22 setembro 2006

PORTUGAL

Ervas daninhas saídas dos charcos,
venderam-te tudo,
mas que grande rol!
Oportunistas e vigaristas natos
entraram na Festa vestidos de Entrudo,
como águas poluídas queimaram-te o Sol.
Sem ouro nem nada do que era teu,
roubaram e venderam todo teu bem,
hoje são milhões os que passam fome,
a agricultura, dos campos fugiu,
já não há courelas para ninguém,
tem que vir de fora tudo o que se come.
De Herói a cobarde!?
Não! Não acredito na transformação.
Foi a euforia que te fez esquecer a prol.
Hoje, com saudade,
vês trisreza e desilusão,
águas poluídas queimaram-te o Sol.

3 comentários:

José Faria disse...

Pois aí vai David Santos:

Poeta é o povo
Que faz a história,
De grandes obras
E pequenos nadas;
É quem faz das tripas coração,
E da miséria contos de fadas.

José Faria

david santos disse...

Tal e qual, Amigo, Faria.
Agora foi mesmo no centro. Nem um atirador especial.
Obrigado.
Até sempre.

MRelvas disse...

País desacreditado,
Povo triste e preocupado,
porque nada fazemos
Para mudar tal situação,
Se de cima vem mau exemplo,
Será debaixo que teremos cortar?
Para o país endireitar!

um abraço caro David

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas