10 novembro 2006

CONTRASTES

Enquanto a função pública se vai “entretendo” com mais uma greve, tendo todavia o seu posto de trabalho garantido. Podendo apenas e só, mudar de um sítio para o outro.
Como aliás, já há algum tempo acontece nas empresas privadas.
Porque se apregoa de facto! Que em determinados locais, repartições e outros organismos, há excedentes. Ora se os há! Terão naturalmente que ser redistribuídos para onde fazem falta, é essa a lógica da eficácia!
Mas…não são despedidos!
Porque como todos saberão, isso não acontece com os funcionários públicos do quadro. Porque o sistema público é assim que funciona.
Por isso não está em causa, o posto de trabalho do funcionário público, ao contrário do que querem fazer passar a ideia.
Como dizia eu no início. Enquanto a função pública se vai “entretendo” com esta greve!
Mais 545 pessoas de facto vão ficar em Abril sem emprego.
A Lear Corporation, em Valongo vai encerrar definitivamente em Abril do próximo ano.
Serão mais 545 operários, que começarão a engrossar as filas do desemprego a partir do próximo mês.
Mais miséria, mais desalento, mais desespero…!
São estes contrastes entre o público e o privado, que muita gente tenta, encobrir a todo o custo!

23 comentários:

Alexandra Caracol disse...

Meu amigo

Desculpe a ousadia mas tenho curiosidade de lhe perguntar porque se interessa por este assunto?

É que andei cerca de um ano a fazer pesquisa sobre as várias religiões. Isto com o propósito de escrever um livro que já foi começado, mas que ainda me falta cerca de um terço para acabar.

Achei graça tocar neste tema, aliás muito interessante quanto a mim.

Mas eu sou suspeita, porque adoro tudo o que me proporciona conhecimento.

Obrigada pelo seu post.

Com amizade

Alexandra Caracol

JOSÉ FARIA disse...

É assim mesmo amigo Mário Margaride.
Acabe-se já com a função pública.
Se os trabalhadores do privado vão pra a rua com o "rabo" entre as pernas, porque é que os trabalhadores do público também não hão-de ir. Se calhar não estão para se acobardar/acomodar a meter o "rabo" entre as pernas!
Mas é assim mesmo, dê-lhes forte e feio.
Acabem-se com os hospitais e centros de Saúde; acabem-se com as escolas, em suma, acabe-se com os trabalhadores da função pública que para sí não são trabalhadores.
Ó amigo Mário Margaride,
estou consigo!
Sou funcionário público mas estou consigo.
Este Governo que crie a lei das "sesmarias" e vamos todos p´rá lavouyra!
Comcecei a trabalhar ganapo(aos 11 anos) na construção civil, depois passei para funcionário público e, nessas condições ainda durante alguns anos, e ainda acontece (!?)faço uns biscatos de trolha, pedreito ou pintor. E sabe porqué? Não é porque precise, é prazer(!?)Porque ganho muito e não faço nada!
Aliás como já aqui foi comentado, "os funcionários públicos fazem tanta falta a trabalhar como de greve".
Ora que assim seja. É preciso acabar com os funcionários, com os serviços públicos.
Realmente já nos chegam os deputados reformados, os Ministros e Secretários de Estado.
Esses nossos eleitos que exercem uma função pública já nos chega.
Acabe-se com a função pública, JÁ!

(Muito bem canta quem está por fora do que se passa concretamente nos serviços - públicos,privados, recibos verdes, contratados, tarefeiros - tudo misturado no servíço público. Mas quem está de fora, lança-as ao vento!
E, por norma, o zé pagode só olha para baixo, não olha para cima.
Faz-lhe doer a coluna!

Um abraço amigo Margaride
José Faria

david santos disse...

Ó grande Amigo, Mário. Porquê!? Quando o meu grande amigo toca na política leva que "raixa". Agora a nossa querida amiga Alexandra e o noso querido amigo José Faria, mas não deve ficar por aí... ainda há outros, mas porquê!? Eu também acho que é azar... É que o tema nem é nada interessante, mas deixa assim a modos que...
Um abraço e vá gramando, porque desta vez está a levar umas bem certas, pode crer.
Um abraço.

Mário Margaride disse...

Grande amigo David! Eu por natureza, já estou habituado a levar no "pelo". Mas não pense que me incomoda! Pelo contrário até da gozo! E sabe porquê? Esta agora é para o nosso amigo Faria! Ó Faria...! O que diz aqui! Não mo diga a mim, diga aos trabalhadores da Lear. Diga-lhes para fazerem greve, para paralizarem a empresa! Sabe o que é que eles lhe diriam! Diriam...!Que o patrão deles não é o Estado, que não afectava ninguém a não ser a própria empresa. E diriam ainda mais! Que em vez de fecharem em Abril, fechavam já! Essa é a enorme diferença, entre entre ser funcionário público, e privado. É que na função pública, as greves, prejudicam a população "inocente"...e nada acontece aos trabalhadores. Nos privados...com greve ou sem greve, são despedidos. Essa meus caros amigos, é a enorme diferença!
Um abraço
M.Margaride.

Beezzblogger disse...

O amigo Mário, desculpe que lhe diga com toda a frieza isto:
- Que as greves hoje em dia não dão em nada e só prejudica as empresas, isto no caso dos privados e os cidadãos, no caso da função pública, todos nós sabemos, mas não dão em nada pelo simples facto daquilo que o Faria disse no fim, é por causa dos tarefeiros, dos contratados, da precaridade de emprego em geral deste país. Não tenha dúvidas, eu sou contratado, e como eu milhares de portugueses graças ao nosso amigo Mário Soares. E o sr. julga que eu algum dia farei greve, estando conforme estou contra estas e outras políticas laborais? Nunca enquanto estiver na precaridade, só um louco o faria. E sabe porquê? Porque sujeita-se a perder o posto de trabalho. A culpa do país estar nesnte marasmo não é da função pública, e eu aqui falo de consciência tranquila porque não sou funcionário público, a crise é culpa dos netos dos filhos dos derrotados do 25 de Abril de 1974, esses ressabiados voltaram a pouco e pouca para nos tirar aquilo que se conquistou à 30 e tal anos atrás. Misturar o fecho da Lear, com greves na função pública não liga muito bem, desculpe amigo mas, neste nó foi infeliz, devo dizer que as sucessivas políticas erradas dos governos é que levaram ao fecho da Lear e de tantas outras que infelizmente fecharam, e outras tantas que viram a fechar para mal dos nossos pecados.

Um Abraço amigo
Beezz

MRelvas disse...

Amigo Mário Margaride,desculpe fiquei para o fim.Não porque não tivesse comentado logo,mas como tenho um camarada muito mal,um Comando,um previlegiado Tenente Coronel na GNR,que ganha muito,que beneficia de benesses...teve um aneurisma e eu andei em contactos telefónicos até ter noticais...sabe está em Alcoitão.Acontece,mas não foi de certeza das regalias que usufrui.

Agora mais uma das milhentas vezes que bate nos funcionários públicos (não leve a mal,mas você gramou da cassete do Sócrates)...vou-lhe repetir que os funcionários públicos incluindo as forças de segurança não são aumentados à muitos anos...alguns.Pois mesmo quando há aumentos é só para os que ganham menos de 1.00€...ridiculo,que nesses 1.000€ incluiem os subsídios de risco,de refeição,de patrulha,o de turno (não pagam horas extraordinárias e estão de serviço 24 horas...subsídios miseráveis que não ousam substituir por um ordenado justo.Quando estão doentes não recebem nada disto e ainda têm uma visita a casa por ordem dos superiores (a ver se está em casa,porque se está doente não pode sair de casa e nalgumas unidades (têm que ficar em instalações policiais)...Já lhe disse que os oredandos dos contratados na função pública são miseráveis.Que não podem participar nas greves os que são apelidados de funcionários públicos como a policia GNR e outros órgãos de investigação!...Mas afinal que crime cometeram os senhores que trabalham na função pública???Porque tanto rancor?

Caro MMargaride,estimo-o muito,não leve a mal,mas isto não é uma obcessão?
Quanto à lear nõa,não gostamos de ver o que se passa.Mas sabe quem são os culpados?O gooverno,aquele que diz que os funcionários públicos são maus...que gastam esses políticos os dinheiros dets país à toa.sabe quem manda nos funcionários públicos? São os chefes nomeados na administração pública opelos incompetentes do PBX-sim INCOMPETENTES DO PS!Aqueles que estão a desgovernar Portugal.Aqueles que dizem que nada têm a ver com o mal do país!Aqueles que não bastando a porcaria que fizeram no tempo do despesista Guterres,dialogante mas sem capacidade de governar...destruiu este país!As administrações regionais (Câmaras municipais que se endividaram!

As empresas multinacionais não t~em incentivos neste país,com este IVA?Com as demoras alfandegárias??Com o diz e não diz?!

Eu digo-lhe Mário Margaride,nunca vi um GOVRENO tão mau,talvez culpa dos funcionários públicos!às mutinacionais não lhes incomoda pagar as indemnizações aos trabalhadores fácilmente recuperáveis noutro país com ordenados privados mais baratos,com IVA e incentivos fiscais mais previligiados e ainda por cima mais centrais na Europa.Pois de um lado estamos cercados pelos peixinhos e do outro dos nossos irmãos que de lá nem bons ventos nem bons casamentos,a ESpanha!Estamos cercados económicamente e temos pelo menos 1 ministro Mário Lino "Ei Olé" que apoia os Espanhóis e o combóio Ibérico!
Tamb+ém foram os FP que acabaram com a agricultura?Com as pescas? Com a indústria?

Reflita um pouco amigo M Margaride e desculpe lá eu dizer as verdades!

Abraços
Mrelvas

Mário Margaride disse...

Meus caros amigos! Parece proibido falar na função pública, e nos seus previlegios, repito previlegios, quer os meus amigos gostem ou não! É que eu penso. Comparados com os privados. Desculpem meus amigos! Mas só não vê quem é cego. E também só não vê quem é cego, que estas greves só prejudicam as populações. É ou não é verdade? Não ponho em causa o direito à greve, isso é outro assunto! É o objecto da greve a atingir, ou seja o Governo, não é atingido! É sempre a população indefesa, essa é que é atingida! Por isso é que hoje em dia a função pública, têm as regalias que têm! Repito as regalias que têm. E tudo à custa das populações. As pessoas que precisam dos serviços públicos, esses é que apanham por tabela, e nada lucram com as greves, pelo contrário!
Nada adianta mais bater no ceguinho! A população já abriu os olhos.
Olhe amigo Relvas! Eu já lhe disse e repito, que penso pela minha cabeça. Não uso cassetes. Olho...é para todos os lados...em vez de olhar só numa direcção. Aí é que estará a diferença!
Um abraço a todos
M.Margaride

david santos disse...

Eh, amigo, Mário. Podia ser pior. Calma, se ficar por aqui!... mãos ao Céu. O pior é se estão por aí outros à espreita! Não é nada comigo e eu até tremo...ufa! Que não venha mais ninguém. Prometo-lhe que vou rezar.
Que ninguém nos ouça.
Até sempre e nem digo quem sou.

MRelvas disse...

Amigo Mário Margaride,verá que depois do Natal,muitas,msmo muitas empresas,comércio,cafés,restaurantes fecharão as suas portas lançando no desemprego muita gente.Como eu previ,em brve ultrapassaremos os 10% de desempregados espanhóis.Já ultrapassámos mas o governo só faz contas aos que estão no fundo de desemprego.Há muita gente que já passou o tempo dosubsídio,que não arranjou emprego.Portanto continuam desempregados.Os que recebem o rendimento de inserção também são desempregados.Os que nunca arranjaram empregos,que nunca deram inicio à actividade laboral também são desempregados.....ou não?
Culpa dos funcionários públicos!

O País teve governates que não sabem o que é a globalização!As muiti nacionais vêm e vão.
Foi por culpa dos FP que veio a IKEA para Paços de Ferreira? É por culpa dos FP que a Lear e as outras fecham?

Ontem dei uma volta pela Boavista no Porto,meu amigo,as lojas estão às moscas.Outras que existiam estão puramente fechadas!Algumas devem vender grafitis...pois t~em as montras vazias mas pintadas com grafitis...isto está bom para a riminalidade,que não tem outros meiso para a droga e toca assaltar os previligaidos dos cidadãos que qualquer dia não podem sair à rua!O governo postuguês não tem qualquer competência e espere que comece a Presidência da União Europeia que você verá onde param os ministros?!Fora de Portugal entregue aos boys e girls!

O governo fala fala mas não diz nada!
Os funcionários públicos não devem fazer greves,pois não devem perturbar a má política da saúde (devem deixar fechar todos os Hospitais,vamos tratar-nos a Espanha,de prferência a MDRID),nem a má política da educação (devem fechar as escolas todas) e mais e mais do mesmo!

Você é pelos trabalhadores?Mas só os privados trabalham?Porque fecham se trabalham?Pois é fruto de tudo o que disse nestes dois comments e não culpa dos trabalhadores.
Repare amigo Ma´rio...eu fui sempre contra as grves,mas acho indmissivel o que este pseudo Governo (não) tem feito!

Abraços
MR

JOSÉ FARIA disse...

Viva meus amigos!
“Vale sempre a pena ….” Abordarmos questões que dizem respeito a todos os portugueses, a nós, ao país!
Este assunto já foi bastante badalado e inclusive, apelei ao amigo Mário Margaride, em termos de comentário que deitasse os olhos à pirâmide da Administração Pública a partir do topo. Lembrei-lhe que desde o Senhor Presidente da República, aos Ministros, Secretários de Estado, deputados da Assembleia, Governadores Civis… por aí fora, até aos gestores públicos, coordenadores das instituições públicas regionais, que todos exercem uma função pública, os nomeados (eleitos) pelo povo, e muitos nomeados pelo Governo para gerirem, administrarem, coordenarem. Lembrei-lhe que a coerência de um bom cidadão, minimamente interessado em chamar a atenção ou a dar o seu parecer para o que considera estar mal, deveria começar por questionar QUEM COMANDA AS “TROPAS”. Mais: - Quem é que nomeou quem para as comandar. E mais ainda, porque é que não as comanda? Não sabem, não percebem do assunto? Estão lá só para assinar sem saber o que assinam. Então para que foi que os nomearam?
Quanto ao encerramento de empresas privadas, o que têm os funcionários dos Serviços públicos (os serviços que o atendem quando o Mário precisa deles, mas que parece não precisar!) a ver com isso? Assim como os trabalhadores dos privados não se vão meter nas lutas laborais dos públicos.
(Se houvesse um só Sindicato para todas as profissões!...)
Mas não se esqueça. SOMOS TODOS CIDADÃOS, E SE TRABALHAMOS, INDEPENDENTE DO RAMO EM CADA UM ESTÁ INSERIDO, SOMOS TODOS TRABALHADORES! ESSA É QUE É A VERDADE E É ESSA QUE DEVE PRESERVAR E SER DEFENDIDA POR TODOS COM DIGNIDADE PARA BEM DA SOCIEDADE DE TODOS OS NOSSOS CONCIDADÃOS.
Pena é que a opinião pública que ainda anda a “arrotar” de tanta feijoada oferecida diariamente durante meses e meses contra os funcionários públicos, causadores das crises económicas, já nem tem coragem (lata!) para contestar as taxas moderadoras, a redução de subsídios de desemprego, a anulação da comparticipação de muitos medicamentos. Deixaram-se ir no “GRUPE” da campanha contra os trabalhadores “privilegiados”
Mas como deve estar lembrado amigo Mário Margaride; Já aqui referi que o Governo, seja qual for a sua política, infelizmente, só se preocupa com as empresas enquanto estas tiverem que pagar IRC, Taxas; IVAS, Licenças.
Desde o momento que fecham as portas, já nada importa, já não vão pagar essas coisas. Por isso, querem lá saber se vão muitos ou poucos para o desemprego ou não! ISTO EU JÁ O DISSE AQUI!
Amigo, não pode misturar e baralhar o fecho de uma empresa com o que se passa com os trabalhadores da Função Pública, que estão neste momento em luta com o patrão que é o Estado.
E “com a greve quem sofre são os utentes? – É como nos transportes, e como noutro qualquer serviço.
Se não causasse inconvenientes e prejuízos a terceiros, é porque os serviços em greve não tinham razão de existir.
Mas quanto ao meu primeiro comentário:
“(Muito bem canta quem está por fora do que se passa concretamente nos serviços - públicos, privados, recibos verdes, contratados, tarefeiros - tudo misturado no serviço público. Mas quem está de fora, lança-as ao vento!
E, por norma, o zé pagode só olha para baixo, não olha para cima.
Faz-lhe doer a coluna!”
E o nosso amigo “Beezzblogger”, pelo seu comentário sabe do que falo.
ÒH amigo Mário Margaride, Dividir para reinar, baralhar, colocar trabalhadores contra trabalhadores. Há serviços e instalações e bens de equipamento entregues a privados, onde se misturam funcionários do quadro há longa data, com o “patrão da empresa” a prestar serviço para os serviços públicos. Esse patrão contrata jovens, a recibo verde ou à tarefa. E se o jovem levantar de mais a cabeça, vai dar uma volta que há mais jovens a querer ganhar umas coroas (!?)
Mas quem nomeou, quem controla os gestores e coordenadores destes serviços. Quem autoriza esta “baralhada”? Não virá de cima?!
- Mário Margaride, vá lá (!) faça um esforço, tente olhar mais para cima. Comece de cima para baixo.
Vai ver que não custa nada, nem lhe faz doer a coluna.
Se continuar a olhar só para baixo, isso é que poderá vir a trazer graves problemas de saúde, sobretudo de peso na consciência.

Um grande abraço Mário Margaride

José Faria

Alexandra Caracol disse...

Olá a todos

Venho aqui pedir humildemente desculpas pela trapalhada que fiz.

É que quando fiz o comentário era em relação ao Post acerca do "Judaismo"

Enganei-me quando copiei do word para aqui, pois costumo escrever sempre no word primeiro.

Espero que me perdoem o meu engano, pois na verdade este é um assunto em que não me sinto à vontade para me pronunciar.

Se me conhecessem mais um bocadinho logo perceberiam que estas confusões são algo frequentes em mim.

Sou muito distraída e já fiz coisas bem "engraçadas" sem ser por crer: desde guardar os sapatos no frigorifico até lavar os dentes com a pasta do meu marido.

Assim esta confusão é amis uma...

Um abraço com amizade para todos

Alexandra Caracol

Alexandra Caracol disse...

Ops lá estou eu, não foi com a pasta do meu marido, mas com o creme da barba é que lavei os dentes.

Alexandra Caracol

JOSÉ FARIA disse...

Ah!..ah..ah..ah a a !
Gostei muito, Alexandra Caracol, deste seu último comentário.
Desculpe... ainda me estou a rir.
Sabe é que também me estou a lembrar que o amigo Davide Santos, ainda deve estar a rezar em prol do amigo Mário Margarid.
E o pior é que o David Santos diz que reza e nem diz quem ele é!

Ah..-.ah..a

Um abraço e
Fim de citação!

José Faria

MRelvas disse...

Cara Alexandra esteja à vontade.Eu percebi logo desde que vi no inicio que comentava o post sobre religião que o amigo david tão bem vem desenvolvendo num trabalho arriscado,pois já andam aí os elemntos da Jihada e da cúria romana.Ambos muitos atentos,mas o amigo David não dá hipóteses faz uma análise séria e isenta.

Quanto ao resto amiga Alexandra,se não for funcionária pública nada tema,pois o que está em causa neste post são os irresponsáveis da Função Pública (a nova inquisição em Portugal) que têm que ser aniquilados.Enfiados no desemprego,pois têm muitas regalias...Sempre disse que deviamos nivelar se não por cima na média,mas o que o governo fez foi nivelar por baixo,mas não se vai ficar,vai nivelar mais por baixo ainda.Mas vem aí o referendo do aborto para os portugueses se entregarem ao sim ou não,partirem umas cabeças uns aos outros ierem-se tratar a Espanha ou a Cuba,pois entretanto fecham tudo e os portugueses deixam de ter problemas,pois já não têm o maldito cancro dos FP.uf....uf..uf

Enfim este circo que o zé povinho nunca mais aprende.Se querem alterar a lei do aborto não precisam de gastar uns milhares de dezenas de contos para fazerem o referendo!Façam-no na AR!

Mas temos música,a Lear via fechar porque os funcionários mesmo que façam grve a empresa não fica cá,e o que els querem é tentarem obter os seus direitos e vão engrossar as fileiras dos desempregados,onde estão muitos funcionários do patrão governo,não funcionários de estado.Será que é digno um pateta de um senhor qualquer chegar a 1º ministro e decidir dizer qualquer patacuada que lhe vem à cabeça?Será que não lhe vão pedir responsabilidades depois de caír da cadeira do poder?Ou será que para não ter que correr qualquer risco já tem um lugar nas empresas do estado internacional?Tal como Guterres,tal como Sampaio?Os dois maiores incompetentes de Portugal!Agora juntam-se-lhes mais alguns...

Com os melhores cumprimentos
subscrevo-me atentamente

Bernardo de Vasconcelos Sócrates Durão de Cavaco e Silva
(Conde do Minho e das Espanholas)

JOSÉ FARIA disse...

Foi um prazer conhecê-lo Senhor
Conde do Minho e das Espanholas,
Com a devida vénia e respeito me retiro...
...e cái o pano!
Fim do 1.º Acto!

José Faria

david santos disse...

Olá, Amigo, Mário. Parece que as coisas já estão a ficar mais divididas. Agora já estou mais sossegado. Mas atenção! Nada garante que fique por aqui. Cuidaddo!
Um abração.

A. João Soares disse...

Caro Amigos

Quando terminava o dia de ontem a polémica estava interessante, mas agora, ao amanhecer, está interessantíssima! Esclarecedora? Nem tanto!
Inicialmente, a troca de comentários entre Zé Faria e M Margaride mereceu as enigmáticas reticências de David Santos, sobre a relevância dos funcionários públicos, uns malandros que deviam continuar calados e submissos e autênticos escravos, perante um patrão de quem não vêm a cara, um patrão sem rosto.
Merece todos os encómios o espírito de sacrifício de Zé, que se dispõe a perder o seu posto de trabalho de funcionário, a bem da nação ou, pelo menos, a bem da solução defendida por MM de eliminar os desnecessário e inúteis mangas de alpaca (segundo este, todos os funcionários!).
Para completar a solução do Zé de exterminar o funcionalismo, segundo a vontade do MM, temos que aceitar que, por mais incompetentes e parasitas que os funcionários possam ser considerados, muitas funções que é suposto desempenharem são necessárias, indispensáveis. Sendo assim, é preciso acrescentar a esta solução a indicação de quem ficará encarregado de realizar tais tarefas, como as do ensino, da saúde, da cobrança de impostos, das obras públicas, da defesa, da segurança pública, etc.
Tal como já foi feito, com os notários e com os serviços municipalizados nas autarquias, todas as funções públicas poderiam ser entregues a grandes empresas, sem excluir as multinacionais, com provas dadas de boa capacidade de gestão. Dessa forma, deixaria de haver funcionários empregados do Estado, esse patrão justamente odiado por todos os seus servidores, e só teríamos pela frente trabalhadores privados, para grande gáudio d M Margaride.
Mas, se pelo teor deste texto e dos comentários do MM parece ele ficar feliz com tal solução, já conclusão oposta se tiraria de alguns dos seus textos anteriores em que se insurgiu contra as grandes empresas privadas que exploram os trabalhadores na busca dos lucros, e em que defendeu a autoridade do Estado centralizador e indiscutível, cujos líderes não devem ser criticados por terem sido eleitos pelo povo, e a quem se deve a grande competitividade do País! Fico, assim, na dúvida se MM deseja realmente a total privatização da função pública ou, pelo contrário, a total nacionalização da economia do nosso rectângulo. Ou talvez, nem haja dúvidas no seu espírito, tendo-se limitado apenas a dizer coisas contra os funcionários públicos.
Caro M Margaride, é muito elogiável que o senhor «pense pela sua cabeça... e não olhe apenas numa direcção», mas convém que na análise de cada caso procure vê-lo de todas as direcções e não de uma de cada vez, o que não conduz a conclusões isentas, sensatas e coerentes no tempo.
Parabéns a todos os comentadores pelo calor dedicado a este aprofundar de um problema importante e que merece muita seriedade.
Um abraço a todos

A João Soares

MRelvas disse...

O governo não sabe,mas só com uma administração pública unida,coesa e actuante se poderá salvar PORTUGAL.Caro MM se não houver "regalias" na função pública...tenha a certeza que as muitas "regalias" que os trabalhadores do sector privado têm serão concerteza "melhores"...
Defendo que se afastem os incompetentes da FP,que se dê uma linha,um rumo e que os que estão no topo façam trabalho dando o exemplo.Acontece que o GOV hoje diz uma coisa,amanhã outra e sabe quando não há pão todos ralham e ninguém tem razão.

Caro MMargaride,virá o início do ano.Virão novas dificuldades.O país caminha abruptamente para o suicídio,mas as pessoas dividem-se entre privados ou públicos,entre aborto sim ou não,quando o aborto tem uma Lei que se o governo a quer alterar tem legitimidade para o fazer na AR,ainda por cima tem maioria ABSOLUTA!Este absolutismo começa a emperrar-já há vozes dissonantes no partido berdadeiramente xuxialis,Jorga Coelho,Manuel Alegre e outros que começam a tremer...os que ainda não criticam o engenheiro de obras feitas são os taxistas...lembram-se desta palavra que aplicavam aos "fascistas?" agora aplicadas aos politicos xuxialistas da treta?Os tais situacionistas!

POR PORTUGAL!
"ACORDEM"

Bendix2006 disse...

Ora viva, só cá faltava mais um comentário, e como já foi dito tudo ou quase tudo, pouco acrescentarei.
Os funcionários públocos têm o meu apoio,( não sou funcionário público) isto porque alguém tem de bater o pé ao Governo.
Note-se que das lutas dos funcionários públicos, beneficiam muitos dos privados.
Os privados não fazem graves, mas deveriam fazê-las, devidamente concertadas, não é por dá cá esta palha. Aliás, a questão das graves está intimamente ligada aos sindicatos. Nesta altura, e como bem expressa o nosso colega Victor Simões, no post sobre o sindicalismo, estes não defendem actualmente os interesses dos trabalhadores, mas sim o das corporações e do governo, consoante a sua cor. Note-se também, os sindicalistas ( Os chefões ), estão sempre à espera de um lugar ao sol no parlamento... e daí este marasmo.
Afinal eles (sindicato), também só querem continuar a mamar.

PS: Nota final, não é a função pública está bem, nós os privados é que estamos pior. Mas, não é por isso, que a função pública está bem...
Viva a República!

david santos disse...

Bem, amigo, Mário, paciência! Tem que ser!
De facto, eu andei nesta discussão, como que uma bailarina sem par. Dou razão a quem me alertou para isso, desde já os meus agradecimentos ao nosso grande amigo, Mário Soares.
Mas, num outro caso semelhante, postado por o Mário Margaride, aliás, o mesmo que postou o que agora está em discussão, eu tive o cuidado de dizer que estava do lado dos trabalhadores da FP, e mais: acrescentei que de nada me preocupava das hipotéticas mordomias que estes tivessem em relação a outros. Porém, disse ainda, que o nosso dever era puxar os outros para perto das tais e hipotéticas e não as retirar a quem delas beneficiava.
Daí a minha consideração ao assunto de pouco interessante, pois eu, pelo menos, já o tinha debatido. De qualquer forma estou arrependido de não lhe ter dado o real valor. Espero que todos me compreendam e, com isto não quero dizer, que o Mário Margaride esteja certo. Tal como naquela altura, acho que não está correto fazer-se dos trabalhadores da FP UNS BODES EXP. Sem eira nem beira.
Um abraço para todos e um abração para o nosso Amigo Mário Soares.
Até sempre: david-santos

MRelvas disse...

Mário Soares...grande amigo???

Boa vai ela amigo David

Abraços
MR

Mário Margaride disse...

Meus amigos. Esta será a síntese final, a tudo o que aqui foi dito, e redito.
Pois bem. 1ª Conclusão: A maioria dos meus amigos defendem, que se deve manter, ou até melhorar, as condições da função pública. 2ª Conlusão: Que deverão os trabalhadores do sector privado, fazer as mesmas reivindicações e greves, tal como a função pública, portanto admitindo à partida, esses previlegios. Já é um começo! 3ºConclusão: Os meus amigos embora sabendo, que praticamente não existe nem industria nem comércio tradicional. E o que existe, anda nas ruas da amargura. Ainda entendem que adiantaria alguma coisa, greves ou manifestações do sector privado. Isso claro! Se houvessem sindicatos como antes do 25 de Abbil! Sectoriais, e que defendessem de facto os interesses de quem representavam. Só que não existem!
E mesmo que existissem...!Com as empresas privadas a fecharem quase todos so dias. De que serviriam as greves! Só se fosse para as ajudar a fechar mais depressa, como já aconteceu no passado! Como já foi expressamete dito noutro post, relativo a esta mesma questão.
Portanto temos que concluir, que por muitas greves ou manifestações, que os trabalhadores privados fizessem! De nada lhes adiantaria. Ou seja...adiantaria! O seu despedimento, e o encerramento da empresa mais depressa. É que ao contrário da função pública, que não é produtiva, que presta serviços às populações, e quando fazem greve, afectam toda a população! Os trabalhadores privados, só afectam a empresa em que trabalham, ninguém mais é afectado!
E o empresário, que já está com intenção, ou de diminuir ao pessoal, ou noutra situação, de não poder dar aumentos. Esfrega as mãos e diz...muito bem meus amigos! Se é assim que querem, vou fechar as portas! E fecha!
Ao contrário da função pública, que o "patrão" é o Estado! Ou seja, somos nós os portugueses. Que depois elegemos um Governo que vai gerir o nosso dinheiro. Ou seja o dinheiro dos nossos impostos, IRS, IRS, IVA, Etc, Etc...
Que depois terá que pagar os salários e demais regalias dos funcionários públicos!
Ora como podem verificar, foi, é, e será sempre um combate desugual, entre o sector público e o privado!
Enquanto no sector privado, as empresas têm que ter encomendas e produção, para se manterem em funcionamento, e poderem pagar os salários. A função pública, nada produz! É o dinheiro dos nossos impostos que paga os seus salários, e as suas regalias.
Não se pode impor às empresas privadas, que dêm as mesmas regalias da função pública, aos seus trabalhadores! Porque quem pensar que isso é possível...! É complectamente surrealista!
Um abraço a todos
M.Margaride.

JOSÉ FARIA disse...

E pronto!
Vamos lá começar tido de novo!
Tlvez se consiga chegar à conclusão que são todos trabalhadores, independentemente dos produtos ou SERVÍÇOS (!) que produza...

"Nova corrida, nova viagem, e esta é de borla!..

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas