29 fevereiro 2008

MAIS UM ROUBO...(to be continued)


Os bancos preparam-se para nos cobrarem 1,50 Eur por cada levantamento nas caixas ATM. Isto é, de cada vez que levantar o seu dinheiro com o seu cartão, o banco vai almoçar à sua conta . Este 'imposto' (é mesmo uma imposição, e unilateral) aumenta exponencialmente os lucros dos bancos, que continuam a subir na razão directa da perda de poder de compra dos Portugueses. Este é um assunto que interessa a todos os que não são banqueiros e não têm pais ricos.


Quem não estiver de acordo e quiser protestar, assine a petição AQUI


Já chega de sermos ROUBADOS, sob a capa deste GOVERNO DE NEOLIBERALISMO!!!

A MIM NINGUÉM ME CALA!!!

SE POR VENTURA ISTO ACONTECER, ENTREGAREI TODOS OS CARTÕES NO BANCO, ASSIM VÃO-ME ROUBAR AO C*******!!!!

Powered by ScribeFire.

Avaliação do desempenho

Em qualquer organização, principalmente acima de uma certa dimensão, é imprescindível uma boa avaliação do desempenho dos empregados e o correspondente prémio aos excelentes. Se a metodologia não for claramente definida, nem por isso deixa de existir, mas, nesse caso, será de forma subjectiva e muito discutível.

Sem tal avaliação a sociedade tornar-se-á dominada pela mediocridade em vez da desejada meritocracia, do culto pela excelência.

Soube há uns meses que as grandes empresas americanas, ao admitirem empregados para cargos de qualquer nível, não se preocupam muito com o grau de escolaridade, desde que demonstrem ter a capacidade adequada ao cargo. Com cada um é feito um contrato escrito em que constam todas as tarefas que lhe serão confiadas e pelas quais se responsabiliza. A seguir, recebe formação adequada à execução destas tarefas, seja qual for o seu grau académico e depois será avaliado e chamado a responder pelo grau de eficácia com que realizou cada tarefa, podendo mesmo chegar ao ponto de ser despedido com justa causa. Isto foi-me transmitido por um doutorado em Física Nuclear, que foi docente universitário e que, por razões de economia familiar, concorreu a uma vaga numa companhia de seguros de saúde e, ao entrar para um alto cargo, teve de tirar uma licenciatura orientada para os seguros.

Perante isto, espanta-me a reacção dos professores à criação de um sistema de avaliação de desempenho. Compreende-se que haja discordâncias quanto aos seus pormenores e critérios, mas estes deverão receber ajustamentos sucessivos para os melhorar. Os bons professores saem beneficiados por verem reconhecido o deu mérito e os mais fracos são estimulados a aperfeiçoarem-se.

Ao escrever isto, recordo com muita consideração, respeito e veneração alguns professores do Liceu que frequentei entre 1945 e 1952 e aqui deixo alguns nomes de óptimos docentes: Bigote de Almeida (matemática), Pais do Couto ( Físico-Química), José Moniz (Ciências), Simões Gomes (Português), Isaura Matos Martelo (Português e Francês), Joel Serrão, (História), Armando Saraiva (Filosofia). Alguns já faleceram, mas fica aqui a minha homenagem que gostaria chegasse ao conhecimento de familiares seus. Eles não recusariam uma avaliação do seu desempenho, saber e capacidade de comunicação e de motivação dos alunos.

27 fevereiro 2008

PORQUE NÃO...

Porque não, sermos integrados na Espanha? Porque não, termos o mesmo crescimento económico? Porque não, a mesma saúde, Justiça e Educação? Porque não o mesmo nível de vida?

São quatro questões, que todos os dias me coloco. Sim, quando o poder capital, nomeadamente na maioria dos sectores da nossa economia, os "Nuestros Hermanos", são os grandes impulsionadores, na Banca, 40% desta, já tem capitais Espanhóis, a empresas de grande porte nacional, já são controladas a nível ibérico. Então, não fará sentido, nós também o sermos, adjudicando daí os benefícios para a população em geral. Sim porque com esta política de treta, onde os nossos governantes caíram no descrédito total, onde a nossa justiça desacredita qualquer cidadão de recorrer a esta, a Educação está pela hora da morte, e a Saúde, meus amigos, esta se não morreu já, estará com os dias contados.

Ter políticos de algibeira, que erram em prol dos mesmos, saqueiam os cofres do estado em proveito próprio, serve a quem? Aos Patriotas? Mas os Patriotas são quem afinal? Eu não vejo assim tantos pobres na miséria a serem patriotas, não vejo os trabalhadores com ataques à sua sobrevivência a serem tão patriotas, vejo sim os bem de vida, aqueles que lucram milhões de contos ao ano (como a banca), para esses que tudo está bem, embora a desgraça alheia prolifere, esses são os patriotas. Eu também defendo que Portugal, deve ser sempre Portugal, e com Gestão Ibérica, onde é que o deixaria de ser? Não se apagava a história com um simples clic. Mas tudo isto não passa de uma mera opinião, opinião essa crescente a nível nacional, que um dia, se calhar, se tornará realidade. Não podemos viver sempre nesta aflição, neste indeterminação, neste gamanço contínuo, sempre aos mesmos, já basta.

Eu gosto muito do meu país, mas esta "Maçonaria", este "Opus Dei", esta a dar cabo dele, disso não tenho dúvidas. Os Portugueses, tem de abrir os olhos rapidamente, ou se calhar já vão tarde, mas como diz o ditado, "Mais vale tarde, que nunca."

Agora, aqueles que manipulam os números do desemprego, sabem que se está a esgotar a manipulação, pois grande parte dos desempregados de Portugal, rumou à GALIZA, de onde estão a regressar em massa, segundo o sindicato dos trabalhadores da construção. E Agora? Como vai ser Sr. Sócrates? Como vai desmentir com números falsos como o tem feito até agora, este crescimento do desemprego? Com esta já você contava, ora diga lá? Por isso, anda a inventar novas Oportunidades.

Quero ser Português, mas quero ter e exijo um Governo capaz, nem que para isso tenha de ser Governado por outro qualquer estado da UE, incluindo a Espanha. Sim Porque qualquer dia os Srs. de BRUXELAS, fecham a torneira, e terão eles de arranjar um governo de gestão.

Carlos Rocha


Powered by ScribeFire.

25 fevereiro 2008

A SAÚDE VISTA POR FORA...

Portugal tem falta de médicos generalistas e concentra demasiados recursos nos hospitais mas, o Estado garante normas de qualidade na prestação de cuidados, conclui o Relatório Conjunto de 2008 sobre Protecção e Inclusão Social, divulgado em Bruxelas.

No documento são identificados como obstáculos ao acesso da população aos cuidados de saúde "a falta de médicos generalistas e de certos especialistas nas zonas rurais e em determinadas regiões, a concentração de recursos nos hospitais, nas grandes cidades e na faixa costeira e a falta de cobertura de certos serviços por parte do Serviço Nacional de Saúde (designadamente os cuidados dentários)".

Bruxelas considera ainda que esta situação "interfere com o funcionamento de um sistema nacional de saúde assente nos cuidados de saúde primários e gera uma utilização desnecessária de cuidados hospitalares e de emergência dispendiosos".

O relatório destaca ainda que, em Portugal, "as crescentes assimetrias sociais e as desigualdades no acesso geraram uma maior prevalência de estilos de vida menos saudáveis, condições de saúde precárias (tuberculose) e desigualdades ligadas à saúde".

Por outro lado, é positiva a reestruturação dos centros de saúde para criar "pequenas unidades de saúde familiares mais próximas do domicílio ou do local de trabalho dos utentes e mais correctamente sincronizados com os hospitais e as unidades que prestam cuidados prolongados".

A Comissão Europeia sublinha ainda que "o Estado [português] garante normas de qualidade nas instituições públicas e privadas", tendo criado uma autoridade independente para questões de qualidade.

O relatório destaca entre os desafios a que Portugal terá que dar resposta a melhoria da provisão de cuidados de longa duração e a redução das disparidades geográficas da oferta.

in Jornal de Notícias


Ver aqui o Relatório: "Relatório Conjunto sobre Protecção Social e Inclusão Social 2008"

Afinal, parece que Bruxelas discorda da política de saúde deste governo. O fecho de Maternidades, Sap's e outros centros de saúde, pelo interior veio acentuar a já má qualidade dos serviços de saúde, ao contrário do que afirmava o Ministro "coveiro" Correia de Campos. Neste relatório pode-se ler que o Estado se preocupou em políticas meramente economicistas, em detrimento das necessidades reais da população. Mas os nossos governantes pouco se importam, também será difícil importarem-se, se por um lado temos BRUXELAS a exigir o cumprimento do déficit, e por outro a dizer que o estado está com políticas meramente economicistas. O mal, é que BRUXELAS, não diz, e isso é que devia ser dito, que este pacto de estabilidade e crescimento (PEC) deve ser tomado nas áreas onde afectem menos as populações, que é para os governos não se agarrarem a isso e depois pratiquem estas políticas, que interessam a todos menos aos cidadãos. "Depois da casa roubada, trancas à porta." E oxalá, não venham os nossos Governantes, futuros, fazer demagogia com este relatório como o já fizeram com tantos ouros, tirando proveito político dos mais incautos.

O Mesmo relatório, agora segundo a notícia do Correio da Manhã, aponta para “Portugal tem mais desigualdades” onde consta, e passo a citar:

«Portugal é um dos Estados-membros da União Europeia (UE) que apresenta maior risco de pobreza e mais desigualdades na distribuição dos rendimentos, revela esta segunda-feira o Relatório Conjunto de 2008 Protecção e Inclusão Social.»

Poderá ler também este artigo em : ...beezzblog...

24 fevereiro 2008

PARA MEDITAR...

Um texto muito oportuno, de Eduardo Prado Coelho, publicado no Público, que todos devemos meditar sobre o mesmo, deixo-vos então com o dito:

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que Foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria-prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais Apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros. Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é 'muito chato ter que ler') e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar a alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações Médicas podem ser 'compradas', sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma Criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a Pessoa que está sentada finge que dorme para não dar-lhe o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes. Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como 'matéria-prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que nosso país precisa. Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte...

Fico triste. Porque, ainda que Sócrates fosse embora hoje mesmo, o próximo que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados... igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa Portugalidade autóctone Começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda... Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos Mandam um Messias. Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses Nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar. Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a nos acontecer: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido. Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?.... MEDITE!


EDUARDO PRADO COELHO

22 fevereiro 2008

Nem Interior nem Litoral

Do Diário Digital extrai-se este artigo que levanta a questão da complexidade geográfica do rectângulo, apesar da sua escassa dimensão, devida à administração territorial inadequada.

PR preocupado com regiões que não são nem interior nem litoral

O Presidente da República disse hoje estar muito preocupado com os problemas específicos das regiões do país que não são interior nem litoral e que, por isso, «não têm merecido o apoio necessário para modernizarem o seu tecido económico».

«Já há algum tempo que o meu gabinete está a recolher o máximo de informação sobre esta zona do país, que atravessa grandes dificuldades para enfrentar a concorrência de outros mercados, com o objectivo de organizar em breve uma visita», disse o chefe de Estado, reportando-se ao Vale do Sousa, Baixo Tâmega e Vale do Ave, onde vive cerca de um milhão pessoas.

Cavaco Silva, que falava durante a inauguração de um centro comunitário na freguesia de Lagares, Penafiel, disse que o país deve ter uma atenção especial para com as zonas que enfrentam problemas mais preocupantes, a maioria de natureza económica, mas que se traduzem em situações de exclusão social.

«Quero ajudar a região a alertar os poderes públicos, mas também as forças locais, para que se mobilizem no sentido de inverter os problemas«, destacou na sessão solene.

O Presidente respondia à intervenção do autarca de Penafiel, que alertara para «os indicadores preocupantes» da região do Tâmega, no interior do distrito do Porto, que enfrentam taxas de desemprego elevadas, baixos índices de poder de compra e altas taxas de abandono escolar precoce, apesar de ser das regiões mais jovens do país.

Cavaco Silva disse estar atento aos problemas de todos os portugueses, frisando que continuará a visitar todo o território nacional, incluindo os lugares mais pequenos, «para conhecer as inquietações, os problemas e as ambições de quem aqui tem as suas vidas».

O Presidente inaugurou o Centro Comunitário de Lagares, da Associação para o Desenvolvimento de Lagares, um equipamento que vai apoiar dezenas de idosos e crianças do concelho de Penafiel.

Cavaco Silva tinha estado na freguesia, em 1993, então como primeiro-ministro, inaugurando o centro social, onde hoje foi recebido em sessão solene.
Diário Digital / Lusa

20 fevereiro 2008

FIDEL CASTRO

Há cinquenta anos, mais propriamente quando Fidel Castro derrubou o regímen dos Baptistas, lacaios do terrorismo Norte-americano, que este terrorismo tudo fez para o assassinar. Fidel Castro vai embora por o seu pé. O terrorismo Norte-americano tudo fez para contrariar a revolução e tudo fez para matar o homem que conseguiu, ainda que com defeitos, dar uma identidade a Cuba e aos cubanos. A verdade é que nem o terrorismo Norte-americano mandou a Ilha de Cuba mar adentro nem Fidel Castro precisou, como disse, de «dar um arranhão» ao terrorismo, do qual, este jamais se curaria! O terrorismo ainda fica a fazer o seu terror. Fidel Castro foi embora quando entendeu que a sua jornada estava concluída. Melhor; quando ele próprio entendeu que o corpo do homem não é de ferro.
Muitos homens derrotaram, não poucas vezes, o terrorismo Norte-americano, mas Fidel Castro foi, sem sombra de dúvida, embora não esteja a tirar mérito a Ho Chi Minh nem a qualquer outro, o homem que mais lutou contra esse gigante malfeitor, bandido e terrorista estado Norte-americano.
Quando existir na Europa ou no mundo civilizado homens como Fidel Castro, jamais seremos servidores e lacaios do terrorismo Norte-americano. Passaremos a ter uma identidade e poderemos seguir o nosso caminho em paz com os outros povos que não querem a guerra.

David Santos

19 fevereiro 2008

Martin Luther King disse:

O que mais preocupa
não é o grito dos violentos,
nem dos corruptos,
nem dos desonestos,
nem dos sem-carácter,
nem dos sem-ética.

O que mais preocupa
é o silêncio dos bons.

18 fevereiro 2008

Você é um evelhescente???

Texto de Mário Prata extraído do blog «A casa da Mariquinhas» da nossa colega do Club Virtual de Seniores, Mariazita.

Se você tem entre 45 e 65 anos, preste bastante atenção ao que se segue.
Se você for mais novo, preste também porque um dia vai chegar lá.
E se já passou confira.
Sempre me disseram que a vida do homem se dividia em quatro partes, infância, adolescência, maturidade e velhice.
Quase correto. Esqueceram de nos dizer, que entre a maturidade e a velhice (entre os 45 e 65 anos) existe a EVELHESCÊNCIA.

A evelhescência nada mais é do que uma preparação para entrar na velhice, assim como a adolescência é uma preparação para a maturidade.
Engana-se quem acha que o homem maduro fica velho de repente. Assim da noite para o dia. Não!!! Antes, vem a evelhescência!!!
E, se você está em plena evelhescência, já notou como ela é parecida com a adolescência?

Coloque os óculos e veja como este novo estágio é maravilhoso.
Já notou que andam aparecendo algumas espinhas em você?
Assim como os adolescentes, os evelhescentes também gostam de meninas de 20 anos.
Os adolescentes mudam a voz. Os evelhescentes também.
Mudam o ritmo de falar, mudam o timbre. Os adolescentes querem falar mais rápido; os evelhescentes querem falar mais lentamente.

Os adolescentes não tem ideia do que vai acontecer com eles daqui a 20 anos. Os evelhescentes evitam pensar nisso.
Ninguém entende os adolescentes... Ninguém entende os evelhescentes...
Ambos são irritadiços, enervam-se com pouco.
Acham que já sabem de tudo e não querem palpites em suas vidas.
Às vezes um adolescente tem um filho, é uma coisa precoce. Às vezes um evelhescente tem um filho, é uma coisa "pós-coce"
Os adolescentes não entendem os adultos e acham que ninguém os entende.
Os evelhescentes também não se entendem."Ninguém me entende" é uma frase típica de evelhescente.
Quase todos os adolescentes acabam sentados na poltrona do dentista e no divã do analista. Os evelhescentes também. A contragosto, idem.
O adolescente adora usar um tênis e uns cabelos "da hora". O evelhescente também.
Sem falar nos brincos.
Ambos adoram deitar e acordar tarde.
O adolescente ama assistir um show de artista evelhescente (Caetano
Chico, Mick Jagger). O evelhescente ama assistir a um show de um artista adolescente.
O adolescente faz de tudo para aprender a fumar. O evelhescente pagaria qualquer preço para deixar o vício.
Ambos bebem escondido.
O adolescente esnoba que dá três por dia. O evelhescente quando diz uma a cada três dias está mentindo.
A adolescência vai dos 10 aos 20 anos. A evelhescência vai dos 45 aos 65.
Depois, sim, virá a velhice que nada mais é que a maturidade do evelhescente.
Daqui a alguns anos, quando insistirmos em não sair da evelhescência para entrar na velhice, vão dizer: "É um eterno evelhescente"!

.....Que bom!!!

17 fevereiro 2008

FUNCIONÁRIO JUDICIAL, UTILIZA E-MAIL DO MINISTÉRIO PARA CHAT COM PALAVRAS OBSCENAS...

Após o pedido de pessoa devidamente identificada, decidi colocar aqui esta denúncia, dando conta dum funcionário judicial, da comarca de Santa Maria da Feira, que utiliza o e-mail do ministério da justiça afecto aquele tribunal, usando palavras obscenas, como poderão confirmar na imagem abaixo. Penso que esta situação, será imprópria de uma pessoa com o seu nível, ou pelo menos deveria ser, atente-se então à dita imagem:


Clica na imagem para ampliares

É lamentável...

«Engenheiros» sem preparação em matemática

Acerca da actividade dos engenheiros, Fernando Santo, bastonário da Ordem dos Engenheiros, em entrevista ao Correio da Manhã publicada hoje, faz determinadas revelações de que extraio resumos no tocante à preparação teórica. Há diferenças entre o título académico e as competências profissionais exigidas para exercer uma profissão. Quando apenas existia o ISTécnico a Ordem recebia automaticamente dentro do seu seio os licenciados naqueles cursos. Depois nos anos oitenta quando o mercado começou a abrir a cursos públicos e privados, politécnicos e não politécnicos sem preocupação de dar competências, mas para receber alunos, uns por causa do negócio, outros porque queriam ter mais alunos para ter mais financiamento, numa espiral, a Ordem começou a perceber que não podia garantir competência de pessoas que entravam para cursos sem formação e saiam sem competências.

A partir do decreto de 1992 que aprovou os estatutos da Ordem, esta passou a implementar os exames de admissão, dispensando de exame os cursos que reconhece como de qualidade. Entende que não pode confundir uma licenciatura com um título profissional e portanto tem de ter um processo de avaliação que permita diferenciar competências.

Há cursos de engenharia que admitem alunos sem exigência da disciplina de matemática no 12 º ano. Sem física e milhares sem o 12 º ano, com mais de 23 anos. Foi a estratégia a que as escolas recorreram para terem financiamentos. Muitas escolas não põem a fasquia ao nível da competência que deve ser exigida à entrada em termos de formação, para que o curso que estão a dar permita ser absorvido pelos alunos, mas, pelo contrário, estão a pôr a escola ao nível da formação dos alunos para que a escola funcione.

É um desastre. E é por isso que a Ordem tem um papel incómodo para muita gente e há ataques à Ordem dos Engenheiros. Há a tentativa de muita gente dizer que as ordens têm de admitir aqueles que as escolas aprovarem. Mas, para isso bastaria abrir um balcão na Loja do Cidadão e cada adquire lá o título que quer e ficaria o problema resolvido! A Ordem, enquanto organização de interesse público criada pela Assembleia da República, não é para isto.

16 fevereiro 2008

CUSTA A ACREDITAR...

Será que o Marinho Pinto se estará a referir a algum destes ???? Eles não andam nus, andam cobertos pelo manto diáfono da fantasia... e nós não há maneira de dizermos que estes reis vão nus!





Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa
Agora - Presidente do BCP Angola

José de Oliveira e Costa:
Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)

Rui Machete:
Antes - Ministro dos Assuntos Sociais
Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho Executivo da FLAD

Armando Vara:
Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do BCP

Paulo Teixeira Pinto:
Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de "trabalho", Saiu com 10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até morrer…)

António Vitorino:
Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas "patacas" como comentador RTP)

Celeste Cardona:
Antes - Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da CGD

José Silveira Godinho:
Antes - Secretário de Estado das Finanças
Agora - Administrador do BES

João de Deus Pinheiro:
Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português.

Elias da Costa:
Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação -
Agora - Vogal do CA do BES

Ferreira do Amaral:
Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte)
Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato.

etc etc etc...

O que é isto ?
- Não, não é a América Latina, nem Angola. É Portugal no esplendor do gamanço e da cunha !!!


Depois deste relambório todo, ainda vem mais este seguinte, que quase dá para rir, não fosse a gravidade da situação, pese embora que quando a alma sair do governo passará para o lote dos descritos anteriormente, isto vai longe, ai vai vai...


José Sócrates tem, como devem saber, um assessor cultural. Trata-se de um típico intelectual luso, minimalista, de negro sempre vestido, triste e crítico de todas as artes, em tempos assessor de... Manuel Maria Carrilho. Chama-se Alexandre Melo, pertence como não podia deixar de ser, ao lobby gay e é grande amigo de outro célebre crítico de arte, também de negro sempre vestido, cujo nome é ANTÓNIO PINTO RIBEIRO, antigo funcionário da Culturgest e hoje em dia da Gulbenkian. Sócrates telefonou ao seu assessor a quem pediu que lhe indicasse o nome de alguém para substituir Isabel Pires de Lima no Ministério da Cultura e o seu assessor, sem hesitar, indicou António Pinto Ribeiro. Logo a seguir, telefonou o Melo ao amigo Pinto Ribeiro a quem preveniu que logo lhe telefonaria o Sócrates a convidá-lo para Ministro da Cultura. Exultaram os dois, e o indigitado futuro ministro ficou de olho e ouvido no telefone à espera de um telefonema que não havia maneira de chegar. Entretanto, Sócrates, no seu gabinete, solicita que o ponham em contacto com o Dr. Pinto Ribeiro. A telefonista procede com prontidão visto ter à mão uma lista de todos os funcionários superiores de todos os ministérios, um dos quais é o Dr. JOSÉ ANTÓNIO PINTO RIBEIRO, advogado de formação e profissão mas exercendo as funções de Presidente da Colecção Berardo no CCB, lugar para onde fora nomeado por ter sido o advogado intermediário entre o Joe Berardo e o Primeiro-Ministro por alturas da escandalosa história da transferência da chamada Colecção Berardo para o Centro Cultural de Belém! Sócrates cumprimenta-o calorosamente e convida-o para Ministro da Cultura, julgando estar a falar com o outro Pinto Ribeiro, o 'agente cultural' que lhe havia sido calorosamente recomendado pelo seu diligente assessor cultural. Muito à portuguesa o interlocutor a quem por equívoco o Sócrates estava a convidar para Ministro da Cultura respondeu imediatamente que aceitava SEM FAZER QUALQUER PERGUNTA a Sua Excelência. Sócrates desliga o telefone e informa o assessor do facto de ter o Pinto Ribeiro aceite o convite. O assessor dá-lhe parte do seu regozijo e telefona logo a seguir ao amigo para o felicitar e só nesta altura se apercebem ambos de como de enganos é feita a vida política em Portugal a tal ponto são ignorantes, trapalhões e imbecis os políticos lusos.

Esta história parece uma página arrancada a um romance do Eça de Queiroz.

E o Pior, é que estes senhores, saem sempre impávidos e serenos como se nada tivesse passado, triste PORTUGAL...

13 fevereiro 2008

Hostilizar sem argumentos é criancice tacanha

A transcrição do artigo de opinião de Baptista Bastos no DN de hoje, que se segue, é um desafio aos comentadores do estilo de «José de Sousa» (ver post Despesas de ministros pagas com cartão de crédito , no Do Mirante), que me parece um nome fictício do género de outros que por aqui têm aparecido ultimamente, para puxarem dos seus argumentos e demonstrarem que aquilo de que não gostam está errado e mostrarem como estaria correcto. Limitarem-se a tentar ofender os autores dos escritos, só demonstra a sua incapacidade intelectual e insensatez. Esta prosa de Baptista Bastos é uma oportunidade para uma interessante polémica.

Os Socialicidas
Baptista-Bastos, escritor e jornalista, b.bastos@netcabo.pt

Vai por aí algum alvoroço com as declarações de Manuel Alegre sobre as derivas do PS. O PS já nasceu com derivas: basta atentar nos seus fundadores. Provinham, quase todos, do antifascismo, mas ética e ideologicamente eram diferentes. De católicos "progressistas" a ex-comunistas, até republicanos de traça jacobina, o PS foi, quase, um trâmite freudiano de adolescentes contra os pais. O que os impediu de compreender as mitologias da social-democracia, esta mesma diversamente interpretada e opostamente aplicada nos países escandinavos. Provinham de uma leitura catequista do marxismo, caldeada na experiência da República de Weimar.

Quando, no PREC, se gritava: "Partido Socialista, partido marxista!" - a exclamação estava a mais. A interrogação seria mais apropriada. O estribilho ficou mudo, quando Willy Brandt mandou dizer que as estentóricas frases eram estranhas à teologia do "socialismo democrático". Por essa época, Manuel Alegre, numa entrevista que lhe fiz, disse, dramático, que "a social-democracia era a grande gestora do capitalismo". Goste-se ou não dele, a verdade é que nunca foi ambidextro na forma de protestar.

Na realidade, há muitíssimo poucos socialistas no PS; no Governo, parece-me que nenhum. Observo aquelas figuras, marcadas por uma espécie de misticismo barroco, e pergunto-me: que tem feito pelo País esta gente de manejos burocráticos e de cerviz dobrada ante o Príncipe? Nada. Pior: tem cometido o mais condenável de todos os crimes - o socialicídio.

Não é de agora, o delito. Com José Sócrates, socialista de ocasião, propagandeou-se a "esquerda moderna" como justificação de todas as malfeitorias ideológicas, sociais, morais e éticas. Mas ele resulta de uma génese política malformada. As "tendências" no PS, desenvolvem-se, exclusivamente, com palavras e frases protocolares. E os poucos que pertencem a uma genealogia oposta são marginalizados ou tidos como anacronismos.

Há, nesta gente, falta de garra, de honra, de competência, de credibilidade, de integridade, de vergonha. Trabalhadores precários: 1 700 000. População empregada: 5,2 milhões de pessoas. Desempregada: cerca de meio milhão. Dois milhões de portugueses na faixa da pobreza. São conhecidos os vencimentos escandalosos, as mordomias, as pensões de reforma não apenas no "privado" como no "público". O regabofe na sociedade portuguesa é mais do que revoltante. O PS é uma desgraça. O Governo "socialista" uma miséria. E ambos têm de saciar imensos e sôfregos apetites.

Manuel Alegre repetiu o que se sabe - e que só o não sabe quem o não quer saber. Afinal, pouco se ambiciona do PS: apenas um bocadinho de socialismo.

12 fevereiro 2008

ABORTO NÃO REALIZADO

A gravidez veio na hora indesejada, lembrava-se Laura. Veio na hora errada e ainda trazia riscos de várias ordens. A saúde debilitada, problemas familiares, o desemprego...

Seu primeiro impulso foi o aborto. Tomou uns chás que, em vez de "resolver", a debilitaram ainda mais.

Recuperada, buscou uma dessas pessoas que arrancam, ainda no ventre, o chamado problema das mães que não desejam levar adiante a gestação.

Naquele dia, a parteira havia adoecido e faltara.

Laura voltou para casa preocupada, mil situações lhe passavam pela mente.

À noite, deitou-se e custou a adormecer, mas foi vencida pelo sono. No sonho viu um belo jovem pedindo-lhe algo que, na manhã seguinte não soube definir.

Durante todo o dia não conseguiu tirar aquela imagem da mente, de sorte que esqueceu a gravidez.

Na noite seguinte voltou a sonhar com o mesmo jovem, só que acordou com a agradável sensação de tão doce quanto agradável "obrigado".

Era como se ainda visse seus lábios pronunciando palavras de agradecimento, enquanto de seu coração irradiava uma paz indefinível.

Desistiu do aborto. Enfrentou tudo, superou todos os riscos e saiu vitoriosa...

Hoje, passados 23 anos do episódio, ouve consternada seu belo e jovem filho pronunciar, do púlpito da solenidade de sua formatura, ante uma extasiada multidão:

....agradeço sobretudo à minha mãe, que me alimentou o corpo e o espírito, dando-me não só comida, mas carinho, companhia, amor e, principalmente, vida.

E, olhando-a nos olhos, o filho pronunciou, num tom inconfundível:

- Obrigado!

Ela não teve dúvidas. Foi o mesmo obrigado, doce e agradável de um sonho, há 23 anos...

.........................................

A mulher que nega o ventre ao filho que Deus lhe confia, nega-se a si mesma a oportunidade de ouvir a cantiga alegre da criança indefesa a rogar-lhe carinho e proteção.

Perde a oportunidade de dar à luz um espírito sedento de evolução, rogando-lhe uma chance de reencarnar, para juntos superarem dificuldades e estreitarem laços de amizade e afeto.

Se você mulher, está passando pela mesma situação de Laura, mire-se no seu exemplo e permita-se ser mãe.

Permita-se sentir, daqui há alguns meses, o agradecimento no olhar do pequenino que lhe roga o calor do colo e uma chance de viver.

Conceda-se a alegria, de daqui há alguns anos ornamentar o pescoço com a jóia mais valiosa da face da terra: os bracinhos frágeis da criança, num abraço carinhoso a lhe dizer: obrigado mamãe, por ter me permitido nascer e crescer, e fazer parte desse mundo negado a tantos filhos de Deus.

11 fevereiro 2008

MAIS UM ROUBO...

Bem, isto vai de mal a pior, após receber este e-mail de uma pessoa devidamente identificada, fiquei com um pouquinho de gosto satânico na alma, é inacreditável, o que os Bancos, sob a égide destes pulhas do BANCO DE PORTUGAL e o Governo da treta, liderado pelo Pinóquio Mentiroso e aldrabão, fizeram a este cidadão, e não faltará muito, será na generalidade, ou seja a todos nós com PPR's. Leiam pf com muita atenção:

Em Março de 2002 comprei um PPR a um balcão do banco TOTTA. Abri com 1000€ e era tirado da minha conta á ordem 50€ todos os meses que eram acrescentados à conta do PPR. Achei que era boa ideia pois alguma coisa que acontecesse no futuro tinha ali um pé de meia onde me agarrar. Até porque não era o primeiro que fazia(noutras instituições) e nunca tinha tido problemas.

Li o contrato, ficando com as condições gerais em meu poder, as quais dizem bem explicito que não posso levantar o PPR em caso algum, antes de 5 anos, a menos que me encontrasse no desemprego de longa de duração ou doença que me impossibilitasse de trabalhar.

Ora em Fevereiro de 2004 fiquei desempregada! Fui vivendo tapando dum lado, destapando do outro. Até que cheguei a um ponto que em Outubro de 2006 tive que recorrer ao PPR pois estava em risco de perder a minha casa.

Nessa altura tinha depositado no PPR á volta de 4000€ e dirigi-me a um balcão do TOTTA para fazer um resgate de 1700€ o qual foi feito sem qualquer problema nem perguntas nem pedido de qualquer documento que provasse a minha situação de desemprego(ainda perguntei se devia entregar alguma prova e disseram que não precisava, é que o PPR só fazia os 5 anos em Março de 2007,daí a minha pergunta)

Em Janeiro, e como a situação subsistia, dirigi-me novamente ao Balcão para fazer novo resgate, desta vez de 1000€, e cancelar as entregas periódicas de 50€, pois não podia continuar a faze-lo. Demoraram quase um mês para transferir o dinheiro para a conta á ordem. O DINHEIRO NÃO APARECIA!

Nessa altura estavam lá cerca de 2450€ (4000-1700=2300+150(3 meses de entregas de Outubro a Janeiro)= 2450€) assim que os 1000€ entraram na conta,1 mês depois do pedido, e achando estranho a demora, desconfiei que se passava qualquer coisa e mais uma vez dirigi-me ao balcão a saber o que se passava. Pedi o resgate do restante dinheiro(que seriam 2450€)e o encerramento do PPR, e qual não é o meu espanto!.... a transferência para a conta à ordem foi de..... 239€

Pedi explicações e ninguém sabia responder. Dirigi-me então, a concelho do gerente do Balcão, ao TOTTA SEGUROS na Rua da Mesquita em Lisboa. Uma vez ali, fui recebida no Hall de entrada, depois de passar por um detector de metais(eu pergunto? quem são os LADRÕES nesta história) onde me foi pedido que fizesse uma carta a pedir as devidas explicações, o que eu fiz ali mesmo.

Quinze dias depois recebo a resposta em casa! Uma carta cheia de equações matemáticas, a justificar o porquê de chegarem aquele valor(239€). Não ficando satisfeita com aquela explicação, até porque não percebia nada daqueles hieróglifos, enviei várias cartas registadas a pedir explicações. Cartas essas que nunca obtiveram resposta da parte do TOTTA SEGUROS.

O tempo ia passando e resposta nada! Decidi então apresentar queixa no INSTITUTO PORTUGUÊS DE SEGUROS. Aí fiz uma carta explicando a situação e entregando fotocópias de todos os papeis, inclusive as condições gerais que tenho em meu poder e pelas quais me regi para comprar aquele produto.

Quase um mês depois, recebo resposta do IPS, que me dava total razão mas como mediador apenas podiam tentar resolver as coisas pela via do diálogo e me aconselhavam a dirigir-me a um advogado pois só pela via judicial seria possível de resolver.

Dirijo-me então à DECO, primeiro por email depois pessoalmente. Mais uma vez conto toda a minha história. Eles receberam a queixa, avaliaram e o departamento jurídico deu-me razão. A DECO fez várias tentativas de contacto mas o TOTTA SEGUROS nunca se dignou responder, até que a DECO me enviou uma carta a informar-me que tinha que encerrar o processo visto o TOTTA não responder ás cartas por eles enviadas (a uns sócios expõem os casos na comunicação social, a outros fica por isso mesmo) e eles (DECO) apenas funcionam como moderadores e não têm poderes jurídicos para resolver as situações. Mais uma vez me aconselham a ir para tribunal.

Acontece, meus amigos, que pelo valor em causa(1300€ que o TOTTA me ROUBOU) nenhum advogado quer pegar no assunto e como não tenho dinheiro(o TOTTA ficou-me lá com o resto) para fazer pagar esta injustiça não consigo pôr as coisas a funcionar.

Este é o País que temos meus amigos!

Contra os grandes como é que nos defendemos? Já pensaram o quanto somos frágeis em relação aos bancos? Eles põem e dispõem do nosso dinheiro como muito bem entendem, tiram
dinheiro das nossas contas, dizendo que são taxas daqui e dali sem nos darem cavaco.

Já pensaram nisso??

Hoje foi comigo!

Amanhã pode ser com vocês!

Vamos alertar as pessoas, para evitar que sejam enganadas e não comprar estes produtos a estes LADRÕES que têm cada vez mais lucros á nossa conta...


Após este relato, acho que já não me espanta nada destes sangussugas, destes pulhas, destes bandalhos (Advogados incluídos), que tanta "FILHA DA PUTICE" junta fazem. MAS A MIM NINGUÉM ME CALA!!!


E para memória futura, aqui fica este vídeo, atentem:

10 fevereiro 2008

ASSALTO AO ERÁRIO PÚBLICO

Num país na cauda da UE, onde há tantas diferenças sócio-económicas a nivelar, com um Governo que se diz socialista, de rigor e transparência, forte com os fracos , mas fraco com os fortes, sem a coragem de mexer com os lobies por assim lhe convir.

FDP tratantes cínicos e egoistas a que o pobre povo está sujeito !!!!

Infelizmente igual procedimento adopta noutras empresas públicas ou onde o estado é maioritário.

, TPM, GalpEnergia, etc.etc.......




Subject: BANCO PORTUGAL - UM ESCÂNDALO PÚBLICO




MAS QUE VERDADE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



Pobre PORTUGAL !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

IUC - IMPOSTO ÚNICO DE CIRCULAÇÃO

O estado (esta vergonha de estado) procura incessantemente pagar as suas exuberâncias, as suas extravagâncias, desta feita à custa de quem, de todos nós, claro. O príncipio da legalidade e da lógica, que para as SCUT assim funciona, o tal utilizador/pagador, no IUC não se procede dessa maneira, pode ser um galinheiro (carro velho) e estar parado à 20 anos, que se o livrete e registo existir, o seu dono terá de pagar o dito IUC. E só para dificultar, se a pessoa quiser anular as matrículas, só com o documento para abate, caso contrário a extinta DGV, nega-se a tal acto, tudo, é claro, em prol de mais uns euritos para os cofres do estado.

Mas se porventura, o dito veículo tiver sido vendido à mais de 10 anos, a um fulano(a) que se esteve a borrifar para o registar em seu nome (qual adivinho Zandinga) antevendo esta situação, e para agravar, se não se souber o paradeiro da dita viatura, nem quem a possui, aí tudo se torna mais difícil, ou direi mesmo impossível de nos desenvencilharmos deste imbróglio fiscal.

Passa-se comigo, uma situação caricata, e certamente se irá passar com muitos mais portugueses e contribuintes nos próximos meses, pois não irei pagar o imposto, visto ter anulado a matricula duma viatura que vendi à mais de 10 anos, e não sei onde esta se encontra, tendo pelo menos à 8 anos emitido um mandato de apreensão da mesma. A polícia, entretanto, não a encontrou, sei por fontes travessas que esta viatura não possui seguro válido à 10 anos, o último registo de seguro válido foi em meu nome, e a extinta DGV, diz-me que não me cancela as matriculas, e eu tenho as finanças à perna para pagar o IUC.

Depois, dizem-me que se não pagar, na altura de receber o IRS, este será retido por falta de cobrança do imposto em falta. Bom mas afinal de contas, o que vem a ser esta palhaçada?

Que o estado anda aflitinho, por culpa própria, como é óbvio, para pagar o IRS deste ano, visto já ter até dado instruções para as empresas descontarem menos neste imposto aos trabalhadores, eu sei, agora misturar alhos com bugalhos... meus senhores, ide todos para a PATA QUE VOS PATOU.

Ah... e não pago, disso podereis ter a certeza, ainda vai dar pano para mangas, nem que vá até ás últimas consequências, mas pagar por uma merda de um imposto (10€) por uma lei feita por incompetentes, disso podem tirar o cavalinho da chuva...

VAMOS A VER QUEM GANHA SR. MINISTRO, EU SOU O MAIOR TEIMOSO QUE EXISTE, TENDO A RAZÃO DO MEU LADO, E A MIM NINGUÉM ME CALA!!!


ACTUALIZAÇÃO EM 12/02/2008

Após ter ido á repartição de finanças da minha área de residencia, o chefe de serviços, depois de lhe explicar o facto, e ter exposto a minha situação, aconselhou-me a não efectuar o pagamento do referido IUC, motivado pela confusão geral que se está a gerar nestes serviços de finanças um pouco por todo o país. Afirmou, no entanto que os serviços centrais estarão a proceder às correcções necessárias face ao aumento de reclamações de contribuintes lesados.

Vamos ver no que vai dar...

Post em actualização permanente.

06 fevereiro 2008

Arte Autismo Brasil

Mensagem da mãe de um autista recebida por e-mail que merece ser divulgada para este caso ser conhecido dos leitores a fim de ajudarem na medida em que a arte e a solidariedade os possa interessar.

Oi João Soares,

Entrei no seu blog através de uma pesquisa no google sobre se deve beber-se água gelada ou quente após as refeições. Gostei muito da matéria e do seu perfil que gosta de saber o que se passa pelo mundo.

Eu me chamo Raymunda (Ray) moro no Rio de Janeiro Brasil.
Tenho um filho, o Filipe que tem autismo, mas que pinta quadros.

Tudo começou quando ele tinha dois anos, ele foi incentivado pela terapeuta a desenhar, então com canetinhas ele passou a desenhar mini bolinhas que se agruparam formando céus em três dimensões. Como eu buscava uma resposta para o que ele tinha (na época ele apresentava sintomas do autismo, mas eu não sabia o que era), guardei todos esses desenhos numa pasta. Com o tempo ele deixou de falar, nos informando o que sentia com gestos ou escrevendo já que aprendeu a ler e escrever sozinho com 3 anos. Eu sempre busquei uma cura e não achava, Mas com 18 anos e eu o coloquei em aulas de arte , onde aprendeu a manusear os pincéis.

Eu via muitos quadros produzidos por ele e sua professora. Mas isso eu não queria. Queria algo que viesse do seu inconsciente para saber o que ele tem e o como ele está no seu interior. Fiz uma experiência com ele. Comprei telas e tintas a óleo para ele pintar em casa. Ele então pintou todos esses quadros que estão no site http://www.arteautismo.com/

Nesses trabalhos Não existem nenhuma interferência de nenhuma parte. Seria um crime permitir isso. Essas pinturas mostram que Filipe tem por dentro. Já recebi muitas propostas para vender. Mas não vendi, claro que Filipe precisa de dinheiro para ter suas coisas, mas eu acho que é uma pesquisa todos esses quadros, alguém um dia vai saber o que dizem.

Por isso peço João que você veja o site, se possível agregue aos seus favoritos e indique aos seus amigos. Essa é uma mensagem solitária que envio ao mundo. Como aquela da garrafa que contem uma mensagem dentro e circula pelo mar.
Um grande abraço desde o Brasil
Ray
Publicado também nos blogs, http://www.domirante.blogspot.com/, http://cvssemprejovens.blogspot.com/

05 fevereiro 2008

LUGAR MÁGICO


Desculpem por este incómodo.

Este post é uma experiência que estou a fazer para conseguir explicar a um amigo como se coloca imagens e links no blogger pois não tenho grande experiência no blogger. Se ao clicarem na porta de entrada gostarem do que virem, apesar de ser uma experiência, então creio que não se importarão que a porta fique aqui. Se preferirem poderão apagar este post.

Beijinhos para todos.

Alexandra Caracol

04 fevereiro 2008

A TRISTE SINA DE SERMOS PORTUGUESES...

Muitas revoluções nos esperam, muitas convulsões irão acontecer, o ano de 2008, já está na calha do ano da convulsão social. Os patrões (CIP) querem reduzir postos de trabalho a seu belprazer, onde o sacrifício humano late com dor e sofrimento. Não importa saber de que forma os patrões querem fazer a redução, seja com o conceito de justa causa "mais alargado", dizem estes, seja com as indemnizações a ser pagas mais "leves", também segundo estes. O que é certo, é que à custa de muitas empresas mal geridas, de compras faraónicas com desvios de capital das próprias que ninguém investiga, seja com lucro e enriquecimento pessoal dos gerentes e gestores destas, o desgraçado é sempre o mesmo.

É o mesmo, que paga e não bufa, é o mesmo que não tem hospitais de qualidade, que tem uma justiça de merda, lenta e fortuita, sempre em prol dos mesmos, é aquele que desempregado tem de palmilhar para encontrar forma de sustentar a família, é aquele que não tem dinheiro para educar os filhos, e é principalmente aquele que hoje trabalha, desconta, é sugado até ao tutano, para dar a estes mamões, e qual quadrilha mais bem montada que se ri, e se diverte enquanto estes pobres tem a faca ao pescoço empunhada pelos bancos e credoras assassinas que lhes retiram o pouco que resta, que meras migalhas mais não o são.

É esse povo, que defendo, são esses trabalhadores que dou voz, ao meu Portugal embrenhado até às entranhas de malfeitores oportunistas. Falo, falo alto e berro comó caraças, sou até capaz de gritar... a minha voz, ainda que embargada pela tristeza de que este povo, tem a triste sina se ser PORTUGUÊS...

Ah... mas um dia, um dia será a mudança, um dia acordarei, ainda que no além, e verei, todos os pulhas e escroques, com as cabeças penduradas em cepos, ao deus dará, pois ninguém ousa sequer em tocar-lhes com medo de maleitas... Um dia, este país será um país do catano.

Resta saber quando...

Carlos Rocha

03 fevereiro 2008

Data do Carnaval

O Carnaval constitui uma data do calendário religioso, por marcar o início da Quaresma, período de 40 dias de penitência e jejum, em memória dos 40 dias de jejum que Jesus passou no deserto. As grandes festas religiosas correspondem a festividades do paganismo, ligadas ao sol e ao calendário lunar. Esta correspondência faz-nos admirar o sentido prático dos filósofos fundadores do cristianismo, que adoptaram todas as festividades do paganismo a fim de as populações da época não serem forçadas a mudanças de costumes. Foi esse sentido prático que faltou ao ministro da Saúde para levar as pessoas a aceitarem as suas reformas, sendo algumas delas necessárias e adequadas às realidades, mas que não foram bem explicadas aos utentes.


Para uso dos leitores deste blogue, deixo aqui um apontamento explicativo da data do Carnaval, uma festa móvel, variável de ano para ano: Depois do equinócio da Primavera a 21 de Março, o primeiro domingo após a primeira lua-cheia (21 de Março, este ano) é a PÁSCOA (eram as festas da Primavera, anteriores ao cristianismo). Neste ano é em 23 de Março. Contando sete semanas para trás, período da quaresma, chega-se ao Domingo Gordo (3 de Fevereiro) e o CARNAVAL é na terça-feira seguinte (5 de Fevereiro).


Parece ser fácil descortinar a mobilidade destas festas! Este ano a data é quase a mais temporã possível. Para a Páscoa ser a 21 seria necessário que esse dia fosse domingo e fosse Lua-cheia, grandes coincidências, muito raras!

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas