18 outubro 2006

AMOR MAÍUSCULO


Um homem bastante idoso procurou uma cliníca par um curativo em sua mão ferida, dizendo-se muito apressado porque estava atrasado para um compromisso. Enquento o tratava o jovem médico quis saber o motivo da sua pressa, e ele disse que precisava ir a um asilo de velhos,tomar o café da manha com sua mulher que estava internada lá há bastante tempo...Sua mulher sofria do mal de " Alzeimer" em estado bastante avançado...Enquanto terminava o curativo o médico perguntou-lhe se ela não ficaria assustada pelo facto de ele estar atrasado.
-"Não,disse ele.Ela já não sabe que eu sou.Há quase cinco anos que ela não me reconhece..." Intrigado o médico perguntou-lhe:
-"Mas,se ela já nem sabe quem o senhor é,porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs?"O velho sorriu, deu uma palmadinha na mão do médico e disse:
-"É verdade...Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei muito bem QUEM ELA É."
Enquanto o velhinho saía apressado, o jovem médico sorria emocionado e pensava:
" Esta é a qualidade de amor que eu gostaria para a minha vida."

O amor não se ruduz ao físico nem ao romantismo...

O amor verdadeiro é a aceitação DE TUDO O QUE O OUTRO É...

DE TUDO O QUE O OUTRO FOI...

DO QUE SERÁ...

DO QUE JÁ NÃO É...

Como o bom velhinho que também vocés amigos, possam dar e receber, em profusão deste
Amor Maiúsculo!

Meus queridos isto e o que eu chamo uma verdadeira historia de amor...
beijos naty

3 comentários:

MRelvas disse...

Para o bem e para o mal...

Belo Naty

Num mundo onde as pessoas se preocupam demasiado com o exterior,com a aparência,é bonito verificar aqui na voz do povo a preocupação do real.Do amor,da solideriedade,da amizade,do pensamento no bem comum.Simplesmente-amar!

Cumprimentos

Mário relvas

A. João Soares disse...

Felicito esta iniciativa da Naty.
Já conhecia esta história que me apareceu várias vezes nos e-mails. Sempre a leio como se fosse a primeira vez.
Trata-se de amar pelo prazer de amar. Não é amor à espera de retribuição. A esposa já não sente prazer na visita dele, mas ele sente, ele gosta de continuar a ter gestos de amor.
Isto não está eivado dos defeitos da sociedade actual em que tudo é feito com ambição, com a esperança nos dividendos, com egoismo interesseiro, sem generosidade. Esta história evidencia um AMOR ADULTO, generoso, voltado para o ser amado.
Naty, continue a trazer-nos coisas lindas deste género. Talvez A VOZ DO POVO contribua, assim, para melhorar o mundo.

Mário Margaride disse...

É de facto um exemplo raro nos dias que correm! Lá diz o ditado popular: "O amor não escolhe idades". Neste caso direi, o amor perdura com a idade.
Um abraço.
Mário Margaride.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas