24 outubro 2006

As contas e os partidos

«Legislativas 2005: todos os partidos com contas erradas»
«Organismo a funcionar junto do Tribunal Constitucional e que pela primeira vez teve a seu cargo a fiscalização das contas dos partidos, a Entidade das Contas e Financiamento Políticos apurou que as contas de todos os partidos, relativas às últimas eleições legislativas, estão cheias de irregularidades.»


A cumplicidade política das irregularidades, neste país onde tudo é possível começa a ser “o prato do dia dos pobres”.
Como podemos confiar nos partidos políticos se todos emanam um discurso a favor dos coitadinhos, quando na realidade todos enchem os bolsos à sua figura?
Direita ou esquerda que venha “o diabo e escolha”.
Até quando iremos nós viver de promessas se cada vez o flagelo é maior, a justiça social é um poço sem fundo, convicções partidárias já começam a fazer parte de uma miragem no deserto.
O povo está cansado de viver numa democracia fraudulenta!
Faz-me lembrar o famoso “Sermão de S. António aos Peixes”, onde o peixe miúdo é sempre trucidado pelo graúdo.


Conceição Bernardino

4 comentários:

Mário Margaride disse...

Boa dia Conceição.
É assim o nosso país. Como já deve ter reparado, todos os anos eleitorais, são detectadas irregularidades nas contas dos partidos politicos. Só como sempre, nada se fez, e nada se fará! Não tenha ilusões cara amiga. Verificará daqui a algum tempo, se irá ou não, ser feito algo nesse sentido!
Eu sinceramente acho que não. E acho que não, porque não é conveniente que se faça nada!
Foi já no passado, é no presente, e será assim no futuro. "Para mal dos nossos pecados".
Um beijo.
Mário Margaride.

MRelvas disse...

Cara Conceição,sim é a triste realidade!
Os cidadãos têm ideais que hoje se revêm fora dos partidos:
Por mim falo.
Todos somos vozes incómodas,não gostam que digamos as verdades.
Mas "cantanos" até que a voz nos doa!
O governo deve começar pelas contas dos partidos...mas eles são de um partido de "rosas" e decerto têm espinhos.

Cumprimentos
MR

david santos disse...

Totalmente de acordo, Conceição. Enganam-nos e roubam-nos, não só quando estão no "PODER", como fora dele.
Tudo lhes serve para rechearem os seus bens materiais, desde as vitalícias até às suas próprias contas institucionais. Mas não largam o "PODER" da mão. Tudo o que fazem, quando o perdem, é recuperá-lo. Mas, como diz a moda "o povo é quem mais ordena". Será que o povo gosta? Será que o povo é mazorral? Não creio. Mas algo de estranho se passa com ele.
Até sempre: david santos

A. João Soares disse...

Boa tarde Conceição

Leis irreais

Tinha esquematizado uma carta para os jornais sobre este tema.

Decido, agora, inserir aqui o texto que tinha esboçado na minha viagem diária de comboio, embora foque um outro aspecto do mesmo tema.

Há muito que, em cartas aos jornais, tenho referido a FÚRIA OBSESSIVA DE LEGISLAR de que padecem os governantes e deputados. À mínima dificuldade surgida com o incumprimento de uma lei, mesmo que recente e ainda não totalmente compreendida pelos cidadãos, os políticos, em vez de a explicarem com clareza e de intensificarem a fiscalização, com vista ao seu melhor conhecimento e cumprimento, puxam do teclado e «parem» uma nova lei sobre o mesmo assunto, normalmente mais complexa e hermética tornando-a ainda menos compreensível do que a anterior e, portanto, menos obedecida.

Já se torna vulgar a posição dos cidadãos que evitam o trabalho de ler e estudar uma nova lei porque sabem que, quando estiverem em condições de a cumprir correctamente, já ela terá sido substituída por uma outra. Deixam esse trabalho para os advogados que têm de ser apoiados por volumosa biblioteca com as leis e que têm de se treinar a navegar nos seus interstícios para aproveitar os furos em benefício dos clientes.

Isto eram apenas sentimentos de pessoas mais atentas, afectadas pelos sucessivos códigos da estrada e pela lei que obriga à limpeza da floresta, além de centenas de outras. Mas, agora SÃO OS NOTÁVEIS POLÍTICOS A DESCULPAREM-SE COM A LEI do financiamento dos partidos que consideram desadaptada às condições reais. Limpem-se a este papel preparado por vós! Imaginem quanto sofre o povo com as vossas leis inadequadas, ineficientes! E os partidos dão mais um mau exemplo aos cidadãos, mostrando que as leis são para ignorar. Eles assim o fazem, como detectou o Tribunal Constitucional ao verificar as contas da campanha para as legislativas de 2005. Todos os partidos sem excepção estão em falta.

Ficam assim a saber quanto custa aos simples cidadãos viver num regime de sucessivas leis elaboradas em circunstâncias oníricas, sem os pés assentes no chão, e condenados por infracções a tais normativos. A desculpa dos políticos, neste caso, é uma importante CONFISSÃO DE FRACASSO do poder legislativo e um libelo contra a ficção fantasiosa que sai das mãos dos legisladores - eles próprios.


Peço desculpa pela extensão. Mas acho que o tema é muito importante e merece algum tempo de leitura e reflexão.

Um abraço
A J Soares

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas