10 agosto 2006

Mirandela acordou de luto


Os populares de Mirandela, acordaram hoje com a cidade vestida de preto. Cerca de 200 bandeiras pretas espalhadas pela cidade foram na madrugada de ontem hasteadas em mastros públicos.

A adesão popular com panos pretos nas janelas e varandas ainda é pouco significativa, mas prevê-se que com as bandeiras nos mastros a população se sinta mais estimulada para protestar. José Silvano, tem vindo a encetar alguns protestos em defesa da Maternidade de Mirandela, bem antes da decisão ser anunciada no domingo passado numa entrevista dada ao JN pelo Ministro da Saúde, Correia de Campos, ao afirmar que a maternidade que iria fechar devido aos meios e ao relatório do concelho de administração do centro hospitalar onde aconselhava a fechar a maternidade de Mirandela.

O edil de Mirandela já prometeu que irá recorrer para o Tribunal Administrativo e Fiscal para impedir o fecho, alegando que não sabe como é que o Ministro irá contrariar razões tão óbvias como a centralidade e acessibilidades entre outras.

Todas as forças políticas falam num só tom, em defesa da maternidade, incluindo o PS local tomando posição diferente do PS distrital, que é a favor do encerramento da maternidade de Mirandela.

Rui Tulik
Mirandela

2 comentários:

A. João Soares disse...

Este fecho dea maternidade, junto a outras mostra a miopia do Governo, numa altura em que se constata o envelhecimento da população. Pelo contrário, devia dar-se apoio à procriação, em todos os sentidos. Sobre este tema enviei aos jornais em 8/8 a seguinte carta:
A população envelhece

Os partidos políticos de maior representatividade ou de maior visibilidade na comunicação têm vindo a apresentar-nos com a «clarividência» dos seus «elevados» conceitos as suas prioridades para o desenvolvimento da qualidade de vida da população, escolhendo, para o topo das suas preocupações de estadistas, dois temas de «alta relevância»: o aborto e o «casamento» de homossexuais. Parece não haver, na sua «douta» opinião, nada mais importante para o bem-estar dos portugueses: nem a questão de novos conceitos para o ensino, nem o fecho de escolas e de maternidades, nem o apoio médico e medicamentoso a reformados e idosos, nem a prevenção e combate à pequena criminalidade, nem o funcionamento da Justiça, nem a diferença imoral entre os valores das reformas mais altas e os das mais baixas, etc. Todos esses problemas, que são muito graves para o futuro do País e as populações e são sentidos por estas diariamente na carne e no estômago, são para os políticos coisas insignificantes, ninharias que o tempo há-de resolver. Mas, segundo eles, o aborto e o tal «casamento» são factores vitais para a sobrevivência de Portugal! Isto ocorre, apesar de – ou talvez por - os ministros serem apoiados por inúmeros «boys» assessores, nomeados por critérios apenas de simpatia e confiança política.

Porém, a realidade acaba sempre por falar alto e fazer-se ouvir, e aparece agora a notícia de que «a população portuguesa estagna e envelhece». Espera-se que a notícia seja o necessário balde água fria que consiga acordar os políticos profundamente adormecidos, que lhes lave a ramela e lhes permita destrinçar os verdadeiros problemas do País. A notícia põe em destaque que a solução para o problema demográfico não passa, antes pelo contrário, pelo aborto nem pelos tais «casamentos», indubitavelmente estéreis. O País precisa de políticos realistas e pragmáticos, com sentido de Estado, que assumam na prática a sua missão de desenvolver Portugal para os Portugueses e não apenas para a sua elite de clã e para minorias pouco representativas, com prejuízo da colectividade em geral.

A. João Soares

Carlos Mofreita disse...

O GAJO DO PS DISTRITAL QUE SE DEMITA !!! ELE É A VERGONHA DO PS DISTRITAL !!!

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas