07 julho 2008



Eu sei Flávia



Eu sei Flávia
Que as palavras
São desabafos,
Estados de alma
Transcritos, aliviados.

Eu sei Flávia
Que as palavras
Não tiram as dores,
Não são remédios do corpo
Mas acalmam o espírito
E embalam o sono.

Eu sei Flávia
Que com palavras
Não te posso curar
Mas liberto o meu inconformismo,
Tento aclamar por Justiça
Talvez minimize a tua dor interior,
Dê mais sentido à tua vida.

Eu sei Flávia
Que os predadores dos teus sonhos,
Aqueles que te roubaram o sorriso,
Os fundadores do teu sofrimento,
Tentam omitir seus erros,
Sonham apressar o tempo,
Calar a voz da razão,
Implantar o esquecimento.

Mas também sei Flávia
Que as palavras
Estremecem a alma e a mente,
Dão mais calor à vida,
Transportam emoções
Encorajam-nos, dão-nos força
E elegem razões.

E é por isso Flávia
Que não podemos desistir
E acredito que um dia
Justiça se fará
E a tua história
Não mais morrerá.

Para Flávia,
a menina que do outro lado do oceano,
conquistou o meu coração.


Escrito a 2 de Julho de 2008
Ana Martins

6 comentários:

david santos disse...

Obrigada amiga, Ana!
Obrigada, porque sempre que leio o nome de Flavia fico contente como se ela estivesse a chegar a casa no final do dia de escola. É um sentimento que tenho e, não sei por quê, hei-de ver a Flavia um dia, não tarda muito, chegar da escola. Será loucura minha? Bem, é o que mais possuo: loucura, mas... para já, é um símbolo que não vamos deixar esquecer: Flavia.
Abraços

SILÊNCIO CULPADO disse...

Ana Martins
As palavras não tiram as dores mas ajudam a suportá-las. As palavras podem dar vida mesmo quando há morte, podem remover montanhas e unir pessoas de diferentes terras e latitudes em torno de causas comuns.
As tuas palavras são lindas e ajudam a acreditar. Acreditar na solidariedade humana mesmo que Flávia continue em coma.
Beijos

Beezzblogger disse...

Obrigado Ana, e bem hajas por este lindo poema à Flávia, a nossa Flávia.

Ele te agradecerá um dia

Beijos do Beezz

victor simoes disse...

Lindo poema este que dedicas à Flávia. Tens um coração do tamanho do mundo, denotas muito sentimentalismo e amor ao próximo.
Parabéns.

Odele Souza disse...

Querida Ana,

Este poema que você dedica à Flavia é de uma beleza comovente, assim como é comovente teu gesto. Palavras e gestos de solidariedade podem, até não tirar a dor, mas certamente a fará mais suportável.

Com muito carinho, deixo aqui um beijo meu e de Flavia pra ti.

Odele Souza disse...

Querida Ana,

Este poema que você dedica à Flavia é de uma beleza comovente, assim como é comovente teu gesto. Palavras e gestos de solidariedade podem, até não tirar a dor, mas certamente a fará mais suportável.

Com muito carinho, deixo aqui um beijo meu e de Flavia pra ti.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas