08 maio 2010

Governo despreza recursos nacionais

Transcreve-se o seguinte artigo, que evidencia, uma aparente falta de senso e de sentido de Estado que merece ser ponderado e dar lugar a uma revisão da situação referida.

Mercado livre
Jornal de Notícias 8 de Maio de 2010, por Paulo Baldaia

Esta semana ouvi do professor José Reis a seguinte questão: "Se o Estado precisa de financiamento porque teima em pedir dinheiro lá fora com juros altos e oferece juros baixíssimos nos certificados de aforro?". A questão poderá não ter sido formulada exactamente assim, mas o que deixava José Reis perplexo é o mesmo que nos deve deixar a cada um de nós, cidadãos a quem pedem poupança e exigem que paguem o que já foi pedido emprestado.

Sabendo que Portugal está a pagar lá fora juros a rondar os 6%, fui ao site do Instituto de Gestão de Tesouraria e do Crédito Público saber quanto é o que o Estado me estava disposto a pagar se eu lhe emprestasse as minhas poupanças para ajudar a saldar as contas com o estrangeiro. Está lá, no topo da página do IGCP: "A taxa de juro bruta para novas subscrições de Certificados de Aforro, Série C, em Maio de 2010 foi fixada em 0,797%".

Admito que os especuladores internacionais andem a atacar Portugal para receberem mais uns cobres, aceito que em defesa do dólar queiram atacar o euro, mas não percebo a razão pela qual o meu país e quem o governa prefere apostar tudo nas mãos desses senhores em vez de pagar aos portugueses que compram certificados de aforro 3% - metade do que paga aos estrangeiros. Haveria muito mais gente a comprá-los.

Bem sei, e tenho-o defendido incessantemente, que é preciso trabalhar mais e melhor. Bem sei que é preciso viver com o que se ganha e poupar para os infortúnios. Mas também sei que esta crise não é só culpa dos malandros dos especuladores sem rosto, é também dos políticos que por esse mundo fora alimentam o famoso mercado.

1 comentário:

david santos disse...

Se assim fosse: dar um juro justo aos aforradores, os governos que nos têm governado estariam a trabalhar contra o patrão: o especulador.
Os governos têm trabalhado em prol do dono. Não do País. Querem lá saber do País! Querem encher a pansa, porque o dinheiro que eles têm roubado ao noso povo, é dinheiro aqui ou em outra parte qualquer. Enquanto não houver prisão para quem tem roubado Portugal e os portugueses, jamais haverá políticas e justiças honestas neste País.
David Santos

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas