27 julho 2008

MANOBRAS, SÓ MANOBRAS...

A diplomacia portuguesa, embora já com bastante atraso, está a ser agressiva e a conseguir alguns êxitos. Neste contexto, José Sócrates, não tem nada que se lhe aponte, a não ser que está a fazer um trabalho positivo. Manter os mercados tradicionais, hoje dominados por uma crise que, ao que parece, ainda vai piorar, mas arranjar alternativas com o objectivo de minimizar os nossos problemas que também, como os seus parceiros tradicionais, parece não ter muitas melhoras à vista. Contudo, ele tenta fazer o melhor que sabe e pode. Alguns resultados já estão claros e espera-se que outros se clarifiquem. Pois, como é sabido, o governo não tem feito outra coisa que não seja estar do lado do grande patronato e do parasitismo imobiliário e financeiro. Por isso, eu espero que todo este trabalho do Primeiro-Ministro, louvável, sem dúvidas, se venha a notar no campo dos mais desfavorecidos, dos pobres e dos desempregados. Vamos esperar para ver.
Quanto à oposição, nomeadamente, o PSD, nota-se haver uma preocupação clara para que a crise não tenha fim e que a miséria alastre cada vez mais. O PSD, infelizmente sem pessoas que tenham o mínimo de competência para o dirigir, vê-se agora num dilema, nada diz do que sabe ou pode fazer. A verdade, digo eu, é que não sabe e procura atirar faúlhas para o ar, com o objectivo de que o governo chegue ao apodrecimento natural e depois surja como salvador. Todos nós conhecemos o PSD e seus dirigentes. São pessoas bem conhecidas na nossa praça política e todos eles do pior que existe em Portugal: maus, muito maus... Não procuram alternativas e as suas críticas às medidas que José Sócrates vem tomando no campo aqui referido chegam mesmo a dizer barbaridades. Por exemplo, chamar de ditador a Hugo Chaves e, que por isso, José Sócrates devia fazer uma política de afastamento em relação a este tipo de pessoas, ser mais rude e menos transparente para com pessoas interessadas em trabalhar e ajudar a que as nossas exportações não tenham uma queda abrupta ou uma queda total, mostrando claramente a sua feição antipatriota e pondo à frente de tudo os seus interesses pessoais. Chamar de ditador a Hugo Chaves, ainda que alguns o aceitem, não passa de uma mistificação maldosa e aberrante. Como nós sabemos, Hugo Chaves não tem fugido aos seus compromissos democráticos. Por exemplo, fez um referendo, coisa que não precisava, pois tinha uma maioria que lhe permitia ultrapassar a situação sem que tal referendo fosse realizado mas perdeu. Perdeu e cumpriu com a vontade popular, do povo venezuelano. Mas o PSD não cumpriu nem nunca cumpre com os seus compromissos e promessas. Prometeu, como todos sabemos, uma consulta aos portugueses com vista ao Tratado Europeu e o que fez? Não cumpriu. Por isso, o PSD devia aprender com Hugo Chaves como deve ser tratada uma democracia. Bem, eu vou ficar por aqui, pois penso que todos já conhecem o PSD, inimigos do povo, amantes da guerra e do terrorismo. Por último, Deixo aqui o nome de Durão Barroso, Manuela Ferreira Leite, Bush, Aznar, Tony Blair e a guerra no Iraque que destruiu milhões de vidas e de que eles todos, sem excepção, apoiaram. Digo isto para que não pensem que as nossas memórias são curtas e nos “comem” por “lorpas”, pois penso que não voltarão a pôr-nos de tanga. Esse discurso, na minha perspectiva, embora eles se esforcem, nós não deixaremos que se repita.

David Santos

2 comentários:

Beezzblogger disse...

E que manobras amigo, que manobras...

E ainda há aqueles que pensam que andamos a dormir... Mas paciência...

Esta corja há-de sr varrida, lá isso não tenho dúvidas.

E O Sócrates, que não soube explicar ao pai, o porquê do fecho das urgências à noite em Alijó, mas eu na carta que lhe enviei, perguntei-lhe se ele ainda ia a Vilar de Maçada, pelos vistos foi lá hoje... Triste sina a nossa.

Abraços do Beezz

victor simoes disse...

As manobras são muitas, mas Manuela Ferreira Leite, que não se esqueça que cometeu erros a mais!
Agora arvorar-se em salvadora da Pátria, mas o povo não vai em conversas da treta. Justifique mas é porque é que enquanto Ministra das Finanças, alterou a Lei de forma a permitir a derrapagem da ponte Europa, de 38 Milhões de Euros, para os 111 Milhões...
Quem anda a pagar? A quem aproveitou a situação? E quem não fez o seu trabalho?
Mas o Sr. Primeiro Ministro José Sócrates, não é flôr que se cheire... iniciou já a campanha eleitoral e anda a ver se lava a outra face! Como é que está o caso das declarações da casa subavaliada que possui em Lisboa? O fisco também aínda não se pronunciou! Aos zés não lhes largam a porta...

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas