16 janeiro 2007

Deixa ver se percebi!

Recentemente a RTP decidiu lançar um programa em que se procurava “encontrar” o português mais influente de todos os tempos. Foi com enorme prazer que recebi “de braços abertos” a iniciativa da RTP (ainda bem que ainda existe televisão em Portugal que procura algo original, não se limitando a copiar tudo). Lançaram-se debates (e bem), escreveram-se criticas, crónicas e ensaios sobre o novo programa da RTP e sobre o seu real objectivo. Como encontrar o português mais português de Portugal (desculpem a redundância)? A minha dúvida aumentou (quem devo eu escolher?) bem como a minha desconfiança em relação a algumas escolhas, algumas personagens percebia-se o porquê da sua nomeação, de outras só com muita sorte é que se descobria a razão da sua nomeação.
O primeiro pensamento que tive em relação a escolha, e se eu conheço bem os portugueses, era que iria ser eleito alguém como o Figo, o Cristiano Ronaldo ou mesmo o Scolari. Enganei-me a esse respeito, para nossa salvação.
Foram criados meios para a votação. Foram exercidos os votos. Do norte ao sul do país, independentemente da idade, todos foram livres de votar.
Num dos debates, alguém se insurgiu contra a nomeação de Oliveira Salazar, alegando que tudo o que ele tinha criado a Portugal tinha sido um atraso de anos em relação à Europa, que Portugal tinha simplesmente que apagar essa parte de sua história. Nesse debate encontrava-se um antigo ministro do governo do estado novo, o Sr. José Hermano Saraiva, que surgiu em defesa do defunto tendo quase um ataque do miocárdio, perante as insinuações apresentadas. No dia seguinte a RTP era praticamente “apedrejada” pela restante comunicação social, afectos a politicas contrárias as de Salazar, ou pura e simplesmente contra a ditadura. Mas no dia 14-01-07, quando a RTP apresentou a lista dos 50 mais votados, curiosamente Oliveira Salazar, tinha ficado entre os 10 mais votados, o que me levou a pensar que afinal o Sr. José Saraiva não falava só por si mas sim por um grupo maior de portugueses. O que me fez criar um sorriso de “engraçado, deixa ver se percebi”.
Em primeiro lugar é plenamente justo que Oliveira Salazar tenha sido nomeado, visto que o seu arqui-inimigo Álvaro Cunhal o tinha sido também. Sendo os dois o reverso da mesma medalha, não podemos pender só para um lado politico, tornar-se-ia injusto. O ultraje era Salazar não ser seleccionado, visto que ele escreveu 40 anos de história de Portugal, contrariamente a alguns pseudo actores que também constavam dessa lista.
Mas algo continuou a “moer” o meu pensamento. Grande parte da população portuguesa viveu a época do pré e do pós 25 de Abril, o que implica que grande parte da população tenha conhecimento de causa sobre o regime que vigorava até essa altura e todos os anos somos assolados por imagens desse tempo. Mesmo os mais novos aprenderam sobre a ditadura na escola e tudo o que ela representava, mas acredito seriamente que esses tenham escolhido personalidades mais actuais e com quem se identificam. Se todos achavam que a ditadura era má, se todos achavam que se deveria mudar, como é que se consegue explicar que Oliveira Salazar apareça entre os mais votados para a eleição (convêm recordar) “do melhor português”. Será que afinal o 25 de Abril só foi bom apenas para uma pequena minoria que o organizou, que tomou de assalto o poder como lapas e que “eliminou” os cofres do estado? Será que a população portuguesa (os que votaram independentemente do numero) sente saudades da ditadura e desejam o seu regresso? Será que os portugueses vêem esta nomeação como um combate político, na balança fascismo-comunismo? Talvez por não terem conhecido nenhum dos reis nomeados? Ou será que os portugueses se tornaram do contra?!? Porque não acredito que existam muitos portugueses que conheçam a obra de Fernando Pessoa na sua totalidade. Que dirão agora os que se insurgiram contra a nomeação de Oliveira Salazar? Talvez seja “esticar um pouco a corda” mas foram estas e outras duvidas que me assolaram o pensamento. Para meu bel-prazer.
Muito fica ainda por falar, mas não pretendo ocupar muito espaço.

Domingos Araújo.

10 comentários:

Anónimo disse...

Antes de mais o programa não é original, é uma cópia do que já se fez em alguns países europeus, logo mais uns "royaltysitos" a sair...
Quanto aos grandes portugueses mesmo grandes, grandes, grandes, são os que votam futebolísticamente, esses sim é que são uma grande...

victor simoes disse...

Se pensarmos bem o porquê de tantos votos em Salazar, não será dificil perceber. Na verdade, a insatisfação dos portugueses é tal para com a Democracia, que já aceitavam um Salazar novamente... a culpa é dos actuais políticos e da política de empobrecimento do povo.
Não é descabida a integração de Oliveira Salazar na lista, pelos 40 anos de história do Estado Novo. O que é de espantar, é a quantidade de votantes angariados, isso sim.

Um abraço

Lully, REFLEXIONES AL DESNUDO disse...

Lo que alcanzo a entender en tu lindo portugues es más grande... mmm saber que tienes un espiritu bonito y eres un ser maravilloso.
Un abrazo y un besito!

Anónimo disse...

Salazar é uma referência para quem se recorda de em tempos difíceis no MUNDO, Portugal com fome,mas sem guerra sobreviveu.Salazar é sinónimo de segurança e respeito num tempo actual em que os valores são nenhuns...e a insegurança grassa, a corrupção mina por todo o lado.Mas porque é que acusam Salazar de ser um Ditador?!Por ter estado cerca de 40 anos no poder?E o Mesquita Machado que mantém refém os cidadãos e por maroscas consegue estar em "democracia" bolorenta 30 anos no poder!?A diferença é só no caso da corrupção...Braga é a cidade capital da corrupção e do compadrio!

Salazar lembra um homem austero,simples que apesar de ser amigo de Cerereija não gostava dos padres,nem ser amigo de ir à missa,nem comungava!!

Salazar era um homem que subiu ao poder como ministro das finanças numa altura em que Portugal estava de tanga (onde é que eu ouvi isto?) e reconstrui o país!

Critica-se muito o fecho ao mundo por parte dele, mas não se aliou à esquerda soviética ou aos USA!É dle a célebre frase "antes só que mal acompanhado"!

As ruas eram limpas, haviam asilos, foram feitas escolas por todo o país (hoje fecham-nas),desenvolveu-se a agricultura minifúndio no interior,havia pescas,matérias primas chegavam de África.Exportava-se para África produtos continentais.Enfim não era uma maravilha...mas aqueles tempos eram outros há mais de 7o anos quando Salazar subiu ao poder alguns avós dos comentadores actuais não eram nascidos!!

Acima de tudo recordo Salazar como um patriota sério, sem bajulações, que lutava em permanência pela união de PORTUGAL!

É um homem que merece figurar entre os 10 maiores.Se politizarem as coisas, para não correr o risco de um "soviético" que deu começo ao fim de Portugal e à descolonização exemplar ganhe (Barreirinhas Cunhal) votarei salazar!

Com os meus cumprimentos

Mário Relvas

A. João Soares disse...

Já está aqui tudo dito, quer no texto muito bem escrito, quer nos comentários muito sensatos.
Por pior que tivesse sido o beirão António Oliveira Salazar, aplica-se o ditado popular «Depois de mim virá quem bom de mim fará!»
Nos transportes públicos, quando alguém diz «era cá preciso outro Salazar» Levantam-se vozes «um não chegava, nem dez!».
A reflexão que deve ser aprofundada é que somos um País dificilmente governável por métodos suaves, não havendo governo que consiga fazer milagres. E o pior é que eles não são nada santos!
Abraços
João Soares

Ludovicus Rex disse...

Salazar foi um facinora que governou Portugal com mão de ferro. Que se absteve dos valores democráticos e que os perseguiu. Ainda bem que Salazar está morto e bem morto.
Se assim fossde eu não poderia escrever aqui estas minha palavras...
Passem Bem

DIGNIDADE disse...

Olá!
É a primeira vez que visito este blog e gostei muito, de tudo o que li, mas especialmente da capacidade de elaborar raciocínios dos diversos autores.
Quanto ao tema, tendo eu nascido quando o Sr.Oliveira Salazar já tinha morrido, mas ouvindo o elogio dos meus avós (gente pobre, do povo que os políticos actuais dizem defender), tendo os meus pais sido vítimas de uma "descolonização vergonhosa", só posso dizer que os meus netos saberão julgar a "ilustre figura", já que neste momento, também a História de Portugal é "manipulada" e contada a contento de quem quer mandar, mas que não tendo capacidade, se impõe pela rectórica e por falácias. E não se julgue que há assim tanta liberdade de expressão...ela só é aparente!
O "povo português", por algum motivo, gosta de ser mandado, bem ou mal, quer é viver tranquilo e que alguém lhe mostre o caminho: das ditaduras às maiorias absolutas é o que retenho. Como emigrantes são dos mais trabalhadores e quase escravizados, no seu país são dos mais revoltados!
Algo está mal! E o Sr. Salazar, tal como D. Sebastião, são apenas figuras que inspiram segurança e incutem esperança, apesar de envoltos em nevoeiro.
Um bj!

victor simoes disse...

Salazar é polémico o tema! Mas, o descontentamento popular leva a este tipo de reacções. É só uma votação e que sirva para os senhores políticos, verem que há quem prefira Salazar a uma Democracia podre. Não considero que Salazar mereça tal distinção, acho é que, a desilusão dos portugueses é tal, que o ditador se afigura como uma pessoa de bem, quando comparado com os actuais governantes.

Eu votaria Vasco da Gama, pois merece-o bem! Salazar jamais!

Anónimo disse...

Caro Ludovicus...

é a sua opinião!

Ainda bem que é só a sua opinião.Sabe que os sentimentos dos portugueses não são o que o amigo diz...

Mas o que tem de novo escrever...em liberdade?Saiba o meu amigo que cada palavra que aqui é colocada é confrontada diariamente com o novo lápis "rosa",mas que não apaga ou prende directamente...vai-lhe ver o seu profile da vida toda...se puder interferir na sua vida fá-lo de outra maneira!

Com más intenções...enfim é só uma opinião!

Caro Victor, eu escolhi Vasco da Gama, mas isto está politizado e não posso aeitar que por uma máquina partidária se coloque um indivíduo no topo da história de Portugal,que nada fez para UNIR, mas só desgraçou este país...ainda hoje pagamos todos isso!Barreirinhas Cunhal, nunca!!

Por isso que resta aos portugueses que não se podem rever neste marasmo de hipócritas??

Um abraço e obrigado a todos os comentadores
MR

Ludovicus Rex disse...

Eu Vivo em Liberdade, faço uso dela e de tudo o que esta implica...

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas