07 dezembro 2006

DEPOIS DA MÃE

Estou triste! Cá no meu canto...
Temendo uma madrasta ingrata,
que não vê em mim nenhum encanto
e bate-me que se farta!

Por que nasci, Santo Deus!!?
Não que de existir me farte!
Mas se fosse para os Céus,
deixasse cá quem me bate!

David Santos

5 comentários:

MRelvas disse...

O meu amigo diz ser a morte a coisa que mais admira,pois não se deixa comprar!

Não será a vida a madrasta?

Abraços
David

david santos disse...

Olá, Amigo Relvas!
Por acaso no meu caso não. Se eu não pensasse, fosse estúpido, era feliz. Pois não me falta nada, quer do ponto de vista material, como familiar. Tenho tudo o que quero. Mas sofro, lá isso sofro. Aliás, o que acontece com todos nós. Temos os olhos no sítio e, para nosso azar ou sorte, eles vêem. É isso que nos faz viver mas, que também nos mata!
Ah, já me ia esquecendo! Vamos sábado ao encontro ou não? Espero que sim.
Um abraço.

Mário Margaride disse...

Amigo David. Só quem de facto lida, vê, sente, a dor...o sofrimento, a miséria, a solidão, a angústia...! Pode dizer que de facto, a vida é madrasta...adorei o texto. Parabéns meu amigo!
Eapero que no Sábado possamos estar juntos. Se de facto existir, a dita amizade e solidariedade, independentemente do que cada um pensa!
Então encontremo-nos, confraternizemos!
Espero sinceramente, que isso aconteça.
Um abraço
M.Margaride

Conceição Bernardino disse...

A mãe depois dela ninguém ama assim...
um beijinho
Conceição

Beezzblogger disse...

A vida tantas vezes é mãe e outras tantas é madrasta, mas viver com dignidade, saber, e coragem, isso para mim BASTA!

Olhe amigo, continue, adorei, muito bom esses versos.

Um Abraço do beezzblogger

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas