29 outubro 2006

DESOBEDIÊNCIA





Nem sempre entendidas são
As palavras que ditamos,
Quando a compreensão
É nula e sem razão
Só destrói o que criamos.

O orgulho e a emoção,
A vaidade que aceitamos,
Impede comunicação,
O convívio, evolução
E a amizade que ansiamos.

Eventos surgindo vão,
Sem consulta onde esperamos,
Dar a nossa opinião
Conforme a legislação,
E as normas que ditamos.

Força tem a educação
Se nela nos debruçarmos:
Dá-nos força e união,
Amizade e mão na mão,
O fruto que desejamos.

(Mais uma faceta desconhecida dos meus amigos,
só a falta deespaço, meios e apoio me levou a parar
a arte de esculpir... onde está o apoi à arte!?)

José Faria

2 comentários:

MRelvas disse...

Belo amigo Faria,não pare,pelo menos alguma coisa,pois a falta de espaço para quem tanto defende a sua terra,não é compreensível.

Um abraço amigo Faria.
MR

JOSÉ FARIA disse...

Pois é, pois é amigo Mário Relvas,
os bons, os melhores, os reconhecidos, os apoiados... são sempre os coniventes, os que apoiam e elogiam mesmo aquilo que deveriam detestar, criticar, denunciar.

Por isso escasseia o espaço... e pronto, está bem: Também a disposição já não é a mesma desde que passei para habitação em condomínio.
Antes, havia quintal e barracos que serviam de oficina.
Se calhar, cada coisa para o seu tempo!

Um abraço Amigo Relvas
José Faria

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas