30 novembro 2008

No Natal, e sempre, seja amigo do ambiente

Não precisa de encómios, este texto do DN de hoje que aqui publico para poder ser lido sempre que os visitantes o desejarem. O ambiente deve ser uma preocupação permanente, mas é mais esquecido nesta época em que as atenções são presas pelo que é imediato e efémero.

Este Natal ofereça uma prenda ao ambiente
Bruno Abreu

Natal ecológico. Fazer as suas próprias bolas de Natal e plantar um pinheiro podem parecer ideias um pouco trabalhosas e um bocado difíceis de concretizar. Mas pense que assim vai ter um Natal mais genuíno e que no fim poderá dar outra prenda aos seus: um ambiente mais protegido e equilibrado

A imaginação pode ser o seu maior aliado para um Natal sustentável

Parece difícil, mas para ter um Natal amigo do ambiente só precisa de duas coisas: imaginação e vontade. O resto é o mais fácil. Basta seguir o conjunto de ideias que lhe damos e, no final, vai ver que teve uma quadra mais sustentável e que ofereceu um presente a si e ao mundo, contribuindo para um ambiente mais protegido e equilibrado.

O pinheiro tornou-se o centro da celebração do Natal, o que fez surgir a questão: natural ou artificial? Em princípio, nem um nem outro. Mas como as crianças não passam sem o pinheiro a luzir, opte por um natural. No entanto, atenção: certifique-se de que foi criado com o propósito de ser utilizado nesta época. Se possível, compre um que venha com raízes e plante-o num vaso com terra adequada. Não se esqueça de o regar.

Passadas as festas, plante-o num jardim ou numa floresta perto de si. Se não quiser comprar um pinheiro, entre em contacto com a sua autarquia. Por esta altura, muitas câmaras municipais oferecem os pinheiros que recolhem nas limpezas das matas, cortados com a devida autorização. Lembre-se que existem espécies de animais e plantas em extinção, e o azevinho é uma delas. Não compre azevinho verdadeiro, há imitações que podem ser usadas por muitos anos, ou então use a sua criatividade.

Na decoração da sua árvore de Natal evite embarcar em modas: Escolha enfeites que possam ser usados muitos anos. Em alternativa, pode sempre fazer as suas próprias decorações, reutilizando certos materiais. Basta a imaginação.

Aproveite para fazer as decorações com as crianças. Assim passa tempo com elas e pode incutir-lhes o espírito de protecção ambiental. Escolha lâmpadas de LED: duram muito e não gastam quase nada. Há ainda as compras. Seja para comprar presentes ou apenas para ir buscar o bacalhau para a ceia, opte pelos transportes públicos ou partilhe o veículo com um familiar ou amigo. Poupa no combustível, no ambiente e, se estiver indeciso, tem sempre alguém a quem pedir um conselho.

Nos presentes, tenha muita atenção ao que compra: cuidado com as substâncias perigosas. Tente saber por familiares ou amigos do que precisa a pessoa a quem vai dar o presente. Caso não saiba mesmo o que dar, ofereça um cheque-prenda. Assim tem a certeza de que vai dar a prenda certa.

Depois do Natal, guarde o papel de embrulho para reutilizar noutras ocasiões. Muitas embalagens, caixas e papéis dos presentes podem ser usados pelas crianças para fazerem máscaras, porta-lápis, capas, etc. Não os deite fora. Mas, se não precisar mesmo deles, separe as embalagens - papel, plástico e metal - e coloque-as no ecoponto. Para as limpezas depois da festa, use produtos biodegradáveis ou então recargas.

4 comentários:

Ana Martins disse...

Caro amigo João,
um post da quadra em que estamos, mas a pensar no meio ambiente, excelente, parabéns.
Achei a ideia do pinheiro interessante e bonita. Aproveito para dizer que já à uns anos que faço a minha árvore de Natal num azevinho que tenho no meu jardim, fica lindo e é uma árvore verdadeira.

Beijinhos

victor simoes disse...

Caro João, as preocupações ambientais, nunca são demais.Deveriam fazer parte, dos nossos hábitos quotidianos e das nossas rotinas.
Felizmente, já existem muitas pessoas, que ilucidadas já se preocupam com um planeta melhor,para as gerações futuras.

Um abraço

A. João Soares disse...

Querida Ana Martins,
Já conversámos sobre isto no Sempre Jovens e não vou repetir, mas deixo aqui o link para os visitantes irem dar uma voltinha por aquele lindo blog.
Beijos
João

A. João Soares disse...

Caro Victor Simões,
Conheço um bairro que é suposto ser de gente com nível de escolaridade e de riqueza razoáveis, como evidenciam os carros caros estacionados ao longo dos passeios, mas é vulgar ver ao lado do recipiente do lixo vulgar montes de embalagens de cartão, embora a poucos metros de distância haja um ecoponto. Muita gente é avessa aos cuidados que beneficiem a colectividade, como o é o caso do ambiente.
A consciência cívica e ecológica ainda não está tão generalizada como seria desejável. Não nos cansemos de insistir nesta tecla de «ensinar» os bons comportamentros porque haverá sempre terreno a precisar da boa semente.
Um abraço
João

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas