16 setembro 2006

A Saúde em Portugal


Estimados leitores, este meu texto é um grito de revolta, não é ficção, não é sobre o que se consta, é real e passa-se comigo!
Poderei começar por esclarecer, que o meu tormento começou quando tinha dezasseis anos, queixava-me de insuportáveis dores abdominais, a minha saga tinha inicio, com as consultas nos centros de saúde estatais, e como nada me resolvia o problema algumas consultas na medicina privada, para conhecer outras opiniões.
Suspeitaram que teria a doença de Crhon, e as portas do inferno de quem tem de andar de médico em médico, e com o atendimento que se conhece, e a que se tem de sujeitar quem não tem recursos, nem possibilidades de escolha de serviços mais competentes e diligentes! Depois da entrada no inferno (o inferno é isto… o nosso sistema de saúde pública, que agora com as privatizações previstas ainda piora dado que são geridos segundo a lógica empresarial de lucro!) exames, mais exames, de médico em médico e por fim a conclusão a suspeita é infundada!
Ler mais...

7 comentários:

Bendix2006 disse...

Bem vinda, ao Blogue Isabel. Infelizmente a saúde em Portugal, é isso mesmo que retratas no teu texto, quem não tiver dinheiro bem morre, aconteçe em todo o país e as queixas do cidadão são muitas, pena as pessoas não saberem utilizar os instrumentos legais para se defenderem, essa senhora doutora, que te atendeu nas urgências nem para veterinária serviria, porque de vocação médica não deve ter nenhuma...
há muitos excelentes médicos, mas também existem muitos que não são dignos de exercer medicina e muito menos de pertencerem à classe médica!

Ana Maria Santos ( Porto ) disse...

É na verdade indignante e revoltante, o que nos conta e é pena não se recordar do nome da doutora que se encontrava nas urgências, pois poderia de facto queixar-se à ordem dos médicos e já agora, reuna sempre provas de tudo, senão o lobby médico defendende-se sempre, sabe que se encobrem uns aos outros, no entanto aqui ficam os meus parabéns pela coragem de partilhar publicamente a sua história.
Só com denúncias públicas, é que poderemos contribuir para melhorar a sociedade que temos e exercer um verdadeiro acto de cidadania.
Um grande beijinho para si Isabel, não desista e vá à luta.

Ricardo Paiva (Guimarães) disse...

Este poste, ilustra a realidade portuguesa, do que se passa nos nossos serviços públicos de saúde, há tempos atrás um cidadão Russo, a residir e trabalhar em Portugal, conta-me que teve de ir ao Hospital de Matosinhos, que é a área da sua residência porque tinha tido um acidente de trabalho, o aspecto burocrático, com os documentos que teve de apresentar, demoraram um certo tempo, enquanto continuava ferido e com dores... só depois foi assistido... dizia-me então o referido cidadão Russo, que no país dele primeiro tratavam as pessoas e depois sim, tratavam os aspectos burocráticos da documentação.
Mas é isto que se passa mesmo, é a porcaria que nos resta a quem infelizmente não tem alternativas, para os políticos, e outras classes previligiadas isto não aconteçe, porque têm opções e dinheiro para clínicas privadas e quando por engano se dirigem a um serviço público, a classe social que ocupam permite-lhes, todas as espécies de deferências... e mais não digo, porque já sabemos o país temos.

Rosa Santos ( Lisboa ) disse...

Filha, desculpa tratar-te assim mas tens idade de ser minha filha.
Admiro a tua coragem, em colocares aqui a tua história, é preciso não desanimares e continuares com coragem. A Voz do Povo, é um blogue meritório por permitir, a livre expressão.
Parabéns e um beijinho.

Paulo Antunes (Porto) disse...

É a primeira vez que comento neste blogue, embora não seja a primeira vez, que visito o A Voz do Povo, em primeiro lugar gostaria de dar os parabéns à equipa fantástica de colaboradores, que nos trazem temas que fazem com que qualquer internauta interessado aqui regresse, pelos menos como leitor, que é o meu caso.

Agora em relação ao teu post Isabel, aínda és muito jovem e começar cedo "nos infernos" dos centros de saúde e hospitais, não é nada animador, mas não percas a esperança e continua a tua luta, não te deixes espezinhar, por funcionários incompetentes, que até são os que mais reclamam das condições (refiro-me também aos médicos), o nosso Governo deveria realmente avaliar o trabalho desses parasitas da sociedade, tal qual sanguessugas do dinheiro de nós todos e que aínda por cima nos tratam com desprezo e sobranceiramente. Sabes o que são médicos como essa das urgências... frustados profissionais sem vocação, autenticos consumidores de oxigénio.
Parabéns pela tua coragem e não te cales, escreve para a Ordem dos Médicos, para o Governo, para todos os sítios e denuncia os incompetentes.

victor simoes disse...

Isabel, bem vinda às postagens. Julgo que escolheste bem o espaço, para divulgar a tua cruzada, é de coragem reconhecida, numa país onde o papão da ditadura aínda perdura na memória colectiva da nossa sociedade. Tudo o que havia para ser dito, já aqui foi dito. Resta-me dar-te os parabéns e desejar-te um bom desfecho no problema de saúde que te aflige.
Um bj

José Faria disse...

Amiga concidadã isabel, infelizmente a Saúde em Portugal funciona como um outro qualquer negócio. Como qualquer actividae que tem e deve ser rentável. De tal forma que se a cidadã marcar um exame auxiliar de diagnóstico, e aí deixar a requisição ou o chamado "P1", e entretanto desistir do exame e nunca mais levantar o referido documento, não se admire se o mesmo vier a ser debitado ao SNS como se o tivesse feito, apesar de nunca o ter realizado. Tudo é negócio e pouco mais importa. Humanismo e serierdade...ahaa!

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas