19 setembro 2008

"DÉBITOS DIRECTOS" - Tenha cuidado...


No passado dia 11/09/2008, dirigi-me ao Multibanco para efectuar um levantamento de dinheiro, e qual não é o meu espanto, veio a recusa do mesmo dizendo “o seu saldo não lhe permite efectua a operação!”, foi como uma baldada de água fria, e pensei para comigo se haveria algo de errado com a minha conta, uma vez eu jurar a pés juntos que tinha lá dinheiro, retiro então um extracto de movimentos, e se da primeira pasmei, da segunda surtei, os malvados da TMN, retiram-me uns dias antes (8/09/2008) uma pipa de massa, deixando-me a conta a zero, não a zero mas quase (0,68€). Perguntei a mim mesmo como aquilo seria possível, que farei eu com sessenta e oito cêntimos? A resposta saltou-me à vista, vou já ligar ao apoio de clientes TMN, e até já… Longos minutinhos se passaram até obter a resposta que ansiava, teria de me deslocar a uma loja oficial TMN, e reclamar por escrito a situação, que no meu caso seria a loja TMN do NORTESHOPING.

Depois de expôr o meu caso, e detectado o erro, uma cobrança na minha conta respeitante a uma empresa qualquer, o funcionário, bastante atencioso, no seu inconfundível até já, disse-me que remetera a reclamação ao departamento competente e que no máximo, e sublinhe-se o “máximo“, em 24 horas, o meu rico dinnheirinho regressaria à base, de onde nunca deveria ter saído.

Na manhã seguinte, e porque sou um tanto ao quanto desconfiado quanto a estes “modos operandi” das grandes empresas, liguei novamente ao assistente da TMN, e aí passei-me completamente, sim porque maus profissionais há muitos, mas dizerem mal uns dos outros, e empurrar uns para os outros, eu fico fulo, fico danado, fico…. descincronizado… Adiante, então não é que o sujeito, amávelmente me diz que: “A sua situação está em análise.”, e eu pergunto: - Análise? De quê? Se o erro está identificado!!! Mas o moço, amávelmente me diz que nada mais pode fazer, senão pedir a minha paciência, e haja paciência.

Nessa noite, liguei novamente, após consultar o meu saldo, e zás, os mesmos 0,68€ estavam intactos, como de alma penada se tratasse, e pergunto mais uma vez, agora a uma menina, como estaria o meu caso, respondeu-me como o colega de manhã, ou seja que se encontrava em “análise“, e eu aqui desconfiei, que seria uma análise de como me ficarem com o dinheiro indevidamente. Pensei, pensei, e voltei a pensar de como sair deste imbróglio, e pelo menos ter dinheiro no fim de semana, foi em vão, desisti.

Na 2ª feira, a minha esposa, deslocou-se então ao banco, e aqui é que eu me passei de vez, pois a TMN devia informar os seus clientes com profissionalismo e isenção, mas teve de ser o sr. do banco a dizer-me que eu poderia anular o “Débito directo” mesmo este já ocorrido, pois a lei assim o permite nos 30 dias subsequentes à ocorrência do mesmo, acto que a minha esposa efectuou de imediato, e “voilá“, segundos depois os tão desejados eurinhos, que não deviam ter ido para lado nenhum, gozavam de boa saúde na minha conta à ordem.

Mas o mais caricato, vem a seguir, na 3ª feira, recebo a tão esperada chamada do apoio a clientes TMN, dando conta da situação estar já resolvida, e sem um pedido formal de desculpas, informando que as minhas facturas de Agosto e Setembro, que se encontravam por regularizar, erro da TMN, pois o montante era irrisório comparado com o que eles me retiraram pelo dito erro informático, e não o montante que deveria sair de verdade, e eu fiquei a pensar que se não tivesse ido a minha esposa ao banco e anulado o tal “Débito”, ainda hoje estaria à espera do meu dinheiro, mas sempre num até já.

CONCLUSÃO:

Não terão os Srs. da TMN, a obrigação de resolver os problemas, e mais estes deste calibre, com celeridade que o mesmo merecia, depois de bem identificado? Penso que nunca mais me apanharão em débitos directos, é que dá uma canseira ter de ir ao banco cancelá-los se acontecer um erro como este. Mas a TMN, é uma empresa certificada, como tal, ficou registado a ocorrência no livro amarelo, com uma denúncia à DECO, e um e-mail ao “Nós Por Cá” da SIC pelo meio.

Carlos Rocha

2 comentários:

victor simoes disse...

Está-se sempre a aprender amigo Beez. Cá a mim, não me apanham a autorizar débitos directos, gato escaldado de água fria tem medo. À dias pela altura de lançar o IRS, até o Fisco queria convencer-me a dar-lhes o meu numero de conta, para efectuarem o depósito do valor que teria a receber. Azar o deles, levaram o recado de gatunos, e eu que até sabia que este ano tinha 300 e poucos euros a pagar… jeitosos!
Muita gente, passa as passas do Algarve, com erros do género e como dizes, para resolver é um problema!

Um abraço

Ana Martins disse...

Caro Beez,

É sempre bom denunciar estes casos, débitos directos também nunca autorizámos aqui em casa.
Prefiro deslocar-me e efectuar os pagamentos, a estar sujeita a surpresas como esta.

Beijinhos

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas