02 fevereiro 2009

Quantas Serão...




Poema escrito por Conceição Bernardino e lido por Vóny Ferreira


"QUANTAS SERÃO..."

Uma criança de olhar rasgado

impetuosa, de maus tratos

afagados de lonjura,

sequiosa de mil carinhos

brinca com a fome

nos vales da miséria,

num infantário descampado

de doença e tortura.



Já se escondem entre a morte

e o cheiro nauseabundo

de um mundo que se faz de cego

a tantos campos de concentração,

onde as crianças permanecem

sem qualquer sonho,

sem qualquer ilusão,

à espera de um tempo que não passa,

onde o sol brilha

sem qualquer graça

E a incógnita fica:



Amanhã quantas serão?

11 comentários:

Portaria ILEGAL disse...

Aprenda a roubar Portugal aqui: http://portaria-59.blogspot.com/

Portaria ILEGAL disse...

Obrigada pela visita e pelo post.
Alexix

david santos disse...

Davi,

eu choro quando percebo o descaso com que a humanidade trata a si mesma... criando e destruindo... é como se houvesse criado um sistema idiota que se enraizou de egoísmo, crueldade e ambição desvairada... e parece que como dizia o bom Hamlet... vivemos tempos em que a virtude deve pedir perdão ao vício... É uma pena que os bons sejam poucos e ainda assim... vistos como bobos, tolos, idiotas... ou excêntricos... Mas ainda acredito que se cada qual tentar melhorar seu nível de consciência e diminuir seu egoísmo... mudando de atitude para com o próximo... as coisas melhorarão.

Já se vê ao longe que este comentário não pode ter sido filho da minha inteligência. Contudo, por achar que ele assenta aqui muito bem, vim cá mostrá-lo, para mostrar também, que ainda há pessoas que acreditam.

De facto somos "humanos". Nisto acredito eu.

Um pouco como Theodor Herzl, este, um dos fundadores do sionismo Nazi que disse: "quando apanharmos um palmo de terra na Palestina com o apoio dos Países do Ocidente, (diga-se estados unidos da América do norte e seus lacaios europeus) iremos matando os bárbaros, (diga-se árabes e todo povo palestiniano) iremos construir a Grande Nação de Israel sobre o sangue de tudo quanto mexa e nos apareça pela frente"

Contudo, espero que a nossa amiga que me enviou esse comentário tão brilhante, continue acreditar. Que Deus, se Ele existir, esteja sempre a seu lado. Por que no que me toca, eu já me sinto bem longe do Diabo e não me importo nada que Deus ande por longe. Ou melhor; quer um, quer outro andem de braço dado, mas ao longe. Nada de se aproximarem dos povos.
Abraços.

David Santos

david santos disse...

Olá, São!
Um grande abraço. Pois já me tinha esquecido de estar a comentar-te.
Parabéns pelo texto.

David Santos

Desnuda disse...

Um texto enternecedor...Ah, como chora meu coração!


Um beijo...

Ana Martins disse...

Querida amiga,
que belo e triste poema!
A realidade escrita aqui em palavras que doiem e estremecem a alma. Uma realidade tão presente que dá medo!

Parabéns!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

Templo do Giraldo disse...

Ora viva amiga boa tarde. Depois de algum tempo de ausência da minha parte passei por aqui a deixar um abraço fraterno, e dizer que que ando "por ai" mas sempre atento as novidades aqui do teu espaço.

SAUDAÇÕES.

Mário Relvas disse...

Olá caros amigos.
Sim, trato-os por amigos, porque fosteis vós que me pegasteis o bichinho bloguer. Fosteis vós que me incentivasteis para a criação do "Aromas de Portugal".
Fosteis vós que me mostrasteis prismas diversos de vida.
O sorriso do Bruno, que está no aromas é dedicado a todos os que aqui escrevem ou escreveram em nome da Voz do Povo.
Um especial abraço ao Victor Simões, ao João Soares, ao Carlos, ao David, ao Mário Margaride, ao Zé Faria, à Alexandra, à Conceição, à Soledade e a tantos outros que espero que não me levem a mal por não focar os seus nomes.
Aprendi e aprendo muito com todos vós.
Posso ter ideias diferentes, ou quiçá, até muito próximas mas, o que interessa, é a liberdade de expor o que sentimos, pensando nos outros.
A humanidade é composta por todos nós.
A todos vós o meu OBRIGADO
MR

Mário Margaride disse...

Olá Conceição.

Uma realidade que dificilmente se mudará. Cabe-nos a nós denuncia-la.

Beijinhos

Mário

victor simoes disse...

Olá Conceição, gostei deste poema na qualidade de Intervenção! Uma poesia acutilante, um grito para despertar consciencias!

Bjs

victor simoes disse...

Amigo MRelvas, pela parte que me cabe, retribuo o teu abraço!
A aprender, estamos sempre uns com os outros.É por meio da interacção social, que nos realizamos como seres humanos, assumimos as nossas vivências, trocamos ideias, pontos de vista e fazemos amizades.
Para o Bruno, um forte abraço e relativamente ao Aromas de Portugal, deves continuar em frente, pois como blogue temático já ganhou o seu próprio espaço.

Um abraço

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas