25 setembro 2006

Criança...abandonada













Criança que nasceste...
"Orfã"
Não desejada...
Orfã de amor,
De afectos,
De carinho...
Criança...
Ostracizada,
Maltratada,
Que passa fome...
Menino da rua
Cresce sozinho,
Sem lei,
Sem valores...
Criança triste...
Abandonada...
Que vive na rua,
que rouba
Por ter fome...
Abandonada que foi...
Ao seu destino
Sobrevives...
Ao frio...
E à chuva...
Ignorada...
Por quem te fez nascer
Destino cruel o teu!
Criança...
Abandonada

3 comentários:

MRelvas disse...

Criança abandonada...lindo este poema!
Tantas crianças a quem podiamos melhorar a vida se não olhassemos demais para certos umbigos!

abraço

João Titta Maurício disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João Titta Maurício disse...

Não quero ser provocador, mas parece-me que o propósito pretendido por este poema é que se conclua que esta é uma criança "que mais valia ter sido 'matada'"!?!
Estarei enganado?

Espero que sim, pois jamais poderei compreender como podem alguns arrogar-se, pela condição presente dos pais, antever (com precisão científica - a única que sustentaria as decisões destrutivas e definitivas que propõem) o futuro de um ser ainda por nascer... ou julgar o passado pela análise do presente (sem ter a coragem de defender que a mesma solução deveria ser adoptada... independentemente de já ter nascido).
Quem pensa que pode julgar o mundo e mudá-lo... talvez consiga um bocadinho... mas o que é mais certo é autor e fautor de maior estrago.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas