05 março 2007

Alzheimer...O desespero de quem ama


Olhem para nós, aqui isolados sem réstia de esperança.
Não, não é possível que a minha querida amada tenha chegado a este estado, eu sinto-me completamente impotente. Ela já nem sente o meu carinho, o meu rosto perdeu-se na sua mente, numa qualquer imagem ilusória.
Sinto-me cansado, a noite passou a ser dia, grito sozinho em busca de uma resposta qualquer, de uma palavra de aconchego. Mas ninguém nos houve, o meu apelo ficou à deriva dentro de uma garrafa de vidro, balançando nas fragas do mar, sem destino.
Meu amor perdoa-me esta forma como acabei com as nossas vidas, mas não suportava mais ver-te nessa degradação perante o meu sofrimento silenciado de impossança. Agora sinto que ficaremos juntos para sempre.
Nem sabes como chorei, as lágrimas que levo connosco.
Não sei se lhe chamarei acto de loucura ou eutanásia brutal, a dor já era insuportável, leva-nos aos maiores actos de amência. Sei que irão dizer que estava louco, mas o que ninguém entendeu é que nos fora negada aquela palavra amiga, apoio, estávamos entregues à nossa própria sorte.

Como compreendo este acontecimento!
Quando ouvimos, (eu compreendo a sua situação mas não podemos fazer nada de momento), quando choramos desesperadamente e ninguém repara, sequer na nossa dor nas nossas lágrimas. Quando ouvimos vezes sem conta a palavra não e todas as portas se fecham.
Deixo aqui os meus sentidos pêsames e a minha profunda homenagem ao senhor Manuel Santana e à sua esposa Olívia Nunes.

Também quero deixar aqui uma palavra de conforto a quem vive este drama, provocado por uma doença qualquer.
Tenham força, não desistam agarrem-se com força a tudo, a esse tudo que por vezes não reparamos no meio do desespero. Vamos insistir na vida, no amor, lutar até ao fim para minimizar o sofrimento. Sei que não é nada fácil mas vale apena lutar por quem amamos...
Mesmo que ninguém ousa o nosso desespero, não vamos deixar que nos tratem como coitadinhos mas por pessoas que sabem amar incondicionalmente, mesmo quando o resto dos prepotentes nos ignoram,
e os imbecis nos rejeitem.
Sei do que falo, cuido da minha mãe doente de AVC.

Conceição Bernardino

6 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Conceição,
A vida é uma preciosidade enquanto não precisamos da assistência, do apoio dos outros, enquanto podemos satisfazer as nossas necessidades vitais. Mas...depois...
Já disse à minha família que, quando chegar o momento em que não reconheça as pessoas mais chegadas, deixem de me alimentar e de prolongar a vida artificialmente, apenas me dêem medicamentos para tirar as dores.
Defendo o suicídio assistido, mas receio defender a eutanásia porque se presta a crimes perpetrados pelos herdeiros, para mais cedo tomarem posse da herança.
Receio que este ministro da saúde, se continuar por muito mais tempo no Poder, apoiado pelos da Segurança Social e das Finanças, venha a pôr em prática discretamente uma eutanásia organizada e sistemática para rejuvenescer a idade média da população, reduzir as pensões e os custos dos apoios de saúde diminuindo, desta forma, o défice orçamental!!! Já estamos a caminho disso com as restrições no SNS. Dos políticos economicistas, sem coração, sem sensibilidade para os problemas humanos, tudo se pode esperar. De tudo são capazes.

O que nos vale é haver pessoas como a Conceição que tem um coração de ouro. Desejo as melhoras da sua mãe de forma que a possa ter por muito tempo em sua companhia, mas sem trabalhos exagerados. Ela poderá não sentir o seu carinho mas a Conceição tem gosto em lho dar e isso já uma compensação.
Beijinhos
João

Beezzblogger disse...

Oh como eu choro
Choro de Dor, de tristeza
Ja nem sei onde Moro
E onde poderei me sentar à mesa?
(Carlos Rocha)

Amiga infelizmente, a nossa sociedade divorcia-se dos nossos idosos, abandona-os á sua sorte, não nos podemos esquecer duma coisa:

- Hoje são eles, amanhã seremos nós...

Abraços do Beezz

papagaio da suica disse...

SER VELHO
SER VELHO é SER CRIANCA
é FAZER BIRRAS PARA GANHAR
UM DOCE CHAMADO LEMBRANCA
ARRANCADO AS VEZES A CHORAR
DO AMOR QUE NAO SE ALCANCA
DE UMA VIDA QUE FOI SEMPRE A AMAR.
BJJ.coragem e com paciencia vamos longe.m.o

MRelvas disse...

Cara Conceição, dei há dias aqui á estampa o caso da senhora que foi morta pelo marido e este se suicidou...

Como é cruel esta situação!

Hoje faleceu o pai de uma colega minha que foi tratar-se ao hospital e apanhou uma infecção grave no hospital S. António-Porto,morrendo.
Também sofria de Alzheimer!

Mas morreu quando por se ir tratar!Injusto!

Um beijinho e estou de acordo com o João Soares pelo que diz sobre a morte com dignidade!Escolhida pelo próprio e assistida!

A amiga Isabel, visitante do nosso blog e do Aromas descreveu uma situação de um seu padrinho, que quando soube ter cancro (era médico) juntou a família e disse que não iria fazer quimio e radioterapia, pois esse sofrimento só adia e não cura.Disse à família que iria morrer, por isso iria deixar de comer!

Só comeria yogurtes para não sentir a dor total de fome!

Assim foi e assim partiu!

Beijos São
Abraços amigos João Soares e beezz!

Mário Relvas

migvic disse...

força aí...

Anónimo disse...

Desejo toda a força do mundo, imagino o que esteja a passar, ainda n passei pelo o mesmo mas trabalho com algumas pessoas com esta doença, e vejo o que os familiares passam por verem um ente querido a perder-se na doença...
Ainda sou uma rapariga de 21 anos mas tenho asistido a muitos casos desses e que me tocam muito.
Desejo toda a força do Mundo e nunca desistam deles...
FORÇA....

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas