17 janeiro 2007

Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou, eu
A doce mulher
A insana, poeta...



Conceição Bernardino

5 comentários:

Mário Margaride disse...

Belo poema Conceição! Não te deixes abater pela angústia, acredita em ti! Tem confiança no futuro.

Beijinhos

Mário.

Anónimo disse...

Que coisa Conceição...quero ver aqui textos seus...mais energia.

Um poema muito triste...

Vá lá que até a barraca abana!

Beijinho!

Mário Relvas

Teresa Calcao disse...

Conceicao,
Um poema lindo mas que reflecte tanta tristeza......Va la,desafia a vida,porque GOSTAR DE VIVER ...........e bom!

DIGNIDADE disse...

Olá!
Muito emotivo e muito bonito!
Todos temos instantes assim, mas só depende de nós se eles duram um momento ou uma vida inteira.
Um bj!

victor simoes disse...

Então Conceição, este poema reflete um estdo de alma, muito triste! Nós queremos força e como o MRelvas diz, p'ra frente é o caminho! Até a barraca abana.
Está lindo o poema bem contruído.

Um beijinho

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas