01 dezembro 2006

O preço da poluição


Quando as forças da natureza se evidenciam em cataclismo, não mede excepções entre raças.
Este é o preço a pagar pelo aquecimento global do nosso planeta, devido à poluição imposta pela humanidade.
Cada vez mais seremos vítimas da nossa própria irresponsabilidade, de actos impróprios para consumo do nosso sistema de maus hábitos.
O capitalismo devora sequiosamente o nosso meio ambiente, expondo-nos ao flagelo do “buraco da camada de ozono”. Os raios ultra violetas consomem a nossa terra gasta, fragilizada de tantos maus tratos.
Vejam-se os resultados:
Tsunamis, excesso de calor fora de época, chuvas torrenciais, tufões, terramotos, etc.
Quem irá por termo a este fim de mundo, onde a miséria consome os vultos dos que tentam viver da própria dignidade.
Olhem para o nosso país, alguém se preocupa em investir na segurança para proteger os estragos que se vão repetindo ano após ano?
É claro que não, constrói-se de qualquer forma, o mais importante é apresentar obras feitas, para esconder os gastos exorbitantes de buracos orçamentais.
Já pensaram se perseverasse chover por mais alguns dias?
Talvez tivéssemos que mudar de meios de transporte ou então passaríamos a ser o país submerso da União Europeia.
Fico extremamente comovida com as cimeiras do G8, pelas atitudes tomadas em função da protecção do nosso planeta. Aplicam-se multas aos poderosos que poluem mais e ficam todos amigos na mesma.
Este é o preço que teremos que pagar pela nossa própria ignorância?!


Conceição Bernardino

1 comentário:

MRelvas disse...

Onde o Homem toca tudo destrói.O pior é que o faz argumentando que é para melhorar a vida do ´próprio Homem...Ironia dos diabos!

Beijinhos
MR

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas