05 junho 2007

Amor? Por quantos?

O calor aperta. Nada como uma subida de temperatura dos corpos para andar tudo feliz. Á dias falava com um amigo que me dizia que andava mais feliz que nunca. Motivo: anda simplesmente apaixonado, arranjou namorada.

Á dias falava com uma amiga que me dizia que andava mais feliz que nunca. Motivo: anda simplesmente apaixonada, arranjou namorado. O calor tem destas coisas. Andam os dois muito felizes. O amor tem destas coisas! O amor.
Quando precisam de conselhos ou simplesmente de falar, vêem em mim a pessoa ideal (será por ser o mais velho do grupo?). Conheço grande parte dos pormenores das duas relações (e de muitas mais).

Afinal o que tem eles de especial? Resumindo.

A minha amiga namora para alguém que a trai. Alguém que namora para uma terceira pessoa, injusto? Talvez! Mas o que é justo no amor se a própria justiça não tem amor-próprio? Recentemente apanhei o namorado dela em plena discoteca com a sua outra “mais que tudo” na mais plena diversão. Deverei denuncia-lo? Não me parece. Apesar de tudo não quero perder uma amiga que muito estimo e adoro. Afinal é a minha palavra contra a do seu namorado. Não vá ela pensar que eu quero estragar a sua mais recente paixão. Ainda está na fase “cor-de-rosa”. O namorado dela não consegue decidir por nenhuma das partes e nenhuma das partes quer desistir dele, ou sequer vê o que se passa na realidade. Desgostos de amor sempre foram uma excelente forma de “bater com a cabeça” na parede. Só não vê quem não quer. Que sejam felizes.

O meu amigo namora para alguém que traiu o namorado. Ele é a terceira pessoa na relação. Ela enganou o namorado por ele e pelo amor que diz ter por ele. Ele que reprova a conduta do namorado da minha amiga, aprova a sua conduta para com a sua mais recente relação. Dois pesos e duas medidas. Devo dizer-lhe que está enganado? Não me parece. Pode ser que ela se separe finalmente e que os dois sejam mais felizes que nunca.

Pois amigos, não se perdem por algo tão estúpido.

Como se pode amar alguém enquanto se a engana ao mesmo tempo? Como se consegue ser verdadeiro e depositar confiança na pessoa amada se elas não são verdadeiras? Será o amor apenas isto? Um série de tentativas para ficar com o melhor que a sociedade tem?

Como eu costumo dizer “A procura do amor é como a descoberta de água no deserto, o problema não está na procura mas sim na seca pela qual se passa”. E ai sim reside o problema, porque talvez o problema não esteja em amar demais mas sim em amar a mais.

Pois eu sirvo de conselheiro, amigo e ombro, enquanto vou fazendo a minha caminhada no deserto à procura da minha agua para matar a sede.

Dois amigos com problemas muito parecidos e que não reparam neles. E eles que no passado já foram namorados. Afinal pouco ficaram a conhecer um do outro. Ou será que o namoro já não é isso, o ficar a conhecer melhor o outro?

Trunquei muito o texto.

Desculpem terem sido desta vez os meus psicólogos, mas estava a precisar.

Domingos Araújo.

2 comentários:

Sharm disse...

nice work
I like it
thank you and have a nice day
:))

Paula disse...

Realmente...boa questão! Ás vezes a vida prega-nos partidas, das quais por vezes nos fazem deparar com dilemas morais. Mas se pensares melhor, repara que por vezes nada podemos fazer (nesta situação, por exemplo), pois as pessoas necessitam de "abrir os olhos", por vontade própria para a realidade, caso contrário, tudo o que digamos MESMO EM SEU PRÓPRIO BENEFÍCIO, não será visto como uma SINCERA AJUDA mas sim como uma invasão de privacidade motivada por outras circunstâncias (pensada e muito bem por ti). O que vale é a nossa consciência, e tu tens princípios, moral e existem coisas sobre as quais podemos fazer a diferença. Contudo, infelizmente existem outras situações que para mudarem não dependem das nossas acções, mas sim da própria vontade das pessoas (escuta, compreensão, consciencialização, diálogo...) e sua experiência de vida. Pois, infelizmente é muitas vezes pelos próprios erros que aprendemos a viver :-)Ah e psicólogos podemos ser todos nós se tivermos vontade, disposição e sensibilidade...boa sorte e força para a vida :-)

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas