30 outubro 2007

DEVIA SER ASSIM...

Um texto muito oportuno, nos dias que correm... Luisa Castel-Branco escreve assim no DESTAK.

"Os meninos nasciam e, quando os papás os fossem registar, receberiam os seguintes diplomas:

- Certificado com aprovação do exame do primeiro, segundo e todos os ciclos que vierem a inventar;

- Carta de condução;

- Certificado de curso superior (e, de acordo com Bolonha, seria então bacharelato) para qualquer curso (o espaço ficaria em branco para o jovem escrever a sua escolha).

Enfim, desta forma poupava-se muito trabalho, despesa e sofrimento. Ao Estado, aos pais e professores, e aos "velhos do Restelo" que olham atónitos para as leis, cada uma que é promulgada, mais absurda do que a anterior.

Pensam que estou a brincar? Mas vejam bem: os trabalhos de casa, segundo os especialistas (!), traumatizam as crianças. Ninguém pode chumbar a não ser que os pais deixem. Se não lhes apetecer ir às aulas, que, como se sabe, são uma grandessíssima chatice, o Estado providencia exames especiais, tantas vezes quantas as que forem necessárias até os pobrezinhos passarem.

Passarem para onde? Para lado nenhum! Temos, cada vez mais, licenciados analfabetos, convencidos de que sabem tudo, com a agravante de uma sociedade que apenas faz uma coisa: pedir desculpas! Desculpas de quê?

Mas, afinal, quando é que conseguimos ultrapassar estes complexos pós-revolução e perceber que autoridade não é o mesmo que o autoritarismo e que NÃO SOMOS TODOS IGUAIS!

Para além do respeito devido a todos os seres humanos, existem pessoas cuja posição na vida dos jovens carece de respeito por inerência: os pais, os professores, os mais velhos, etc., etc.

Pena é que sejamos nós a não saber ocupar o nosso lugar!"

Luisa Castel-Branco

A matemática, amada e odiada

Existe uma difícil convivência entre os estudantes portugueses e a matemática. Mas, incompreensível contradição, os números são adorados por jornalistas, economistas, gestores e políticos. Citar uma estatística dá-lhes um prazer celestial, embora muitas vezes o façam de forma sinistra e tendenciosa.

Porém, os números acabam por desmascarar as baixíssimas médias nos exames escolares e enfatizar as péssimas classificações nas comparações internacionais. Para corrigir tal realidade, os dirigentes usam de sagacidade saloia e, a fim de reduzir o número do insucesso, usam a habilidade «milagrosa» de fazer exames mais fáceis. É um autêntico ovo de Colombo pois, em vez da catástrofe real, o resultado passa a ser uma maravilha, permitindo o acesso ao ensino superior, preenchendo todas as vagas dos cursos das áreas tecnológicas, que exigiam positiva a matemática. Mas disto resulta uma cadeia de efeitos inerentes citados por Alberto Castro no JN.

O resultados melhoram visivelmente, mas sem corresponderem a melhoria da preparação. Por este caminho, poderemos passar a ter uma sociedade de grande percentagem de diplomados, que não passam, na maioria dos casos, de analfabetos camuflados. Dizia um observador que, antes, um aluno iniciava o ano chumbado e tinha que se esforçar para passar, agora inicia o ano passado e o professor tem de se esforçar para o chumbar. Com tais critérios, parece que basta nascer para chegar a doutor e, mesmo que não queira ir tão longe, terá dificuldade, porque nem deixando de estudar, nem deixando de ir às aulas, o ajudam a desistir desse imperativo que lhe é imposto.

29 outubro 2007

AJUDA

"A associação "Abraço" recebeu 30 meninos com HIV. Estamos a necessitar de

roupa para rapariga de qualquer idade e para rapaz dos 6 aos 14 anos para

este projecto (trinta crianças a cargo).

Se quiserem colaborar por favor contactem:

Maria José Magalhães Telef.: 217997500 - (Associação "Abraço") / 223756655

- (VILA NOVA DE GAIA) / 800225115 (LINHA AZUL).

Se não puderem ajudar pelo menos passem a mensagem para os vossos

contactos, por favor, não custa nada e pode estar a fazer a diferença.

OBRIGADO!"

28 outubro 2007

A bondade

Extraído do blog Maquira,

Assim como as plantas, as aves, o céu, as nuvens, os mares, os rios, as montanhas, são belezas que nos transmitem felicidade e alegria e, consequentemente, a saúde do corpo e da mente, também as virtudes como a bondade, a compaixão e o amor pelo próximo são qualidades humanas que todos deveríamos possuir para nosso próprio bem e do nosso próximo.

Tomemos como exemplo a bondade que há muitos muitos anos atrás, os nossos antepassados, com a sua simplicidade, diziam: «a bondade consiste: primeiro, não fazer mal aos nossos semelhantes; segundo, fazer-lhes todo o bem possível».

A verdadeira bondade consiste na inclinação para amar os nossos semelhantes, desculpar os seus defeitos, interpretar as suas acções de modo mais favorável, fazer-lhes bem mesmo que não sejamos retribuidos. Eis o que caracteriza os homens bons. Será que os homens e as mulheres dos nossos dias poderiam tornar-se bons, sérios, leais, cumpridores e amantes do seu próximo?

Como seria então este nosso Mundo?

Adelaide

SIS, E AS ESCUTAS...

O ministro da Justiça, Alberto Costa, defendeu hoje a possibilidade de os Serviços de Informações fazerem escutas telefónicas para «garantir a segurança nacional», em casos como para prevenir atentados terroristas.

«Se é possível interceptar comunicações para investigar crimes já ocorridos, será também de contemplar a mesma possibilidade para garantir a segurança nacional, por exemplo, para prevenir um atentado terrorista», afirmou Alberto Costa, em entrevista ao semanário Sol.

In: Portugal Diário

Resta-nos saber, a nós, cidadãos comuns, quem controlará essas escutas, quem controlará o SIS, quem controlará os abusos, que de uma forma ou outra, acabarão por surgir? Mas o pior ainda está para vir, pois sobre o mesmo ideal, que era em defesa do estado a PIDE/DGS, tinha livre arbítrio para decidir quem prender, quem torturar, quem manchar o nome, enfim, tinha a faca e o queijo, com a conivência claro está do estadista, esse iluminado que deixou Portugal atrasado em mais de quarenta e tal anos. Não posso, deixar de me manifestar contra aquilo a que sob o pretexto de que Portugal estará sob ameaça Terrorista, o SIS, ou outro organismo qualquer, a vigiar o que dizemos ou sequer pensámos.

Ou será, que também houve um combinado atentado ao solo Português aquando da visita de Sócrates aos EUA?

São questões pertinentes a que eu estou atento, mas quero também dizer que não embarco em euforias histéricas de que agora somos todos vigiados, apenas sigo os factos, como o caso do blogue "Do Portugal Profundo", o caso "Charrua", etc. Acho que é estranho, e são estranhas as declarações do Ministro da Justiça, apenas e só.

27 outubro 2007

É DIFÍCIL DEFENIR "AMIGO"

Amigo é quem nos dá um pedacinho do chão, quando é de terra firme que nós precisamos, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que nos faz falta.

Amigo é mais que ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante, costas

É quem tentou e fez, e não é egoísta para não querer compartilhar o que aprendeu.

É aquele que ajuda e não espera retorno, porque sabe que o ato de compartilhar um instante qualquer que o realimenta e satisfaz.

Amigo é quem entende teu sentimento porque já sentiu, ou um dia vai sentir, o mesmo que tu.

Um amigo é compreensão para o seu cansaço e complemento para as tuas reticências.

É aquele que entende teu desejo de voar, de sumir de vez em quando, tua sede de inovar sempre.

É ao mesmo tempo espelho que o reflecte, e óleo derramado sobre suas águas agitadas.

O amigo se compadece pelos teus erros, e vibra com o teu sucesso.

É o sol que seca tuas lágrimas, é a polpa que adoça ainda mais o teu sorriso.

Amigo é aquele que toca tuas feridas com mãos de veludo; acompanha tuas vitórias com euforia e faz piada para amenizar teus problemas.

Amigo é aquele que sente medo, dor, náusea, cólica, e chora, como tu. E, se pudesse, sofreria no teu lugar.

Um amigo sabe que viver é ter história para contar.

É quem sorri para ti sem motivo aparente, sofre com teu sofrimento, e é o padrinho natural dos teus filhos.

É aquele que encontra para ti aquilo que nem tu sabias que procuravas.

Amigo é quem te envia cartas, esperadas ou não, pequenos bilhetes em sala de aula, mensagens electrónicas emocionadas.

É aquele que te ouve ao telefone mesmo quando a ligação parece caótica, com o mesmo prazer e atenção que teria se estivesse olhando em teus olhos.

Amigo é aquele que entende o que teus olhos dizem, sem precisar de palavras.

É aquele que adivinha teus desejos, teus disfarces, tuas alegrias, e percebe teus medos.

Amigo é quem aguarda pacientemente que surja aquele brilho no teu olhar e se entusiasma quando te vê surgir.

É quem tem sempre uma palavra sob medida quando teus olhos se cobrem de lágrimas.

E é também aquele que sabe quando tu estás lutando para sufocá-las na garganta.

Amigo é como lua nova, é como a estrela mais brilhante, é luz que se renova a cada instante, com múltiplas e inesperadas cores, que cabem todas na sua íris.

Amigo é verdade e razão, sonho e sentimento...

Amigo é aquele que te diz: "eu te amo " sem qualquer medo de má interpretação.
Enfim, amigo é quem nos ama e ponto final.

As doações de amizade pura enriquecem os companheiros de jornada.

Quando outras emoções se enfraquecem no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada das pessoas que se estimam.

Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida.

Por tudo isso, estendamos os benditos recursos da amizade real onde a discórdia tenta espalhar o escuro domínio que lhe é próprio.

26 outubro 2007

A JUSTIÇA NO BRASIL É O DINHEIRO



Enviem um mail à embaixada do Brasil em Lisboa e denunciem esta injustiça

06.01.1998 – FLAVIA SOUZA BELO, então com 10 anos, sofre grave acidente quando teve seus cabelos sugados pelo ralo da piscina do condomínio onde morava com a mãe e o irmão de 14 anos, no bairro de Moema, São Paulo. – Brasil. Flavia teve parada cardio-respiratória e desde então está em coma vigil, estado que segundo os médicos, é irreversível.

Odele Souza, a mãe, processou o condomínio Jardim da Juriti, a Jacuzzi do Brasil, fabricante do ralo e a AGF Seguro, seguradora do condomínio. O condomínio, porque trocou o equipamento sem orientação técnica, colocando no lugar do anterior, um equipamento de sucção SUPERDIMENSIONADO em 78%. A Jacuzzi, fabricante do ralo, porque não orientou em seus manuais, sobre os riscos da instalação de um equipamento em desproporção com o tamanho da piscina, e a AGF Brasil Seguros, porque não pagou quando solicitada, o seguro existente no condomínio, vindo a fazê-lo apenas um ano e onze meses depois, sem juros e correção monetária.

Ao longo desses quase nove anos que tramita na justiça paulista, o processo de Flavia teve dois julgamentos. Em ambos, foi concedida indenização que Odele considerou muito pequena, tendo em vista a gravidade do acidente ocorrido com Flavia. Odele recorreu das duas sentenças, mas mesmo tendo sido anexados aos autos, laudos periciais realizados por peritos designados pela justiça, onde foi constatado o SUPERDIMENSIONAMENTO do equipamento de sucção da piscina cujo ralo sugou os cabelos de Flavia, e mesmo continuando ela a viver em coma vigil já por quase dez anos, até hoje, os responsáveis pelo acidente NÃO FORAM CONDENADOS a pagar a indenização pleiteada. Odele, hoje busca divulgação para o caso, e espera com isso, chamar a atenção para o desrespeito aos direitos humanos de sua filha. Espera também a CONDENAÇÃO EXEMPLAR dos responsáveis pelo acidente que deixou Flavia em coma pelo resto de seus dias.

No blog FLAVIA, VIVENDO EM COMA (www.flaviavivendoemcoma.blogspot.com)
Odele protesta contra essa lentidão da justiça brasileira em conceder à Flavia a indenização a que tem direito e alerta sobre o perigo existente nos ralos de piscinas,que sem legislação específica, continuam a causar acidentes fatais ou gravíssimos em todo o mundo, conforme vem sendo documentado no blog de Flavia. A maioria das vítimas são crianças.

Odele Souza
e-mail: odele@terra.com.br
blog: www.flaviavivendoemcoma.blogspot.com
http://sverdades.blogspot.com

David Santos

24 outubro 2007

Todos à pala no Dia B

Milhares de pessoas concentraram-se no dia B no Pavilhão de Portugal no Parque das Nações. Grande parte dos presentes é autor de blogues que, saídos do espaço virtual, ali vieram fazer uma manifestação inédita. Quase todos levaram uma pedra que colocaram sobre uma folha A4 no pavimento da pala do edifício. Cada folha que se foi pousando ao longo do dia, continha uma palavra de ordem dirigida ao poder, assinada com o nome do blog de origem.

Podiam também ser vistas algumas pessoas que, de megafone em punho, discursavam as suas ideias criando um cenário que fazia lembrar o londrino Speakers’ Corner.

Não parece existir nenhuma organização formal por detrás desta iniciativa. Tudo levando a crer que se trata de um movimento espontâneo, gerado pelas sinergias intrínsecas da blogosfera portuguesa. O presente texto terá sido divulgado entre os blogues, criando um efeito pirâmide que terá culminado nesta manifestação. A assinatura de uma petição online e a colocação de selos de adesão nas barras dos blogs terá assegurado a viabilidade e o sucesso da iniciativa.

Divulga este texto e verás no que isto vai dar!

23 outubro 2007

AFLIÇÃO E CONSTRANGIMENTO

Eu já relatei aqui, minhas dificuldades no ano de 1998, para encontrar um advogado que aceitasse provar na Justiça, que o acidente ocorrido com Flávia, tinha sido causado pelo mau funcionamento do ralo da piscina onde ela nadava no momento do acidente. Já contei também que após muito perambular com um calhamaço de documentos em baixo do braço, acabei por encontrar Dr.José Rubens Machado de Campos, advogado que assumiu o caso e que felizmente se mantém connosco até hoje, e que tem demonstrado ao longo desses anos, muita competência e combatividade. Infelizmente, dependemos dos juízes que até hoje têm ignorado todas as provas pos nós apresentadas sobre o ralo super dimensionado para aquela piscina, e sua demasiada força de sucção.

Antes de decidir processar o condomínio Jardim da Juriti, em Moema – São Paulo, onde eu morava com meus filhos, tentei de todas as formas junto ao síndico, receber o seguro de responsabilidade existente no prédio, da seguradora AGF Brasil Seguros. O síndico respondia que não poderia me ajudar nesse sentido, pois reivindicar o seguro seria o mesmo que admitir a culpa do condomínio, coisa que ele não faria, me dizia. Passei então a escrever directamente para a AGF, descrevendo o acidente ocorrido com Flávia na piscina do prédio e solicitando o pagamento do seguro, na época, no valor de R$ 100 mil reais. Não tive sucesso e a AGF foi incluída no rol dos réus a quem processei, junto com o condomínio Jardim da Juriti e a Jacuzzi do Brasil, fabricante e vendedora do ralo.

A seguradora AGF, na sua contestação escreveu:

“......A comunicação do sinistro pelo condomínio segurado, apenas relatou o acidente, não admitindo para si, qualquer responsabilidade quanto à ocorrência do mesmo. Assim , não poderia e não pode a ora contestante liberar o valor da importância segurada sem que esteja comprovada a responsabilidade do condomínio pelo evento. A seguradora não tem qualquer responsabilidade directa com as autoras....”


Nosso advogado trabalhou, e o juiz entendeu, que se um condómino sofre um acidente dentro do condomínio, ele tem sim o direito a receber o seguro ali existente. A AGF adiou o quanto pode o pagamento desse seguro de responsabilidade civil existente no condomínio. Graças ao trabalho de Dr.José Rubens e o discernimento de um Juiz, o valor foi pago, - um ano e onze meses após o acidente, sob ordem judicial e ameaça de cobrança de multa diária, caso o valor não fosse depositado em nome de Flávia na data estipulada. No entanto, mesmo tendo sido pago quase dois anos depois do acidente, a AGF não pagou nem juros nem correcção monetária. O tempo em que fiquei pelejando para receber o seguro da AGF agravou minha aflição e me causou muito constrangimento, pois precisei depender de favores de terceiros para garantir a sobrevivência de Flávia, enquanto possuía legítimo direito de receber a indemnização do seguro.

22 outubro 2007

PJ PERDE 84 INSPECTORES NUM ANO...


Falta de elementos levou a quebras significativas de operacionalidade em vários departamentos. Criminalidade não diminuiu, mas há menos detenções, buscas e prisões preventivas. Directoria de Lisboa é a mais afectada. Ministro anunciou contratação de operacionais em 2009, mas ainda não serão suficientes

A Polícia Judiciária perdeu 84 inspectores no espaço de um ano, revela a edição desta segunda-feira do DN. Segundo o jornal, estes números revelam uma quebra de 7,6 por cento, comparando com igual período de 2006 e revelou quebras significativas de operacionalidade em vários departamentos.

O DN avança que a perda de eficiência se destaca sobretudo, na Directoria de Lisboa, onde diminuíram as detenções (32 por cento), as buscas (13 por cento) e as prisões preventivas, mas não diminui a criminalidade.

Os sectores em que se regista uma maior perda de inspectores (10 por cento) são a Direcção Central Investigação e Combate ao Crime Económico e Financeiro (DCICCEF) e a Direcção Central de Combate ao Banditismo (DCCB), o mesmo acontecendo em Aveiro e Braga (14 por cento), Porto (8 por cento) Faro (7 por cento) e Lisboa (7 por cento). Desde fins dos anos 90, a PJ perdeu 240 elementos de investigação criminal e recentemente o Ministro da Justiça anunciou a contratação de 150 operacionais em 2009. O que significa que, ainda assim, o défice vai manter-se.

No combate ao crime económico-financeiro, embora o departamento tenha perdido 10 por cento dos investigadores, as buscas aumentaram quase 80 por cento, comparando-se ambos os semestres, verificando-se um crescimento ainda maior no número de intercepções telefónicas (52-130). O número de arguidos também cresceu significativamente, tal como as vigilâncias. Em contrapartida, baixaram as detenções (13 por cento) e as prisões preventivas.

A minha análise:

Porque será, que isto acontece numa polícia deste calibre, que deveria ser o garante da democracia, e trabalhar em prol desta? Está-se mesmo a ver a quem interessa este deficit de elementos, os números acima não enganam, o sector de criminalidade mais beneficiado com a falta de uma PJ apetrechada, são o “CRIME ORGANIZADO” ou o de “COLARINHO BRANCO”. Pois, é a par de outras medidas, ainda que algumas encapotadas, é que se nota a vontade política destes canalhas que nos têm governado, como por exemplo:

- A falta de combustível, ou a forma de o obter, reinam na PJ.

- A falta de um parque automóvel capaz, de armamento eficaz, e meios técnico-científicos de vanguarda, face ao grau de criminalidade complexo cada vez mais crescente.

- E para mim, o mais importante de todos, o DESCRÉDITO, em que a instituição tem caído, aos olhos da Comunicação Social, por culpa deste nosso PR, e PM, incapazes de bater o pé, a meia dúzia de “HOOLIGANS”, que apareceram em Portugal, armados em “DAMAS DE FERRO”, e em bons “PURITANOS”, arrastando na lama o bom nome da PJ, e de PORTUGAL. Aos Ingleses, esses arrogantes prepotentes, lhes digo uma só coisa, BAIXEM A BOLINHA, POIS O GUARDA-REDES É ANÃO, E SE, SE SENTIREM INCOMODADOS, RUA!!!!

VIVA A PJ, VIVA PORTUGAL!!! CÁ MANDÁ-MOS NÓS…(Se o Sócrates, e o Aníbal não dizem nada… digo eu!)

A MIM NINGUÉM ME CALA!!!

OBS: Eu retirei esta notícia do Portugal Diário, mas o incómodo é tanto, que algumas horas depois já não consta nada nesse site. Mas podem vê-la aqui no Diário Digital

Fogos florestais. Propaganda e desleixo???

Um senhor secretário de Estado que tutela a protecção civil e os bombeiros, ao encerrar a fase charlie de combate aos fogos florestais, disse que, «entre os dias 1 de Julho e 30 de Setembro - os meses de maior risco - a área ardida foi significativamente menor do que em 2006, com 16.605 hectares ardidos até ao momento contra os 75.335 hectares ardidos no ano passado».E atribuiu este êxito a:
- «um aumento da área intervencionada»,
- uma melhor articulação dos sapadores florestais e a
- uma melhor vigilância da GNR.
Tudo isto era apontado como mérito do Governo e, portanto, da sua Secretaria de Estado.

Na ocasião, no post aqui colocado, Não há senso!, considerei que era preciso desplante, para não dizer arrogância insensata querer que os portugueses esquecessem as diferenças meteorológicas entre o verão de 2006 e o de 2007, tendo este sido menos quente, mais húmido e com vários períodos chuvosos. Dizia que o mérito coube não ao Governo, mas sim à «não comparência» dos fogos por virtude de S. Pedro.

Hoje os jornais, a propósito dos fogos no Parque Nacional da Peneda-Gerês, dizem que, enquanto em todo o Outubro de 2006 houve 423 fogos florestais, este ano, apenas desde um a 20 de Outubro, já houve 1670 fogos, o que é quatro vezes mais. Usando a estatística como os governantes gostam de fazer, como este número resulta da comparação de dois terços do actual mês com todo o mês do ano passado, significa que comparando os meses inteiros de Outubro dos dois anos, no corrente, haverá seis vezes mais fogos do que em 2006.

Isto faz pensar que ou o Sr. secretário de Estado quis fazer falsa propaganda, sem senso, e ofuscar a nossa ingénua visão, ou ele foi de férias acompanhado daqueles três factores, que incluem os sapadores florestais e a GNR, deixando negligentemente Portugal entregue à sorte.

Não há senso, quando, por intenção se oculta o principal factor de um fenómeno complexo. E digo intenção, para não dizer ignorância ou incompetência, porque isso poderia ser considerado ofensivo, enquanto que a intenção, mesmo que má, estava «politicamente correcta». Estava dentro do hábito de atirar poeira para os olhos menos atentos.

21 outubro 2007

Dia 31 Outubro, Haloween - Dia das Bruxas!

O Haloween comemora-se no dia 31 de Outubro nos Estados Unidos da América e no Brasil. É o dia das bruxas.
O dia das bruxas apareceu há dois mil anos quando os povos Celtas festejavam o fim do Verão, o início do Ano Novo e as fartas colheitas. A sua comemoração original chamava-se Samhain, também conhecida como o dia das almas, pois acreditava-se que na noite de 31 de Outubro acontecia o encontro entre o mundo espiritual e material, isto é, as pessoas acreditavam que nessa noite se abria a porta entre os dois mundos e os mortos caminhavam sobre a terra.
Esta festa nasceu entre os Celtas (antigo povo europeu) e marca a passagem do ano dos druídas (sacerdotes dos Celtas).
Para os Celtas, o dia 1 de Novembro era o primeiro dia do ano e o dia do Deus Sol. Eles acreditavam que na mudança de ano eram abertas portas de ligação entre o reino dos mortos e o reino dos vivos.
Existem lendas que contam que os mortos regressavam à terra e encarnavam nos vivos para dar uma voltinha pelo mundo terreno. As populações deixavam prendas e comida nas ombreiras das portas, para apaziguar os antepassados inquietos, acendiam fogueiras nos campos par afugentar o maus espíritos. No exterior das casas colocavam-s luzes para iluminar e evitar a escuridão e espantar os fantasmas, as pessoas disfarçavam-se de demónios porque acreditavam que se imitassem as criaturas do outro mundo, ficariam protegidas do poder do mal.
Acreditavam que os espíritos regressavam para fazer atrocidades, colocar mau olhado nas colheitas e provocar danos materiais, os Celtas também acreditavam que as almas eram de membros superiores da igreja católica e eram inofensivas.
O facto é que esta tradição tende a alargar-se aos países europeus, não tanto pela crença nas almas do outro mundo, mas pelo pretexto de divertimento e brincadeira que desencadeia!

20 outubro 2007

Corrupção. Porém, ela existe!

A corrupção, activa e passiva, o trafico de influências, as cunhas sempre existiram, mas hoje abusa-se. São actos difíceis de provar porque ambas as partes são interessadas, tanto a que beneficia do acto ilícito que vai realizar com a ajuda do tipo bem posicionado e com poder para lhe facilitar o caminho, como a parte passiva que, em troca do favor que faz, recebe uma «atenção» que não será negligenciável, dependente do negócio e do poder de compra do corrupto activo. Isto leva a concluir que os corruptos passivos se encontram nos altos degraus do poder, os que têm capacidade de influenciar as decisões.

Apesar de propostas, mais ou menos espectaculares, para fazer face a estas distorções da vida económica do País, de que resulta o enriquecimento ilegítimo, a epidemia continua e, hoje, o Jornal de Notícias traz dois artigos que mostram que este mal travessa horizontalmente os partidos, é apartidário, um refere-se à Madeira e seus governantes a vários níveis, e o outro aponta para a concelhia do PS de Coimbra.

Enfim dois beliscões num gigante que nem sequer reage. É lógico que não queiram acabar com esta pouca vergonha. Quem tem poder para o fazer pertence ao grande grupo dos beneficiados. Portanto... O conluio, o arranjo, o conchavo, a mancomunação, o compadrio, para não recorrer a terminologia de origem italiana, explicam que tardem as medidas eficazes para combater esta peste que destrói a sociedade e lesa as finanças públicas pelas fugas que proporciona.

19 outubro 2007

NOVELA, MILLENNIUM BCP...

Não sei porque criticam tanto o Eng. Jardim Gonçalves por tratar tão bem o seu filho Filipinho. Fiquem a saber que o rebento nem usava o apelido paterno nos seus negócios bancários, era tratado por Filipe Vasconcelos.

Mas há um pequeno pormenor que tem escapado à comunicação social, é que o Filipinho foi buscar o nome próprio ao padrinho, nada mais do que o administrador que cuidou dos seus créditos e que hoje é o presidente do banco, Filipe Pinhal.


Do seu padrinho Filipe de Jesus Pinhal




Admirados?... Porquê.... aí vem a confissão

"Oh...pois...dei"

E ainda, mais esta...

(notícias de sábado 06-10-2007)

Com esta inclinação natural para distribuir milhões e milhões pelos pobres, o reitor do santuário dos milagres daria um excelente administrador executivo do banco do Opus Dei.

E eu, que até sou cliente deste banco (por pouco tempo), quando fui renegociar o SPREAD de 2,1% (um autêntico ROUBO), sobre o meu empréstimo à habitação, disseram-me, com uma grande lata, que me cobrariam 160,00€, para a revisão deste, e não me garantiriam a sua revisão, ou decréscimo deste. Foi mais um caso para lhes chamar Filhos duma P*****, ladrões do C******, andam a chular-me, a mim e mais não sei quantos clientes para dar ao C****** do Filipinho.

GATUNOS, LADRÕES E XUPISTAS, É ESTA CORJA QUE O SÓCRATES E OS SEUS "BOYS" ANDAM A PROTEGER...

UE. Portugal de parabéns

Seja qual for a qualidade do tratado europeu, a qual depende de todos os parceiros da União, a Presidência portuguesa está de parabéns pelo esforço diplomático para ele ter sido aprovado durante este semestre, ficando o nome de Lisboa a ele ligado.

Agora espera-se que os governantes se debrucem mais atentamente nos problemas internos que, efectivamente, preocupam os cidadãos.

18 outubro 2007

Contradições abundam

Transcreve-se o seguinte artigo do Destak de 18Out07:

Governo incentiva casos de dupla personalidade

Se fosse guarda prisional em Portugal acusaria o Governo de me querer provocar uma síndrome de múltipla personalidade. Ontem, à saída da Assembleia da República, o ministro da Justiça, Alberto Costa, falou directamente para a personalidade A do guarda prisional. Com a sua voz clara, anunciou que agora, como sempre, o representante da autoridade que encontre alguém na posse de uma substância ilícita deve imediatamente «apreender a droga e, se se tratar de uma situação de tráfico, proceder à denúncia para ser canalizada para o Ministério Público». Justificando a sua posição, recordou que «as leis penais e processuais penais não são modificadas por esta experiência piloto». Portanto, a personalidade A do guarda só tem que pegar no prisioneiro pelas orelhas, e vociferar: «Malandro, então andas-me na droga outra vez? E quem é que te deu esta porcaria, vamos lá saber? Tens mesmo a mania que és esperto, e a malta não topava, era? Toma lá um carolo e mais dois meses de prisão que te lixas.»

Falando, logo de seguida à personalidade B do mesmo guarda prisional, o também idêntico ministro explicou que «a situação excepcional é apenas uma seringa contaminada ser substituída por outra não contaminada. O objectivo do programa é substituir seringas, não é favorecer o consumo ou o tráfico de droga». Sendo assim, a personalidade B do guarda fica a saber exactamente como agir. Chega-se ao prisioneiro e diz-lhe, num tom suave: «Ó pá, passa para cá o produto, mas fica lá com as seringas, que até foi a malta que tas deu, e já agora guarda o toalhete, o limão e a carica pá, que sou um mãos largas. E logo vais lá abaixo pedir outra, ouviste? Para quê? Sei lá, filho, mas não quero é apanhar-te outra vez a chutar para a veia. Brinca aos médicos, ou enche isso de água para fazer de bisnaga no Carnaval, estás é farto de saber que a porcaria da droga é proibida aqui dentro, e ao que parece no resto do País também. Aliás, se não me falha a memória, é por isso que estás preso, mas adiante».

Há outras explicações possíveis, como a de que a esquizofrenia seja da AR que aprovou o programa, ou ainda que não passe de uma estratégia para enlouquecer o prisioneiro, dando-lhe para a mão o fruto proibido, e depois castigando-o por o ter aceite. Maquiavélico, mas nada de novo.

Autor: Isabel Stilwell, editorial@destak.pt
NOTA: Mais uma vez, Isabel Stilwell marca aqui presença com uma observação perspicaz. O Governo, efectivamente, tem procurado criar em nós uma dupla personalidade: a que nos leva a acreditar nas suas promessas e falácias e a outra com que olhamos para a realidade adjacente ao local onde pousamos os pés. Mas isto é o reflexo das múltiplas personalidades do legislador, como no caso versado no texto, e com as formas de pensar, falar e agir dos governantes como é evidenciado pelas tácticas de avança, pára e recua ou dito de outra forma, com as dos avanços em zigue-zague, ou ainda com a de um passo para a frente e dois para trás, o que define a história recente da nossa posição no rank europeu. Com tais contradições e indefinições não podemos ir muito longe!

Fanfarronice do Portugal dos pequeninos

O PS voa em Executiva

Desta vez deu-me um prazer enorme apanhá-los em flagrante.Um dos políticos do PS Porto, Francisco Assis, voou ontem à tarde para Bruxelas com a Brussels Airlines em Classe Executiva (B-Flex). Tenho umas perguntas interessantes:

1. A TAP não servia?
2. Por que é que não voou em classe económica como o Presidente do Governo Regional da Catalunha fez há uns meses atrás na sua visita a Portugal?

Written by O Embaixador, Extraído do blog a.embaixada

17 outubro 2007

A VERGONHA DO PR...

Hoje, aquando duma visita a um bairro social, o Presidente da Republica, disse aos jornalistas sentir-se envergonhado com a pobreza em Portugal. (Ler aqui)

Mas o Sr. Presidente da Republica de Portugal, está assim tão perturbado com a pobreza, e diz a certa altura aos jornalistas, e passo a citar:

«Envergonho-me um pouco desta posição» falando acerca de Portugal estar na cauda da EUROPA, quanto aos países mais pobres da UNIÃO.

«Estou convencido que o Estado só por si não consegue resolver estes problemas»

E diz ainda:

«...que os cidadãos se organizem, trazendo ao de cima a sua consciência social...»

E então pergunto eu:

- Oh, Sr. Presidente da Republica Portuguesa, então o Sr., assim tão incomodado com os números da pobreza no nosso país, não poderia abdicar de uma das quatro pensões que recebe, em benefício do combate à pobreza, e assim dar o exemplo a outros milhares de políticos em Portugal, na mesma situação, exigindo destes a tal consciência social, ou é só para o trabalhador por conta de outrem, e para meia dúzia de empresários (pequenos e médios, que os grandes , tá quieto), será só para esses a consciência Social?

- E onde é que o Sr. estava, quando era primeiro ministro, estas situações já existiam, e o que é que o seu governo de então fez? Agora, que não tem poderes governativos é que o choca?

HAJA DECÊNCIA, HAJA HONESTIDADE E ACIMA DE TUDO, DEIXEM DE SER HIPÓCRITAS!!!

16 outubro 2007

Polícias diferentes de simples funcionários públicos

PSP chamada à pressa

Por NS, no Jornal de Notícias

A chamada "em cima da hora" de mais de duas dezenas de elementos da Divisão de Trânsito da PSP do Porto para prestarem serviço na cimeira de Lisboa causou indignação no seio daquela força policial, denunciou ontem ao JN uma fonte da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP).

Os 23 agentes, na sua maior parte batedores, foram contactados durante a tarde de ontem, tendo recebido ordens imediatas para se apresentarem hoje de manhã em Lisboa, onde terão de permanecer durante quatro dias.

"A chamada dos agentes deveria ter sido feita atempadamente, mas aconteceu ao último da hora, sem ter em conta os transtornos que tal situação acarreta para os profissionais", sublinhou fonte sindical, questionando igualmente as condições de alojamento. NS

NOTA: E isto acontece apesar do excesso de assessores que enxameiam os gabinetes do Poder. Utilizei mal a palavra «apesar», pois estes erros de confusão, irresponsabilidade e desorganização devem-se precisamente ao excesso de pessoas parasitas do ordenado, sem uma clara definição de tarefas. Como definir e distribuir tarefas se estas são em número inferior ao dos funcionários?!!
Esquecem-se os donos do poder de que uma organização para ser eficiente e produtiva tem de ter obrigatoriamente uma estrutura claramente definida e muito simples, pois a simplicidade é condição essencial para a eficácia, para a responsabilização e para a realização pessoal dos seus recursos humanos.
No caso referido, além a incapacidade de previsão, de planeamento e de comunicação, houve desrespeito pela unidade a que pertencem os batedores que, desta forma, teve de anular e alterar profundamente as acções planeadas, e também houve desrespeito pelos guardas e seus familiares, que foram tratados como simples coisas, ferramentas do poder autoritário que reside na mente de quem decidiu tardiamente. Ao contrário da comparação feita há cerca de um ano entre polícias e simples funcionários públicos, agora aqueles são tratados como não seria possível fazer aos funcionários. Afinal são diferentes.

14 outubro 2007

Rasteira detectada a tempo!!!

OE 2008: Finanças admite gralha beneficiando reformas altas

O Ministério das Finanças admitiu a existência de uma gralha no Orçamento do Estado para 2008, que gerava benefícios aos pensionistas com reformas mais elevadas, num comunicado distribuído à comunicação social.

A admissão da gralha no OE surge depois de vários órgãos de comunicação social (OCS) terem noticiado que as alterações propostas no âmbito das deduções de IRS para os pensionistas teriam como efeito um benefício das reformas mais altas e uma penalização daqueles que aufiram pensões mais baixas.

Resta a dúvida de esta gralha poder ter sido intencional, como aconteceu no Código do Processo Penal (Ver Fantasmas entre os legisladores???!!!) e, se os OCS não tivessem detectado essa injustiça, ela ficaria com orça de lei a aumentar as distâncias sociais entre ricos e pobres.

A lição a retirar é a que tem sido repetida com as sugestões de usar o direito de expressar a indignação, ou de não se resignar. É preciso estar atento às tropelias dos detentores do Poder e levantar a voz. Com as manifestações de desagrado, algumas localidades fizeram o ministro da Saúde recuar no encerramento de maternidades, de centros de saúde e de urgências. Eles deitam o barro à parede a ver se pega. O povo tem de estar de olho abertos, para impedir a consolidação de trafulhices.

13 outubro 2007

O Outono humano

Dois idosos «reformadíssimos» que tinham na vida activa ocupado cargos de grande importância e visibilidade e que costumavam encontrar-se em visitas a museus, em pesquisas em bibliotecas e na assistência de espectáculos culturais de elevado nível, cruzam-se numa rua central da capital.

- Olá caro amigo, ainda bem que o encontro e aproveito esta oportunidade para me despedir de si, porque amanhã parto para a minha aldeia natal, Vila Nova de Tázem, no coração da Beira Alta, onde vou passar os últimos tempos da vida.

- Oh meu amigo, não quero acreditar. O senhor habituado à frequência do S. Carlos, aos concertos na Gulbenkian, à visitas aos museus, etc, etc, não vai conseguir viver na pasmaceira da aldeia sem os seus passatempos favoritos e o seu alimento cultural. E para mais, vai sentir a falta do apoio de saúde de que aqui na capital dispõe, de uma maneira ou de outra, e de que na nossa idade não podemos estar afastados.

-Tem muita razão naquilo que me diz. Pensei nisso tudo. Mas, sabe, estou numa idade em que me pode dar uma indisposição e cair para o lado em plena rua. Se isso me acontecer aqui na capital, embora haja bons apoios de saúde, as pessoas passam ao lado e dizem «lá está mais um velho bêbado a curar a bebedeira» e nem pensam em chamar o INEM. Mas se for na minha terra, onde faltam os mínimos apoios de saúde, e em tal caso não haja socorro possível, nos minutos antes de morrer, posso ouvir as palavras dos meus conterrâneos «pobre do senhor Nogueira, era tão boa pessoa e chegou a sua hora». E nada paga o prazer de, em tal hora, ouvir o nosso nome e palavras de amizade e consideração. Por isso, meu amigo, decidi ir para lá.

Certificado de amizade

Diga isto, com sinceridade, a cada um dos seus amigos:

Se eu pudesse…oferecia-te um castelo e compartilharia contigo a sua beleza e a sua imponência.
Se eu pudesse...oferecia-te uma montanha, que pudesses considerar como tua propriedade.
Um lugar onde se encontra calma, um lugar onde se está em paz.
Se eu pudesse…ficava com todos os teus problemas e deitava-os ao mar.

Mas tudo isto é impossível para mim:
Não posso comprar-te um castelo, uma montanha, ou ficar com todos os teus problemas...

Deixa-me apenas ser o que, sim, posso ser:
Um Amigo, que estará sempre presente quando precisares.

De autor desconhecido. Recebido por e-mail em formato pps

12 outubro 2007

Bebé de Amarante nasceu em ambulância

Mais um português terá no seu cartão único, como local de nascimento «ambulância dos bombeiros algures entre ... e ...», devido, em grande parte, ao encerramento de maternidades.

Uma jovem de 22 anos deu ontem à luz um menino numa ambulância dos Bombeiros Voluntários de Amarante, quando estava a ser transportada da sua residência na freguesia de Ansiães, em pleno Marão, para a maternidade do Hospital Padre Américo/Vale do Sousa, em Penafiel a cerca de 60 quilómetros, por ter sido fechado o bloco de partos do Hospital S. Gonçalo, em Amarante.

O parto decorreu «sem problemas», sendo assistido pelo motorista da ambulância e pelas duas maqueiras que o acompanhavam. «Apesar de serem mulheres-bombeiras nunca tinham tido uma experiência deste tipo». A jovem parturiente, foi mãe pela segunda vez.

Fonte: Diário Digital / Lusa

11 outubro 2007

OPORTUNIDADES...

Já muito se tem falado dos "Computadores" a 150€, e da internet de Banda Larga por 15€ por mês, mas o que não tem sido dito, na minha modesta opinião, é o que verdadeiramente se poderá chamar de "Vigarice". Na blogosfera, tem-se grado uma contestação ao Plano Tecnológico de Sócrates, no meu entender, está errado, senão vejamos:
  1. O estado, tem proporcionado aos alunos do 10º ano, aos professores e aos formandos das novas Oportunidades, a um valor acessível (150€) quando na maioria dos casos, estes equipamentos, ascendem entre os 600€ e 700€. Até aqui, nada de mal, acho muito bem o governo porporcionar povo meios para a sua instrução.
  2. Estes computadores, serão acompanhados por acesso à Internet de Banda larga, e aqui é que começa a dita, e-Vigarice, ou então, os compadrios. Já foram entregues + de 50000 computadores, e todos eles, agarrados à TMN.
Não que eu queira ser contra esta operador pioneira nas telecomunicações móveis, nada disso, quero é dizer que, na altura da inscrição, no site e-escola, disponibilizavam, ou pretendiam disponibilizar, 4 redes à escolha, sendo elas: SAPO, OPTIMUS, VODAFONE e TMN. O que aconteceu, é que quem quisesse fazer a inscrição no dito site, deparava-se com o cenário de só a TMN, poder ser a escolhida, dando assim um handicap à partida a todas as outras.

Se, o governo quer ajudar a TMN, deve fazê-lo mas de cara aberta, não com subtrefúgios da pior espécie, como os descritos anteriormente, e sabendo eu de fonte segura, que atrasaram a entrega destes aparelhos nas outras operadoras ao máximo, para assim a TMN levar a Vantagem.

Não embarco, nas opiniões de muitos bloggers, embora as respeite, mas o Governo, dá assim com uma mão, retirando com as duas. E este plano tecnológico, é uma coisa boa, sim senhor, mas também é uma panelinha, onde todos comem.

10 outubro 2007

Talvez

"Talvez eu venha a envelhecer rápido demais. Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena.
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida. Mas farei que elas percam a importância diante dos gestos de amor que encontrei.
Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais. Mas jamais irei me considerar um derrotado.
Talvez em algum instante eu sofra uma terrível queda. Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão.
Talvez um dia o sol deixe de brilhar. Mas então irei me banhar na chuva.
Talvez um dia eu sofra alguma injustiça. Mas jamais irei assumir o papel de vítima.
Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos. Mas terei humildade para aceitar as mãos
que se estenderão em minha direcção.
Talvez numa dessas noites frias, eu derrame muitas lágrimas. Mas não terei vergonha por esse gesto.
Talvez eu seja enganado inúmeras vezes. Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar
alguém merece a minha confiança.
Talvez com o tempo eu perceba que cometi grandes erros. Mas não desistirei de continuar trilhando meu caminho.
Talvez com o decorrer dos anos eu perca grandes amizades. Mas irei aprender que aqueles que realmente são meus verdadeiros amigos nunca estarão perdidos.
Talvez algumas pessoas queiram o meu mal. Mas irei continuar plantando a semente da fraternidade por onde passar.
Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música. Mas então, farei que a música siga o compasso dos meus passos.
Talvez eu nunca consiga enxergar um arco-íris. Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração.
Talvez hoje eu me sinta fraco. Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.
Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias. Mas terei a consciência que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados em minha alma.
Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música. Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo.
Talvez a vontade de abandonar tudo se torne a minha companheira. Mas ao invés de fugir, irei correr atrás do que almejo.
Talvez eu não tenha motivos para grandes comemorações. Mas não deixarei de me alegrar
com as pequenas conquistas.
Talvez eu não seja exactamente quem gostaria de ser. Mas passarei a admirar quem sou.
Porque no final saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor.
E se ainda não me convenci disso, é porque como diz aquele ditado: “ainda não chegou o fim”.
Porque no final não haverá nenhum “talvez” e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e eu fiz o melhor que podia“.

Aristóteles Onassis

Governo despreza o povo soberano

Por abordar o tema já aqui tratado, transcreve-se o seguinte artigo de opinião.

Arrogância à solta
Por Alexandre Pais, jornalista, no Destak de 071009

José Sócrates podia ter aproveitado a sua última visita a Montemor-o-Velho para dar um exemplo de tolerância e de humildade democrática. Um exemplo que travasse até a arrogância crescente de alguns dos seus ministros, como os da Economia e da Administração Interna, que ainda há dias deixaram os repórteres a falar sozinhos em cenas caricatas que nem o bom senso nem a presença das câmaras de televisão os fizeram evitar.

Mas não, o primeiro-ministro reagiu com pouco «fair-play» a mais uma manif dos sindicatos, fazendo acusações ao Partido Comunista e tentando apenas, com um sorriso amarelo, disfarçar o seu agastamento. É verdade que a insatisfação popular que os manifestantes pretendem salientar não é generalizada? É. E provam-no as sondagens. Mais uma razão para que Sócrates compreendesse que a democracia é isso mesmo: manda quem deve e grita quem quer.

NOTA: Se, em Democracia, o povo é soberano, não se compreende o pânico dos governantes perante a mínima manifestação popular traduzido na forma insensata e nada democrática como reagem. Ou será que, na realidade prática, não estamos em Democracia? Imitando a forma como alguns ministros têm respondido a perguntas de jornalistas, talvez seja de responder «como é óbvio!»

Eutanásia infantil

Por Mariazita, Outubro 2007

Gosto de coleccionar coisas – bonecas, mochos, miniaturas de perfumes e bebidas, postais ilustrados (tenho uns milhares) – e mais não digo para não me chamarem louca! E gosto de coleccionar artigos, crónicas, entrevistas, que de um modo ou outro, chamaram especialmente a minha atenção.
Numa revisão a estes escritos deparei-me com uma entrevista que me tocou particularmente. Foi feita há 2 anos por uma conceituada revista, a um médico italiano a quem apelidaram de Dr. Morte.
Transcrevo aqui uns pequenos excertos.

(…) o Vaticano acusa-o de ser como os nazis. É o médico mais controverso do momento. Nos últimos três anos ajudou quatro bebés a morrer. Para ele, a eutanásia infantil não é um pecado, é um acto de misericórdia

- Seria capaz de terminar com a vida de um dos seus filhos ?
- Nunca o faria pela minha própria mão. Nesse momento seria um pai e não um médico. Acho que no caso de estar perante essa situação tão difícil – quando não há cura possível, nenhuma esperança – iria querer que o meu filho sofresse o menos possível.

- Qual foi a experiência de eutanásia mais forte que teve?
Houve um caso que mudou a minha visão pessoal. Era um recém-nascido com uma doença de pele muito rara. Bastava tocar-lhe para a pele sair. Quando tivemos a certeza absoluta do prognóstico, falamos com os pais. Passado um tempo os pais vieram pedir-nos para acabarmos com a vida do filho.

- O que sentiu nessa altura ?
- Foi chocante. Quem quer acabar com a vida de uma criança ? Por outro lado, conhecendo tão bem aquele recém-nascido e sabendo como não conseguiríamos reduzir-lhe o sofrimento, entendemos o problema dos pais. (…)

É um tema assustador. Adoro crianças. Por bebés tenho verdadeira paixão. Não consigo imaginar-me a ter que tomar uma tal decisão. Já me vi na situação de pedir a Deus que terminasse com o sofrimento de um ente muito querido – o meu Pai. Em fase terminal de um cancro, mantive-o em minha casa até ao final. Acompanhei-o dia e noite. O sofrimento era, por vezes, insuportável. Como não desejar que tal martírio terminasse?

Senti, na carne, o que é pensar – antes a morte! Mas…eutanásia infantil…é um problema muito sério.

Como encarar um médico que tem a coragem de a praticar ?

Vamos todos pensar nisso ?

Mariazita, Outubro 2007

NOTA: Recebido por e-mail da autora. Não me sinto preparado para concordar ou discordar, de forma geral.
Tenho muita consideração e admiração por amigos com filhos deficientes, pelo seu amor paternal, pela abnegação e pelo espírito de sacrifício. Mas também reconheço a sua preocupação e angústia ao pensarem nas incertezas do futuro desses filhos, se e quando ficarem órfãos. Não há estrutura de apoio adequado a deficientes. Muitos, de famílias sem posses passa a vida de forma miserável.
A eutanásia para adultos também merece sérias reservas porque pode ser aplicada por iniciativa de familiares para anteciparem a posse da herança ou a efectivação de negócios, ou pelo Estado para reduzir as despesas com a pensão (Neste caso , conviria começar pelos beneficiados com várias pensões milionárias!). Porém, já no me repugna o «suicídio assistido» quando pedido por doentes graves, em fase terminal, com plena consciência.
Trata-se de um tema complexo, com vários factores a serem ponderados que poderá dar origem a uma polémica esclarecedora e construtiva.

06 outubro 2007

Como reconhecer um AVC e actuar

Isto é muito importante e pode salvar a vida de uma pessoa !
Isto pode ser útil:

Durante um churrasco uma amiga tropeçou e caiu no chão suavemente.
Ela garantiu aos presentes que estava bem (aos que se ofereceram para chamar por socorro) e que havia tropeçado no ladrilho por causa dos seus sapatos novos.
Os seus amigos ajudaram-na a levantar-se e trouxeram-lhe um novo prato de comida, enquanto ela parecia um pouco aturdida, tentando desfrutar da festa durante o resto da tarde.
Mais tarde o marido ligou para os seus amigos informando-os que a sua mulher havia sido levada ao hospital onde veio a falecer. Havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) durante o churrasco.
Se o seu esposo e amigos soubessem como reconhecer um AVC, talvez hoje ela estivesse viva.

Reconhecer um AVC
Um neurologista afirma que se o chamarem dentro das primeiras 3 horas, os efeitos de um AVC podem ser revertidos totalmente. Afirma que é crucial diagnosticá-lo e prestar assistência ao paciente nas três horas subsequentes.

Lembre-se dos "3" Passos. Leia e aprenda!
Actualmente os médicos estabeleceram uma regra para reconhecê-lo mediante três simples perguntas:
1. Peça que a pessoa SORRIA.
2. Peça que a pessoa LEVANTE AMBOS OS BRAÇOS.
3. Peça que a pessoa PRONUNCIE UMA FRASE SIMPLES (Coerente)
(por exemplo . . . Hoje está um dia ensolarado)
Se ele ou ela apresentar dificuldades numa destas três questões, chame imediatamente o SOCORRO e descreva os sintomas.

Depois de descobrir que um grupo de voluntários que não são médicos podem identificar a debilidade facial, a debilidade motora dos braços e a debilidade na fala, os investigadores apelam ao público em geral para que aprenda estas três perguntas. Uma maior divulgação deste teste pode facilitar um rápido diagnóstico e tratamento do AVC e evitar danos cerebrais.
Um neurologista disse que se cada um de nós reenviar esta informação a 10 pessoas, pelo menos uma vida pode ser salva.

Seja amigo e compartilhe este artigo com o máximo de amigos possível, poderá salvar vidas.

Foi recebido por e-mail. Autor desconhecido

04 outubro 2007

Não há senso!

O Sr. Ascenso Simões teve a falta de senso de atribuir à governação todo o mérito do balanço positivo da fase "charlie" («C» de chuva?) do plano de combate aos incêndios florestais».

Segundo ele, «entre os dias 1 de Julho e 30 de Setembro - os meses de maior risco - a área ardida foi significativamente menor do que em 2006, com 16.605 hectares ardidos até ao momento contra os 75.335 hectares ardidos no ano passado». E atribuiu este êxito a:
- «um aumento da área intervencionada»,
- uma melhor articulação dos sapadores florestais e a
- uma melhor vigilância da GNR.

Já há duas ou três semanas que, em conversa, previa que acabassem por surgir palavras deste género!

Como a maior parte dos portugueses, durante o período acima referido esteve mais atenta às condições meteorológicas, por estar em férias, todos sabemos que o MÉRITO dessa vitória contra os fogos florestais, erradamente atribuída ao Governo, cabe à não comparência dos fogos por virtude de S. Pedro, ou melhor Daquele Deus a quem Sócrates prestou homenagem quando se benzeu, durante uma das muitas cerimónias oficiais de abertura do ano escolar. Em termos de temperatura e humidade do ar, todos sabemos a diferença entre 2006 e 2007. Os fogos não gostam muito de chuva e esta caiu com frequência e intensidade na maior parte dos dias da fase «charlie» de 2007.

Não há senso, não há vergonha, de abusar tanto da propaganda balofa, partindo da hipótese de que os portugueses somos todos estúpidos. Alguns o serão, mas não somos todos políticos ou devedores de favores à oligarquia..

Os governantes deviam fazer um esforço para compreender que, quando falam para o público em geral, não devem utilizar os argumentos comicieiros. Uma coisa são os políticos que batem palmas e aplaudem sem perceber o que estão a ouvir, outra coisa são os portugueses medianamente inteligentes que têm neurónios e os usam.

Origens desta notícia:
Balanço positivo no combate a incêndios
Área ardida foi 12 vezes inferior à média dos últimos cinco anos
Governo faz balanço positivo da fase "Charlie" de combate aos fogos

JOVENS E JOVENS

A juventude, os jovens de modo geral, têm sido assunto constante nos noticiários atuais.

Fala-se das jovens adolescentes que engravidam prematuramente...

De jovens perdidos no lodaçal dos vícios...

De jovens que põem fogo em índios e mendigos...

De jovens tresloucados, que se arrebentam em acidentes violentos nas competições ilegais, chamadas "rachas".

Quando lemos ou ouvimos tais informações, ficamos chocados com tantos desatinos e logo imaginamos o que será do futuro da Terra, se a juventude está perdida.

Todavia, os olhos e ouvidos interessados, podem ler ou ouvir vez que outra, uma tímida notícia de jovens que se dedicam com fervor ao bem geral.

São jovens cientistas premiados pelos esforços dedicados em busca de melhor qualidade de vida para enfermos anônimos...

Jovens que se entregam de corpo e alma às artes, exaltando o bem e o belo.

Com habilidade extraem sons melodiosos dos teclados...

Com graciosidade cantam, dançam, fazem acrobacias nas quadras esportivas...

Jovens saudáveis que dedicam o tempo a distrair e alegrar pessoas idosas e enfermas enclausuradas em velhanatos...

Adolescentes que se chocam com a miséria do próximo e envidam esforços para minorar-lhes o sofrimento...

Tantos são os jovens que são arrimo da família. Que trabalham de sol a sol na lavoura, regando com o próprio suor a terra generosa de onde retiram o sustento...

Jovens médicos que, com mãos hábeis, fazem cirurgias extraindo tumores dos corpos, sem deixar vazio o coração dos pacientes desesperados.

Jovens que, apesar de conquistarem a fama, não se permitem a promiscuidade nem se prestam a promover produtos que incitam aos vícios nem aos desregramentos na área da sexualidade.

Jovens que falam do Cristo e buscam viver Seus ensinos..

Como podemos perceber, há jovens e jovens...

Se o bem fosse mais divulgado, certamente seria imitado e adotado como postura por tantos jovens indecisos, inseguros, que acabam se decidindo pela maioria, ou pelo que pensam ser a maioria.

Assim, tenhamos a certeza de que a juventude não está perdida e que o futuro já está acontecendo hoje, com essa força juvenil saudável e entusiasta, capaz de derrubar as estruturas apodrecidas da sociedade em que vive e fortalecer os costumes sadios e promissores vigentes.

...............

Ser jovem é não ter cumplicidade negativa com o passado. É não se deixar contaminar pelos hábitos viciados de outras gerações.

Ser jovem é viver com entusiasmo, semeando alegria com discernimento.

A juventude é a primavera da vida, e jovem sem entusiasmo é como uma flor sem perfume, que tende a ser derrubada pelos primeiros ventos do inverno.

Portanto, o jovem para ser feliz, deve erguer bem alto a bandeira da solidariedade, da fraternidade e da verdadeira liberdade, que é a paz da consciência tranqüila.

SANGUE B-

Pedido de sangue! Por motivo de doenca grave, um amigo está
hospitalizado à espera de ser operado. Ainda não o foi porque tem
um sangue raro (B-). Pede-se a quem tenha este tipo de sangue
que contacte com urgência:
Luis de Carvalho -
Pedro Leal Ribeiro - Fax: 222059125
Se nao puderes ajudar, por favor divulga este e-mail.. Não custa nada passar
HOJE POR ELE AMANHA POR TI

Cada um dá o que possui

Um rico resolve presentear um pobre por seu aniversário e, ironicamente, manda preparar uma bandeja cheia de lixo e sujeiras.
Na presença de todos, manda entregar o presente, que é recebido com alegria pelo aniversariante.
O aniversariante gentilmente agradece e pede que lhe aguarde um instante, pois gostaria de poder retribuir a gentileza.
Joga fora o lixo, lava a bandeja, enche-a de flores, e devolve-a com um cartão, onde diz:
"Cada um dá o que possui."

Lição a retirar:
Assim, não se entristeça com a "ignorância" das pessoas, não perca sua serenidade. A raiva faz mal à saúde, o rancor estraga o fígado e a mágoa envenena o coração.
Domine suas reacções emotivas.
Seja dono de si mesmo.
Não jogue lenha no fogo de seu aborrecimento.
Não perca sua calma.
Pense, antes de falar, e não ceda à sua impulsividade.
"Guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra"

Recebido por e-mail em pps. Autor desconhecido. Publicado em CVS - Sempre Jovens

03 outubro 2007

ALGUMAS QUEZÍLIAS.

Num passado recente, foram muitas a s vozes que se levantaram, e tiveram quezílias entre si. Havia outrora, vozes bem mais abundantes neste espaço, criado para o efeito, espaço este que pena e que deixa aquém das expectativas, quem o visita. Mas não deixarei morrer a Voz do Povo, ela está adormecida, apenas e só. Nunca embarquei em opiniões, nem segui as mesmas formadas ou não, sobre A, B ou C, apenas, dentro da minha maneira de ser e de ver este mundo, cruel, sem RUMO, este país principalmente, apenas me guiei e guiarei pelos meus instintos, certos ou errados, mas sempre a tempo de corrigir os meus erros, quando entender que os cometi, aí sei estar a ser o mais coerente e honesto possível para com os meus leitores e camaradas bloguistas. Peço por fim a todos, que reflictam, pensem, analisem e digam de sua consciência, que É ISTO QUE EU QUERO PARA O MEU PORTUGAL!

Obrigado a todos.

Carlos Rocha

02 outubro 2007

Idosos são «activo» válido

Segundo notícia do JN de hoje, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou para que 80% da população mundial continua privada de sistemas de protecção social na velhice e insistiu para que os governos adoptem medidas.

Afirmou que "enquanto os mais velhos foram vistos como uma carga para a sociedade, agora cada vez mais são reconhecidos como um 'activo' que pode e deve ser aproveitado".

Este alerta surgiu na data em que se assinala o Dia Internacional do Idoso.

Segundo a ONU, a proporção mundial de idosos poderá ultrapassar, em 2050, os 22%, o dobro da actual. Nos países em desenvolvimento, a percentagem poderá atingir os 80%.

Os «Sempre Jovens» são um exemplo de que a sabedoria acumulada ao longo da vida profissional são um ‘activo’ de alto valor que pode ser muito útil à sociedade, assim esta queira estruturar-se para aproveitar esse potencial de experiência em actividades de apoio à construção de um futuro mais feliz como, por exemplo, em regime de voluntariado na saúde, na cultura, no ensino, etc.

Sobre este tema sugere-se a visita aos posts seguintes:

Saber de experiência feito
Cuide dos seus idosos
Idosos vistos com humor
A velhice existe?
Quando envelhecer
Idosos ou velhos?

Foi publicado em
SEMPRE JOVENS http://cvssemprejovens.blogspot.com/

01 outubro 2007

ATAQUES CARDÍACOS















Uma Nota importante sobre os ataques cardíacos: Fiquem a saber que há
outros
sintomas de ataques cardíacos, para além da dor no braço esquerdo. Devem
também prestar atenção a uma dor intensa no queixo, assim como às náuseas e
aos suores abundantes, pois estes também são sintomas vulgares. Pode-se não
sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das
pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, já não se
levantaram.
Mas a dor no peito, pode acordá-lo dum sono profundo. Se assim for, dissolva
imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um bocadinho de água.
Ligue para o 112 e diga "ataque cardíaco" e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se
numa cadeira ou sofá e espere pelo 112. NÃO SE DEITE!!!! Um cardiologista
disse
que, se cada pessoa que receber este mail o enviar a 10 pessoas, que se pode
ter a certeza de que se salvará pelo menos uma vida! Eu já fiz a minha
parte...

O Inverno aproxima-se

Previsão meteorológica

Com a aproximação do Inverno, os índios foram ter com o chefe:
- Chefe, o Inverno este ano será rigoroso ou ameno?
O chefe, vivendo tempos modernos, não tinha aprendido como seus ancestrais os segredos de meteorologia. Mas claro, não podia demonstrar insegurança ou dúvida. Olhou para o céu, estendeu as mãos para sentir os ventos e em tom sereno e firme disse:
- Teremos um Inverno muito forte... é bom ir apanhar muita lenha!
Na semana seguinte, preocupado com a sua previsão, telefonou para o Serviço Nacional de Meteorologia e ouviu a resposta:
- Sim, o Inverno deste ano será muito frio!
Sentindo-se mais seguro, dirigiu-se de novo ao seu povo:
- É melhor recolhermos mais lenha... Vamos ter um Inverno rigoroso!
Dois dias depois, ligou novamente para o Serviço Meteorológico e ouviu a confirmação:
- Sim... Este ano o Inverno será rigoroso!
Voltou ao povo e disse:
- Teremos um Inverno muito rigoroso. Recolham todo e qualquer pedaço de Lenha que encontrarem, teremos que aproveitar até os gravetos.
Uma semana depois, ainda não satisfeito, ligou para o Serviço Meteorológico outra vez:
- Vocês têm certeza de que teremos um Inverno tão rigoroso assim?
- Sim, responde o meteorologista de plantão. Este ano teremos um frio muito - Como têm vocês assim tanta certeza?
- É que este ano os índios estão a apanhar muita lenha!...

NOTA: Recebido por e-mail de um «Índio»

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas