11 setembro 2007

Quando envelheceres

De Rosemund Gerard, inserido como comentário num post por Ana Briz do blog Brizíssima

Quando tu fores velhinho e eu for velhinha
Quando os meus cabelos loiros forem da cor da neve
Em Maio no jardim radioso à tardinha
Aqueceremos nossos corpos velhos ao de leve

Para que esse calor em júbilo aconteça
Imaginaremos ser jovens apaixonados
Eu sorrirei para ti meneando a cabeça
E formaremos um par de velhos deliciados

Olhar-nos-emos sentados sob a trepadeira
Com olhos ternurentos e brilhantes
Quando fores velhinho e eu, de certa maneira,
Sentir os meus cabelos loiros já distantes

Sentados no nosso velho banco de musgo vestido
No nosso velho banco iremos conversar
Será um prazer doce e bem vivido
Acabando frases, talvez mesmo a beijar

Quantas vezes eu pude dizer-te no passado
Amo-te, contá-las-emos docemente agora
Recordaremos mil e uma coisas com agrado
Pequenos nadas especiais de outrora

Um raio de sol tombará numa carícia doce
Entre os nossos cabelos brancos, em tons rosa
Poisará no nosso banco como se fosse
O mesmo velho banco-musgo, a mesma prosa

E, como te amo mais em cada dia
Hoje mais do que ontem e menos do que amanhã
Rugas no rosto não calarão a alegria
Pois as mesmas roseiras perfumam a manhã

Pensa as primaveras que nos acalentaram
As minhas recordações serão tuas também
Recordações que nos entrelaçaram
E, sem cessar, nos ligam agora ainda tão bem

É verdade, seremos velhos, mais velhos ainda
Apertarei mais forte a tua mão, cálida e sã
Porque, vê-tu, o meu amor nunca mais finda
AMO-TE HOJE MAIS DO QUE ONTEM E MENOS DO QUE AMANHÃ.

Transcrição do blog Sempre Jovens

5 comentários:

o guardião disse...

Envelhecer feliz... um bom poema e um melhor desejo ainda.
Cumps

Joana Dalila Santos disse...

Queria tanto que comigo fosse assim
*

A. João Soares disse...

Caros Guardião e Joana Dalila,
Os vossos desejos são muito legítimos. Há que construir os alicerces do edifício em que isso se realizará. Dizem que a felicidade é o resultado de uma vida bem vivida, bem realizada no melhor sentido.A humildade, o saber ouvir, compreender, aceitar o outro com os seus defeitos e virtudes, a sensatez nas respostas, o saber calar, o auto domínio. Parece difícil mas é realizável com uma filosofia de vida adequada.
Sejam felizes.
Abraços

M. Relvas disse...

Parabéns. Coloca uma poesia quando diz não gostar muito de poesia, por ser subjectiva.

Vale a pena ler poesia caro AJS! Quando é boa, como é o caso, quando reflecte sentimentos que se consigam interpretar.

Abraço

A. João Soares disse...

Caro Relvas,
Desde muito menino que fui habituo a apreciar poesia, talvez desde 1945 ou antes. Decorei muita poesia, de que se destacam muitas estrofes dos Lusíadas e de poetas clássicos. Mas, nem tudo aquilo que hoje é chamado poesia me interessa. Qualquer ideia pode ser expressa em prosa ou poesia, mas quer a prosa ou a poesia sem ideias, sentimentos ou emoções a transmitir são oleodutos sem petróleo, estradas sem automóveis.
Abraço e bom fim-de-semana

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas