30 agosto 2007

PORQUÊ?

Às vezes manipulam-se as notícias tergiversando os dados disponíveis. Por exemplo, os assassinatos de cidadãos palestinianos perpetrados pelo exército israelita, são dados como: “soldados israelitas mataram dois terroristas que iam de carro...”
Ainda um destes dias morreram alguns soldados americanos que se deslocavam num helicóptero devido a um ataque de iraquianos e a notícia dada na televisão foi: “Caiu um helicóptero no Iraque onde se deslocavam perto de vinte soldados americanos que morreram!” É evidente que o aparelho caiu, mas não devido a avaria.
Quanto aos palestinianos mortos no tal carro, quem disse que eram terroristas? Acaso foram julgados? A informação dos serviços de inteligência dum Estado substitui a justiça? Mas também com o silêncio se podem transmitir notícias escoradas na defesa da ideologia da agência noticiosa, do jornal ou do jornalista, ou directamente do poder.
As actuações de Hugo Chaves, o tão denotado presidente da Venezuela, chegam sempre carregadas de opróbrio, mas, quando nos falam dos sucessos alcançados pelo presidente dum país rico, que o encontrou submerso na miséria e na corrupção? Conta-nos Ignácio Ramonet, no Le Monde Diplomatique deste mês: “ Mais de três milhões de hectares de terra distribuídos entre os camponeses.

PODE A INFORMAÇÃO DOS SERVIÇOS DE INTELIGÊNCIA DUM ESTADO SUBSTITUIR A JUSTIÇA?

Milhões de crianças e adultos alfabetizados. Milhares de dispensários médicos instalados nos bairros populares. Dezenas de milhares de pessoas sem recursos com afectações oculares operadas gratuitamente. Os produtos alimentares básicos são subvencionados e oferecidos aos pobres a preços inferiores em 42% do preço de mercado. A duração do trabalho semanal passou de 44 horas para 36, e o salário mínimo já ascende a 204 euros mensais – o mais elevado da América Latina”.
Segundo a informação de Maio de 2006, do Center for Economics and Policy Research, de Washington, estas medidas deram como resultado que, entre 1999 e 2005, a pobreza caiu na Venezuela de 42% para 33% e a economia passou de 53% para 40%. E, segundo a Business Week de Nova Iorque, de Junho de 2007, o crescimento nos últimos três anos alcançou os 12%, dos mais altos do Mundo, com uma subida do consumo cifrada nos 18% anuais.
Ninguém ou muito poucos falam destas políticas certas de Hugo Chaves. Pelo contrário, dedicamo-nos a pô-lo de rastos por apresentar uma reforma constitucional para que possa ser eleito de forma indefinida. Bom seria que muitos dos democratas europeus lhe seguissem as pisadas, imitando as suas reformas e lutas contra a pobreza e combatessem, de forma séria a miséria e exclusão social. Por exemplo, em Portugal...

Texto de Carlos Coelho Veiga, Jornal de Notícias 26 de Agosto

2 comentários:

Joana Dalila Santos disse...

Nem mais!

Beezzblogger disse...

Dou-lhe os meus parabéns amigo David, pelo texto, ainda que retirado do JN, mas muito oportuno nos dias de hoje, Hugo Chávez, é um aluno do grande mestra "CHE", tal como tantos outros na América latina, entre eles Fidel "El Comandante".

Estas políticas é que deveriam ser seguidas e não as de Bush, e dos Capitalistas americanos que sugam tudo o que reluz.

A propósito disso coloquei no beezzblog, um texto sobre o beija-mão do nosso PM, ao EUA, venha ver e comentar.

Finalmente quero dizer que os média, há muito que são controlados por interesses políticos e capitalistas, veja-se as recentes aquisições de rádios e jornais por grandes grupos económicos com interesses nas várias áreas.

Abraços do beezz

Viva CHE, VIVA Chávez, e viva FIDEL!!!

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas