27 outubro 2011

Este país não é para velhos



Os velhos com reformas miseráveis só sabem refilar ora do custo de vida ora de doenças eu sei lá mais o quê.
Para que querem estes improdutivos mais rendimentos?
Não chega os benefícios que lhes assistem, isenção de taxas moderadoras, medicamentos mais baratos, passe social por metade para andarem por ai a ver montras, raio de velhos que nunca se satisfazem com nada. Ao menos podiam ser mais gratos, talvez criássemos um “Magalhães” à altura deles para se entreterem enquanto esperam horas a fio nas urgências dos hospitais, ou quem sabe ipod’s para curtirem uma musicazinha ou uns games nos centros de saúde, no banco de jardim onde quisessem mas parem de se queixarem já não há quem os aguente são piores que chatos agarrados ao…c. (santíssimo sacramento) que ouçam a missinha das sete, deixem-nos em paz.
Os filhos não os aguentam e viram-se para nós como se tivéssemos alguma responsabilidade de zelar pelos seus direitos, morrem abandonados em casa, a culpa é nossa porque não aplicamos punições à família, são vítimas de violência domestica ou de instituições públicas nós temos que responder por quem os agride, só falta culparem-nos por estarem desnutridos ou por não tomarem os fármacos para os ais.
Têm prioridade em todos os locais públicos, B.I vitalício, duzentos e cinquenta e três euros de pensão. Não chega? Em vez de darem pão às pombas que o comam.
Será que não entendem que não andam cá a fazer nada que só atrapalham, só empatam o circuito financeiro o aumento da divida pública. É por causa desta classe que o défice cresce e o PIB não evolui. Engane-se quem pensa que vamos facilitar a vida a estes empecilhos e poupa-los das medidas de austeridade, este país não é para velhos…a cair de pobres. Viva a igualdade!

Conceição Bernardino

4 comentários:

A. João Soares disse...

Cara Conceição Bernardino

Tanta ironia!!!
Até parece que quer suicidar-se quando lhe surgir a primeira doença ou ficar desempregada ou se reformar. Ou quando deixar de querer transmitir aos mais jovens a sabedoria acumulada durante a vida.
O humor pode ser bonito se não cair acidamente sobre problemas sérios da humanidade
Mas descanse que, pelo andar da carruagem, não tardará muito que um Governo decida aplicar a eutanásia a todo o inactivo ao primeiro sinal de doença ou de incómodo ao Estado.
Prepare-se para isso.

Cumprimentos
João

Conceição Bernardino disse...

boa noite João Soares,

com todo o respeito que tenho pelos idosos e de ver tanta miséria, permita-me esta resposta e falo com conhecimento de causa própria.



A ironia é uma figura de estilo perfeitamente balizada e reconhecida:

IRONIA

A Ironia consiste em dar a sensação de louvar o que se pretende condenar, em exprimir as suas intenções por ANTÍFRASES, em dizer o inverso do que se pretende deixar entender. Com a IRONIA pretende-se sugerir o contrário daquilo que se diz com as palavras.

A IRONIA assemelha-se à hipocrisia., mas combatendo-a com as armas que esta mesma utiliza.

Como a ironia está especialmente exposta ao perigo da incompreensão (à obscuritas) é o contexto que determina o seu real sentido e, ganha particular evidência por meio da pronuntiatio (a expressividade do tom com que é produzida):

"Olá, Veloso amigo, aquele outeiro
É melhor de descer que de subir" (Camões) [maneira subtil de chamar covarde, medroso]
"Que belo empregado tu me saíste!" [= irresponsável, incompetente...]

A. João Soares disse...

Cara Conceição,

Sem dúvida.
Mas como as pessoas lêem de fugida textos que tenham mais do que uma linha, o meu comentário serviu para alertar para que o seu texto é 100% irónico e, considerado assim, tem imenso interesse.

Beijos
João

Conceição Bernardino disse...

Claro que compreendo João

beijo e uma boa noite

Conceição Bernardino

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas