26 maio 2010

UM PAÍS POBRE, MAS DE ESPÍRITO...

O texto não é meu, mas faz todo o sentido se olharmos aos números e notícias com que somos constantemente bombardeados. Vale a pena pensar nisto, e reflectir. Se gostou, divulgue como eu o fiz.

"O povo saiu à rua para festejar a vitória do Benfica e eu, apesar de ser do FC Porto, não achei mal. As pessoas têm o direito de ficar alegres.

O povo saiu à rua para ver o Papa e eu, apesar de ser agnóstico, não acho mal. As pessoas têm direito à sua fé.
O povo vai à Covilhã espreitar a selecção e eu, apesar de não ligar nenhuma, não acho mal. As pessoas têm direito ao patriotismo.
O governo escolhido pelo povo impõe medidas de austeridade umas atrás das outras, aumentando os impostos e não abdicando dos mega investimentos. O povo não reage. Não sai à rua. Reclama à boca pequena e cria grupos zangados no Facebook. É triste que este povo, que descobriu meio mundo, não imprima à reivindicação dos seus direitos a mesma força que imprime à manifestação das suas paixões."

Pobreza do Dias úteis

"Um país onde se admite a possibilidade de taxar o subsídio de Natal, ou mesmo acabar com ele, mas que gasta de dinheiros públicos para TGV, altares, estádios de Futebol, frotas milionárias para gestores públicos, reformas obscenas a quem trabalha meia dúzia de anos ou nem tanto, etc... é um país pobre, de facto. "
Mas de espírito, antes de mais.

@Beezz
Carlos Rocha

2 comentários:

A. João Soares disse...

Caro Beezz,

Bem visto. Um povo que se esquece de que está em democracia o que exige deveres mas confere direitos e um deles é o direito de cidadania, isto é de participar pelas formas que estiverem ao seu alcance na construção do Portugal do futuro, no desenvolvimento e na felicidade dos portugueses, não deixando que apenas sejam felizes os ex-governantes, políticos e seus amigos, os que criam empresas com capital público para delas se servirem como os seus lares dourados de terceira idade.

Parabéns Beezz

Um abraço
João
Do Miradouro

Beezzblogger disse...

Caro amigo, o que mais me custa é a hipocrisia das pessoas, é o comodismo, e o esperar que alguém faça, e se alguém fizer, esse é que fica marcado, pois todos beneficiarão ou não, mas aquele que fez é que foi o testa de ferro, e dou-lhe um exemplo:

Na minha empresa, houve à tempos, negociação salarial, por parte da equipe de vendas e da administração, que foi tomada pela postura que toda a equipe de vendas adoptou, ou seja, juntaram-se, definiram estratégias, geraram concenso e partiram para a proposta a negociar. A administração, analizou durante 4 meses, mas deu resposta, que não foi a pedidapor nós todos, mas que ficou lá perto. Lógico, que se queremos 10, temos de pedir 20, assim é o negócio.

Mas outro sector da empresa, anda a chorar pelos cantos, e no diz-que-disse, sem se organizarem, sem apresentarem propostas, ou seja, andam no jornal da caserna e no manda bocas, em vez de apresentar propostas daquilo que acham que está mal, e daquilo que querem. Ficarão à mercê da boa vontade patronal, que com a crise a agravar-se, poderão ficar na mesma ou piores.

Penso que esta é e será sempre a forma de nos defendermos dos nossos interesses, e enquanto os Portugueses, se abstiverem em eleições, e não derem os votos úteis, andarem preocupados com os 3 F's (Fado, Futebol e Fátima), não sairemos desta miséria.

Abraços do Beezz

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas