02 outubro 2006

Que legitimidade, tem Marques Mendes?

Fazendo criticas relativas às pensões dos administradores do Banco de Portugal, a que já no ano passado aludiu. Dizendo: "Há um ano e meio vi o Governo a anunciar que ia rever e diminuir as pensões milionárias dos administradores do Banco de Portugal.
A verdade é que se passou um ano e meio e o Governo nada fez", criticou Marques Mendes, anteontem no encerramento da Convenção Distrital de Évora do PSD.
Num discurso onde não poupou críticas à actuação do Governo de José Sócrates, sobretudo em matéria económica e orçamental.
Continuando Marques Mendes, a criticar o Governo de José Sócrates, diria ainda.
"O Governo preocupa-se em diminuir as pensões dos reformados, em particular os da função publica, mas não é capaz de ter a coragem de pôr ordem nas pensões milionárias dos gestores do Banco de Portugal e das empresas públicas".
Agora pergunto, enquanto cidadão que nada tem a ver com partidos politicos.
Mas que observa com alguma atenção, o que se vai passando com os város Governos.
Que legitimidade tem Marques Mendes, e o PSD, para criticar este Governo, que tem feito mais por moralizar as contas públicas, no curto espaço de ano e meio, do que todos os governos que após o 25 de Abril estiveram no poder, incluindo dois Governo de maioria absoluta de Cavaco Silva, onde Marques Mendes fez parte?
E ainda o Governo de Durão Barroso, que "fugiu" para Bruxelas., onde também Marques Mendes fez parte!
Que legitimidade, tem Marques Mendes, para criticar este Governo, se durante os Governos do PSD de que ele fez parte, nada fizerem para moralizar as contas públicas, e neste caso concreto das reformas milionárias referidas por Marques Mendes!
Que ligitimidade?
Se os diversos Governos, todos sem excepção. Tivessem feito o trabalho de "casa"!
O país não estaria no caos que está.
Nem a descrepância, entre o público e o privado no que diz respeito a direitos sociais, e assistência médica!
Seriam o que são hoje.
Que legitimidade tem, repito, Marques Mendes?

20 comentários:

david santos disse...

Bom dia, Mário. Pouco importa a Marques Mendes e a outros da sua área andar a passa o vovo pela peneira. Como a peneira foi feita para passar coisa fina, como areia e farinha, o ovo não passa. É muito grande. Mas não é, inflizmente, o primeiro nem vai ser o última a despachar os seus erros e incompetência para o lado. Temos Durão e... esta gente já tem bem batida na praça. É a eles, só os incautos não querem ver, que devemos grande parte do caos em que estamos mergulhados.
Até sempre: DAVID SANTOS

José Faria disse...

Olá amigos, Mário e David.
Deixei cair este comentário. Os meus amigos e companheiros da política, vão-me chatear, mas paciência, um cidadão deve ser livre de opinar:

Ho! Ho! Deixem o homem falar! Ele tem que dizer alguma coisa, senão não há oposição (se é que há!?).
Não me digam que querem que ele insista no dia mundial do cão!?
Eles até estão sempre de acordo, mas tem que haver sempre alguma coisinha para diferenciar, senão o povo nem nota!
Ho!

Carlos Silva disse...

Olá Sr Mário Margaride

Então você concorda com as remunerações dos administradores do Banco de Portugal? Nunca esperei isso de você.
Como você diz, todos os governos após o 25 de Abril não moralizaram as contas públicas. Quer com isso dizer que os governos de Mário Soares e de António Guterres firam uma trampa? Também estava longe de o ver escrever tal ideia!!!
Acha você que a oposição não tem LEGITIMIDADE para criticaraquilo que acha mal nos governos? E você que legitimidade tem para criticar o pequeno Mendes? Porque você é mais alto? Não precisa de ser muito alto!!!
Só a oposição feita opelo PCP e pelo BE é que têm legitimidade?
Se não se importa, explique-nos o que é que você entend por democracia
Há nas suas palavras algo que não consigo decifrar. E eu gosto de perceber tudo, na medida do possível.
Faça lá um esforço e tente explicar o que pensa de democracia e legitimidade democrática. Sei que isso lhe vai dar muito trabalho, porque você prefere servir de papagaio e recitar slogans do seu agrado, em vez de raciocinar e traduzir as suas ideias.
Fico a aguardar as suas explicações. Mas não se apresse, eu compreendo a dificuldade de puxar pelo bestunto.
Até breve

MRelvas disse...

Caro Mário Margaride,tem a legitimidade de ser líder da oposição,de ser líder do partido votado em 2º lugar pelos eleitores democraticamente,ou pelo menos de ser deputado eleito pelo "povo",tal e qual o mesmo direito dos deputados vermelhos e bloquistas...não acha?

Sim foi membro do governo de Cavaco,e Sócrates,não foi membro do governo que pôs Portugal de rastos?O guterrismo e o famoso diálogo...que deu no que deu...

Enfim,caro amigo,desculpe chamar-lhe amigo,mas não tenho como inimigo,simplesmente talvez não tenhamos as mesmas opiniões algumas vezes,muitas parece!

Um abraço de tolerância e amizade!

Mário Margaride disse...

Caro sr. Carlos Silva:
Não será preciso puxar muito pelo "besunto", porque só não vê quem não quer ver.
Então esqueceu-se, que o actual líder do PSD, fez parte dos Governos de Cavaco Silva e de Durão Barroso, o que "fujiu" para Bruxelas, e nada fizeram para acabar com as ditas reformas! Esqueceu-se?
Acha que o PSD e Marques Mendes se sentem com legitimidade política para criticar essas mesmas reformas, que não foram capazes de acabar com elas?
Um líder de um partido politico, que ainda por cima foi governo, e que cujo líder desse partido fez parte desse governo, não é naturalmente um cidadão qualquer!
Tem responsabilidades perante o povo português enquanto foi governante.
O amigo ou eu, ou qualquer cidadão, em democracia pode ter a opinião que entender!
Agora alguém que já teve responsabilidades governativas, como no caso do líder do PSD Marques Mendes.
Perde legitimidade política, para criticar, quando ele próprio enquanto governante não acabou com este escândalo.
Ou não será assim?
Quanto a eu estar de acordo com estas reformas milionárias, onde é que viu isso escrito? Vê alguma coisa no texto?
Mas repare que eu digo, todos os governos!
Incluindo os do PS, todos foram responsáveis!
Um abraço

MRelvas disse...

Aqui neste segundo comentário caro M´´ario margaride,já entendo melhor o que quer dizer,que não executou o que diz dizer...

Pois sabe,quando eles andam em campanha e oposição é também isso,dizem muita coisa,veja bem o que o senhor Sócrates disse e o que fez...

A demagogia é para todos os lados,senhor Mário Margaride!

Um abraço sincero!

Carlos Silva disse...

POis é.
Tem toda a razão Sócrates que foi do governo do Guterres que fugiu e deixou o país num pântano, segundo a sua teoria, não tem legitimidade nem para criticar e, portanto, nem para governar!111
Só têm legitimidade para criticar os Camaradas do BE e do PCP, porque não fizeram parte dos governos (O PCP fez parte já há muito tempo).
Aceito a explicação de mrelvas sobre a legitimidade.
Mas Mário Margaride não me explicou qual é o seu conceito de democracia, de legitimidade democrática, de alternancia democrática. O PSD já foi condenado pr«elos cidadãos por ter errado no governo: saiu e deu lugar ao PS. POde acontecer o inverso nas próximas eleições.
Acho muita graça às suas pretensas justificações. É um artista no jogo das palavras. Essa dos administradores do Banco de Portugal não poderem ser referidos pelo miúdo do PSD tem a sua graça.
Por agora fico por aqui.

Alípio Montemor disse...

Camarada M Margaride
O camarada Jerónimo encarregou-me de te dar um recado. Mas tendo procurado o teu telefone e o e-mail sem sucesso estou a utilizar esta via, antes de ir entrar no turno da meia noite.
Ele quer que sejas avisado de que não te deves expor em demasia. Os comentários do Carlos Silva, do MRelvas e de um tal Pacificador da Padrela, há dias, podem significar que estás a perder credibilidade, o que é mau para o Partido, porque há muito a esperar da tua militância e combatividade. Deixa de te vidnciar tanto. Não sejas tão agressivo. O Partido precisa de ti e quer que contnues activo e eficaz, mas para isso tens de ser mais comefido.
Saudações partidárias

victor simoes disse...

Meus, amigos é pena ver aqui comentários como o do Alípio, este comentário tem concerteza o objectivo de chatear o nosso colega e neste momento é urgente, a bem da credibilidade do blogue e da dignidade dos nossos colaboradores, tomarmos uma posição, e para já fica decidido limitar comentários aos bloguistas, quem escreve na internet fá-lo com decência, comentadores avulsos dispensamos!

Um abraço a todos os colaboradores deste blogue, não será por aqui, que nos irão destabilizar.

MRelvas disse...

Já dei com o comment que deve ter desestabilizado o blog...será este o do Alípio?

Se assim é, estou de acordo.

Podemos ter ideias diferentes,mas da discussão nasce a luz.

Quanto a mim acho pena...mas a vida é assim...

Cumprimentos

Mário Margaride disse...

A este Alipio encomendado por alguém. Devo dizer apenas isto.
Escusam de tentar estes esquemas. E acrescento um adágio popular, que neste caso encaixa, que nem uma luva.
(vozes de burro não chegam ao céu)
Mário Margaride

MRelvas disse...

Ó Mário margaride já agora para isto não descambar diga lá quem é que o encomendou.Digo-lhe pela última vez que eu não preciso de encomendar nada a alguém e da próxima vez que você disser algo do género sem aprofundar e dizer a verdade vou ter consigo e tiramos isso a limpo.
Eu não sou cobarde senhor MM.
Começa a ser complexo ou quê?Se não se referia a mim diga a quem se refere.Isso é mais baixo que aquilo que o Victor quer acabar.Eu tenho direito à minha opinião e não lhe vou fazer qualquer favor.Levará de mim sempre que eu ache que não concorde.Sabe não tenho nada a ver com isso mas até achei piada o que esses senhores dizem porque à quem pense isso,pela prepotência de quem é o único defensor moral dos trabalhadores.Conheço o género,apresento-lhe o Saramago que conheço dos tempos militares e com quem estive no lançament do seu último livro,mas conheç~-o bem de mais para ele comigo fazer farinha,sabe?Estou farto de treta,de falta de respeito.Até agora eu tentei aproximar-me de si,mas agora quero distância. E lembre-se eu preciso tanto de si como você de mim.Mais ainda não largo isto tudo de vez porque era o que você queria...
Vai ter de me aguentar aqui,sabe e respeite os outros para ser respeitado...Penso que é defeito de fabrico e não lhe admito qualquer comentário a partir de agora,coisa que você nunca fez,vá lá saber-se porquê?Só o fez em termos políticos grosseiros.

Passe bem e definitivamente e até breve,pois o mundo é pequeno para quem não sabe portar-se bem e precisa de medidas pidescas ou KGbestas...

Deus o ajude meu irmão!

Gostaria de saber realmente quem é que este senhor acusa,caro Victor,isto está aperder a liberdade por causa de quem se afirma o mais defensor da liberdade.

Não podemos continuar assim...

Basta

Mário Margaride disse...

Meus amigos. Se entendem que eu sou incómodo, por ter opiniões próprias. Isso significa que penso pela minha cabeça. Já disse milhentas vezes que não pertenço a nenhum partido politico! Mas se pertence-se, não teria o direito de o fazer?
Num vivemos num país livre? Ou temos que dizer todos amém!
É evidente, como disse o amigo Simões, é ridiculo o que o suposto Alipio", veio aqui propositadamente para provocar. Não sei naturalmente quem estará por detrás disto. Não estou a acusar o sr Relvas!
Mas parece que se doeu!
Temos que aprender a viver em democracia, e respeitar as ideias dos outros, sem insultar nem provocar. Se a administração entender que não devo continuar, por ter ideias próprias, e por não pactuar com algumas situações, que mo diga, que eu saio deste blogue.
Se é pluralista, ou se é unilateralista.
A liberdade existe em Portugal. Não estamos numa ditatura.
Cumprimentos

MRelvas disse...

Ridículo era se não me doía...pois da última vez houve uma troca de ideias negativas entre nós,agora ponha-se no seu lugar e verá que os que aqui lêm os comentários interrogar-se-ão a quem se refeirá MM sobre a "encomenda" e as vozes de burro...

Estou a marimbar-me para si,para as suas opiniões e para a sua
existência.Não o respeito mais e terminou por aqui.
Métodos bolchevistas?Não estou para o aturar!Fique com as suas atitudes,com partido ou sem partido,você não passa do que é...voz que realmente só chega a si mesmo e ameia dúzia de saudosos do muro de Berlim.Já lhe disse que você é livre de opinar,ter ou não partido,ou inteiro,mas terá que colaborar engrandecendo as opiniões dos outros,criticando positivamente.

Eu só voltei porque me pediram fora da vozdopovo que o fizesse,pois realmente o que você quer é que opiniões livres,democrtas e que levantam reais problemas sociais se afastem.

Mas confesso,que não tenho muita capacidade para dar a outra face!!muito menos a alguém tão presunçoso,sem respeito pelo mundo que o rodeia.Conheço o género,todos o conhecem.Estou eu a gastar o meu latim,quando o chamei a debate,quando coloquei um texto em que me referia a si no bom sentido e que o Victor me deu uma indirecta para retirar o post,que fiz de imediato,pois era para estar 2 dias,para ver se você tinha coragem de responder e aceitar o repto que lhe fazia e que o David (desculpe lá David) colocou lá um comments,elogiando a atitude !

"Não estou a acusar o Sr Relvas!
Mas parece que se doeu"

Não tenho paciência nem tempo para aturar "doridos",hipócritas da sociedade.Afirmo que não tenho confiança em si,muito menos agora.Considere-se em minha modesta opinião em mais um fracasso da era estalinista.

Como isto baixou de nível...eu achei estranho estar a demorar.

A vozdo povo em breve passará a ser conhecida pela voz do MM...assim seja.

Fale,escreva para aí...

MRelvas disse...

Sei que neste blog estou em avaliação contínua,mas aqui só coloco o que quero e nada de "transcendental" como provavelmente queria.O que aqui coloco digo-o todos os dias e virá o dia,espero em breve que direi algo de "transcentdente",em lugar adequado,não aqui...

Sou informado o bastante,não sou sociólogo,mas estou a par de muita coisa que se passa neste rectângulo e no mundo,por mais que me queiram retirar nabos da púcara,nada sairá!...

Esperemos pelas "vozes de burro"...

david santos disse...

Nao sei se devesse voltar a este assunto, mas como homem sem preconceitos partidários e achando haver pessoas a não querer respeitar a liberdade de todos, por clubismos, logo, falta de liberdade, vou aqui expor o meu parecer sobre esta confusão, pois não passa disso, confusão. Eu fui dos que estive de acordo com o texto, embora, como é óbvio, "Temos Durão e..." Como é claro, todos os que estão para trás que, infelizmente, não sou poucos. Mas as "atoardas" saídas em redor do texto, e desculpem-me os que se sentirem ofendidos, são de índole partidária. Logo, dignas de pessoas pouco libertas para terem uma discussão séria. Quando somos amantes de qualquer clube, entenda-se, partido, o nosso raio de acção, quer queiramos, quer não, está limitado. E está limitado, na minha perspectiva, claro, porquê? Porque nos foi incutida a noção da demagogia e de que tudo que se diga e seja contrário ao nosso partido deve ser constetado. Nada mais errado e nada menos democrático.
Se não aceitarmos a crítica, mesmo que a nós seja dirigida, como conheceremos os outros? Então para que serviam os partidos? Não. Algo de muito errado está nas apreciações de alguns amigos em relação ao caso em concreto.
Dando a entender que só nós existimos, por isso só nós temos razão. Isto não está certo. Ou será haver interesse em não deixar que "A VOZ DO POVO" seja um dos órgãos mais importantes da net? Sejam claros, meus senhores, mas ainda que não queira culpar ninguém, tal ojectivo jamais seria alcançado. As pessoas vêem. Sabem de que lado está a razão. Por isso, se por qualquer controle partidário há quem esteja interessado em tal situação, está a perder o seu tempo e, também, alguma coisa de boa que ainda possa ter.
Estas minhas palavras não se dirigem a ninguém em concreto, mas dirigem aqueles, que embora não mostrando claramente as suas intenções, querem fazer mal a um trabalho, já longo, mas que jamais parará. Mantendo o sentido aberto e franco que é apanágio da maioria dos seus membros, jamais entrará no jogo, seja de quem for.
Um abraço para todos sem excepção.

victor simoes disse...

Obrigado, David Santos pela ajuda.
Meus amigos, todos são bem vindos em nome de um blogue democrático, livre e sem amarras... lembram-se foram os senhores que sugeriram, o subtítulo.
Faço minhas as palavras do David Santos.

Um abraço a todos sem excepção!

MRelvas disse...

É a última vez que toco neste assunto, a regra é igual para todos.Não tenho partido,sou inteiro pelos portugueses e por PORTUGAL.Tenho concerteza a minha área de ideiologia mais próxima,mas busco raízes em todos os pensamentos.Não gosto de absolutismo e senhores da verdade,para tal seria outro igual e não valeria a pena debater nada e sim fazer um monólogo.Tenho as minas coicções,crticáveis e até para mim emaprendizagem constante,lendo,confrontado e dialogando.Nada é permanente e imutável a não ser a morte ou os burros com palas nos olhos.
Desejo efectivamente que todos comentemos livremente os posts de todos sem qualquer constrangimento,só assim pode haver amizade e encontro de ideias,conhecimento dos outros.Não podemoster medo de ferir o senhor A ou B se não cncordarmos,acho é que temos que tentar justificar o porquê.
Ser patriota,gostar das raízes do nosso povo, amar os seus camaradas de armas,defender os deficientes, a segurança dos cidadãos,a educação,saúde...será ser fascista?ou nazi?

Sou apenas e não é pouco um homem que ama Portugal acima de tudo.Que tem a sua Fé;não tenho culpa que outros não a tenham.Escrevo,lei,critico,mas não levo isso como um caso de "defesa nacional",ou da "honra".

Esperemos que este facto passe a ser do passado.
Mais uma vez!

cumprimentos a todos e boas escritas e críticas.Critiquem os meus textos sobre a air luxor,no noticias saiu a foto que tirei pessoalmente ao avião,mas aqui não deu.Critiquem o meu amar...amar que me saiu de dentro sem rascunhos directamente para a voz do povo.É para isso que escrevo para vos ouvir,com verdade.Aqui não à favores.Há verdade!

Liberdade não é libertinagem!

É,pensar que a nossa liberdade termina onde começa a do outro.


A propósito estou a ver a apresentação do programa "O Portugal de...hoje com Maria Filoménica Mónica.Parece interessante.


Assunto encerrado?
Tenho dito!

JOSÉ FARIA disse...

Meus amigos concidadãos, desculpem lá!
Se calhar não entro muito dentro do contexto, mas a verdade é que não gosto lá muito de verificar certos trocadilhos pessoais entre os elementos da mesma família da Voz do Povo, receio que se peguem! - Entendem?
Afinal na minha óptica a Voz do Povo parece-me funcionar como uma redacção de jornal, e se os seus funcionários se desentenderem, o jornal sái borratado, o que não é bom para quem o lê!
Logo, lembrei-me de mais uma vez pensar que deito água na fervura do "pingue Pongue" entre "funcionários da Redacção" e se calhar enganeime no vasilhame e deitei-lhe gasólio ou outro produto inflamável.
Por acaso nem é o caso:
Lembrei-me somente da filosofia de Sócrates e por isso vos atiro com esta.
Peço que me desculpem, mas foi por querer!?...


SÓCRATES


É bom falador e sempre insiste
Resposta pronta na ponta da língua
Oferece explicações e não desiste
Tantos o elegeram a viver à míngua.

Mas é o progresso que assim exige,
Reformas programadas que tem que ser;
Desemprego, miséria de não ver finge,
No capital vê a economia crescer

Não é o Sócrates da filosofia,
Que ensinamento deu da sua história;
E outros valores e teoria,
Da comunidade é sua memória.

Dizia esse há séculos passados
“Não pensar mal de quem mal procede
Pensemos que estão equivocados”
Porque a vaidade teimosa pouco cede.


“Não penses mal dos que procedem mal;
pensa somente que estão equivocados.”

(Sócrates)


Um abraço amigos da Voz do Povo

MRelvas disse...

Aceito e gosto caro Faria,vá aos temas meu amigo.

Obrigado e um abraço a todos
Mário relvas

Prémio

Prémio
Atribuído Pela nossa querida amiga e colaboradora deste espaço, a Marcela Isabel Silveira. Em meu nome, e dos nossos colaboradores, OBRIGADO.

Indicadores de Interesse

My Popularity (by popuri.us)

DESDE 11 DE JUNHO DE 2010

free counters

Twitter

eXTReMe Tracker

Etiquetas