13 setembro 2006

212Km/hora

Não é a primeira vez, mas merece sempre uma referência... O Sr.Ministro da Economia e Inovação Manuel Pinho, seguia na viatura oficial na A1 a 212Km/hora e foi detectado pelos radares da BT de Leiria, que como lhe competia, identificou o prevaricador e levantou o respectivo auto... só que quem vai responder pelo facto é o motorista do sr. Ministro( que concerteza cumpria ordens de sua excelência). O insólito de tudo isto é que a lei é para todos, mas parece que agora e a exemplo do caso Mateus (Gil Vicente), alegando interesse público, já muita coisa é permitida... vejamos se eu, por via das malfadadas obras que infestam a IC24 ( Já derrapou os custos?), em que ninguém se preocupa com o prejuízo de quem tem que ir trabalhar, abrindo frentes de obra, cortando estradas e todas as tropelias sem aviso prévio aos utentes, o patrão desconta-me no salário o atraso e corta-me o subsídio de refeição, no fim do mês até baixo de escalão e pago menos IRS ( Prejuízo, não contabilizado nas derrapagens orçamentais), quantos milhares de cidadãos se queixam do mesmo? E as empresas que vêm os empregados atrasarem-se, os despachos urgentes em transporte rodoviário, ficarem em terra porque chegou atrasado ao aeroporto, etc. etc... se todos nós começarmos a cometer infrações de trânsito e começarmos a alegar a causa do interesse público?
As leis são para todos sem excepção, só assim a sociedade poderá ser regulada, assim é em Democracia!
Neste caso e noutros de excesso de velocidade nas estradas por parte de governantes, que até podiam ter-se socorrido de batedores da GNR e nesse caso, sim circular acima do legalmente permitido... digam-me que aconteceria se o sr. ministro provocasse um acidente? Que pela velocidade a que circulava, seria de grande gravidade!
E vêm falar ( o ministro do ambiente), em reduzir nas autoestradas a velocidade de 120Km/hora, para os 118Km/hora... acrescentando que em termos ambientais, reduziriamos a emissão de dióxido carbono em não sei quanto... e mais o blá, blá, blá, de redução no consumo de combustível, não é uma verdadeira anedota? Quando quem circula a exceder e pede mão pesada para os condutores incumpridores, são os que ditam as leis... é caricato!!!

4 comentários:

MRelvas disse...

"Olha para o que digo,não para o que eu faço"!Caro Victor é realmente um abuso de poder,que como tantos outros,praticam ás descaradas do povo,em nome de quem se dizem ter sido eleitos.Se não fossem aqueles outros automobilistas que pagaram na hora...td passava em branco,mas tiveram a coragem de denunciar o caso na TV.Imagino os constrangimentos que estes casos trazem a quem da BT teve de ainda bater a pala ao Sr ministro infrator,que conforme o Código da Estrada,passa para o motorista todas as culpas de tal infracção."Os exemplos vêm de cima"!Isto já era!

Mário Margaride disse...

Pois é amigo Simões! É como diz.

Aqui no nosso quadradinho
À beira-mar plantado
A mim, já nada me espanta
É asneira por todo lado

Porque as leis que esses senhores
Fazem lá dos gabinetes
Não são para eles cumprir
É apenas pró povinho, que não passam de joguetes

Com todo o rigor de "dono"
Mandando, lá do gabinete
Que as leis, se apliquem sempre
Não para eles não, que frete!

Eles, são um caso à parte
Pró povo, vái cacetete
Para eles, são mordomias
E mais, o que lhe apetece

E assim vái, Portugal!

A. João Soares disse...

Já nada me espanta, do alto dos meua cabelos brancos e das várias décadas de duração!!!
Uma pergunta: para quê o limite de 120 Km/h?
1. Certamente não é por ser perigoso viajar a velocidade mais alta, porque se fosse essa a razão o ministro não se arriscaria.
2. Também não é para reduzir as emissões de óxido de carbono, porque nesse caso o ministro não ousaria deixar de dar um bom exemplo!
3. Também não é para reduzir o consumo de combustível que tanto pesa na balança de pagamentos, porque o ministro não deixaria de dar o exemplo.
Então para que é o limite? Só há uma razão: para os políticos satisfazerem a sua ânsia de poder, massacrando o cidadão, em mais um pormenor, porque eles são imunes às leis. O motorista nada vai sofrer como aconteceu com o do Juiz Presidente do STJ quando viajava do Algarve para Lisboa acima dos 200.
As leis são apenas para chatear. Veja-se o que tem acontecido com o Código das estradas. Cada Sec de Estado que aparece impõe mais umas restrições para os «pacóvios» dos cidadãos.
Perto de Cascais na 3ª Circular onde se pode andar a mais de 70 com toda a segurança, há um troço com limite de 30Km/h. Em Cascais em plena Av. 25 de Abril, com duas faixas em cada sentido e com pilaretes ligados com corrente metálica, em cada passeio, há um troço de 30Km/h. Para quê?
Recorda-se que há alguns anos, com carros menos seguros, podia-se circular, em ruas estreitas sem passeio nas localidades, a 60Km/h. Porque agora em avenidas se limita a 30Km/h? Só pode ser para esmagar os cidadãos com o «poder» dos tiranos. Mas eles não cumprem, «POR INTERESSE PÚBLICO».
Ofereço boleia a qualquer ministro para uma viagem em autoestrada para verificar se o meu carro pode dar a velocidade que a publicidade diz. É que sem a companhia de ministro podia ficar-me caro o passeio.

david santos disse...

Já não é a primeira vez. Não que eu não admita, a mim mesmo, ter alguma cultura, aliás, como todos as pessoas. (Mas tive uma branca.)
Apesar de ao longo da minha vida, que já não é nada curta, nunca experimentei tal velocidade, só de avião. Se há prazer em andar rápido, desculpe, Victor, não estou de acordo consigo.
Um abraço, Victor.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas