19 fevereiro 2007

Tudo à americanabushice

Segundo dados vindos agora a público, os americanos arquitectos da invasão do Iraque acharam que depois da invasão e no pós-guerra resolviam a questão assim como quem limpa cús a meninos, estimando e acreditando que haveria três mesitos de violência, que após a batalha haveria uma fase de dois a três meses de estabilização onde estimavam ter nessa altura cinco mil homens num Iraque democraticamente pró-americano , fase essa que seria seguida de uma outra de 18 a 24 meses de recuperação, terminando todo o período de transição em 45 meses. Tal genialidade só pode ter um título: "Mentes Brilhantes II". Ainda haverá alguém que dê crédito a esta gente mentecapta? O problema é que até há mesmo muita gente que dá!!!
"As massas nunca se elevam ao padrão do melhor membro. Degradam-se ao nível do pior."
(Henry Thoreau)

4 comentários:

A. João Soares disse...

Não deixa de ser curioso continuar a deparar com um textos que atacam Bush de forma cruel, embora justa, pelo fracasso da guerra do Iraque, uma posição que já há muito é do consenso geral, mesmo dos americanos e até dos representantes do partido do presidente, o Republicano. Continuar a bater na mesma tecla, a propósito do mínimo pretexto é representativo da incapacidade de dar um passo para sair do tapete rolante e andar em solo fixo sempre em frente à procura de novas paisagens merecedoras de crítica ou aplauso, mas variadas, diferentes.

No caso de se pretender chamar a atenção das pessoas para as vítimas inocentes dos poderosos insensatos e ambiciosos, há infelizmente, muitos outros casos como, por exemplo, no Sudão, na Somália, em Angola, etc. E se as observações pretendem focar casos de violência mais aguda e duradoura ou preparação para ela, há o Sri Lanka, o Irão, a Coreia do Norte. No caso de se pretender enfatizar os abusos dos ditadores, há também Myanmar (Birmânia), Cuba, Venezuela e outros países pelo Mundo.

Não faltam, pois, motivos para atacar o capitalismo, o abuso dos detentores do poder (político, económico, religioso, etc.), e os comentadores e críticos devem procurar obter e evidenciar qualidades de versatilidade, isenção e seriedade. Também será de elogiar as sugestões realistas para melhorar a qualidade de vida dos mais desprotegidos de todo o Mundo e, sem dúvida há alguns gestos a salientar, por serem positivos. A liberdade de expressão deve ser aproveitada para salientar o bem e o mal onde quer que estejam.

canastrao disse...

Mais do mesmo...isto está bonito

Viva FIDEL CASTRO e HUGO CHAVEZ, EDUARDO DOS SANTOS, NINO VIEIRA e mais uma centena deles...

Beezzblogger disse...

roO Imperialismo americano dá nisto, por um lado os há que discordam pois estão do lado mais fraco, por outro lado os há que defendem com unhas e dentes os ditãmes dos americanos e do seu chefe de estado, ele é e será sempre o inícma da humanidade, eu estou bem e por isso quero que os outros se lixem, pois aqui neste ponto concordo consigo amigo bento, há que abrir os olhos a estes sanguessugas ordinários e não nos dixarmos comer de cebolada...

Abraços do beezz, estou consigo.

MRelvas disse...

Caro beezz quem são os sanguessugas ordinários?
Os bushs?Ou os leitores e comentadores?!

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas