20 dezembro 2006

NÃO DEVERIA SER NATAL, TODOS OS DIAS?

A época natalícia, é simultaneamente alegre, e triste.
Paradoxal, parece! Mas não é.
Senão vejamos!
Durante o ano inteiro, a maior parte das famílias, não se vêm.
Às vezes, nem sequer se falam. Nem mesmo pelo telefone.
Os motivos, as razões, serão várias, em cada uma delas.
Muitas...raramente se podem juntar ou conviver, por motivos de distância. No entanto, estão em permanente contacto.
E é de facto salutar juntarem-se, para pessoalmente poderem conviver, nem que seja uma vez por ano.
Outras…e são muitas! Têm até relações “azedas”, levando-as por isso, ao afastamento.
Mas no Natal...lá vão fazer o frete, e lá se juntam.
Umas...de facto, com sincera e justificada saudade. Mas outras, por mero formalismo, diria mesmo, hipocrisia.
O Natal, é por tradição, chamada a festa da família. Não sei exactamente porquê!
Mas é assim que está socialmente estabelecida. Pelo menos, nas sociedades ocidentais.
O consumismo exorbitante por um lado, e a troca de presentes por outro, se tornaram hábito nesta quadra.
Muitas vezes apenas, para cumprir rituais, do que de facto, pela amizade sincera, que têm pelo seu familiar.
Durante a ceia, todos comem e bebem, trocam as ditas prendas.
Uns ficam, para o almoço do dia seguinte, outros…seguem de imediato, cada um para seu lado.
Para eventualmente se voltarem a ver e falar, para o ano seguinte, se calhar bem...
Isto dá de facto, que pensar!
A hipocrisia das pessoas, está de tal forma institucionalizada, que acham isto normal!
De facto terá que perguntar-se. E os outros 364 dias do ano, não existem? Não deveria ser Natal, todos os dias?

10 comentários:

Minerva McGonagall disse...

Eu cá passo sempre o Natal só com a família nuclear, porque o resto é de fugir. Mas o Natal sempre foi especial para mim porque é a data de nascimento da minha fugura histórica favorita.
Nem sempre dou presentes, este ano, por exemplo, não há dinheiro para isso. mas não faz mal, o que conta é estarmos todos juntos!

Mário Margaride disse...

Olá minerva, obrigada pela tua visita e comentário.
Como acabas de dizer, há muita falsidade en redor do Natal.
Às vezes, é mesmo de fujir!
Um beijinho
Mário.

Beezzblogger disse...

Oh Mário, e não é que o meu amigo acertou em cheio, esse é o meu pensamento de há pelo menos uns 3 anos a esta parte, enquanto os meus avós foram vivos, não havia natal mais bonito, e encontros familiares vezes a miúde durante todo o ano, mas eles foram-se para a terra da verdade, e o que se sente é um vazio enorme, uma solidão crescente, sinto de facto a falta desses dois amores, que foram os meus avós. Que tanto me ajudaram,e tanto sofreram, o seu post deixou-me particularmente triste, não pelo que lá está escrito mas pela saudade...

PS: Para mim este vai ser um Natal, mais um. Só que eu disfarço como o palhaço e lá me vou vestir de pai natal e fazer o mau filho sorrir, com as prendas.

Abraços e obrigado por me fazer recordar vivamente os meus queridos avós, os tais do "Ó Rosa tu não cumprendes", de seu Nome Rosa e Arlindo.

Saudações Natalícias.

disse...

Entendo que seja muito difícil instituir o Natal 365 dias por ano.
Mas já acredito que não custa nada, haver respeito e amor pelo próximo e pelo vizinho, nesses tais 365 dias.

MentesSueltas disse...

Pasaba a conocer tu esàcio literario... es hermoso. Sigo leyendote.

Un abrazo desde Buenos Aires.

MentesSueltas

Mário Margaride disse...

Olá mentes sueltas! Muchas grácias por tu visita.

Feliz Natividad

Besos Mário Margaride

Mário Margaride disse...

Amigo beezz, Esta forma de como as sociedades vêm o Natal. Está apenas virada para o consumo s todo o custo. E as pessoas são arrastadas nessa torrente, e depois não conseguem de lá sair. Infelizmente, é assim...
Um abraço
M.Margaride.

Mário Margaride disse...

Caro zé, essa tarefa cabe-nos a nós. De pensar no outro, sempre...365 dias no ano. E não apenas hipócritamente, uma vez por ano. O Natal...é quando um homem quiser...
Um abraço
M.Margaride.

MRelvas disse...

Caro Mário,viva!A festa do Natal tem carácter religioso e comercial actualmente.O prsépio deu lugar ao consumismo da árvore denatal...É ver as pessoas a encherem as superfícies comerciais e comprarem tretas que não servem a ninguém...toma lá dá cá e salamanetes,depois a discussão trivial!

Traz-me saudades dos anos de criança,dos tempos em que estava longe da família e convivia com os meus camaradas no aquartelamento,com saudades da minha família!mas caro Margaride,eu gosto amis de dar do que de receber e prefiro os 360 dias do ano,esperando que esta quadra passe depressa,deixando para o ano a vinda de mais moralismos do "Género-Feliz Natal...igualmente,um Santo Natal-está na moda...depois volta tudo ao mesmo!...


ENFIM!

A comemoração do nascimento do Deus menino nem é nesta data...

Mas é para os miúdos,que induzidos na publicidade querem a data pelos presentes,pudera!


Abraços

Mário Relvas

Mário Margaride disse...

Amigo Relvas, tem toda a razão. De facto é tudo uma treta. Mas com um esforçozinho, podemos ir alterando essa treta. Começar a ser solidários, e amigos 365 dias por ano. Isso depende exclusivamente de nós.
Um abraço
M.Margaride.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas