05 setembro 2007

O POEMA DA PAZ



















O dia mais belo? Hoje.
A coisa mais fácil? Equivocar-se.
O obstáculo maior? O medo.
O erro maior? Abandonar-se.

A raiz de todos os males? O egoísmo.
A distracção mais bela? O trabalho.
A pior derrota? O desalento.
Os melhores professorem? As crianças.

A primeira necessidade? Comunicar-se.
O que mais faz feliz? Ser útil aos demais.
O mistério maior? A morte.
O pior defeito? O mau humor.

A pessoa mais perigosa? A mentirosa.
O sentimento pior? O rancor.
O presente mais belo? O perdão.
O mais imprescindível? O lar.

A estrada mais rápida? O caminho correcto.
A sensação mais grata? A paz interior.
O resguardo mais eficaz? O sorriso.
O melhor remédio? O optimismo.

A maior satisfação? O dever cumprido.
A força mais potente do mundo? A fé.
As pessoas mais necessárias? Os pais.
A coisa mais bela de todas? O amor.


Autoria: Madre Teresa de Calcutá

4 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Curiosa, não deixa de ser a publicidade recente ao livro em que ela terá questionado a sua Fé...

No entanto, o poema é de facto, um apelo que todo o ser humano deveria fazer e sentir!!!

david santos disse...

Belo, Naty!
Parabéns.

Anónimo disse...

Este poema da Madre Teresa deveria estar juntos dos livros de cabeceira. Não é um poema para ler uma vez só, mas sim diariamente em oração

Adelaide Quintas

Conceição Bernardino disse...

Este poema é digno da mulher que o escreveu de garra e muito, muito sentimento.
Lindo minha amiga
Beijinho
Conceição

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas