08 julho 2007

PORQUE SERÁ ?







A cidade dorme, num sono profundo.
Lá fora...
Amanhece rapidamente
Corre uma brisa, que nos desperta,
Do torpor do sono
A azáfama, começa de repente
A correria…
Toma conta das nossas vidas
Absorvendo-nos, engolindo-nos
Mais uma vez…
Esquecemos o que nos rodeia
Nem sequer, olhamos para o lado
Não temos tempo!?
Ou simplesmente, não queremos ver...!
Ali! Alguém que pede esmola
Acolá! Uma criança abandonada
Mais abaixo...
Um sem-abrigo
Que há muito, perdeu a esperança
É assim na minha cidade,
Em todas as cidades,
Em todos os lugares,
A história repete-se
Esquecemos sempre,
O que se passa à nossa volta
Como se não víssemos
Ou então...
Pura e simplesmente ignoramos...
Estaremos cegos...!
Ou à nossa volta,
Criamos uma barreira glaciar,
Que nos gelou…
E nos tornou insensíveis...!?
Porque será?

Publicado in O Eco das Palavras

Mário Margaride

1 comentário:

Maria Faia disse...

Olá Amigo Mário,

As barreiras que existem são fabricadas pela sociedade de consumo em que vivemos. Somos governados pelo grande capital e, com frequência se esquecem os valores humanos da solidariedade e da fraternidade. Mas, estes não se resumem no acto de dar uma "esmola".
Não seria mais impotante ensinar a pescar, em vez de ser dado o peixe já pronto a comer?!...
Estes são problemas que atormentam todos os verdadeiros Humanistas meu amigo e, tu, ser sensível como és, sofrerás sempre com eles, tal como eu...

P.S. Há uma nova petição pela Liberdade, para subscrever, se assim o entenderem, no Querubim Peregrino.

Beijo e
DOMINGO FELIZ

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas