20 março 2008

O QUE REALMENTE PORTUGAL PRECISA...

Pronto! Finalmente descobrimos aquilo de que Portugal realmente precisa: uma nova frota de jactos executivos para transporte de governantes. Afinal, o que é preciso não são os 150 mil empregos que José Sócrates anda a tentar esgravatar nos desertos em que Portugal se vai transformando. Tão-pouco precisamos de leis claras que impeçam que propriedade pública transite directamente para o sector privado sem passar pela Partida no soturno jogo do Monopólio de pedintes e espoliadores em que Portugal se tornou. Não precisamos de nada disso. Precisamos, diz-nos o Presidente da República, de trocar de jactos porque aviões executivos "assim" como aqueles que temos já não há "nem na Europa nem em África". Cavaco Silva percebe, e obviamente gosta, de aviões executivos. Foi ele, quando chefiava o seu segundo governo, quem comprou com fundos comunitários a actual frota de Falcon em que os nossos governantes se deslocam.

Voei uma vez num jacto executivo. Em 1984 andei num avião presidencial em Moçambique. Samora Machel, em cuja capital se morria à fome, tinha, também, uma paixão por jactos privados que acabaria por lhe ser fatal. Quando morreu a bordo de um deles tinha três na sua frota. Um quadrimotor Ilyushin 62 de longo curso, versão presidencial, o malogrado Antonov-6, e um lindíssimo bimotor a jacto British Aerospace 800B, novinho em folha. Tive a sorte de ter sido nesse que voei com o então Ministro dos Estrangeiros Jaime Gama numa viagem entre Maputo e
Cabora Bassa. Era uma aeronave fantástica. Um terço da cabina era uma magnífica casa de banho. O resto era de um requinte de decoração notável. Por exemplo, havia um pequeno armário onde se metia um assistente de bordo magro, muito esguio que, num prodígio de contorcionismo, fez surgir durante o voo minúsculos banquetes de tapas variadíssimas, com sandes de beluga e rolinhos de salmão fumado que deglutimos entre golinhos de Clicquot Ponsardin. Depois de nos mimar, como por magia, desaparecia no seu armário. Na altura fiz uma reportagem em que descrevi aquele luxo como "obsceno". Fiz nesse trabalho a comparação com Portugal, que estava numa craveira de desenvolvimento totalmente diferente da de Moçambique, e não tinha jactos executivos do Estado para servir governantes.

Nesta fase metade dos rendimentos dos portugueses está a ser retida por impostos. Encerram-se maternidades, escolas e serviços de urgência. O Presidente da República inaugura unidades de saúde privadas de luxo e aproveita para reiterar um insuspeitado direito de todos os portugueses a um sistema público de saúde. Numa altura destas, comprar jactos executivos é tão obsceno como o foi nos dias de Samora Machel. Este irrealismo brutalizado com que os nossos governantes eleitos afrontam a carência em que vivemos ultraja quem no seu quotidiano comuta num transporte público apinhado, pela Segunda Circular ou Camarate, para lhe ver passar por cima um jacto executivo com governantes cujo dia a dia decorre a quilómetros das suas dificuldades, entre tapas de caviar e rolinhos de salmão. Claro que há alternativas que vão desde fretar aviões das companhias nacionais até, pura e simplesmente, cingirem-se aos voos regulares. Há governantes de países em muito melhores condições que o fazem por uma questão de pudor que a classe que dirige Portugal parece não ter.

Vi o majestático François Miterrand ir sempre a Washington na Air France. Não é uma questão de soberania ter o melhor jacto executivo do Mundo. É só falta de bom senso. E não venham com a história que é mesquinhez falar disto. É de um pato-bravismo intolerável exigir ao país mais sacrifícios para que os nossos governantes andem de jacto executivo. Nós granjearíamos muito mais respeito internacional chegando a cimeiras em voos de carreira do que a bordo de um qualquer prodígio tecnológico caríssimo para o qual todo o Mundo sabe que não temos dinheiro.

Mário Crespo (Jornalista) in JN

6 comentários:

david santos disse...

Estes (...) da (...) destes terrotistas Norte-americanos parece não serem filhos de ninguém: de nada!
Ainda há quem olhe para este tipo de terroristas. Bandidos! Assassinos! Filhos do nada! Abantesmas. Só o terrorista Bush parece ter pai: filho de uma abantesma danada.

David Santos

A. João Soares disse...

Se a memória não me atraiçoa, houve um ministro de um governo anterior que foi passar um fim de semana a S. Tomé e Príncipe, onde fez pesca submarina, viajando num Falcon!
Não podemos esquecer que o Poder é uma droga poderosa e os espíritos mal formados não lhe resistem e abusam dela. E não o fazem ocasionalmente, em momentos de fraqueza, mas preparam a cobertura legal para os piores abusos, de forma a depois poderem afirmar, com o seu ar doutoral, que está tudo legal.
Tudo está legal, desde a quantidade astronómica de assessores que não impedem os erros e os recuos da governação, aos vencimentos e acréscimos destes, às constantes viagens de utilidade duvidosa, aos subsídios de governantes e deputados por terem, há anos, o local de trabalho em Lisboa e manterem intencionalmente, a residência em local distante, mesmo no Funchal!

Abraço
A. João Soares

victor simoes disse...

Caríssimos, é sem dúvida escandaloso que assim pense quem nos governa (desgoverna)! Na verdade somos um país pobre, com bolsa de rico. As megalomanias são apanágio e mote, deste e d'outrso governos quetemos tido.
É escandaloso e vergonhoso, e continuará a ser, enquanto os portugueses o permitirem, afinal quem os colocou como legitimos representantes do povo, fomos todos nós... esse mesmo povo que continua a pagar as mordomias destes senhores, que se julgam competentes, mas na verdade somente zelam os seus interesses pessoais.
Tenha vergonha na cara, sr Presidente da República. Que haveriamos de esperar de um primeiro-ministro que foi corrido? O povo tem a memória curta.

MR disse...

Passo por aqui para deixar os votos de uma Páscoa Feliz a todos, em especial ao meu amigo Armando Magno.

saudações e um sorriso

Iana disse...

Amigos (as) hoje venho não só desejar-vos uma Páscoa feliz e abençoada, desejar-vos que tudo em vosso caminho seja Luz, Paz, Alegrias, e mais uma vez que sejam abençoados pelo nosso encantador divino o Paipai do céu...

Que essa Páscoa venha brotar em vossos corações, mais harmonia!

Também agradecer por acompanhar meus blogs, “Uma Rosa e seus Poemas” e “Vidas-Interrompidas”...

Agradeço-vos pelo carinho e atenção que me tem dado todos esses dias que aqui tenho passado junto dessas vidas abençoadas e amigas!

Como venho, enformar-vos que a: “3ª Parte - As raízes dos meus pais adoptivos” Em “Vidas” já foi publicada e com muito carinho espero por vossas “vidas” em “Vidas-Inter..”...

“Páscoa é tempo de Amor,de família e de Paz... É tempo de agradecermos discretamente
por tudo que temos e por tudo que teremos...

Páscoa é um sentimento nos nossos corações...de esperança, fé e confiança.

É dia de milagres; é dia dos nossos sonhos,parecerem estar mais perto... É tempo de retrospecção, por tudo que tem sido... E uma antecipação de tudo o que será...

E é a hora certa,de lembrar com amor e apreciação,as pessoas em nossas vidas que fazem a diferença... Pessoas como você”!!!

Um forte abraço e beijos no coração com muita Estima e Carinho a todos

Dessa vossa Rosa amiga, que aos poucos conquistou carinhos e muitas amizades....
Atenciosamente,
Iana!!!

PS: ATENÇÂO:

O próximo capítulo de Vidas Interrompidas chamar-se-á “4ª Parte - Infâncias destruídas” e terá os seguintes episódios verídicos:

1) A fuga da minha tia Marta
2) A tragédia de Marília
3) A recuperação do meu pai adoptivo

Agarre as palavras e siga-me...

Maria Faia disse...

Estimado Amigo,

Venho desejar-te uma Páscoa Feliz.

Beijo Amigo,

Maria Faia

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas