21 agosto 2007

REVOLUÇÃO NA ALMA

Ninguém é dono da sua felicidade. Por isso, não a entregue nas mãos de ninguém,

absolutamente ninguém.
Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.
A razão da tua vida és tu mesmo.
A tua paz interior é a tua meta!
Quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, leva o pensamento para os teus desejos mais íntimos e procura a divindade que existe em ti...
Para de colocar tua felicidade cada dia mais distante.
Não coloques objectivos longe demais de tuas mãos, abraca os que estão ao teu alcance hoje.
Se andas desesperado por problemas financeiros, por amor ou por conflitos, procura em teu interior a resposta para acalmá-los. Tu és reflexo do que pensas diariamente.
Um sorriso no rosto é um bom começo!
Tu estará afirmando para ti mesmo, que está "pronto" para ser feliz.
Trabalha, trabalha muito a teu favor.
Pare de esperar a felicidade sem esforços.
Parea de exigir das pessoas aquilo que nem tu conquistas-te ainda.
Critiqua menos, trabalha mais.
E, não te esqueças nunca de agradecer.
Agradeça tudo que está em tua vida nesse momento, inclusive a dor.
Nossa compreensão do universo, ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja...
Por fim, acredita que não estaremos sozinhos em nossas caminhadas, um instante sequer...
Se nossos passos forem dados em busca de justiça e igualdade!
Essa mensagem termina com um pensamento do filósofo grego Aristóteles:
"A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las."

6 comentários:

Maria disse...

Naty, gostei muito de ler o teu texto, bem positivo, bem construtivo. As coisas mais simples podem ser as mais difíceis, um sorriso é, de facto, o melhor começo...

O pensador disse...

Mas também é o melhor fim...

E.Adriano disse...

Obrigado pela sua visita.
Penso que no mundo em que vivemos a felicidade é igual a prazer, por isso tudo o que podemos alcançar através do prazer leva-nos a pensar que somos felizes. No entanto, a vida em sociedade não permite que se tenha prazer absoluto, logo não existe felicidade absoluta, existem pequenos momentos de felidade.

Cumprimentos,

avelaneiraflorida disse...

Felicidade...
se for nossa é também dos outros e vice-versa!!!1

Pena que a humanidade tenha vindo a esquecer que não vive individualmente!!!!!!

david santos disse...

Eu acho que a felicidade, tal como a pensamos, não existe. Há, penso eu, momentos bons e outros menos bons: altos e baixos. Agora se a levamos para o campo em que cada um de nós mais a deseja, deixa de ser felicidade, para ser prazer. Este sim. Este, ao que me parece, andamos todos a correr atrás dele para o apanhar.

Parabéns

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas