23 dezembro 2006

A CRISE

É deveras impressionante, num país que se diz em CRISE, com MILHARES desempregados (mais de 500 mil), com pessoas (cerca de 2 milhões) a viver com menos de 2 EUROS por dia, com as reformas baixíssimas, com o salário mínimo de 385€/mês, as notícias dão conta de que se gastam 6 milhões de € por hora em compras nas lojas, isto dados da UNICRE, compras essas na sua maioria sem dar descanso ás máquinas MB e aos seus terminais, sim senhor, e isto, muito devido ao facto, do apelo desenfreado, nesta época, ao consumo e ao crédito fácil.

O PAÍS ESTÁ DE FACTO EM CRISE, MAS SÓ PARA ALGUNS...

ENQUANTO UNS COMPRAM, COMPRAM, OUTROS HÁ, QUE NEM UM SÍTIO SEQUER TEM ONDE PERNOITAR, NA NOITE QUE DEVERIA SER DE AMOR, PAZ, ALEGRIA A FRATERNIDADE, E OUTROS AINDA QUE NADA TEM QUE COLOCAR SOBRE A MESA NESTA LINDA NOITE.

DA QUE PENSAR NÃO DÁ?

7 comentários:

A. João Soares disse...

Não se canse de bater neste ponto. Tem sido muito focado aqui na VOZ, mas nunca é de mais repisar a fim de acordar as mentes adormecidas e anestesiadas com notícias de nulo valor, como o último bestseller.
Enquanto uns têm fome, há um privilegiado que tem de «subsídio de desemprego» 30 salários mínimos, e desempregou-se por sua iniciativa!!!
Feliz Natal
Um abraço
A. João Soares

victor simoes disse...

João Soares, a notícia de nulo valor do besteseller, não foi despropositada, em relação à nossa linha editorial! Acha?
Bom Natal para si e para toda a sua família.

Beez, é verdade o que diz, eu fico espantado com o consumismo! Mas na verdade, se houver dinheiro a economia mexe e é bom para todos. Acontece, é que algumas pessoas não se controlam e gastam mais que o que podem, endividando-se!
Mas, os tais 6 milhões de euros gastos diáriamente, são-no em boa verdade por quem pode, e nesses, não estão de certeza os salários minimos, os desempregados e os desafortunados... pense bem... se não tiver dinheiro algum, nem uma conta bancária consegue abrir, é inconstitucional e a Deco, tem-se debatido sobre o assunto, mas é verdade, e se não tiver dinheiro, aínda que tenha aberto uma conta, não tem cartão multibanco, muito menos de crédito!

Beezzblogger disse...

Tem razão amigo Simões, os que compram são os que podem, mas também muitos que se endividam sem poder, devido ao facto de por dá cá aquela palha, encontrarem crédito fácil, ao virar duma esquina.

Abraços do Beezz

A. João Soares disse...

Caro Víctor Simões,
Não me referia à citação no nosso Blogue, referia-me ao facto nacional, de ter sido dada tanta relevância ao livro, que até teve utilidade quando obrigou a Justiça a acordar da sua letargia e ter uma saída heróica, que duvido chegue a um fim brilhante sem se arrastar até se esvair exangue ao lado da estrada.
Nunca tenho a intenção de utilizar aspereza em relação aos colegas do Blogue e mesmo em discordâncias frontais procuro usar de urbanidade, pelo que peço que não se sintam melindrados. Aliás, o meu lema é discutir ideias, embrulhadas por conceitos gerais, e não casos pessoais.
Mas reitero que é preciso enfatizar as injustiças sociais, a fome, o desempreo, etc e mostrar a quem nos lê que há asuntos mais importantes para a vida colectiva dos portugueses do que o futebol, as fofoquices, os concursos da TV, etc.
Feliz Natal
Um abraço
A. João Soares

MRelvas disse...

Meus amigos,o país está cada vez mais endiviadado.São dívidas que os portugueses contraem de forma estúpida e de uma maneira impressionante...muitas das vezes para mostrarem o que não têm!Dou-vos um exemplo,aqui um vizinho que não tem emprego em Portugal,já foi empresário da construção civil,mas não lhe pagavam,tendo ele que despedir os seus trabalhadores e ido ele próprio trabalhar para Espanha,mas nesta quadra resolveu algar um topo de gama para ir para a aldeia passar o natal...deixou o seu carro aqui na garagem...e foi com o alugado!Palavras para quê?

Um abraço

Mário Relvas com votos de uma consoada saudável em família,não esquecendo a família blogueira da voz do povo e seus leitores!

Tiago Carneiro disse...

A crise não existe nos momentos festivos. O consumismo é obrigatório quando temos um país onde as pessoas dão mais valor aos bens materiais.

Basta uma publicidade cativante e já está!

Como é possível terem deixado construir tantos shopings na cidade do porto e arredores:
- Norte-shoping
- Arrábida-shoping
- Gaia-shoping
- Maia-shoping
- Dolce-vita
- Parque Nascente
- Cidade do Porto (Bom Sucesso)
- Brasília
- Via Catarina
- Península
- etc.

E o comércio local. Está destruído!

É uma vergonha.

A. João Soares disse...

Muito certos o texto e os comentários. Caminha-se ao sabor da publicidade, da moda, da vontade de ostentação para não perder a corrida pela melhor aparência. Perto de minha casa, num bairro social, é rara a casa que não tem um pai natal dependurado à janela! Mas lá dentro, provavelmente, passa-se sem coisas essenciais
As causas? Falta de preparação para gerir a vida, talvez devido a deficiente educação transmitida pelos pais e pelo ensino. A maior parte das essoas mais jovens parece não saber matemática e aplicá-la aos casos do dia-a-dia! Há muita gente que não tem a noção correcta de que o dinheiro é finito e escasso e aquele que se gasta nuns ténis não fica disponível para comer uma sandes.
Há que tornar o ensino mais prático e aliciante para obter os resultados desejados.
Desejo a todos boa continuação das Festividades e um promissor Ano Novo
A. João Soares

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas