26 novembro 2006

HAJA CONTROLO E FISCALIZAÇÃO NAS CORPORAÇÕES DE BOMBEIROS



MAIS DO MESMO NOS BOMBEIROS DE PEDROUÇOS

Apesar de algumas referências opinativas sobre a vida e obra da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrouços, Maia, no uso do direito que me assiste como cidadão de questionar a vida da comunidade de que faço parte, e das suas instituições; volto ao mesmo, descontente mas com mais confiança, para referir que as direcções desta corporação de Bombeiros que tanto prezo, continuam a funcionar do género: “vira o disco e toca o mesmo”.
Mostrei anteriormente nas páginas de “Opinião do Leitor” do J.N., estar em desacordo que os autarcas de qualquer freguesia (ou Câmara Municipal) tomem conta dos destinos de quaisquer outras instituições, nomeadamente de Bombeiros.
Por isso todos os pedroucenses sabem e conhecem que aqui, em termos de direcção está “tudo sobre controlo” sobretudo pelos que saíram mas “não saíram”, apenas trocaram de cadeiras.
Ora, o Secretário da Junta é o presidente da Assembleia-geral dos Bombeiros, antes era o próprio presidente da Junta o presidente da Assembleia, e que agora ocupa o cargo de vice-presidente do conselho fiscal.
O tesoureiro da Junta, responsável pelo cemitério, jardins, equipamentos e plantas (até porque é horticultor), é vice-presidente da Assembleia-geral dos Bombeiros. A Secretária da mesa da Assembleia da Junta, é 1.ª Secretária da Assembleia dos Bombeiros… Isto além dos vogais da direcção dos Bombeiros, membros da Assembleia de freguesia como é o actual presidente da direcção.
E é na qualidade (de membro da Assembleia de freguesia e) de presidente da Direcção dos Bombeiros de Pedrouços, que este afirma ao jornal regional Primeira Mão, que “Esta nova Direcção tomou posse em meados de Outubro, mas que só no dia 6 de Novembro é que os anteriores órgãos sociais entregaram as contas. Ainda assim, disse o presidente ao Jornal Primeira Mão, que as contas estão “inconclusivas porque faltam demasiados documentos justificativos, nomeadamente de alguns cheques” e há um saldo negativo de “aproximadamente cinco mil euros das três contas bancárias usadas pela Associação Humanitária.
E se “trabalhar assim não é muito fácil”, como referiu o novo e jovem presidente da Direcção, lembrando “que se aproxima o final do ano e as despesas com salários e subsídio de Natal devem ser pagos até 15 de Dezembro”.
Mas afinal se os responsáveis a quem se deve pedir contas é aos elementos da Direcção anterior, que são de novo elementos da actual direcção… em que ficamos?
Porque nunca houve nenhuma direcção com coragem de pedir uma sindicância capaz de limpar e dar mais credibilidade aos Bombeiros da minha freguesia?
Por isso é que estou de alma e coração com o Governo, nesta matéria, de levar por diante e a bom termo o “Projecto que prevê uma série de mecanismos de controlo e fiscalização das Associações, sejam de Bombeiros sejam de que forem. Os direitos e as obrigações são para todos os cidadãos e neste caso, para todas as associações.
Mas se o jovem e novo presidente dos Bombeiros de Pedrouços quiser desenvolver um trabalho nobre, limpo, humanitário e em terreno firme, (apesar de ser da cor dos que saíram e entraram) só tem uma saída: Peça uma sindicância às contas da Direcção da nossa Associação Humanitária. (Pode perder amigos, mas ganha dignidade!)
Se não o fizer e enquanto misturado com os que lhe apresentaram as contas só a 6 de Novembro e com a falta de demasiados documentos, cheques e um saldo negativo de “aproximadamente” de 5 mil euros nas três contas da Associação, se não o fizer, amanhã poderá ser acusado pela mesma medida.

- Será que todas as restantes Associações Humanitárias de Bombeiros, estão isentas desta apetência autarquica?


José Faria

2 comentários:

victor simoes disse...

Viva, amigo Zé Faria a saga dos Bombeiros continua, é verdade! Realmente é preciso clarificar, as verbas que são atribuidas às associações, pois mo meio de tudo isto, sabe como é, alguns aproveitadores que sobre a capa de servir, se servem a si próprios, em prejuízo do colectivo.
No fundo, só acabando com a corrupção é que se poderá obter uma verdadeira democracia e vivência cívica.

MRelvas disse...

Sim amigo Faria,como venho dizendo há muito tempo o governo devia mandar passar a pente FINO,as contas e estruturas de associações que ao abrigo da utilidade pública delapidam o dinheiro público!

TODAS ELAS!...

PARA SEPARAR O TRIGO DO JÓIO,senão como posso eu acreditar em alguma?
Posso acreditar nos seus ideais (de algumas-escritos),mas não na sua actuação...
Neste momento não acredito em nenhuma!!!!!!!NENHUMA MESMO!!!

Abraços
MR

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas