11 novembro 2011

O Sancho é real D. Quixote








Não tentes calar a minha voz

Com o fato metálico de chapa ridícula

Onde não há lanças nem archotes nem árvores suspensas.



- O Sancho é real D. Quixote!



Enche os bolsos de lendas antigas

Mastiga os pássaros caídos na valeta

E acena às crianças pobres um futuro miserável



Não tentes calar a minha voz

Com o relinchar de um cavalo de pau

Onde as ferraduras são feitas de trevos e vertigens



- O Sancho é real D. Quixote!



As cidades adormecem por baixo de outras cidades

Onde as lixeiras e o lodo do rio trás à tona o condenado de Victor Hugo

O cio cresce na boca dos saqueadores e a saliva afia a guilhotina





- Já crescem cabeças nos campos de trigo D. Quixote



Conceição Bernardino

2 comentários:

Diogo disse...

«e a saliva afia a guilhotina»

Está a falar do arco da governação, presumo?

Conceição Bernardino disse...

sim estou Diogo, é vão saber que entende de poesia.

beijo

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas