14 setembro 2006

Militares portugueses em zona de combates

Com o título de " Militares portugueses em Cabul destacados para zona de guerra ", Noticia publicada hoje no Jornal de Notícias, embora eu ache que zona de guerra, basta estar no Afeganistão... julgo mais apropriado a indicação de zona de combates. Passando ao cerne da questão, e citando Vítor Pinto Basto, " O general James Jones, que ontem voltou a pedir reforços militares à OTAN para combater os talibãs, decidiu enviar uma parte dos 154 militares portugueses ao serviço da Força Internacional de Assistência e Segurança no Afeganistão (ISAF) para o principal cenário de guerra, no Sul daquele país, que regista uma violência nunca vista desde a invasão de 2001. " Onde está a garantia dada aos portugueses, por quem nos governa, que os soldados portugueses, não iriam participar em missões de combate, apenas participariam em acções de manutenção da paz, controlo e logística? Afinal não é bem assim, porque não dizer a verdade aos portugueses? Têm receio da opinião pública? Esta guerra, não fomos nós que a compramos, e por trás estão os malfadados desígnios de quem quer controlar o mundo e impor os seus modelos.
A força portuguesa, pertence ao 1º Batalhão de Infantaria Páraquedista, e acredito que estes rapazes estejam bem preparados, em todo o caso, o Governo precisa de aumentar é o prestígio internacional, se fosse no combate à miséria e a pobreza do nosso povo, seria nobre, agora na defesa de interesses escuros e dúbios, não me parece... e o resultado final que é o combate ao tráfico de droga, não se afigurou resultar, o tráfico aumentou, o Afeganistão prepara-se para bater o recorde de produção de ópio 6100 toneladas de ópio!

4 comentários:

Bendix2006 disse...

Que os políticos caíram em descrédito, é verdade... e não há forma de lavarem essa imagem, com tantas aldrabices e tentativas de atirar areia para os olhos do Povo.

MRelvas disse...

Pelo que eu sei caro Victor a zona onde estiveram os Comandos Portugueses e agora os Pára-Queditas de Portugal era, e é das zonas mais perigosas que há neste momento,pois já se insere na zona das montanhas onde dizem estar Bin Laden...Esperemos que o 1º Sargento CMD Roma Pereira tenha sido o último a tombar naquele TO...Sei que todos os dias os nossos homens que lá estavam passavam perigos constantes...
Persebem agora porque para o Líbano vão os engenheiros?É preciso os operacionais de prvenção para um possível e já pedido reforço de homens no Afeganistão...
Estarápreparado Portugal para chorar os seus mortos?

Mário Margaride disse...

Eu sou por definição anti-guerra. Embora estivesse dois anos em Angola na guerra colonial. Mas estive lá, porque a isso fui obrigado! Sei perfeitamente o que é um cenário de guerra. Neste caso concreto das tropas portuguesas, é diferente. São voluntários. Não existe serviço militar obrigatório. Agora...é sabido nestas situações não se vai passar férias! Mesmo nas supostas missões de paz, há perigos! Estão em cenário de guerra!
Que é que se esperava! Apenas foram deslocalizados. Repito são militares profissionais, não são militares como antigamente, que iam porque eram obrigados. Eles hoje estão no serviço militar porque querem. E estar no serviço militar não é andar a brincar às guerras! É sério! Morre-se!

Abssinto disse...

6100 toneladas?? bemmmm

..Basta estar num cenário de guerra para ser constrangedor a todos os níveis. Os nossos camaradas Paraquedistas dão conta do recado mas caramba, pensem bem para onde mandam os rapazes e não digam sempre "sim" à ONU e aos EUA como bajulamento...avaliem as situações, por favor.

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas