01 março 2007

QUE PODEM FAZER OS AVÓS DE HOJE?



Ao falar dos avós, há que distinguir entre os avós mais velhos e os avós jovens. Estas são as pessoas que começam a ter netos sem idade para ser avós ou avos. Aqueles são os que passam dos 70 anos (ainda que a idade não diga tudo).
Por isso, quando afirmamos que os avós têm, hoje, um importantíssimo papel a desempenhar, a quem nos referimos? Aos jovens ou aos mais velhos?
Entendemos que a todos, mas os papeis são diferentes, porque suas circunstâncias são diferentes.
Disse Deutsch:
As empresas japonesas vêem com desagrado que na América o termo "velho" não seja sinónimo de "sábio".
A isto mesmo se referiu João Paulo II quando afirmou que "há culturas que manifestam uma singular veneração e um grande amor pelo ancião; longe de ser distanciado da família ou de ser suportado como um peso inútil, o ancião permanece inserido na vida familiar, continua tomando parte activa e responsável - ainda devendo respeitar a autonomia da nova família - e sobretudo desenvolve a preciosa missão de ser testemunha do passado e inspirador de sabedoria para os jovens e para o futuro".
Uma pequena observação: o Papa fala de anciãos, não de velhos.
O ANCIÃO, NO APOCALIPSE, É UM HOMEM CHEIO DE FORÇA
Nesta terra, melhor é homem de forças esgotadas, mas com juventude acumulada em sua experiência e em seu coração, se soube aproveitar o tempo para crescer como pessoa.
Nesta terra,"ser ancião implica haver vivido uma prolongada existência, encontrar-se ao final de uma longa viagem, talvez bastante cansado. A ansiedade é também tempo de despedidas; as coisas e os afãs vão lhe deixando".
O ancião é o vazio e o inútil para uma civilização saturada de materialismo helenista. Por isso, quando se escreve perto deles há que dizer, com força, que "não é verdade que os anciãos sejam inúteis ou constituam uma carga difícil de suportar (...) Nos deram muito, quando se encontravam em plena força; nos dão agora, no acaso de sua vida, com sua presença venerável, com seu sofrimento silencioso, com sua palavra acolhedora.
"Privar à humanidade dos anciãos, seria tão bárbaro como privá-la das crianças".
Mas esta sociedade bem estável e permissiva está disposta a privar-se de uns e de outros.
O ancião é testemunha do passado. Portanto, de um valor incalculável para recuperar, em cada família, heranças espirituais perdidas. As heranças das melhores biografias de outras gerações dessa mesma família.
É assombroso ver o pouco interesse que há, em muitos lugares, por saber algo mais dos melhores antepassados. Os avós mais velhos poderiam dar-nos alguma notícia deles, isto é, de seus avós. E assim, além disso, eles seriam menos protagonistas e mais testemunhas.
Na realidade, "a vida dos anciãos ajuda a esclarecer a escala de valores humanos; faz ver a continuidade das gerações e de maneira maravilhosa a interdependência do Povo de Deus. Os anciãos têm além disso, o carisma de romper as barreiras entre as gerações antes que se consolidem".
Desde a orientação familiar, se lhes pode ajudar aos avós mais velhos "a descobrir e a valorizar as incumbências dos anciãos na comunidade civil e eclesial, e em particular na família", citando palavras de João Paulo II.
Por outro lado, são inspiradores da sabedoria para os jovens e para o futuro. Isso ocorre, realmente, quando forem capazes de superar as diferentes crises, que se dão, na vida humana, entre fase e fase, e alcançarem a fase vital do homem sábio, daquele que sabe que tem, superada a crise do desprendimento. E além disso, não foram marginalizados da vida familiar de seus descendentes.
Desde a orientação familiar, se pode fazer muito, a este respeito, com os avós mais velhos, com seus filhos, com suas noras e genros, com seus netos, para que eles possam unir dois tempos - às vezes, bem longe -: o passado e o futuro, no presente de sua família extensa.
E os avós jovens?
Com respeito a isso, podemos dizer que estamos treinando uma nova geração de avós:
OS AVÓS DO SÉCULO XXI
Ler restante texto em Textos a Voz do Povo



Oliveros F. Otero & Fernando Corominas -

4 comentários:

MRelvas disse...

Um belo texto.

Devemos preservar os nossos idosos, com carinho, e acima de tudo olhando para eles como "sábios".

Os anciãos são a mais valia para um povo sem memória e conhecimentos.

Os anciãos são os meninos de ontem, homens que desenvolveram este mundo até hoje.

Como já escrevi várias vezes querida Naty a Juventude está no espírito, pois não é jovem quem quer, mas quem não abdica dos seus ideais.

Há um adágio popular que diz:

"Quando morre um idoso é como uma biblioteca que arde"

Beijinhos

Mário Relvas

papagaio da suica disse...

Eu sou um anciao em formacao so espero conseguir por em pratica os ensinamentos adquiridos se isso eu conseguir nao so os meu netos como os netos de alguem que ta perto de mim .serao anciaos tambem aos 38 anos de idade. obrigado ao ze e a sao por ser ja anciao.obrigado m. o.

D.A. disse...

Caros.
Como alguém disse um dia "A idade dos quarenta é a velhice da juventude, a idade dos cinquenta é a juventude da velhice"

Contudo nem todos os idosos devem ser olhados como sábios... podem ter a experiência de uma vida, mas que tipo de vida tiveram? Alguém que viveu toda a vida na ignorância para com os outros merece ser tratado como tal? Quem submeteu os outros á sua vontade durante toda a vida, merece tal respeito? "A idade é um posto" verdade! Mas a idade também não significa sabedoria ou autoritarismo para com os outros.
É de não esquecer a arrogância de certos idosos que usam a idade como desculpa para as suas acções, bem como forma de dobrar os outros á sua vontade. A idade é um posto não um poste. E isso faz toda a diferença.
Mas afinal que saberei eu??? afinal a velhice ainda vai longe.

Domingos Araújo.

Alexandra Caracol disse...

Um texto espectacular quanto a mim.

Na verdade estamos a precisar que as mentalidades sejam reeducadas não só a respeitar e admirar seus anciãos, mas também a respeitar os deficientes e os diferentes por qualquer razão.

Acredito que todos temos algo de precioso para ensinar aos outros, principalmente os mais velhos que já tiveram experiências que os mais novos ainda não passaram.

Beijinho com amizade

Alexandra Caracol

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas