31 julho 2007

A GRAVE PROBLEMÁTICA DA CORRUPÇÃO

"O que mais preocupa não A Grave Problemática da Corrupção

Conforme o dicionário, corrupção é adulterar, corromper, estragar, viciar-se.

Nos dias em que vivemos, muito se tem falado a respeito da corrupção. E, quase sempre, direccionando as setas para os poderes públicos.

Pensamos que corrupção esteja intimamente ligada aos que exercem o poder público.

Ledo engana. Está de tal forma disseminada entre nós, que, com certeza, muito poucos nela não estejamos enquadrados.

Vejamos alguns exemplos.

Quando produzimos algo com qualificação inferior, para auferir maiores lucros, e vendemos como de qualidade superior, estamos sendo corruptos.

Quando adquirimos uma propriedade e, ao procedermos a escrituração, adulteramos o valor, a fim de pagar menos impostos, estamos disseminando corrupção.

Ao burlarmos o fisco, não pedindo ou não emitindo nota fiscal, estamos nos permitindo a corrupção.

Isso tem sido comum, não é mesmo? É como se houvesse, entre todos, um contrato secretamente assinado no sentido de eu faço, todos fazem e ninguém conta para ninguém.

Com a desculpa de protegermos pessoas que poderão vir a perder seus empregos, não denunciamos actos lesivos a organizações que desejam ser sérias.

Actos como o do funcionário que se oferece para fazer, em seus dias de folga, o mesmo serviço, a preço menor, do que aquele que a empresa a que está vinculado estabelece.

Ou daquele que orienta o cliente, no próprio balcão, entregando cartões de visita, a buscar produto de melhor qualidade e melhor preço, segundo ele, em loja de seu parente ou conhecido.

Esquece que tem seu salário pago pelos donos da empresa para quem deveria estar trabalhando, de verdade.

Desviando clientes, está desviando a finalidade da sua actividade, configurando corrupção.

Corrupção é sermos pagos para trabalhar oito horas e chegarmos atrasados, ou sairmos antes, pedindo que colegas passem o nosso cartão pelo relógio electrónico.

É conseguir atestados falsos, de profissionais igualmente corruptos, para justificar nossa ausência do local de trabalho, em dias que antecedem feriados.

Desvio de finalidade: deveríamos estar trabalhando, mas vamos viajar ou passear.

É promovermos a quebra ou avaria de algum equipamento na empresa, a fim de termos algumas horas de folga.

É mentirmos perante as autoridades, desejando favorecer a uns e outros em processos litigiosos. Naturalmente, para ser agradáveis a ditos amigos que, dizem, quando precisarmos, farão o mesmo por nós.

Corrupção é aplaudir nosso filho que nos apresenta notas altas nas matérias, mesmo sabendo que ele as adquiriu à custa de desavergonhada cola.

E que dizer dos que nos oferecemos para fazer prova no lugar do outro? Ou realizar toda a pesquisa que a ele caberia fazer?

Sério, não?

Assim, a partir de agora, passemos a examinar com mais vagar tudo que fazemos.

Mesmo porque, nossos filhos têm os olhos postos sobre nós e nossos exemplos sempre falarão mais alto do que nossas palavras.

Desejamos, acaso, que a situação que vivemos em nosso país tenha prosseguimento?

Ou almejamos uma nação forte, unida pelo bem, disposta a trabalhar para progredir, crescer em intelecto e moralidade?

Em nossas mãos, repousa a decisão.

Se desejarmos, podemos iniciar a poda da corrupção hoje mesmo, agora.

E se acreditamos que somente um de nós fazendo, tudo continuará igual, não é verdade. Os exemplos arrastam.

Se começarmos a campanha da honestidade, da integridade, logo mais os corruptos sentirão vergonha.

Receberão admoestações e punições, em vez de aplausos.

E, convenhamos, se não houver quem aceite a corrupção, ela morrerá por si mesma.

Pensemos nisso. E não percamos tempo.
é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-carácter, nem dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons!"

Martin Luther King

DESCANSO DO GUERREIRO...


É tempo de recarregar baterias, é tempo de paz, calma, lazer. Em 20 de Agosto estarei de Volta com mais energia. A todos os colaboradores e leitores deste Blog, desejo umas boas férias. Mas estarei sempre atento, pois a MIM NIGUÉM ME CALA!!!

30 julho 2007

ESPANTE-SE INDIGNE-SE

Espante-se, indigne-se e passe a informação:



Em Portugal a interrupção voluntária da gravidez dá direito a 30 dias de
licença com 100% do ordenado!

Mas uma mulher que esteja grávida e que se veja forçada a ficar de baixa
antes do parto, sem este ser de risco, recebe um subsídio de 65% do seu
ordenado

Uma mãe que tenha de assistir na doença um seu filho menor recebe 65% do seu
ordenado ... extraordinário não é?

Frase do dia...do mês...do ano...do século!!!!

«Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão.»

29 julho 2007

IDOSOS E A SOLIDAO

AA Solidão
(publicado no blog A Voz do Povo» em 03Nov2006)


Um tema que merece muita atenção, a começar por aqueles que estão a sofrer desta situação dolorosa.



Para evitar a solidão, a solução mais eficiente é sair ao encontro dos outros. Fechar-se na sua redoma é asfixiar. Não se pode ficar no tugúrio a contar que os outros aparecem a dar apoio e companhia.



Conheci por dentro três «academias» para a terceira idade. Muita gente estava inscrita não para aprender novos conhecimentos científicos, mas apenas para se sentir no meio dos colegas e, quando possível, dizer e ouvir umas palavras em conversa sincopada sobre tudo e nada.



O calor humano é muito importante. Há dias recebi um e-mail com uma história enternecedora: Um miúdo pedia esmola para ele e os irmãos mais novos que tinham fome lá na barraca. Uma senhora começou a informar-se das condições familiares, como viviam onde moravam, de que se sustentavam e o miúdo foi conversando com naturalidade e abertura. Iam a aproximar-se da casa da senhora que disse ir dar-lhe coisas para comer e umas roupas. Ele respondeu: Não precisa de dar nada, a senhora já conversou!



Mais do que esmola ele deu mais valor ao calor humano, à conversa amiga, à oportunidade de falar de si e dos seus a alguém que se interessou por ele.



Mas repito, o combate à solidão começa pelas medidas preventivas, evitando o afastamento dos outros, perder o receio de ser mal visto, aproximar-se, nem que seja juntar-se num banco de jardim a outro solitários.



Fazem falta mais textos como este para as pessoas serem estimuladas a pensar nas condições reais da vida nesta sociedade global.




Informar os possíveis interessados que a inscrição no CVS - Clube Virtual de Seniores, dos «Sempre Jovens», é feita enviando um e-mail para
Ajoaosoares@gmail.com

e indicar o nome, data de nascimento, e-mail, blogs ou sites na Internet e área da residência.

Logo a seguir receberão o número de inscrito e a lista de todos os inscritos

26 julho 2007

A CRIANÇA QUE NÃO CHEGOU A NASCER

05 De Outubro.

Hoje teve início a minha vida. Pai e mãe não sabem. Eu sou menor que um alfinete, contudo, sou um ser individual.

Todas as minhas características físicas e psíquicas já estão determinadas. Terei os olhos do pai e os cabelos castanhos e ondulados da mãe. E isso também é certo: eu sou uma menina.

19 De Outubro.

Hoje começa a abertura de minha boca. Dentro de um ano poderei sorrir quando meus pais se inclinarem sobre meu berço.

A minha primeira palavra será “mama”. Seria verdadeiramente ridículo afirmar que eu sou somente uma parte de minha mãe. Isso não é verdade, pois sou um ser individual.

25 De Outubro.

O meu coração começou a bater. Ele continuará sua função sem parar jamais, sem descanso, até o fim dessa minha existência. De fato, é isso uma grande dádiva de Deus.

02 De Novembro.

Os meus braços e as minhas perninhas começaram a crescer até ficarem perfeitas para o trabalho; isto requererá algum tempo, mesmo depois de meu nascimento. Assim que for possível, enroscarei meus bracinhos no pescoço da mamã e lhe direi o quanto eu a amo.

20 De Novembro.

Hoje, pela primeira vez, minha mãe percebeu, pelo seu coração, que me traz em seu seio. Acho que ela teve uma grande alegria.

28 De Novembro.

Todos os meus órgãos estão completamente formados. Eu sou muito grande.

02 De Dezembro.

Logo mais poderei ver, porém, meus olhos ainda estão costurados com um fio.

Luz, cor, flores... como deve ser magnífico! Sobretudo, enche-me de alegria o pensamento de que deverei ver minha mãe... Oh! Se não tivesse que esperar tanto tempo! Faltam ainda mais de seis meses.

12 De Dezembro.

Crescem-me os cabelos e as sobrancelhas. Já imagino como minha mãe ficará contente com a sua filhinha!

24 De Dezembro.

O meu coraçãozinho está pronto. Deve haver crianças que nascem com o coração defeituoso. Neste caso, precisam sujeitar-se a delicada cirurgia para corrigir o defeito. Graças a Deus o meu coração não tem nenhuma anomalia, e serei uma menina cheia de vida e forças. Todos ficarão alegres com meu nascimento.

28 De Dezembro.

Hoje minha mãe amanheceu diferente, está um pouco angustiada. Mas uma coisa é certa: nós vamos sair para um passeio.

Creio que ela quer se distrair um pouco, talvez comprar roupinhas para mim. É isso mesmo, estamos saindo para algum lugar.

Ih! Acho que estamos entrando em uma clínica. Deve ser para verificar se a minha saúde vai bem. Que óptimo! Quando eu sair daqui, direi à minha mamã o quanto lhe sou grata.

O médico está chegando...

Mas... esses instrumentos não são para um exame... Não mamã! Não deixe ele se aproximar!

Ai, que horror! Esta é uma clínica de aborto! Socorro! Deixem-me nascer!

... Ninguém escuta meus gritos!

E meus sonhos de felicidade...

Minha vontade de ver a luz, as flores, as cores...

Tudo acabado...

Sim... Hoje... Hoje minha mãe me assassinou...

***

A história é dramática e triste, mas, infelizmente, se repete diariamente nas clínicas de aborto do nosso país ou em casas de pessoas que se alimentam com o dinheiro ganho com o sangue de vítimas indefesas.

Hoje já não se pode mais alegar que o feto não é um ser individual, distinto da mãe, pois a ciência afirma o contrário todos os dias.

Assim, tanto quem pratica o aborto quanto quem o consente, deverá responder perante as Leis Divinas sobre esse crime.

Pensemos nisso!

21 julho 2007

«Reforma só se estiver a morrer !»

Um cancro roubou-lhe o intestino e obrigou-a a viver com um saco preso à barriga, por onde saem as fezes, sem que tenha controlo sobre elas. Pediu aposentação, mas junta médica diz que professora «não reúne as condições necessárias»

Maria da Conceição Ferrão tem 57 anos e passou mais de metade da vida a dar aulas. Há dez anos, um cancro no cólon obrigou-a a uma operação em que lhe retiraram parte do intestino e que lhe mudou a vida. Fez quimio e radioterapia e vive com um saco colector preso à barriga, por onde lhe saem as fezes, sem que tenha qualquer controlo sobre elas. Juntas médicas declararam-na incapaz para exercer funções docentes, mas quando pediu aposentação, responderam que «não reúne as condições necessárias».

Com a serenidade de quem já vive nesta situação há 10 anos, a docente contou ao PortugalDiário a sua história. Em 1997 foi-lhe diagnosticado um cancro no cólon e foi submetida a uma colostomia, uma cirurgia em que lhe retiram parte do intestino e lhe coseram o ânus. Desde então vive com um saco colector preso à barriga, do lado de fora, por onde saem as fezes.

«Por não haver músculo, não tenho controlo sobre a saída das fezes. É como se fosse incontinente», conta. O saco vai enchendo e tem de ser trocado várias vezes, situação que se agrava quando tem descargas intestinais, cerca de uma vez por semana, altura em que «o saco enche de imediato, chegando por vezes a rebentar», sem aviso prévio, nem forma de evitar.

«Esteja onde estiver, tenho de voltar para casa e tomar banho», explicou. Depois, sente uma «enorme exaustão» e precisa de se deitar para descansar. «É difícil por isso cumprir horários, porque os intestinos não os têm», lamentou.

In: Portugal Diário

Infelizmente, parece que, nada há a fazer perante estes casos, o Governo mostra-se "Chocado", pelas afirmações do Primeiro Ministro, mas na prática nada acontece. O Governo diz que vai alterar a lei, mas o que é certo é que continuam a acentuar-se estes casos. E eu pergunto:

- E os casos, anteriores, se a nova lei entrar em vigor, serão alvo de reavaliação?

- O estado estará a contemplar, todos os casos, ou só os que lhe interessam e são mais mediáticos?

- Que solução, tem as autoridades de saúde deste miserável País, perantes estas situações desumanas, e de Insensibilidade social, moral e até de arrogância atroz por parte destas juntas médicas de malfeitores?

Não basta, Sr. Primeiro ministro, mostrar-se "chocado", não basta falar como bom falante que o Sr. é, não o nego, para a plateia a anunciar medidas imediatas, e depois demorarem anos a serem postas em prática. O Sr. tem o dever, como pessoa de bem que quer parecer, deve empenhar-se na sua resolução prioritária, já que de vidas humanas se tratam, tratam-se de vidas com família, como o Sr. tem, de vidas com responsabilidades como a do Sr., aplicando-se a velha máxima que é:

"À mulher de César, nas basta parecer séria, tem de o ser!"

16 julho 2007

Banco de Portugal!!


Cada vez mais há pelo menos duas leituras sobre a realidade, até quando esta nos aparece com a objectividade dos números. Vem isto a propósito da apresentação, esta semana, do relatório do Banco de Portugal (BP). Espanta como é possível chegar à tónica dominante, quase exclusiva, dos títulos da Imprensa - anunciando uma revisão em alta das previsões de crescimento -, logo tão bem aproveitada pela caixa de ressonância governamental para embandeirar em arco.

A verdade é que o BP se limitou a confirmar as previsões de crescimento para 2007 (1,8%) - facto sem qualquer importância noticiosa, pois este valor é quase consensual desde que foi oficialmente apresentado, no Outono de 2006. A verdade é que o BP corrigiu, de facto, em alta a sua própria previsão de crescimento para 2008, passando-a agora de 2,1% para 2,2%!... Mas a verdade é, sobretudo, o facto deste último valor ser bem inferior à previsão oficial para 2008, de 2,4%, que o Governo continua a manter. Donde que, o maior enfoque deveria ter sido que o BP - no Verão de 2007, já a meio do ano -, confirmou uma previsão de crescimento para 2008 abaixo das estimativas do Governo e a manutenção de uma linha de divergência com a Europa.

Só que o relatório do BP diz muitas outras coisas que mostram a degradação da situação social do país, números quase demolidores para o oásis que o Governo quer construir em torno da (sua) anunciada recuperação económica. Factos que ficaram quase à margem dos relatos noticiosos. Aqui ficam alguns exemplos.

O BP estima uma taxa de desemprego (7,7%) acima dos valores com que o Governo insiste em documentos oficiais; o BP informa que o desemprego de longa duração ultrapassou já os 51% do total de desempregados, bem acima dos já preocupantes 48% de 2005; o relatório do BP afirma que o (pouco) emprego criado em 2006 foi sobretudo resultado de um aumento do emprego precário, facto que confirma a crescente instabilidade das relações laborais em Portugal. O BP prevê uma inflação de 2,5%, muito acima da previsão mentirosa (2,1%) que o Governo impusera no Orçamento para 2007 com o objectivo único de provocar nova perda do poder de compra a centenas de milhares de portugueses. E que dizer dos persistentes e profundos défices das diversas balanças com o exterior, estes sim, os principais factores estruturais que comprometem o futuro do país?

Tanta discrepância e omissão são preocupantes. Ou a boa vontade e a simpatia retomaram (apesar da qualidade da democracia), ou a central de informação voltou a funcionar em pleno.
Honório Novo ( Deputado do PCP) in JN 16-07-2007

Jovem recém-licenciada nomeada administradora

Jovem recém-licenciada nomeada administradora

A Administração do Centro Hospitalar do Nordeste Transmontano (CHNT) ficou completa a partir do início deste mês depois da nomeação de Cláudia Miranda como vogal executiva da mesma Administração.
Cláudia Miranda ainda não tem 20 anos e em termos de currículo está a construí-lo, muito ajudando a actual nomeação política para o lugar de administradora do CHNT. No seu currículo sobressaem as funções de professora substituta do Instituto Politécnico de Bragança, onde seria obrigada a deixar lugar depois de o respectivo titular regressar.
A nova administradora vai auferir o vencimento de 3 000 euros (600 contos) líquidos, acrescidos de automóvel, combustível, telemóvel e algumas despesas de representação. Entretanto, perspectiva-se já que esse vencimento venha a subir para 800 contos líquido s em virtude o actual vencimento ainda corresponder à categoria dos vogais da administração do antigo Hospital de Bragança e não à categoria de vogal de um Centro Hospitalar.
Porque é que uma jovem sem currículo é nomeada para lugar … de tanta responsabilidade … a avaliar pelo vencimento e mordomias?... Será pelas suas eventuais futuras relações matrimoniais com o actual líder distrital da JS?...
Pela ideia que nos "venderam" dele, não nos parece rapaz de deitar a perder as suas convicções políticas por tão pouco!... Mas por que será, então?... Não conseguimos apurar. Objectivamente é o que podemos dizer.
Só para terminar, já está a ganhar como vogal da Administração desde os primeiros dias de Fevereiro, mas ainda não se apresentou ao serviço!...

12 julho 2007

FUNÇÃO PÚBLICA - Direitos recuam a 1939!!!


A coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Função Pública declarou, esta quinta-feira, que as alterações às leis laborais que o Governo já concretizou e as que quer impor fazem recuar os direitos dos trabalhadores da administração pública em mais de 70 anos.

No final de uma manifestação em Lisboa contra as mudanças nas políticas laborais levadas a cabo pelo Executivo, Ana Avoila alertou que, se toda a legislação for aprovada, perdem-se «30 anos de conquistas».

«É uma vergonha. O PS usa a maioria absoluta para tirar direitos aos trabalhadores para se pôr ao lado dos patrões e fazer a política da direita», sublinhou.

Os sindicatos contestam leis, como a da mobilidade especial, por considerem que é um primeiro passo para os despedimentos na função pública, bem como o estatuto de aposentação, que entendem ser inconstitucional.

A sindicalista adiantou que a concentração contou com a participação de «mais de dez mil trabalhadores» vindos de todo o país, enquanto um oficial da PSP que acompanhou a acção de protesto disse, por seu lado, que estiveram reunidas cerca de cinco mil pessoas.

In: Portugal Diário

De facto, estamos perante mais um grande atentado não só aos direitos dos trabalhadores da função pública, como também a todos os trabalhadores, pois é certo e sabido que os privados se regem pela cartilha do que de PIOR se faz na função pública. Também não deixa de ser verdade, que alguns privados, tem melhores condições do que a função pública, mas esses são uma gota no oceano, e quando os grandes empregadores deste país começarem a cortar, vai ser geral, ou seja, vai ser tudo pela mesma medida. Resta-me dizer, que não ficarei de braços cruzados, e que tudo farei,pelo menos no que estiver ao meu alcance para contrariar a situação. Se TODOS, fizer-mos algo, será pelo menos muito difícil ao patronato levar a sua avante. LUTEMOS, TODOS, ATÉ AO LIMITE DAS NOSSAS FORÇAS E DOS NOSSOS MEIOS PARA TRAVAR A POLÍTICA DE DIREITA, QUE VEM SENDO SEGUIDA POR ESTES ÚLTIMOS GOVERNOS DA TRETA!!!

A MIM NINGUÉM ME CALA!!!

11 julho 2007

SEM PERDÃO!

A desgraça saiu à rua,
Matando!
A dor infesta o ar que respiramos
O medo está presente a cada esquina
Estampado no rosto das crianças
Destruição, desalento,
Miséria...
Povo que sofre, e morre!
Dor que sinto,
E que dói!
Raiva que tenho desses tais!
Sejam políticos, governantes,
Ou Generais!
Que assassinam crianças,
Inocentes!
Não merecem perdão,
Os animais!!!


PÁGINA 72 in "O Eco das Palavras"

10 julho 2007

PROFESSORES DOENTES MAIS PERTO DE CASA

"Os docentes que ficarem doentes ou necessitarem de prestar assistência a familiares na mesma situação poderão ser destacados administrativamente para escolas próximas da residência ou do local de tratamento, nos anos em que não abram concursos de professores, anunciou o Governo, noticia a Lusa.

A partir de 2006, os concursos de colocação nas escolas passaram a realizar-se apenas de três em três anos, em vez de anualmente como sempre aconteceu, sendo que um professor que tenha concorrido e ficado colocado num estabelecimento de ensino estava, até agora, impedido de pedir destacamento durante esse período, mesmo que por razões de doença.

Ou seja, um professor que tenha concorrido e ficado colocado numa escola em 2006 e que tenha descoberto que está doente este ano teria de esperar até ao próximo concurso, em 2009, para pedir destacamento para um estabelecimento de ensino próximo da sua casa ou do local onde tem de realizar os tratamentos médicos.

Segundo um despacho do secretário de Estado da Educação assinado hoje, estes casos passam a estar previstos, estipulando-se que os docentes nesta situação poderão ser destacados por via administrativa, nos anos em que não abrir concurso.

De acordo com o documento, que aguarda publicação em Diário da República, os professores doentes ou que tenham de prestar assistência a familiares ou cônjuges nessa situação poderão pedir destacamento anualmente, apresentando o pedido à Direcção Geral de Recursos Humanos da Educação, entre os meses de Junho e Agosto."

In: PORTUGAL DIÁRIO

Parece-me que o Governo está a fazer "mea culpa" depois de toda a agitação em torno da morte de mais um professor obrigado a trabalhar pela Junta Médica, e agora surgem estas notícias, que só pecam por tardias. O Governo, através do Primeiro Ministro, José Sócrates, afirmou hoje que as juntas médicas seriam daqui para a frente, única e exclusivamente formadas por Médicos. E foi mais longe, dizendo que sentia "chocado" com mais esta morte. Vamos ver, daqui para a frente o que é que o futuro nos dirá, pois estarei atento a estas situações.

09 julho 2007

DIVULGUEM POR FAVOR













Mais uma situação!

Os nossos filhos tiram Licenciaturas que depois os deixam no desemprego.

Tenho uma filha Licenciada em Anatomia Patológica, Cito lógica e Traumatológica especializações no domínio da análise de tecidos - que de momento está a trabalhar num Supermercado na secção frutas/ hortaliças pois sendo responsável e trabalhadora não quer estar sem fazer nada à espera de emprego compatível com a sua área de estudos.
Quando for a um Supermercado passe a olhar para qualquer funcionário e a pensar se não deveria tratá-lo por Sr.ª Dr.ª

Os quadros de hospitais fecharam, ela estagiou em quatro mas não ficou em nenhum e já mandou currículos para todos os Hospitais Públicos, construídos e a construir, para montes de Privados/Clínicas, etc.

Inclusive, com outros colegas, deslocou-se aos Açores porque ela e os colegas receberam uma carta (tinham mandado para lá o currículo) a convocá-los para uma entrevista... para descobrirem que o Concurso Público era uma FRAUDE pois o lugar já estava ocupado por uma moça lá dos Açores (não sei de quem seria filha, afilhada, sobrinha, neta, etc. etc.etc...) Gastaram o dinheiro das passagens e voltaram tristíssimos e revoltados.

Uma Amiga da minha filha mais velha, de 29 anos, Arquitecta, aluna brilhante - obteve 22 valores , sim estão a ler bem, 22 valores !!! , Em dois exames nacionais de 12º ano na altura em que os fez (1995, creio) pois ambos apresentavam erros, ela descobriu os erros, resolveu correctamente e teria 20 senão fosse o Ministério da Educação ter tido de compensar todos os alunos com os 2 valores correspondentes às questões em causa - assim, ela obteve 22 valores !
Sabem qual a situação dela hoje?
Trabalha como Arquitecta mas a recibos verdes sem vislumbrar a hipótese de um contrato, embora trabalhe já há 3 anos no mesmo local. O Marido está de momento numa situação precária de emprego pois no local onde trabalha (há quase 10 anos!) os ordenados têm vindo a ser pagos "aos soluços". Têm uma filhinha de 2 anos e gostariam de ter mais filhos.

Diz-se que são necessários mais bebés em Portugal (sobretudo quando vêm com as campanhas anti-IVG): que condições são dadas aos casais jovens para incentivar a maternidade/paternidade responsável???

Até quando vamos calar o estado a que chegou este país???
Até quando vamos votar, de cabeça baixa e com pouca ou nenhuma esperança pois sabemos que apenas as moscas mudam???
Que podemos nós, o Povo Português fazer?
Denunciamos via Internet, mas os casos vão sempre surgindo...
Pessoalmente, sinto-me DEMASIADO TRISTE pela impotência que sinto.

A filha do ministro já tem o tacho garantido! E andamos nós a tirar mestrados e pós-graduações para continuar a ser explorados pelo Estado que não reconhece qualquer mérito.

Acasos muito esclarecedores. Aprendam meninas e meninos, aprendam... Antes de lerem este e-mail vejam, por favor, a imagem em anexo.

Explicação do dito artigo:
1. Sabem em que consiste a "manutenção" do site do ministério da justiça?
Não? ok! Eu esclareço: trata-se de actualizar conteúdos, um trabalho que provavelmente muitos dos v/filhos fazem lá na escola ou em casa "com uma perna às costas". Por falar em "costas" acham que o ministro Costa recorreu ao otl e pediu um puto qualquer para tratar do assunto?
Não! Trata-se de uma tarefa altamente técnica que justifica uma remuneração de 3.254,00 euros mais o subsídio de almoço, claro!!!

2. E sabem quem tem o perfil adequado a essa extremamente especializada função?
Não? Ok! Eu esclareço. Trata-se de Susana Isabel Costa Dutra. Susana Isabel Costa Dutra, é (por uma acaso daqueles que só
acontecem... Em Portugal!) filha do ministro Alberto Costa.

Se puderem espalhem pois pode haver alguém que não tem acesso ao Diário da República, ficando assim prejudicado de saber que "lá vamos, Cantando e rindo, levados, levados sim,.........."
Ainda se lembra de que hinos são estas primeiras palavras?...)

NOTA: E o ministério da Justiça tem um serviço de informática ao qual nada custava fazer aquela tarefa. É um cargo desnecessário, mais um, só para fazer o jeito à menina Susana que sem isso, possivelmente nunca arranjaria emprego. Dentro em breve será deputada, depois, secretária de Estado, a seguir Ministra, e, por fim, administradora da CGD, da PT, da GALP, ou da EDP!!! Assim se começa a fazer carreira à sombra do orçamento

08 julho 2007

PORQUE SERÁ ?







A cidade dorme, num sono profundo.
Lá fora...
Amanhece rapidamente
Corre uma brisa, que nos desperta,
Do torpor do sono
A azáfama, começa de repente
A correria…
Toma conta das nossas vidas
Absorvendo-nos, engolindo-nos
Mais uma vez…
Esquecemos o que nos rodeia
Nem sequer, olhamos para o lado
Não temos tempo!?
Ou simplesmente, não queremos ver...!
Ali! Alguém que pede esmola
Acolá! Uma criança abandonada
Mais abaixo...
Um sem-abrigo
Que há muito, perdeu a esperança
É assim na minha cidade,
Em todas as cidades,
Em todos os lugares,
A história repete-se
Esquecemos sempre,
O que se passa à nossa volta
Como se não víssemos
Ou então...
Pura e simplesmente ignoramos...
Estaremos cegos...!
Ou à nossa volta,
Criamos uma barreira glaciar,
Que nos gelou…
E nos tornou insensíveis...!?
Porque será?

Publicado in O Eco das Palavras

Mário Margaride

06 julho 2007

PETIÇÃO

petição

Razão da criação da petição (excertos de diálogos)

Razão da criação da petição 2 (gerúndios e estremecimento)

Texto da petição

Artigo expondo a petição

Notícia no Jornal de Notícias de Domingo

Estatística: 450 assinaturas

SOLIDARIEDADE BLOGUE

A Sinistra Ministra / A Tactear / A Voz do Povo / Alien's Corner / Arre Macho / Barco Rabelo / Braganza Mothers / Democracia em Portugal? / Filhos de Um Deus Menor / Gonçalo Afonso Dias, Artes e Ofícios / Idolátrica / Margem Esquerda / Mote para Motim / Norteamos / O Carvalhadas / O Meu Pequeno Pónei / OMARAFADO / Pasquim do Povo / Pérolas no Charco / Portucale Actual / Psitasideo / Quintus / Semicírculo / Um Homem nas Cidades / WehaveKaosinthegarden /

Máfia no Banco de Portugal

«Paraíso» no Banco de Portugal (alterei o título, para evitar a perseguição do Poder!!!)

1) Para quem não saiba quem é Alan Greenspan, fique a saber que é um senhor nascido em Nova Iorque, de origem judaica, que gostava de tocar saxofone na adolescência, que se doutorou com elevadíssimas médias em Economia e que foi nomeado pelo presidente Reagan, em Junho de 1987, "Chairman of the Board of Governors of the Federal Reserve" –
Nomeação confirmada pelo Senado dois meses depois.

2) O "Federal Reserve" está para os americanos como o Banco de Portugal está para nós. E por que estou eu com toda esta conversa sobre o Sr. Greenspan?

Porque quando ele deixou o lugar, em Janeiro de 2006, auferia anualmente, pelo desempenho daquele alto cargo, a módica quantia de 186.600 dólares norte-americanos por ano – qualquer coisa como 155.000 euros.

O valor dos honorários dos outros membros do Conselho de Administração ("Vice-Chairman" incluído) é de cerca de 150.000 euros.

3) Agora, sabem quanto pagamos ao Governador do Banco de Portugal, um senhor dotado de prodigioso crânio, que dá pelo nome de Vítor Constâncio?

Não sabem, pois não?

Então pasmem: 280.000 euros, leram bem, DUZENTOS E OITENTA MIL EUROS!

É claro que uma grande potência como Portugal, que possui o dobro da influência, à escala planetária, dos insignificantes EUA, tinha de pagar muito bem ao patrão do seu Banco, além de todas as incontáveis mordomias que lhe dispensa, tal como aos seus pares daquela instituição pública.

Também é claro que a verba do americano é fixada pelo Congresso e JAMAIS – como diria o bronco do Lino – pelo próprio, ao contrário do que se passa no país dos donos do mundo e dos maiores imbecis que habitam o planeta Terra.

4) O que mais impressiona nestes números é que o homem que é escutado atentamente por todo o mundo financeiro, cuja decisão sobre as taxas de juro nos afectos a todos, ganha menos do que o seu equivalente num país pobre, pequeno, periférico, que apenas uma ínfima parcela desse território presta alguma atenção!

Até a reforma do Mira Amaral é superior à do Greenspan!

Talvez não fosse má ideia espreitarem o portal do Banco de Portugal e verem quem por lá passou como governador, < <>> http://www.bportugal.pt , cliquem em "história".

5) Por que razão esta escandalosa prática se mantém?

Pela divisa do Conselho de Administração do Banco de Portugal que deve ser parecida com algo assim: " Trabalhe um dia, receba uma pensão de reforma vitalícia e dê a vez a outro."

6) Os sucessivos governadores do Banco de Portugal têm muito em comum.

Por exemplo, sempre que aparecem em público de rompante é porque vem aí borrasca!

-- "Os portugueses vivem acima das suas possibilidades. Há que cortar nos ordenados, há que restringir o crédito!"

Proclamam-no sem que a voz lhes trema, mesmo quando se sabe que o actual governador aufere rendimentos que fariam inveja a Alan Greenspan.

No fundo, o que eles nos querem dizer é, "Vocês vivem acima das vossas possibilidades, mas nós não!"

Têm carradas de razão.

7) As remunerações dos membros do conselho de administração do Banco de Portugal são fixadas, de acordo com a alínea a) do art. 40.º da Lei Orgânica, por uma comissão de vencimentos.

E quem foi que Luís Campos e Cunha, o então ministro das Finanças e ex-vice-governador do Banco de Portugal, nomeou para o representar e presidir a essa comissão?

O ex-governador Miguel Beleza, o qual, como adiante se verá, e caso o regime da aposentação dos membros do conselho de administração também lhe seja aplicável como ex-governador do Banco, poderá beneficiar dos aumentos aprovados para os membros do conselho de administração no activo.

Uma seita a que o comum dos portugueses não tem acesso e sobre a qual lhe está vedada toda e qualquer informação, filtradas que são todas as que não interessa divulgar pelos meios da subserviente comunicação social que temos.

8) Mas tão relevantes como os rendimentos que auferem, são as condições proporcionadas pelo Banco de Portugal no que respeita à aposentação e protecção social dos membros do conselho de administração.

9) O regime de reforma dos administradores do Banco de Portugal foi alterado em 1997, para "acabar com algumas regalias excessivas actualmente existentes."

Ainda assim, não se pode dizer que os membros do conselho de administração tenham razões de queixa.

Com efeito, logo no n.º 1 do ponto 3.º (com a epígrafe "Tempo a contar") das Normas sobre Pensões de Reforma do Conselho de Administração do Banco de Portugal se estabelece que, "O tempo mínimo a fundear pelo Banco de Portugal junto do
Respectivo Fundo de Pensões, será o correspondente ao mandato (cinco anos), independentemente da cessação de funções ."

10) Que significa isto?

Um membro do conselho de administração toma posse num belo dia e, se nessa tarde lhe apetecer rescindir o contrato, tem a garantia de uma pensão de reforma vitalícia, porque o Banco se compromete a "fundear" o Fundo de Pensões pelo "tempo mínimo (?) correspondente ao mandato (cinco anos) ". (Ver "divisa" no parágrafo 5).

11) Acresce que houve o cuidado de não permitir interpretações dúbias que pudessem vir a prejudicar um qualquer membro do conselho de administração que, "a qualquer título", possa cessar funções.

O n.º 1 do ponto 4.º das Normas sobre Pensões de Reforma dissipa quaisquer dúvidas: "O Banco de Portugal, através do seu Fundo de Pensões, garantirá uma pensão de reforma correspondente ao período mínimo de cinco anos, ainda que o M.C.A. [membro do conselho de administração] cesse funções, a qualquer título."

12) Quem arquitectou as Normas sobre Pensões de Reforma pensou em tudo?

Pensou, até na degradação do valor das pensões. É assim que o n.º 1 do ponto 6.º estabelece põe sua vez: "As pensões de reforma serão actualizadas, a cem por cento, na base da evolução das retribuições dos futuros conselhos de administração, sem prejuízo dos direitos adquiridos."

13) E o esquema foi tão bem montado que as Normas sobre Pensões de Reforma não deixam de prever a possibilidade de o membro do conselho de administração se considerar ainda válido para agarrar uma outra qualquer oportunidade de trabalho que se lhe depare.

Para tanto, temos o ponto 7.º, com a epígrafe "Cumulação de pensões", que prevê: "Obtida uma pensão de reforma do banco de Portugal, o M.C.A. [membro do conselho de administração] poderá obter nova pensão da C.G.A. ou de outro qualquer regime, cumulável com a primeira (!)."

14) Mas há mais. O ponto 8.º dispõe que o "M.C.A. [membro do conselho de administração] em situação de reforma gozará de todas as regalias sociais concedidas aos M.C.A. e aos empregados do Banco, devendo a sua pensão de reforma vir a beneficiar de todas as vantagens que àqueles venham a ser atribuídas."

15) Não restam dúvidas de que fez um excelente trabalho quem elaborou as Normas sobre Pensões de Reforma do Conselho de Administração do Banco de Portugal. Pena é que não tenha igualmente colaborado na elaboração do Código do IRS, de modo a compatibilizar ambos os instrumentos legais.

Não tendo acontecido assim, há aquela maçada de as contribuições do Banco de Portugal para o Fundo de Pensões poderem ser consideradas, "direitos adquiridos e individualizados dos respectivos beneficiários" e, neste caso, sujeitas a IRS, nos termos do art. 2.º, n.º 3, alínea b), n.º 3, do referido código.

No melhor pano cai a nódoa. Ah, e por favor não reencaminhem isto para o Greenspan – ainda dá uma dor fininha ao pobre coitado...


O Greenspan teve o azar de nascer e trabalhar num país pequeno e pobre. Teria tido melhor sorte se tivesse vivido em Portugal e ter-se filiado num partido político ganhador!!!

04 julho 2007

A FELICIDADE PODE DEMORAR


Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer
senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança. Às vezes o amor nos machuca profundamente,
E vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.
Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar,
Tanto quanto precisamos respirar...é nossa razão de existir.
Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração
Pela falta de uma única pessoa.
Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver,
Até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um pôr-do-sol,
A magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto.
É a força da natureza nos chamando para a vida.
Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança,
Te traíram sem qualquer piedade.
Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.
Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor,
Apenas curtiram…
Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez.
E agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá
Ajudá-las a reconstruir um coração quebrado.
Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são factores
Importantes: a relação com a família, as condições económicas nas quais se desenvolveu.
(dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um carácter), os relacionamentos anteriores
E as razões do rompimento, seus sonhos, ideais e objectivos.
Não deixe de acreditar no amor. Mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém
Que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá.
Manifeste suas ideias e planos, para saber se vocês combinam. E certifique-se de que
Quando estão juntos, aquele abraço vale mais que qualquer palavra.
Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa
Te deixar, então nada irá lhe restar.

Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento,
Manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproca.
Pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda
Mais intenso, do que teria sido no passado.
Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário.
Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.
A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.
A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não
Esteja apenas de passagem...

PEDANTES







Acho piada a alguns
Que se julgam superiores
Só porque têm dinheiro
Já pensam que são doutores

Coitados desses pedantes
Têm dinheiro, que é obra!
Inteligência, é que lhes falta
Pois petulância, é de sobra

Pois esses seres "superiores"
Que arrogância não lhes falta
Um dia, quem sabe, um dia...
Terão que prestar contas, à "malta"

A miséria que se instala
Ela não vem por acaso
São esses seres "superiores"
Que a fomentam, sem prazo

Para esses é importante
A miséria persistir
Enquanto houver ignorância
São lucros sempre a subir

Mais lucros para esses tais
Que se julgam importantes
Mas coitados desses ditos
Serão sempre ignorantes.

Publicado no Livro "O eco das palavras"

Mário Margaride

Vira o disco e toca o mesmo!

Os políticos são como a ” música pimba”, o ritmo é sempre o mesmo, só muda a letra. Mas tudo isto levado à letra não passa da “conversa da treta”.
Será que têm consciência do que é viver no limiar da pobreza?
No sistema de saúde, querem renovar novamente as taxas moderadoras, só podem estar a dar-nos uma grande tanga.
Estão sempre a dizer que a população em Portugal está a envelhecer, mas que alternativas dão eles aos jovens para procriarem mais?
Nenhumas, claro!
O custo de vida já passou de custo a sacrifício, já andamos na penúria, só nos falta andar em cuecas; bem espero que também não cobrem imposto de selo das cuecas...
Aumentem as taxas moderadoras senhores governantes, mas diminuam uma por favor. As consultas e os internamentos no ramo da psiquiatria, é que não tarda muito os pobres entrarem todos em estado depressivo se é que já não estão.
Aos idosos carenciados e dependentes de tratamentos sucessivos de saúde mandem-nos para o Alentejo, assim poderão ver o deserto pela primeira vez. Pois estes nunca tiveram oportunidade de verem o grande e verdadeiro (Saara). Assim até teriam o deslumbramento de ver os camelos, quando estes se lembram de ir até ao deserto fazerem campanhas eleitorais em inquirição de votos.



Conceição Bernardino

03 julho 2007

PROFESSOR MORREU A TRABALHAR (+ 1)

"Foi considerado apto para leccionar apesar de ter cancro na traqueia e uma operação o ter deixado mudo. Era professor de Filosofia e tinha mais de trinta anos de serviço quando adoeceu. Artur Silva morreu no passado dia 9 de Janeiro, aos 60 anos, depois de a Caixa Geral de Aposentações lhe ter recusado a reforma e uma Junta Médica, que não o convocou, o ter considerado apto para dar aulas."

Ler mais aqui

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas