13 abril 2007

Abraço



Bem precisamos de um abraço bem apertado, para nos sentirmos gente, seres humanos, com coração que pulsa, que bate.
Não somos máquinas, não somos robôs, embora lidemos com elas, com os computadores.
Porém, não são autónomos, não agem sozinhos. Está sempre por de trás, de cada um, a comanda-lo, a programa-lo, um coração que vibra, que sente, que grita, que chora.
Todos precisamos de um abraço, para nos sentirmos seres humanos dignos, respeitados, acarinhados. Todos precisamos de todos, neste mundo virtual.
Senão, pergunto eu? Que estaríamos nós aqui a fazer, todos os dias, senão precisássemos uns dos outros?
Não estávamos de certeza! Se estamos, se falamos, se comunicamos. É porque necessitamos de conviver, de ter amigos, embora, virtualmente.
Mas são esses amigos, virtuais. Que nos dão alento, força, capacidade, de nos mantermos aqui, neste mundo cruel, e desumano. Onde o egoísmo e o egocentrismo, cada vez mais se sobrepõem, á solidariedade, á amizade, á fraternidade.
Demos sim! Um abraço, um enorme abraço, entre todos nós.

12 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Bonita Reflexão Meu Amigo, revejo-me nas tua palavras. Um Abraço Forte

A. João Soares disse...

Aqui tem o meu abraço. Mas não concordo com virtualidades dos abraços a estátuas. Um abraço, tal como a Amizade humana e até entre animais, deve ser algo de interactivo, biunívoco, algo que se retribui, com igual força e intensidade.
Por exemplo, vejamos que isto não se concretiza entre nós, pois têm sido inúmeros os meus comentários, sempre apoiantes e amigos, aos seus posts e o Mário Margaride, teima em ignorar os meus textos. Haverá alguma razão para tal ressentimento seu? Se há, porque não se explica? Quando vem o seu abraço retribuir os meus? Ou será que o senhor alimenta ódio dentro de si e usa liberdades poéticas para dizer coisas que desconhece não pratica?
Desculpe esta minha frontalidade, mas eu sou defensor do ABRAÇO, do Coração aberto aos outros, com humanidade e caridade.
Gostava que se dignasse explicar como conjuga o seu conceito de abraço com o comportamento que vem efectivando em relação aos meus escritos. Não acredito que estejam tão mal elaborados que o senhor os não entenda ou não lhes sinta o menor interesse.
Cumprimentos

MRelvas disse...

"o egoísmo e o egocentrismo, cada vez mais se sobrepõem, á solidariedade, á amizade, á fraternidade".

É apenas aquilo que tenho sentido em si...

Receber um abraço é dar um abraço livre, sério, sem subterfúgios, nem conversas da treta.

Não comenta textosd e outros porque os considera seres de outra galáxia, por terem ideias sérias e claras.

Que abraço quer você?Receber o que você destila em ódio?

Terá que provar o seu verdadeiro "eu"... não que importe, pois só posso conviver, quem comigo convive também!

Para lá de "SEM AMARRAS" há A SERIEDADE e o respeito... SÓ assim alguém pode alegar ser sem amarras...

Abraços com fel, não servem a alguém, mas saberei aceitá-lo, talvez um dia, se vir um comportamento sério e amigo, mesmo que perfilando ideais dispersos!!

Pela Liberdade, mas com seriedade, com amizade!!


saudações sérias e livres

Mário Margaride disse...

Bom dia a todos.

Quando fiz esta reflexão. Fi-la para todos em geral, não direccionada a este ou aquele. Fi-la, porque senti necessidade de a fazer.
Quer queiramos, quer não. Há muitos de nós, que sentem essa necessidade de carinho, de afecto, de ternura. Para além das opiniões divergentes, ou convergentes, das cores clubísticas, ou partidárias, sentem necessidade de amizade, e solidariedade.
Falo com muita gente, atravéz dsta máquina, que se chama computador.
Aqueles que diárimente comigo trocam alegrias e frutrações, através da interação entre blogueres.
Criei muitas amizades reais, atravéz desta máquina, independentemente de pensarmos, e termos uma cor clubística, ou ideológicamente pensarmos, de maneira diferente.
Há e existe, respeito por essa diferença.

Muitos de nós. E no meu caso, como disse, falo todos os dias com muitas pessoas. E com elas criei, laços de afinidade muito grandes, e que espero, vão para lá do virtual.
Aliás, já acontece hoje com algumas dessas pessoas, a quem posso chamar sem ambiguidade, de meus verdadeiros amigos.
Sei que muitos, destes amigos virtuais, estão solitários. Estão trists, frustados. E a única válvula de escape, são as conversas, os desabafos, atravéz desta máquina, independentemente de serem ricos pobres, vermelhos, amarelos, ou azuis. São pessoas, ser humanos, que precisam de um carinho, de um sorriso, de um abraço...nem que seja virtual.
Por isso caros companheiros, foi com esta perspectiva que escrevi este texto.
Que nada tem haver, com as denúncias e opiniões, que cada um de nós possa ter em relação a este ou aquele assunto, da vida colectiva, social, e política.

São coisas distintas, que têm que ser vistas como tal, e não serem misturadas.

Por isso caros colegas blogueres.
Espero que tenham entendido este texto, como o Ludovicus rex, entendeu.

Abraço a todos

Mário Margaride

david santos disse...

Reflectir! Estou consigo. Abraços de muita; e que se torne cada vez mais longa, Amizade.

aproveitoagoraquedepoisétarde disse...

O SENHOR 1º MINISTRO MENTIU NAS ELEIÇÕES PORQUE ELE SABIA DE ANTEMAÕ O QUE IRIA FAZER CASO FOSSE ELEITO, E CONTINUA A MENTIR APOS 2 ANOS DE GOVERNAÇÃO E CONTINUARA A MENTIR NOS 2 ANOS QUE LHE FALTAM PORQUE ISSO ESTA NO SEU CARACTER. EU NÃO GOSTO DE ME PRONUNCIAR ACERCA DESTES FILHOS..... ELES NÃO MERECEM.
ABRAÇO.

david santos disse...

Quem como o Mário Margaride, que trabalha praticamente para uma comunidade, o português, e tem os visitantes que tem, de luxo, mesmo! Merece ser reconhecido por quem é honesto e inteligente. O Mário Margaride tem dos trabalhos mais bem delineados, profundos e difíceis de fazer que andam pela net.
O Mário Margaride está a um passo de ver o seu valor reconhecido, garanto. E quando eu garanto! É garantido. Que o digam aqueles a quem eu já dei garantias.
O nosso do Mário Margaride, não sei como, mas deve ter sido Deus quem mo disse. Sim, porque eu fá-lo com Deus. Deus é um homem bom. Como tal, fá-lo com ele. Mas, como ia dizendo, o livro de Mário Margaride está a caminho, garanto. Repito; e quando eu garanto: é garantido.
Nunca falhei nas minhas garantias. Sempre cumpri com a minha palavra. Embora esta não seja a minha, pois não tenho nenhuma Editora, penso ter sido a de Deus.
Agora fico à espera. Nunca fui enganado por Deus. Homem bom. Só pelo diabo. Mas como ele anda por outros caminhos, longe, portanto, espero que Deus tenha tempo e calma para fazer o seu trabalho. É que no rol de trabalhos prioritários que Deus tem em mãos, pois eu vi com os meus olhos, Deus deixou-me ver, há um destinado ao Mário Margaride. Não fui curioso ao ponto de ver o que era, mas como não é difícil de advinhar, PRONTO! É o seu primeiro livro.
Bem haja, Mário. Foi Deus quem me disse. Agora é só saber esperar.
Parabéns.

MRelvas disse...

Oh David, lá vem você no pouco tempo que passa aqui... vem-lhe sempre a mostarda...

Claro que vai ter um livro o Mário Margaride... alguém aqui não quer o sucesso dele?

Mas por quem toma esta gente?Ninguém quer mal a alguém, aqui todos queremos bem a todos. Só não vê isso quem anda atamancado, com algo meio torto nos horizontes occipitais!

Já podia haver uma colectânea, já podia haver vários livros, mas...de quem é a culpa, embora isso não interesse nada!!

Um abraço a todos

Mário Relvas

A. João Soares disse...

Desejo que o Deus que é tão amigo do David Santos lhe dê os bons conselhos de que necessita.
Parece que o Mário David não gostou e abraços a estátuas, de braços caídos, frios e inertes. Eu também não gosto e, por isso utilizei essa imagem, mas é isso que sinto sempre que comento os posts do Margaride e perco tempo, como estou s perder neste, visto que não vejo da parte dele a outra parte do abraço, pois não me recordo de algum comentário a posts meus. O Margaride não respondeu às interrogações que, a esse propósito, lhe deixei no comentário anterior. Será que me expresso mal e ele não compreende os meus textos, incluindo essas interrogações? E, se é isso, então porque não me chama a atenção? Só gostava que o Margaride tivesse um comportamento condizente com o conteúdo deste seu post. Não é preciso mais. E não é pedir muito, ou será?
Cumprimentos

MRelvas disse...

Caro David Satos,

mais uma vez aqui venho para dizer que ainda não me saiu da cabeça (dificuldades de quem pensa diferente...será?) "da sua afirmação sobre o Mário Margaride ter "visitantes de luxo"...

Que diabo, foi Deus que lhe disse?Ou você apela de "visitantes de luxo" quem concorda consigo, ou quem tem um comentário de ouro??

Com tantos milhões de pessoas no mundo, logo Deus foi falar com você e deixa-nos na ignorância.

Bem ficámos pelo menos a saber que os outros comentadores, outros bloguistas da Voz do Povo têm comentadores, uma "clientela de lata ferrugenta"...

Mas eu sinto-me bem com a "minha clientela", seja ela de luxo, ou esfarrapada...

Coisas de menino!...

Saudações de lata

Mário Relvas

Mário Margaride disse...

Caro João Soares: parece que ainda não entendeu o post, apesar de em comentário anterior já o ter explicado. No entanto, volto agora a faze-lo. Para ver se consigo exclarecer o caro João.

Não tem nada haver, com comentar ou não comentar, aqui na "A Voz do Povo".
Já por várias vezes o disse, e repito. Que aqui, só comentarei, os posts que me suscitem comentário, seus, ou de outro qualquer colaborador. Não tenho qualquer obrigação de comentar. Esses comentários, ficarão para os visitantes, no meu entender. Isso já todos sabem desta minha opinião.
O colega, nunca me ouviu pedir aos outros colaboradores para me comentarem, ou ouviu?
Já agora, pergunto? Quantas vezes me visitou no meus blogues pessoais? Nenhuma. Alguma vez me queixei? Nenhuma.

Caro João Soares: os meus blogues de poesia, são visitados diáriamente por 70 pessoas cada em média. E como saberá, escrevo em vários. Vou dizer quais. "Canto poético", "Palavras Soltas", "Recanto das letras", "escritacreativa". Como vê, é com essas pessoas, e dessas pessoas, que eu falo neste post.
E pode crer! Que há pessoas de diversos quadrantes políticos, clubísticos e idelógicos, Nesse universo de pessoas com quem falo, tanto em Portugal, como em qualquer parte do mundo.
Mas não é de política que falamos. É em primeiro lugar, de poesia. E também naturalmente, de outros asuntos de carácter pessoal. Das angústias, frustrações, desilusões, solidão.
Trocamos amizades, sorrisos, solidariedade. Somos o ombro onde se pode chorar, e dar um pouco de conforto e alento, embora virtual. E dar-mos aquele aquele "ABRAÇO", de que aqui falo.
Porque para além da política, caro João. Há pessoas que precisam de carinho, de amizade, de um ABRAÇO.
É disso João Soares, que eu falo.
Entende?

Um abraço fraterno, sem hipócrisia.

Mário Margaride

A. João Soares disse...

No comentário que fiz antes, disse: «não concordo com virtualidades dos abraços a estátuas».
O autor disse-me: «parece que ainda não entendeu o post, apesar de em comentário anterior já o ter explicado».
Agradeço a sua preocupação em avaliar a minha inteligência, a minha capacidade de entendimento, mas dispenso essa sua avaliação.
O que é certo é que, se eu lhe desse importância, teria razões para chamar cínica a sua interpretação do abraço, pois não abraça toda a gente e não tem retribuído os «abraços» que lhe tenho dado com os meus comentários. Cada um é o que é. E, tenho sido mais generoso, humanitário e defensor a inserção com a minha distribuição de abraços sinceros e generosos, do que o Margaride.
Mas que loucura a minha em estar a fazer comparações consigo! O azeite não se mistura com a água. Ponto final.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas