28 março 2007

A ERVA QUE GANDHI NÃO CEIFOU

Gandhi, cognominado Mahatma, "a alma grande", nasceu em 1869, na Índia. Estudou direito em Londres de 1888 a 1891.
Na África do Sul, onde residiu de 1893 a 1914, tomou a defesa da comunidade indiana, sujeita a um racismo que as instituições tendiam a tornar legal. Expôs a sua doutrina em Autonomia da Índia, livro de 1909, uma demorada análise às fraquezas da civilização materialista do Ocidente e exposição sobre a força da não-violência.
Gandhi regressou à Índia em 1915. Permaneceu fiel aos britânicos até ao massacre de Amristsar, decorria o ano de 1919. A sua reacção a tal brutalidade tornou-o campeão do nacionalismo indiano, que soube transformar em fenónemo de massas. Durante trinta anos, a sua vida foi uma sucessão de intensa actividade: campanhas de 1920-1922, 1930-1934, 1940-1942. Durante elas foi preso várias vezes. Nesse tempo conseguiu ainda entrar em fases de voluntário retiro, porque, dizia, precisava de meditar.
Os métodos de acção de Mahatma Gandhi inspiraram-se no princípio de "reivindicação cívica da verdade" por meios não violentos, a "não-violência activa".
A independência do subcontinente foi obtida em 1947, ao mesmo tempo que se procedia à divisão desse vasto território em União Indiana Hindu e Paquistão Muçulmano. Tal fraccionamento era inaceitável aos olhos de Gandhi. Dedicou-se, então, a reconciliar as duas comunidades. Nesta missão se encontrava quando, em Deli, em 1948, as balas de um hindu fanático puseram termo à vida de uma das mais sublimes figuras da Humanidade.
E se Gandhi tivesse ceifado a erva impura?
Texto retirado da Nova Enciclopédia Larrousse

Adaptação de David Santos

8 comentários:

MRelvas disse...

Senhor David Santos,
li um texto seu no JN onde falava do assassino Salazar...
Não, não vou perder tempo com isso sequer...cada qual tem a opinião que quer e pode..."pina" onde quizer!!

Só gostei foi de ler por baixo do seu nome a palavra BRAGA!!

Não, não me surpreende...mais uma vez!

Quanto ao anónimo que vai ao meu blog e deixou lá muitas msgs cheias de "razão comunista", só lhe digo que perde o seu tempo...para já é uma pequena resposta, porque estou a teclar de um cyber café (Olá Maiato)...Estou longe e daqui a uns dias estarei em "directo" e plena força.

A DEMOCRACIA não é o COMUNISMO...e se continuarem a tentar convercer-me do contrário...prdem tempo!

ASSUMAM-SE e deixem os outros pensar democraticamente.Leiam o que vem meu hoje no Correio da manhâ...e entendam de vez que não se ser COMUNISTA...uma ditadura, não signifique que goste de outra DITADURA!!!

Sou um ser Humano que adora os seus semelhantes, por eles luto na vida.Não sou "fascista", nem totalitário como os senhores da RAZÃO -OS COMUNISTAS...

Passem bem e cumprimentos "SEM AMARRAS" recordam-se?Sim foi por estas palavras que aceitar participar aqui neste blog.Foi por ver que ALGUNS bloguistas que aqui escrevem não o são que parti!

MÁRIO RELVAS
livre e independente por um PORTUGAL sério e justo.
Por um mundo mais humano e sem ditaduras como as CUBANAS e outras...

david santos disse...

Ó amigo Relvas, mas o meu amigo pensa que eu escrevo a contar com as suas leituras? Era o que me faltava... Acha que há tantos anos que escrevo, ainda não tenha a experiência suficiente para separar o trigo do joyo? Não. O MEU AMIGO NAO CONTE COM ISSO. Não faz, garanto, parte dos conteúdos que eu escrevo. Mas nem por sombras. Era o que me faltava...
Quanto ao resto, Braga, comunistas, cubanas, sem amarras e anonimatos, quem as arma que as desarme.

Beezzblogger disse...

Grande homem do mundo Gandhi, desculpe merece letra maiúscula, GANDHI, sim não ceifou, nem nuca caifaria, pois era amante da sensatez, da cordialidade, do humanismo e dos pobres, dos indefesos.

Belo texto, este do amigo David.

Isso é que é...

Abarços do beezz

A. João Soares disse...

Os meus parabéns à Nova Enciclopédia Larrousse. Só é pena ter-se referido às ervas impuras.
A preservação das espécies pressupõe que todos os seres têm direito a viver, mesmo os que são considerados impuros pelos que arrogantemente se consideram puros, únicos detentores da verdade e do bom senso.
Isso aplica-se também aos que condenam o povo que votou no malfadado concurso da RTP.
Cumprimentos

david santos disse...

Olá, amigo João Soares.
Desta vez enganou-se redondamente. Não. Esse texto, é um texto de 1983, da referida revista, um texto extremamente longo. 7, 8 folhas A-4 completas. Entre parágrafos e frases, uns e umas com maior ou menor ênfase deixam entender que o homem que matou Gandhi era o seu homem de confiança. Ora, isso deu ao longo dos anos muita discussão e até controvérsia, pois nem todos os leitores assimilavam o texto da mesma forma, neste caso concreto. Por isso, entre muitas versões a que o texto deu origem, esta foi a minha. Claro que quem não leu o original todo, pode daí tirar várias ilações. O meu título a penas quer dizer o seguinte: "O AMIGO EM QUEM GANDHI CONFIOU". Este texto nada tem em comum com a votação em Salazar. Um é ferro, outro água. Não têm mesmo nada em comum.
Quanto à votação da RTP, sempre disse aqui e em outros lados, ser a votação que mais me agradou. Foi para mim, talvez a última oportunidade da minha vida para dizer o que esse Tirano foi. É QUE NO MEU CASO CONCRETO, em relação a esse tirano, ainda nem cheguei à rua que dá para a Igreja. Por isso, ainda estou muito longe, mesmo muito longe, de acabar de falar dele. Agora o resto, que cada um pense como quiser. Sei haver sempre pessoas sem capacidade para se meterem em discussões sobre assuntos que desconhecem, pessoas que não sabem ler bem, pessoas que defendem interesses materiais, outros políticos e outros de outra ordem, mas eu não tenho nada a defender. Tenho, isso sim, a desmacarar. Pois é, desta vez enganou-se totalmente. Eu sei o que o levou a pensar isso: foi o timing. Não eu não trato de falcidades nem maldades que possam pôr em causa os temperamentos e falta de conhecimentos de outros pessoas.
Aliás, eu até nem devia dar importância a muitas coisas, incluindo pessoas, mas sou diferente.
Parabéns.

A. João Soares disse...

Muito obrigado pelo esclarecimento!
Como se trata de um homem que há muito admiro, pelo sentido prático como conduziu a Índia para a independência e a forma como conduziu as siuas divergências com o seu amigo Pandita Nehru, aqui lhe deixo mais umas achegas para a biografia:

Mahatma Gandhi
Porbandar, 1869-Nova Deli, 1948

Político e líder independentista indiano. Procedente de uma família de comerciantes ricos, estuda Direito em Inglaterra. Após obter o título académico instala-se na África do Sul, dedicado aos negócios familiares. A discriminação de que são objecto os indianos desperta nele a consciência social e organiza um movimento para lutar contra as desigualdades.

Em 1915 regressa ao seu país e funda o Congresso Nacional Indiano para lutar pela independência. Durante a Primeira Guerra Mundial interrompe as suas actividades políticas, mas em 1920, ao verificar que a Grã-Bretanha se nega a qualquer tipo de reforma, elabora um programa que preconiza a luta não violenta, a desobediência civil e o boicote aos produtos britânicos. Graças a este programa, o independentismo recupera enorme força. Encarcerado em 1922, é libertado dois anos depois mercê da enorme pressão popular e internacional. Até 1940 Gandhi está confrontado com a política colonialista da Grã-Bretanha, é encarcerado várias vezes e protagoniza diversas greves de fome.

Ao rebentar a Segunda Guerra Mundial os indianos voltam a apoiar a Grã-Bretanha; Gandhi, em desacordo e ao ver contrariados os seus princípios pacifistas, abandona a presidência do Conselho Nacional Indiano. Após a contenda, e em grande parte por causa da infatigável actividade pública e política de Gandhi, a Índia ascende à independência (1947). É assassinado por fanático opositor à divisão da Índia em dois países: Índia e Paquistão. O seu exemplo e as suas teses pacifistas têm um enorme influxo em todo o mundo.
Cumprimentos

MRelvas disse...

O amigo David Santos não escreve para mim, pois não teria leitor...

Se escreve há muitos ou poucos anos, nada me interessa.Apenas refiro -BRAGA por baixo do seu nome no JN, quando afirmava a todos ser de Oliveira de Azeméis?!...Ou o que se passou??

DEMOCRACIA LIVRE DE COMUNISMO!
EVOLUAM!

Cumprimentos

MR

MRelvas disse...

Ah e saúdo o Gahndi,mas sabe, já não tenho pachorra para ler os seus textos e de seus colaboradores...

Talvez acredite em si um dia...agora não posso, depois das que tem feito...desde que estupidamente aqui comecei a escrever...

Vocês só são amigos de quem grite pelos vossos ideais ideológicos e eu sou apenas um homem que é independente a nível partidário...que não se revê em nenhum partido -NEM UM!!!

Talvez isto melhore..."Há mau tempo no canal"!

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas