09 maio 2007

ACABEM!



Acabem as mordaças em seres calados
Até perante a ofensa,
Qual animal que não pensa
Por isso, são tão regrados.

Acabem as vendas em olhos fechados,
Cegos para o que os rodeia,
Envoltos na cega teia
Por isso, são tão regrados.

Acabem as amarras em condenados,
Serviçais de corpo e alma,
A quem a chicote acalma
Por isso, são tão regrados.

Acabem os tiques, inúteis, estéreis,
Curros e guias de débeis
Que nunca ousarão ir além.

Acabem! Pois castram a nossa essência
E numa afronta à decência,
Reduzem-nos a ninguém.

5 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Que acabem as as mordaças... Que acabem...

Um Abraço

A. João Soares disse...

Acabem as mordaças de todos, com liberdade, mas sem faltar ao respeito do outro. Sem teias nem peias, o homem será livre, mas com compreensão e tolerância pela liberdade dos outros, aqueles que pensam o contrário de nós.
Para isso têm que ser regrados, cumprir a regra de não ir além dos limites onde começa a liberdade do outro, o oposto, o contrário.
A falta de regras conduz a situações de injustiça e barbárie, que em França está, agora, a vitimizar os donos de automóveis que são incendiados e das lojas cujas montras são destruídas e o interior saqueado e vandalizado.
Regras são indispensáveis.
Mas concordo que os obcecados pelas regras, os bem comportadinhos, conformados, resignados, com o medo doentio do pecado, nada contribuem para evitar situações de exploração, de opressão, de ditaduras, de autoritarismo de governos por mentirosos, ambiciosos, gananciosos que, em nome da liberdade, sugam o sangue dos inocentes cidadãos em benefício de uma minoria vampiresca.

Cumprimentos

david santos disse...

Fantástico, Mário! Fantástico!

Calem-se, malfeitores! É a verdade que está a passar! Mas quando a verdade passa, meus malfeitores, as vossas rugas cheias de (...), endurecem! Aliás, sempre foram duras como a podridão da vossa mente e...

Fantástico, Mário! Fantástico!

Obrigado, meu grande poeta! Obrigado, homem de carne e osso, mas revestido de nobreza!

Fantástico, Mário! Fantástico!

Obrigado por querer e lutar para meter a verdade em mentes destruídas. Forjadas da maldade e seguidoras das suas origens.

Fantástico, poeta! Fantástico!

David Santos

Maria disse...

Bom grito. Os poemas podem ser fortes, este é com certeza. Podem também ser justos e coerentes e belos. Reuniste tudo. Muito bom. Muitos parabéns, Mário.

Beezzblogger disse...

ACABEM!!!

Mais um belo poema amigo Mário, a ilustrar o que de dentro vem cá para fora...

Abraços do beezz

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas