13 agosto 2010

Os fogos acabam hoje ???

Perante a notícia de que «Cavaco e Sócrates vão interromper as férias por causa dos fogos», a primeira ideia foi de que quisessem contribuir para o «recompletamento do efectivo» dos bombeiros, depois de ter havido baixas em vários corpos com mortos e feridos, no combate às chamas e nos deslocamentos de e para os locais de actuação.

Mas estava equivocado, pois trata-se de um encontro ao mais alto nível em que também tomará parte o MAI e quadros superiores da Protecção Civil. Será que de tal encontro resultará a paragem imediata das chamas e a detenção dos incendiários ? Os fogos acabarão hoje? Quais serão os benefícios advenientes para os portugueses?

A Política, ciência e arte de gerir os destinos de um Povo, é feita com decisões oportunas e adequadas, mais ou menos do género das sugeridas no post «Fogos florestais. Mais vale prevenir!!! » e não com palavras inócuas, vazias de conteúdo e de elevação como as referidas no post «Fogos testam capacidades de génios» ou com o actual encontro devidamente publicitado, que a comunicação social transformará em «show-off» ou, como dizem os franceses, servirá «pour épater le bourgeois».

Tudo leva a crer que os custos por vezes citados do combate aos fogos revertem em benefício de empresas e instituições para quem isto é um bom negócio mas, por outro lado, ninguém faz uma estimativa dos custos para as pessoas das áreas atingidas pela tragédia e para o ambiente.

Somados todos os custos e libertando-se o Estado do clientelismo dos beneficiados, pode concluir-se que ficaria mais barato e mais benéfico para as populações e para o ambiente fazer tais gastos em trabalhos sistemáticos e organizados de prevenção, na limpeza das matas e áreas rurais, na abertura de aceiros e construção de pontos de água.

Porque não se começa já a estudar e organizar a prevenção para que no próximo ano não haja calamidade semelhante à deste ano? E porque não se fez tal prevenção nos anos anteriores?

Imagem da Net

4 comentários:

victor simoes disse...

Estimado amigo João Soares, quantas reuniões ao mais alto nível, já teve o sr. Primeiro Ministro José Sócrates por causa dos incêndios? O assunto é recorrente e lembro os seus posts, datados de Agosto de 2006 aqui na Voz do Povo " Prioridade à Prevenção dos Fogos"

http://comnexo.blogspot.com/2006/08/prioridade-preveno-dos-fogos.html#links

Daí, este ano apenas se fala de mais do mesmo, os fogos... relativamente ao Governo, promessas e mais promessas e uma mão cheia de nada! Nada de efectivo se tem feito, para além do que já se fazia... nada!

Na minha opinião, existem muitos beneficiários do rendimento de inserção social, desempregados, presidiários e o exército, que poderiam ser chamados à prevenção dos fogos logo na Primavera, estendendo-se os serviços até final do Verão!

O país pouparia muito dinheiro, conservaria a floresta e o ambiente e aínda poderia ganhar algum dinheiro com as coimas aplicadas aos proprietários que não tratassem de manter limpas as suas propriedades. Certo que o Estado, não mantém as suas matas limpas, é o primeiro prevaricador,passaria a poder dar o exemplo.

Boa semana
Um abraço

A. João Soares disse...

Amiga Victor,

Parece que me quer dizer que, como de muitas outras reuniões, desta vez a montanha irá parir um rato! Então para que se dignam interromper as férias?

Os fogos florestais e o desleixo nos cuidados de prevenção têm constituído motivo de preocupação desde há muito tempo, com maior acuidade desde que tive a responsabilidade de criar o Serviço Municipal de Protecção Civil de Loures, mais tarde através de cartas aos directores de jornais e, desde há quatro anos, na blogosfera.

Tive agora o prazer de o amigo Victor Simões me recordar de um post que publiquei em 16 de Agosto de 2006 em que defendia a necessidade de dar prioridade à prevenção. Muito obrigado. Deixo agora um linK mais fácil de abrir

Prioridade à prevenção dos fogos

Infelizmente, a incapacidade dos governantes ou a sua falta de coragem de contrariar os interesses instalados ligados ao combate ás chamas, permitiu a calamidade que estamos a atravessar.

Qualquer gesto ou palavras de políticos não têm passado de areia lançada aos olhos dos eleitores, baixos truques da política com p minúsculo. Só fumaça e espectáculo mediático.

É certo que, nas condições actuais das florestas, a alta temperatura do ar encarrega-se a de fazer alastrar a combustão para áreas mais vastas. A boa decisão está em reduzir a carga de combustível e, por outro lado, em punir os incendiários que forem detectados de forma a servir de dissuasor.

Aí haveria que rever o sistema de Justiça, pois não seria justo punir severamente quem queima um cerro e deixar impune um governante que incendeia o País inteiro, fechando escolas, encerrando maternidades, retirando centros de saúde, aumentando os impostos, retirando subsídios sociais, abandonando património cultural, histórico, arqueológico, monumental, etc, etc.

Abraço
João

Beezzblogger disse...

Amigo João, de facto isto mais me parece uma loja de horrores, com tanta estupidez junta, e com tanta incompetência alastrada.

Os fogos florestais, são um negócio lucrativo para todos, menos para os Bombeiros nalguns casos, e para as populações e as florestas ardidas, por conseguinte, a natureza.

Tenho conhecimento, de um negociante de madeira, hoje já não o é, pois reformou-se, que me disse certa vez, em confidência.

"Sabes que esta coisa de incendiar as matas, um gajo poupa uma pipa de massa, porque a Madeira ardida, vale menos de metade do preço que valeria em estado maduro", "e anda para aí muito gajo a negociar, que depois uns dias antes de fazer o corte, vai lá deitar o fogo, para pagar um terço do valor que acordou".

Eu não queria acreditar no que estava a ouvir, fiquei parvo para a minha vida, e hoje, além do negócio da madeira ardida, há ainda o negócio como diz, dos aviões e dos helicópteros, portanto, mais terá de arder, para dar de mamar a muito mais gente.

Um Abraço do Beezz

A. João Soares disse...

Caro Carlos Rocha,

Nada do que conta me surpreende. Nem é propriamente uma loja de horrores mas o País funciona como um antro de um bando numeroso, em que há um comportamento de cumplicidades de conivências, amiguismos, compadrios. Os eleitos que estão no poder têm as mãos atadas pelos homens dos «robalos», sujeitos às algemas dos bancos, das grandes empresas que lhes garantem o tacho dourado para o resto da vida.
Veja o post linkado no comentário anterior já escrito há quatro anos em que defendia uma prevenção eficaz. Mas nada foi feito nesse sentido a não ser discursos cheios de promessas, mas o verão chega e tudo arde sem travões.
Deixo aqui dois links, para se ver a ineficiência do MAI, perante a solução do problema.
Fogos florestais imparáveis
Fogos testam capacidades de génios

Um abraço
João
Só imagens

13 de Agosto de 2010 21:38

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas