI. Por isso será interessante que se leia a explicação dada por João César das Neves, onde podemos concluir que, simplesmente, o mercado somos nós, todos nós.


DESTAK 01-12-2010. Por João César das Neves


Portugal anda dominado pelos mercados. Os caprichos dessas entidades estranhas comandam a nossa política e até a nossa vida. Daí vêm todos os nossos problemas. Mas o que são esses misteriosos mercados?

De facto não há nada de sinistro na entidade. Trata--se de pessoas como nós. Muitas pessoas como nós. Têm família, emprego e férias, sonhos e problemas, alegrias e tristezas. A sua primeira característica é serem uma multi-dão, tão vasta e diversificada quanto se possa imaginar. São tanto que têm apenas quatro coisas em comum.

Primeiro fizeram poupanças e têm dinheiritos de lado. Nisso, mais ou menos, estão como nós. Segundo, emprestaram ao Governo português. Esta sua imprudência pode, à primeira vista, torná-los estranhos. Como puderam ser tão tolos? Mas se virmos bem não é tanto assim. Muitos de nós têm certificados de aforro, títulos do Estado, etc. Se temos então, surpresa!, nós somos eles. Mas mesmo que não tenhamos, é compreensível que pessoas normais, em tempos mais calmos, tenham escolhido essa aplicação de poupança, hoje tão pouco recomendável.

As outras duas características são ainda mais pacíficas. Primeiro, eles querem o seu dinheiro de volta ou, melhor, querem continuar a receber juros das suas economias. Finalmente, não acreditam que o Governo português seja capaz de tal, depois de tantas promessas, hesitações e trapalhadas. Qual de nós os pode censurar?

Como se vê, nesta história, o mal não está nos mercados, mas do outro lado. É das promessas, hesitações e trapalhadas que vêm os nossos problemas.

Imagem da Net

26 novembro 2010

Depoimento, de um novo pobre.

Vale a pena ler até ao fim, vale a pena meditar sobre isto. Não tenho mais palavras para descrever o que li a seguir, fica ao vosso dispor para quem queira comentar...

O meu nome é António Oliveira, tenho 49 anos (jovens), sou casado, a minha esposa chama-se Joana, tem 28 anos e temos dois filhos, o António que vai fazer em Dezembro 3 anos e o André que também faz em Dezembro 10 anos e que iniciou este ano o 2º Ciclo.
Tenho formação académica ao nível universitário, trabalho desde os treze anos de idade (assisti ao dia da “revolução” o 25 de Abril), e nos últimos trinta anos desempenhei funções em cargos superiores de gestão em várias empresas da indústria alimentar em Portugal, a última das quais aqui em Torres Vedras. Para além disso, tenho também habilitações e prática na condução de veículos pesados de mercadorias em rotas internacionais.
A minha esposa tem o 12º Ano de escolaridade e também vários cursos ligados também a áreas de gestão de recursos humanos, e nos últimos anos trabalhou em empresas da grande distribuição (hipermercados), onde desempenhou funções de gestão de recursos humanos.
Há três anos a gerência da empresa onde eu trabalhava (Indústria Alimentar), de repente e sem razão aparente, decidiu encerrar esta unidade fabril, tendo eu e todos os que lá trabalhavam ficado no desemprego.
Inscrevi-me no Centro de Emprego de Torres Vedras e por iniciativa própria solicitei ser inserido em algum programa ocupacional, não só para me sentir bem comigo próprio por receber o subsídio de desemprego, mas também porque sou uma pessoa muito activa e assim ter alguma coisa de útil para fazer.
Inicialmente, fui trabalhar para uma biblioteca, mas este trabalho era bastante monótomo, embora eu tenha aproveitado para ler alguns livros interessantes. Assim, pedi para ser destacado para um outro programa ocupacional mais de acordo com as minhas capacidades, tendo sido então colocado na Escola Secundária Madeira Torres como Responsável Administrativo do Centro de Novas Oportunidades.
Entretanto, continuei sempre todos os dias a fazer uma procura activa de emprego, tendo enviado centenas de curriculos em resposta a centenas de anúncios de jornais e da internet, mas sempre com resultados nulos.
A determinada altura decidi que teria que pensar numa nova área profissional porque apesar de toda a minha experiência profissional, apesar de toda a polivalência demonstrada ao longo de vários anos em gestão comercial, vendas, gestão de logística, gestão de recursos humanos, produção etc., não consegui arranjar trabalho nestas áreas. Assim, decidi ir tirar a carta de condução categoria C+E, que me habilita a conduzir Veiculos pesados de Mercadorias.
Entretanto, como cheguei ao fim do periodo de receber subsidio de desemprego, fui “despedido” da Escola Secundária Madeira Torres.
Pontualmente, consegui fazer alguns “biscates” neste trabalho de motorista de pesados mas apenas para cobrir férias de pessoas ou ausencias por doença, em algumas empresas daqui da região. Mas ainda não consegui arranjar trabalho permanente nesta profissão como gostaria, quer em rotas nacionais ou internacionais.
Nos últimos dois meses andei a trabalhar na apanha de pêra e nas vindimas, aqui na região de Torres Vedras.
Agora estou de novo sem qualquer tipo de rendimento, e para complicar mais a situação, a minha esposa ficou também desempregada e numa situação que nem tem direito a receber qualquer tipo de apoio social.
Enquanto trabalhei, antes de ficar desempregado fui fazendo economias, pois nunca se sabe o dia de amanhã, mas nunca pensei que ficaria tanto tempo desempregado, mas as despesas correntes mensais são sempre as mesmas e não se compadecem se estamos desempregados ou não, as crianças estão sempre a crescer e necessitam de coisas quase mensalmente.
E as economias foram diminuindo pouco a pouco até não restar mais nada, e a situação chegou a um ponto em que tive que recorrer até ao Banco Alimentar Contra a Fome para alimentar a minha família, mas até neste pedido de ajuda não tive muita sorte.
No dia 07 de Agosto de 2010 enviei por e-mail um pedido de ajuda urgente para o Banco Alimentar Contra a Fome de Caldas da Raínha e de Lisboa, no dia 08 de Agosto fui contactado por uma Dra. Aida Franco da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, onde tive, juntamente com a minha esposa uma reunião com a tal Doutora, onde nos foram solicitados vários documentos que atestassem a situação de precariedade do meu agregado familiar, documentos que foram entregues à pessoa atrás mencionada no dia 14 de Agosto (2ª Feira, a Dra. Aida Franco só recebe à 2ª Feira das 14 às 17 horas), onde me foi transmitido que teria de esperar a aprovação para a ajuda alimentar e que se esta fosse deferida iria então receber mensalmente e enquanto tivesse necessidade uma ajuda alimentar em conformidade com o meu agregado familiar.
Estive dois meses à espera para receber a primeira ajuda alimentar (recebi uma carta da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras com a data e hora para receber a primeira ajuda mensal, 12/10/2010 das 14:30 às 17:00 horas), e quando me entregaram a tão esperada ajuda de alimentos eu não queria acreditar.
E quem ler estas minhas palavras também não acreditaria, pois foi-me entregue um saco com o nº 93 que continha os seguintes produtos:
1 garrafa de guaraná antárctica de 1,5 Lt.
1 embalagem de creme de avelãs 440 grs.
1 torta de frutos silvestres de 300 grs.
1 pacote de bolachas c/recheio de chocolate de 180 grs.
2 latas de salsichas de 350 grs.
1 lata de salsichas de 250 grs.
2 latas de atum de 120 grs.
1 pacote de esparguete de 500 grs.
Como podem constatar, dificilmente alguém se conseguiria alimentar durante um mês com estes produtos e muito menos duas crianças.
Vejam que os meus filhos nem sequer contaram para nada na “ajuda” prestada, pois não foi comtemplado nenhum produto básico essencial para a alimentação deles como leite, yogurtes, papas, cereais, etc.
Revoltado com a situação enviei por e-mail uma exposição de toda esta situação com as fotos a comprovar a veracidade do sucedido para o Banco Alimentar de Lisboa e de Caldas da Raínha, pois acredito que estes quando me encaminharam para a Santa Casa de Torres Vedras, também acreditaram na articulação com este organismo para me darem apoio, mas até agora não me deram resposta.
Continuo assim com o problema de não ter nem sequer meios para comprar os produtos mais básicos para alimentar os meus filhos, para já não falar que já estou a pagar a rende de casa em parcelas esperando que a compreensão do senhorio não se esgote e que a qualquer momento irei ficar sem luz e sem gás por falta de pagamento.
O meu filho mais velho que entrou este ano para o segundo ciclo já não tem roupa e calçado de inverno que lhe sirva e também não sei como colmatar estas faltas.
Eu apenas quero poder trabalhar, ou será que eu como cidadão que sempre trabalhou, que sempre cumpriu com as suas obrigações não tenho direito a sustentar a minha familia?
Que País é este em que não se tem nenhum direito, que sociedade é esta em que não se tem direito a educar os filhos se não tivermos meios, que País é este em que as pessoas não têm direito a ganhar a seu sustento?
Não sei até quando irei aguentar esta situação de desespero, já esgotei todas as alternativas de onde pedir apoio, não sei mais o que fazer.
Começo a ter receio, medo até, dos pensamentos que me passam pela cabeça, só ainda não fiz uma asneira porque penso neles (meus filhos) e na minha esposa, mas até quando vou suportar esta situação de falta das coisas mais básicas para poder criar os meus filhos, para poder sustentar a minha casa, a minha família.
E o meu filho mais velho? O que pensará de tudo isto? O que pensará deste pai que nem comer consegue pôr na mesa? Já para não falar do resto.

Retirado daqui "Aventar"

24 novembro 2010

Cantona culpa os bancos pela crise e apela a uma revolução!

         Eric Cantona divulgou o vídeo para apoiar uma campanha da associação de ajuda social francesa Abbé Pierre, que é uma das mais conhecidas do mundo na defesa dos pobres e das pessoas sem domicílio fixo. "Se 20 milhões de pessoas forem ao banco levantar o dinheiro, o sistema afunda-se e a revolução faz-se sem armas nem sangue, é tudo muito simples", acrescentou o agora actor. "Depois as pessoas vão ouvir-nos, podem crer", concluiu.
         O antigo futebolista francês Eric Cantona aponta o dedo ao bancos pela crise mundial. Através de um vídeo divulgado no YouTube, o antigo avançado do Manchester United pede “ que três milhões de pessoas que se manifestam com cartazes” para “retirarem o seu dinheiro dos bancos e os façam colapsar”. O vídeo já registou 40 mil visitas desde que foi publicado, no dia 15 de Novembro



O apelo da ex-futebolista foi já subscrito por cerca de 12 mil internautas que lançaram o seguinte apelo: "Revolução! No dia 7 de dezembro, toda a gente vai aos bancos levantar o seu dinheiro!".

23 novembro 2010

O Défice aumenta e Portugal afunda-se


O seguinte título de notícia do Público Défice do Estado aumentou 215 milhões até Outubro é um sinal de alarme que merece séria e honesta meditação dos responsáveis por este descalabro , os quais tinham sido eleitos pelos portugueses para defenderem os interesses nacionais, mas cuja actividade ou inactividade está a dar estes resultados.


De que estão à espera? Não é legítimo estarem a continuar com este saque. Façam o favor de desaparecer e de chamar o FMI ou uma equipa de gestores com provas dadas. Não queremos sábios professores universitários. Precisamos de pessoas com inteligência, bom senso, experiência prática de gestão e dedicação a Portugal, aos portugueses.

CÂMARA MUNICIPAL DO PORTO DESTRÓI PROPAGANDA SINDICAL SOBRE A GREVE GERAL

GREVE GERAL DIA 24 DE NOVEMBRO DE 2010


          As consequências das políticas obsessivas de controlo do défice, recaiem todas sobre os pobres  os mais desprotegidos, assim como sobre a classe média, os ricos não lhes faz diferença! Ficam isentos o grande Capital, que se prepara para ganhar mais aínda com a especulação financeira e a exploração dos trabalhadores.
         No período compreendido entre o 2º Trimestre de 2008 e o 3º Trimestre de 2010, foram destruídos em Portugal 264,3 mil empregos, sendo 59,7 mil já em 2010 (14,8 mil no 1º Trimestre; 17,1 mil no 2º Trimestre; e 27,8 mil no 3º Trimestre de 2010), ou seja, ao ritmo de 221 empregos por dia este ano.

        APENAS 44 EM CADA 100 DESEMPREGADOS ESTÃO A RECEBER SUBSÍDIO DE DESEMPREGO E O SEU NÚMERO ESTÁ A DIMINUIR CONTINUAMENTE.
Como consequência das alterações feitas na lei do subsídio de desemprego já este ano pelo governo, o número de desempregados a receber o subsídio de desemprego em Portugal está a diminuir dramaticamente, como mostra o gráfico seguinte construído com dados divulgados no "site" do Ministério do Trabalho, apesar do desemprego ter disparado.





             Rui Rio, como já é hábito julga-se dono da cidade do Porto, este senhor que só tem feito o que quer e lhe apetece, numa lógica de quero posso e mando, continua a rir-se na cara dos munícipes da cidade, de quem a bem da verdade , não tenho pena nenhuma. Cada qual tem o que merece e os portuenses, têm Rui Rio!

"No dia 18 de Novembro, a Câmara Municipal do Porto enviou uma brigada dos seus serviços para retirar um cartaz (com as dimensões de 5x3,5 m) alusivo à Greve Geral do próximo dia 24 que se encontrava afixado na fachada de uma Casa Sindical do Porto. A CGTP-IN escreveu ao Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, cujo o conteúdo divulgamos "

Ofício enviado pela CGTP-IN ao Presidente da Câmara do Porto sobre a destruição de informação Sindical

Fax da Câmara Municipaldo Porto sobre a destruição de informação sindical

em Greve Geral, Contra as Injustiças Mudar Políticas - 24 de Novembro


            A Democracia e a Liberdade são desta forma colocadas em causa, pelo sr. Rui Rio que governa o Porto a seu belo prazer como um Cacique dos tempos do fascismo. Apesar de a faixa estar colocada num prédio que é propriedade do sindicato, este senhor faz e desfaz a seu mando, passando por cima da lei e da jurisprudência, todas as acções que a Camâra perde em Tribunal não é ele que paga, mas o erário público!  E mais não direi, porque já toda a gente conhece este senhor e sua forma de actuar, aqui fica portanto apenas mais um infeliz registo...

        

31 outubro 2010

Para o Bem Comum


No seu artigo de hoje no Jornal de Notícias, Zita Seabra refere a criação pela ACEGE, Associação de Empresários e Gestores Cristãos, do Fundo Bem Comum, um fundo que visa promover e apoiar projectos empresariais de desempregados ou pré-reformados com mais de 40 anos.


Para ler tudo faça clic aqui. Esta iniciativa surge da sociedade e não da máquina do Estado correspondendo à ideia do PR de que os problemas nacionais são de todos os portugueses e ninguém deve abster-se de dar o seu contributo. Se a ideia surge com uma referência religiosa, será de bom senso que outras iniciativas se sigam, não apenas para ajudar quem precisa, mas também para eliminar os «vendilhões do templo», os que querem explorar o povo em nome da democracia, que não cumprem, e que impunemente sugam o dinheiro público para um enriquecimento ilegítimo, imoral e contra toda a ética.

Imagem da Net

26 outubro 2010

ainda ontem saltei o muro de Berlim



Dói-me a morte


nesta réstia de vida que desconheço


onde os rostos desfocados


se reproduzem na cal,


em papéis impressos num registo qualquer


onde habita o medo,



ainda ontem saltei o muro de Berlim



A paisagem decompõe-se


e outro muro mais alto se levanta


nesta terra improdutiva,


onde os ossos são visíveis a olho nu.



Levem-me este corpo


onde a vida pernoita, em limos incendiados


tolhida no último fio de tinta,



ainda ontem saltei o muro de Berlim





Conceição Bernardino

Jantar e Fado para conquistar a ONU

Sem rodeios e conforme todos já se aperceberam o nosso país, está à beira da falência e tudo porque a má governação, má gestão, corrupção e vaidade grassam na esfera política portuguesa!
           Pena que os portugueses, aínda que alertados não tenham acreditado, o motivo? A falta de cultura política, décadas de atraso educacional e uma alheação completa para o exercício pleno da cidadania, contribuiram sem dúvida para a iliteracia política.
           Infelizmente os políticos que nos têm governado, são da mais vergonhosa estirpe que a sociedade formou e conseguiram ludibriar os portugueses todos estes anos. Lamentavelmente, nem agora têm coragem para vir contar ao povo, o real estado da economia, limitam-se a sobranceiramente a impor as suas regras como sempre e sobretudo em lugar de diminuir a pobreza com políticas de distribuição de riqueza mais justas, criação de oportunidades, vêm sim aumentar todas as variáveis que empobrecem um país, quem paga a factura é o povo e a classe média em geral.
           Os cortes nos salários dos portugueses, não acompanham de forma alguma, cortes nas mordomias e despesismo inutil dos senhores políticos, mesmo após anunciar o PEC III, foram nomeados gestores para emprezas públicas com vencimentos escandalosos, e continua-se a esbanjar dinheiro, pretende-se aumentar a idade da reforma dos cidadãos, mas não se colocaram os políticos em pé de igualdade. Taxam-se à taxa máxima 23% bens essênciais, como leite enriquecido em cálcio e vitaminas, sumos de fruta, margarinas, óleos alimentares etc.  e pergunto eu, porque o vinho se mantém a 13%? É lamentável, e incompreensível como não só não foram capazes de prever esta situação, como pertendem aínda agravar mais com a imposição de medidas económicamente incorrectas de estagnação completa da economia, na medida em que o consumo interno cairá, gerando um aumento do desemprego, acompanhado de um aumento exponencial da pobreza, da miséria  e fome.
           Portugal não conseguirá nunca com este tipo de acções gerar riqueza e criar empregos, quer dizer que não conseguirá estancar a dívida externa e este é sómente o principio do fim da nossa economia.
           O que propunha? Corte de todas as pensões milionárias acumuladas, criação de um teto máximo para pensões e reformas até 6000 Euros. Definição do Salário máximo nacional para o sector público, com equiparação ao Salário do Presidente da República. Fim de todas as mordomias para políticos, a exemplo do que já se faz na Suécia, idade da reforma igual para todos os cidadãos, mantendo as excepções nas profissões de elevado desgaste, por ex: mineiros. Renegociação dos submarinos, pois o governo português foi ludibriado no negócio. Fim das Parcerias Público/Privadas com nacionalização das respectivas empresas, regulamentação e responsabilização criminal dos políticos em actos de manifesta má gestão, a exemplo do que se faz no sector privado. Aqui ficam alguns exemplos de como Portugal poderia vir a recuperar.
           É inadmissível o rol de escandalos que tem vindo a público de milhões de euros em festas, patrocinios e até a aquisição de um desportivo topo de gama com o erário público.
           A última que soube hoje, segundo notícia do Correio da Manhã, "No âmbito da candidatura a um lugar no Conselho de Segurança da ONU, Portugal – que concorreu contra o Canadá e a Alemanha – organizou, em Nova Iorque, um jantar de gala para cerca de cem embaixadores. Ban Ki-moon, secretário-geral da organização, foi o convidado de honra.
          A festa teve lugar no dia 14, terça-feira, no luxuoso Metropolitan Club. A fadista portuguesa Cuca Roseta actuou durante quarenta minutos.
          O jantar, que foi antecedido por um brinde com champanhe, teve na ementa vinhos brancos e tintos portugueses para acompanhar uma entrada de lagosta e o prato principal de borrego. De sobremesa houve sorvete de limão e manga.
          Segundo Miguel Capucho, empresário da fadista Cuca Roseta, "o evento foi uma operação de charme organizada por Portugal, nomeadamente pelo embaixador da missão junto da ONU, José Filipe Moraes Cabral, para angariar votos na candidatura a um lugar no Conselho de Segurança da organização".
          Ao que o Correio da Manhã apurou, a referida operação de charme custou 31 mil euros (310 euros por pessoa), pagos pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo Turismo de Portugal."
in Correio da Manhã, Jantar e Fado para Conquistar ONU


           
        

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas