08 abril 2013

A manipulação do mercado do ouro pelo Fed ( Federal Reserve System )

por: Paul Craig Roberts (1)
 
 (1) Ex-secretário assistente do Tesouro dos EUA e editor associado do Wall Street Journal. O seu livro mais recente é The Failure of Laissez-Faire Capitalism .
 
O assalto ao ouro.
 
Para os americanos, o Armagedão financeiro e económico pode estar muito próximo. A evidência para esta conclusão é o esforço conjunto do Federal Reserve e suas instituições financeiras dependentes para atemorizar as pessoas e afastá-las do ouro e da prata deitando abaixo os seus preços.

Quando os preços do ouro atingiram os US$1.917,50 por onça ( 1 onça-troy = 31,103 gramas ) em 23 de Agosto de 2011, um ganho de mais de US$500 por onça em menos de oito meses, chegando ao clímax de uma ascensão ao longo de uma década, a partir de US$271 no fim de Dezembro de 2000, o Federal Reserve entrou em pânico. Com o dólar americano a perder valor tão rapidamente em comparação com o padrão das moedas do mundo, a política do Federal Reserve de imprimir US$1 milhão de milhões (trillion) anualmente a fim de suportar os deficientes balanços dos bancos e financiar o défice federal foi posta em perigo. Quem podia acreditar que a taxa de câmbio do dólar em relação a outras divisas quando o valor do dólar estava a entrar em colapso em relação ao ouro e à prata?

O Federal Reserva percebeu que suas compras maciças de títulos a fim de manter altos os seus preços (e portanto baixas as taxas de juros) estavam ameaçadas pela rápida perda do valor do dólar em termos de ouro e prata. O Federal Reserve estava preocupado [com a possibilidade] de que grandes possuidores de dólares americanos, tais como os bancos centrais da China e do Japão e fundos de investimento soberanos de países da OPEP, pudessem somar-se à fuga dos investidores individuais dos US dólares, o que acabaria na queda do valor cambial do dólar e portanto no colapso dos títulos dos EUA e dos preços das acções.

As pessoas inteligentes não podiam deixar de ver que o governo dos EUA não podia permitir-se as longas e numerosas guerras que os neoconservadores estavam a engendrar ou a perda da base fiscal e do rendimento dos consumidores devida à deslocalização de milhões de empregos da classe média estado-unidense para o benefício dos bónus de executivos e ganhos de capital de accionistas. Eles podiam ver o que estava nas cartas e começaram a deixar o dólar substituindo-o por ouro e prata.

Os bancos centrais são mais lentos para actuar. A Arábia Saudita e os emirados do petróleo estão dependentes da protecção estado-unidense e não querem enraivecer o seu protector. O Japão é um estado fantoche que é cuidadoso no relacionamento com o seu mestre. A China queria agarrar-se ao mercado consumidor americano enquanto esse mercado existisse. Foram indivíduos os que começaram a sair do US dólar.

Quando o ouro chegou ao topo dos US$1.900, Washington avançou com a estória de que o ouro era uma bolha. Os media caíram na linha da propaganda de Washington. "O ouro parecia um pouquinho borbulhante", declarou a CNN Money em 23 de Agosto de 2011.

O Federal Reserve utilizou os seus dependentes "bancos demasiado grandes para falir" para curto-circuitar os mercados de metais preciosos. Através da venda a descoberto no mercado em papel de barras de ouro contra a elevação da procura pela posse física, o Federal Reserve foi capaz de rebaixar o preço do ouro para US$1.750 e mantê-lo mais ou menos coberto até recentemente, quando um esforço conjunto em 2-3 de Abril de 2013, reduziu o ouro para US$1.557 e o da prata, a qual havia-se aproximado dos US$50 por onça em 2011, para US27.

O Federal Reserve começou o seu assalto ao ouro em, 1º de Abril, Dia dos Tolos, enviando a conversa a casas correctoras, as quais rapidamente transmitiram aos clientes, de que hedge funds e outros grandes investidores estavam em vias de descarregar suas posições em ouro e que os clientes deveriam sair do mercado de metal precioso antes destas vendas. Como esta informação interna era a própria estratégia do governo, indivíduos não podem ser por actuarem de acordo com ela. Com esta operação, o Federal Reserve, uma entidade totalmente corrupta, foi capaz de combinar fuga individual com fuga institucional. Os preços das barras levaram uma grande pancada e a teimosia afastou-se dos mercados de ouro e prata. O fluxo de dólares para as barras, o qual ameaçava tornar-se uma torrente, foi travado.

Por enquanto parece que o Fed teve êxito em criar receios entre americanos acerca das virtudes do ouro e da prata e, portanto, o Federal Reserve estendeu o tempo em que pode imprimir dinheiro para manter o castelo de cartas de pé. Este tempo pode ser curto ou pode perdurar um par de anos.

Contudo, para os russos e chineses, cujos bancos centrais têm mais dólares que eles alguma vez quiseram, e para os 1,3 mil milhões de indianos na Índia, o preço baixo do ouro que o Federal Reserve engendrou é uma oportunidade. Eles vêem como uma prenda a oportunidade que o Federal Reserve lhes deu para comprar ouro a US$350-US$400 por onça a menos de dois anos atrás.

O ataque do Federal Reserve ao ouro em barra é um acto de desespero que, quando for amplamente reconhecido, condenará a sua política.

Como expliquei anteriormente, o movimento orquestrado contra o ouro e a prata é para proteger o valor cambial do US dólar. Se o ouro não fosse uma ameaça, o governo não estaria a atacá-lo.

O Federal Reserve está a criar US$1 milhão de milhões de novos dólares por ano, mas o mundo está a afastar-se da utilização do dólar para pagamentos internacionais e, portanto, como divisa de reserva. O resultado é um aumento na oferta e uma diminuição na procura. Isto significa uma queda no valor cambial do dólar, inflação interna com o aumento dos preços de importação, uma ascensão na taxa de juro e colapso nos mercados de títulos, acções e imobiliário.

A orquestração do Federal Reserve contra o ouro não pode ter êxito no final das contas. Ela é concebida para ganhar tempo para o Federal Reserva poder continuar a financiar o défice orçamental federal através da emissão de moeda e também para manter taxas de juro baixas e preços da dívida altos a fim de suportar os balanços dos bancos.

Quando o Federal Reserve já não puder mais emitir devido ao declínio do dólar, o qual a emissão agravaria, depósitos em bancos estado-unidenses e pensões poderiam ser sequestrados (grabbed) a fim de financiar o défice do orçamento federal por mais um par de anos. Seja o que for para protelar a catástrofe final.

A manipulação do mercado de ouro é ilegal, mas o governo está a fazer isso de modo a que a lei não seja aplicada.

Pelos seus ataques óbvios e concertados ao ouro e à prata, o governo dos EUA não poderia dar qualquer advertência melhor de que perturbações estão a aproximar-se. Os valores do dólar e de activos financeiros denominados em dólares estão em dúvida.

Aqueles que acreditam no governo e aqueles que acreditam em desregulamentação demonstrar-se-ão igualmente errados. Os Estados Unidos da América passaram o seu zénite. Como previ no princípio do século XXI, em 20 anos os EUA serão um país do terceiro mundo. Estamos na metade do caminho.

Sem comentários:

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas